Escreva seu Comentário:
Poesia

Autor(a): PAULO FONTENELLE DE ARAUJO

IDAS E VINDAS
Morrer é uma expectativa,
que sempre envolve o contrassenso
de viver ainda
ou    valer-se de lembranças antigas.
Então vou parar,
naquele oito de agosto,
aos vinte anos,
quando conclui:
"Cheguei até aqui!
Tudo bem!"
Parava algo dentro de mim.
"Tudo bem!"
Certa válvula incorpórea drenava ali
o acúmulo dos futuros
que me surgiam diariamente.
Não os sentia...
"Cheguei até aqui!"
Que linda era a certeza,
a adolescência armada
Vinte anos e alguns meses
naquele oito de agosto
sem rotas extraordinárias.

Hoje sinto a mesma paz,
há um idoso em mim,
ele não se compromete,
não se antipatiza,
apenas espera o    natal.

Todos os natais longínquos,
perfeitos
e anos que não acontecem.


DO LIVRO: "ADVERSOS E OUTROS MOMENTOS


Publicado no site: O Melhor da Web em 10/06/2018
Código do Texto: 137678
É necessário efetuar o login para fazer comentários.
Comentários Recebidos