Escreva seu Comentário:
Evangélicas

Autor(a): Silvio Dutra

As Insond√°veis Riquezas de Cristo - Parte IV

Por Thomas Brooks (1608-1680)
Traduzido e Adaptado por Silvio Dutra
Jul/2019
2
B873
Brooks, Thomas
As insond√°veis riquezas de Cristo ‚Äď Parte 4 /
Thomas Brooks. ‚Äď Rio de Janeiro, 2019.
75 p.; 14,8x21cm
1. Teologia. 2. Graça. 3. Fé. 4. Vida Cristã.
I. Título.
CDD 230
3
Irei agora para a quarta doutrina, a saber, que os dons e graças que Deus concede ao seu povo devem ser melhorados, empregados e exercitados por seu povo. "A mim, o menor de todos os santos, me foi dada esta graça de pregar aos gentios o evangelho das insondáveis riquezas de Cristo" (Efésios 3: 8)
Vamos abrir e explicar as palavras.
"Que eu deveria pregar." Isto é, declarar boas novas, ou as boas novas da salvação que são trazidas por Jesus Cristo aos pecadores. A palavra grega no Novo Testamento, responde à palavra hebraica Bessorah no Antigo Testamento - significando boas novas, ou uma mensagem alegre.
"Que eu deveria pregar entre os gentios." A palavra que √© aqui traduzida por gentios, √†s vezes √© usada geralmente para todos os homens, ou todas as na√ß√Ķes. Por isso √© usada em Mateus 25:32 e 28:19. √Äs vezes, essa palavra grega √© usada mais especialmente para o povo dos judeus, assim em Jo√£o 11:48, 50-52, e Atos 10:22, e √†s vezes √© usada para os gentios, distintamente dos judeus, assim em Mateus 6:32.
4
Pelos gentios aqui você deve entender aqueles pobres pagãos que estavam sem Deus no mundo, que nunca tinham ouvido falar de Cristo, nem aquelas riquezas inescrutáveis que estão nele; como você pode ver claramente ao comparar este texto com Gál 1: 15-16, “Quando, porém, ao que me separou antes de eu nascer e me chamou pela sua graça, aprouve revelar seu Filho em mim, para que eu o pregasse entre os gentios, sem detença, não consultei carne e sangue,"
A primeira observação que falarei, a partir dessas palavras abertas, é esta: Que os dons e graças que Deus concede a seu povo devem ser melhorados, empregados e exercitados por seu povo.
A palavra grega que está aqui traduzida por graça, nós mostramos a você, tem um significado triplo na Escritura. Às vezes denota o favor de Deus, às vezes os dons comuns do Espírito, e às vezes as graças salvadoras do Espírito. Agora, diz Paulo, aquele favor singular que Deus conferiu a mim, e todos aqueles dons comuns e graças especiais com que ele me enriqueceu, todos devem ser empregados e exercitados. "Para mim é esta graça dada, que eu deveria pregar entre os gentios as riquezas insondáveis de Cristo."
5
De modo que não há nada mais claro do que isso, a saber: Que os dons e graças que Deus concede a seu povo devem ser empregados, aperfeiçoados e exercitados por seu povo.
"Para mim esta gra√ßa √© dada." N√£o para que eu deva ficar ocioso, mas ativo; n√£o para que eu seja negligente - mas diligente; n√£o para que eu deva esconder meus talentos, mas melhor√°-los. Vou abordar algumas Escrituras que falam dessa verdade e depois abri-las para voc√™: 2 Tim 1: 6: "Por esta raz√£o, pois, te admoesto que reavives o dom de Deus que h√° em ti pela imposi√ß√£o das minhas m√£os." Como o fogo √© aumentado e preservado pelo sopro, assim s√£o nossas gra√ßas. Alguns pensam que √© uma met√°fora tirada de uma fa√≠sca mantida em cinzas, que, com um sopro suave, √© agitada, at√© se tornar uma chama. Outros dizem que √© uma alus√£o ao fogo no templo, que sempre deve ser mantido aceso. [Calvino e outros.] N√£o recebemos nada por h√°bitos mortos e in√ļteis. Talentos escondidos em um guardanapo juntam ferrugem. As faculdades mais nobres s√£o rebaixadas, quando n√£o melhoradas, quando n√£o exercitadas.
Fp 2:12, "Desenvolva a sua própria salvação com temor e tremor". O grego é: "Trabalhe até
6
conseguir o objetivo". A raz√£o pela qual os cora√ß√Ķes de muitos homens tremem, e est√£o t√£o cheios de medos e d√ļvidas, √© porque a salva√ß√£o deles n√£o √© feita; eles fazem um trabalho minucioso em suas almas, n√£o colocam essa pergunta em casa - quer tenham gra√ßa ou n√£o? Se eles t√™m interesse em Cristo ou n√£o? Eles n√£o se levantam com todas as suas for√ßas contra o pecado, nem com todo o seu poder para servir ao Senhor; e, portanto, medos e d√ļvidas os cercam. Ent√£o em 1 Cor 15:58, "Portanto, meus amados irm√£os, sede firmes, inabal√°veis e sempre abundantes na obra do Senhor, sabendo que, no Senhor, o vosso trabalho n√£o √© v√£o."
"Seja firme." √Č uma met√°fora tirada de um alicerce sobre o qual uma coisa permanece firme; ou um assento ou cadeira.
"Imóvel" significa aquele que não moverá facilmente seu lugar ou opinião.
"Abund√Ęncia" ou excel√™ncia "na obra do Senhor".
"Sabendo que o seu trabalho não é em vão." O grego é "trabalhar até o cansaço". O apóstolo queria que trabalhassem até o cansaço; "pois", diz ele, "não é em vão". Vai produzir uma boa
7
conta; ele te dará muito do céu aqui, e te elevará ao céu daqui em diante. [A graça é melhorada e tornada mais perfeita agindo. Negligência de nossas graças é o fundamento de sua diminuição e decadência.]
Há apenas duas coisas que me esforçarei para fazer, para a abertura do ponto.
I. Mostrar a você porque as pessoas devem melhorar, empregar e exercer as graças e dons que Deus lhes concedeu. E depois,
II. o fim para o qual eles devem exercer essas graças e dons.
I. Para o primeiro, existem estas doze raz√Ķes pelas quais as almas graciosas devem exercitar e melhorar seus dons e gra√ßas. Amigos, este ponto √© um ponto de uso t√£o singular e de t√£o grande preocupa√ß√£o para voc√™, quanto qualquer um que eu saiba que a Escritura fale, e, portanto, desejo que voc√™s deem suas aten√ß√Ķes mais s√©rias e solenes.
[1.] Primeiro, eles devem exercitar e melhorar suas graças, porque o exercício e a melhoria de suas graças é o caminho pronto para ser rico em graça.
8
Como o pecado é aumentado na alma pelos frequentes atos dele, assim a graça é nutrida e fortalecida na alma por seus frequentes atos. O exercício da graça é sempre atendido com o aumento da graça. Provérbios 10: 4: "A mão diligente enriquece"; ou a mão ágil; a mão que é ativa e ágil - essa mão enriquece. Em Rute 2, como Boaz seguiu o seu negócio? Seus olhos estavam em todos os cantos, nos criados e nos ceifeiros, sim, também nos limpadores. [Nossas graças são como o exército de Gideão - senão um punhado em comparação; mas nossos pecados são como os midianitas, inumeráveis como gafanhotos.]
Está registrado de Severus, que seu cuidado não era olhar o que os homens diziam sobre ele, ou como eles o censuravam - mas olhar o que deveria ser feito por ele. Ele se levantará em julgamento contra aqueles professantes que parecem mais o que este homem e o outro homem dizem deles, do que o que deve ser feito por eles. O coração de um cristão deve ser tomado com o que deve ser feito por ele, e não com o que este homem pensa, ou como os outros o julgam.
Pacunius tem um ditado elegante; "Eu odeio", diz ele, "os homens que est√£o ociosos em a√ß√Ķes e s√£o filos√≥ficos em palavras". Deus ama, diz
9
Lutero, o corredor, não o questionador. A graça cresce pelo exercício e decai por desuso. Embora ambos os braços cresçam - no entanto, aquele braço que um homem mais usa é o mais forte e o maior; então é tanto em dons como em graças. Nos pássaros, suas asas mais usadas são as mais doces; o aplicativo é fácil. Homens tão contentes com tanta graça quanto os levará à glória, com tanta graça que manterá o inferno e suas almas separadas - nunca serão ricos em graça, nem elevados em conforto ou segurança. Essas almas geralmente vão para o céu em uma tempestade. Oh, como são castigadas pelo tempo antes que possam chegar ao porto celestial!
[2.] Em segundo lugar , eles devem exercer seus dons e graças, porque é o fim principal da dádiva das graças de Deus para eles.
A graça é dada para ser usada; é dada para ser colocada para fora, e não para se deitar. [A razão, dizem alguns, por que Cristo amaldiçoou a figueira, embora a hora de dar fruto não tenha vindo, foi porque ela fez um glorioso espetáculo com folhas, e prometeu muito - mas não produziu nada.]
A graça é uma vela que não deve ser colocada sob um alqueire - mas colocada sobre um
10
candelabro. A graça é um tesouro de ouro que deve ser melhorado, não acumulado, como os homens fazem com seu ouro. A graça é um talento, que é dado, para esse fim, que deve ser empregado e aperfeiçoado para a honra e a vantagem daquele que o deu. O servo preguiçoso, na conta de Deus, é um servo mau, e consequentemente Deus o denotou, e condenou-o por sua má criação, à destruição, Mateus 25: 24-31.
"√Č uma pena", diz Jer√īnimo, "que a f√© n√£o seja capaz de fazer aquilo que a infidelidade fez! Que fruto n√£o melhora na vinha, no jardim de Deus, do que no deserto? Quem cresce melhor? Os frutos que crescem sobre a √°rvore da vida, ou os que crescem sobre a raiz da natureza? etc.
[3.] E depois, em lugar, porque a graça, que é exercida e melhorada, fará por nós, o que todos os meios do mundo nunca poderão fazer. [Nenhum israelita que foi mordido ou picado com a serpente de fogo podia ser curado, senão olhando para a serpente de bronze. Aqueles lugares que um cristão encontra em seu próprio coração só podem, por uma mão de fé, ser lavados no sangue do Cordeiro. ]
Eu devo evidenciar essa verdade em alguns casos not√°veis.
11
Suponha que a culpa do pecado está sobre a alma de um homem, como uma montanha pesada, e não há nada além do exercício da graça que pode remover essa culpa. O homem ora e, no entanto, a culpa gruda nele; ele ouve e ainda a culpa como uma montanha pesa sobre ele; ele lamenta, ele suspira, ele geme e ainda assim a culpa gruda nele; ele corre de ordenança para ordenança, e de serviço ordinário para extraordinário, e ainda a culpa segue-o; ele corre de homem para homem: “Senhor, o caso de algum homem nunca foi como o meu? Eu tenho orado assim por muito tempo, tenho ouvido falar assim por muito tempo, tenho lamentado por tanto tempo, etc., e ainda assim a culpa está como uma montanha sobre a minha alma!“
N√£o h√° nada al√©m do exerc√≠cio da gra√ßa que ir√° remover isso. √Č somente f√© nas promessas de remiss√£o que remover√° a culpa do pecado que pesa sobre a alma. √Č somente a aplica√ß√£o da f√© da justi√ßa de Cristo, que pode tirar esse fardo que afunda a alma, mesmo t√£o baixo quanto o inferno. A f√© deve fazer um gesso do sangue de Cristo e aplic√°-lo √† alma, ou a alma morrer√° sob sua culpa. N√£o h√° nada al√©m disso. A aplica√ß√£o da f√© do sangue de Cristo tira a culpa e transforma a tempestade em uma calmaria.
12
Ainda, suponha que o poder e prevalência do pecado dificulte a doce comunhão da alma com Deus, de modo que a alma não possa se divertir, e se alegrar e se deleitar em Deus, como nos dias antigos; não pode ver Deus sorrindo, acariciando e falando gentilmente, como nos dias anteriores. Agora, não há nada em todo o mundo que possa aliviar a alma deste fardo do pecado, senão o exercício da graça. Oh, diz uma alma tão pobre, eu oro, senhor - e ainda assim eu peco; eu resolvo contra o pecado - e ainda assim eu peco; eu combato contra o pecado - e, no entanto, sou levado cativo pelo pecado; eu não deixei nenhum meio exterior sem tentar - e, no entanto, afinal, meus pecados são muito difíceis para mim; depois de toda a minha transpiração, esforço e choro, sou arrastado pela correnteza. Não há nada agora a não ser o ato da fé sobre um Cristo crucificado que tirará esse fardo da alma do homem. [Muito menos, então, podem os purgatórios, vigílias, chicotadas, etc. dos papistas, ou São Francisco beijar ou lamber as feridas dos leprosos, limpar a lepra irritada do pecado, etc.]
Agora, voc√™ deve fazer uso de suas gra√ßas para extrair a virtude de Cristo; agora a f√© deve tocar a bainha das vestes de Cristo, ou voc√™ nunca ser√° curado. √Č apenas com uma alma, neste caso, como foi com a pobre vi√ļva, Lucas 8: 43-
13
49, que tinha a quest√£o do sangue; ela n√£o deixa de ser incapaz de se curar; ela corre de um m√©dico para outro, at√© que ela gastou tudo o que valeu a pena, e agora diz: "Se eu pudesse tocar a bainha de sua roupa, ficaria curada". Ent√£o ela se aglomera no meio da multid√£o para chegar a Cristo, e estando atr√°s dele, ela toca a bainha de sua vestimenta "e imediatamente ela foi curada". Sendo assim a cura, Cristo se abre para coroar a sua f√©: "E disse-lhe: Filha, tende bom √Ęnimo, a tua f√© te curou; v√° em paz ". Ele n√£o diz, mulher, seu tremor lhe curou, ou, mulher, sua transpira√ß√£o e luta em uma multid√£o para vir a mim, lhe curou, ou, mulher, seu cair e humilhar-se, embora ela tenha feito tudo isso, mas "Mulher, tua f√© te curou." Ah, crist√£os! N√£o √© o seu tremor, ou a sua queda, ou o seu suor neste e naquele servi√ßo - que vai parar a quest√£o sangrenta de seus pecados - mas crer em Cristo. [Um toque de f√© curou a mulher, bem como uma espera completa. √Č o exerc√≠cio das gra√ßas do Esp√≠rito pelo qual mortificamos as obras da carne, Romanos 8:13. N√£o s√£o nossas fortes resolu√ß√Ķes ou prop√≥sitos que ser√£o capazes de dominar esses inimigos. Α ferida f√©tida ir√° correr at√© que seja realmente curada, embora digamos que n√£o ser√°.]
√Č triste considerar qu√£o poucos professantes nestes dias alcan√ßaram o caminho certo de
14
mortifica√ß√£o do pecado. Eles geralmente saem contra seus pecados na for√ßa de seus pr√≥prios prop√≥sitos, ora√ß√Ķes e resolu√ß√Ķes, etc., e dificilmente parecem t√£o elevados quanto um Cristo crucificado; n√£o se importam com o exerc√≠cio de sua f√© em Cristo; e, portanto, √© uma coisa justa com Cristo que, afinal de contas, eles sejam levados cativos pelos seus pecados. Nada devora o pecado como os atos da gra√ßa; nada enfraquece a for√ßa do pecado como o exerc√≠cio da gra√ßa. Oh! Que os homens cressem mais em Cristo, o pecado morreria mais? Eles acreditassem mais nas amea√ßas, o pecado morreria mais? Eles acreditassem mais nas promessas, o pecado morreria mais? Eles cressem em reinar mais com Cristo, o pecado morreria mais: "Aquele que tem essa esperan√ßa se purifica, assim como Cristo √© puro" 1 Jo√£o 3: 3.
Mais uma vez, suponha que a alma seja seguida de negro, sombria e ardentes tenta√ß√Ķes, n√£o h√° nada agora em todo o mundo que possa divinamente fortalecer e cercar a alma contra essas tenta√ß√Ķes, sen√£o o exerc√≠cio da gra√ßa, a melhoria da gra√ßa. √Č verdade que voc√™ deve ouvir, ler, orar, meditar, etc .; mas tudo isso sem o exerc√≠cio da gra√ßa neles, nunca o tornar√° vitorioso sobre as tenta√ß√Ķes de Satan√°s. Nada derruba Satan√°s como o exerc√≠cio da gra√ßa. [Lutero disse: Eu sou colocado em cima de todo
15
o mundo, e dentro da luta com o diabo e todos os seus anjos. E ainda, pelo exercício da graça, ele se tornou vitorioso sobre todos eles, etc.]
Diz-se de Satanás, que ele diria a um homem santo que estava muito no exercício da graça, Você sempre me supera. Ef 6:16. "Acima de tudo, pegue o escudo da fé, pelo qual você pode ser capaz de apagar os dardos inflamados do diabo." Qualquer peça de armadura que você negligencie, tenha certeza de não negligenciar o escudo da fé. A palavra grega que está aqui traduzida por escudo, vem de outra palavra que significa uma porta ou um portão, para notar que como uma porta ou um portão segura nossos corpos, assim o escudo da fé protege nossas almas contra os ardentes dardos do diabo: "Acima de tudo, tome o escudo da fé, pelo qual você pode ser capaz de apagar todos os dardos inflamados do diabo". O apóstolo faz alusão ao costume dos citas, que costumavam mergulhar as cabeças de suas flechas ou dardos no veneno das víboras, e o veneno como um fogo em sua carne, matou os feridos com tormentos - mais como o inferno de qualquer outro. Mas os soldados tinham geralmente escudos de couro, como vários escritores testificam, e quando os dardos ardentes pousaram sobre eles, foram extintos. Assim, esses dardos inflamados de Satanás, quando
16
eles pousam no escudo da fé, são extintos; e não há outra maneira de fazer isso. Até que o Senhor sinta a fé de um homem para agir de acordo com as promessas e com Cristo, esses dardos inflamados não serão apagados.
Suponha que o mundo, o sorridente mundo ou o carrancudo mundo, o tentador mundo ou o mundo perseguidor ‚Äď deva ficar como uma pedra pesada ou um fardo sobre seus cora√ß√Ķes, como acontece nos cora√ß√Ķes de milhares nestes dias; (testemunha a tentativa deles de obter os favores, honras e riquezas deste mundo! Ah! quantos t√™m virado as costas a Deus, e a Cristo, e √† verdade, etc., para ganhar o mundo!) Como voc√™ vai tirar esse fardo? Apenas pelo exerc√≠cio e atos de gra√ßa. Muitos homens ouvem muito serm√Ķes - e ainda permanecem mundanos. Eles oram como anjos - e ainda vivem como se n√£o houvesse c√©u nem inferno. Eles falar√£o muito do c√©u - e mesmo assim aqueles que s√£o espirituais e s√°bios cheiram a respira√ß√£o para cheirar forte a terra. Todas as artes, partes e dons do mundo nunca podem cur√°-los dessa doen√ßa que aniquila a alma; mas somente o exerc√≠cio da gra√ßa, at√© que a f√© irrompa em seus atos gloriosos. Um homem pode ouvir serm√Ķes e orar muitos anos - e ainda assim permanecer como carnal, vil e mundano como sempre! N√£o h√° caminho debaixo do c√©u para remover esta
17
pedra, este fardo ‚Äď sen√£o o exerc√≠cio da f√©! "Pois todo o mundo nascido de Deus vence o mundo. Esta √© a vit√≥ria que vence o mundo, a saber. a nossa f√©. Quem √© que vence o mundo? Somente quem cr√™ que Jesus √© o Filho de Deus". 1 Jo√£o 5: 4-5.
[A fé é um engenheiro melhor do que Daedalus, e ainda assim ele fez asas com as quais ele escapou pelos altos muros em que estava preso. Este mundo é a prisão da alma - mas a fé é um engenheiro que pode fazer asas para a alma voar, etc.]
Não que o hábito da fé supere o mundo - mas a fé no exercício vence o mundo e o faz por esses três caminhos:
(1.) Primeiro, f√©, no seu exerc√≠cio, apresenta o mundo √† alma sob todas aquelas no√ß√Ķes pelas quais as Escrituras nos transmitem o mundo.
A Escritura sustenta o mundo como uma coisa impotente, como uma coisa mista, como uma coisa mut√°vel, como uma coisa moment√Ęnea. [As riquezas terrenas s√£o cheias de pobreza, diz Agostinho.] Agora a f√© vem e estabelece esta casa com poder sobre a alma, e isso tira a alma do mundo.
18
(2.) Em segundo lugar, a f√© faz isso fazendo com que a alma converse com objetos mais gloriosos, que satisfazem a alma, que deleitam a alma e que satisfazem a alma . 2 Cor 4: 16-18: "Por isso, n√£o desanimamos; pelo contr√°rio, mesmo que o nosso homem exterior se corrompa, contudo, o nosso homem interior se renova de dia em dia. Porque a nossa leve e moment√Ęnea tribula√ß√£o produz para n√≥s eterno peso de gl√≥ria, acima de toda compara√ß√£o, n√£o atentando n√≥s nas coisas que se veem, mas nas que se n√£o veem; porque as que se veem s√£o temporais, e as que se n√£o veem s√£o eternas." [Enquanto olhamos para as coisas eternas como um homem olha para o alvo que ele pretende atingir.] Agora, quando a f√© √© exercida sobre objetos que enaltecem a alma, que elevam a alma, um crist√£o atropela o mundo sob seus p√©s; e agora as afli√ß√Ķes pesadas s√£o leves, e afli√ß√Ķes longas s√£o curtas, e afli√ß√Ķes amargas s√£o doces para ele, etc. Ent√£o em Hebreus 11. Foi o exerc√≠cio da f√© e da esperan√ßa sobre objetos nobres e gloriosos que os levaram acima do mundo, acima do mundo sorridente e acima do mundo carrancudo, acima do mundo tentador e acima do mundo perseguidor, como voc√™ pode ver comparando v√°rios versos desse cap√≠tulo juntos: versos 9-10,
19
"Pela fé ele peregrinou na terra da promessa, como em um país estranho, morando em tabernáculos com Isaque e Jacó, os herdeiros com ele da mesma promessa: pois ele procurou por uma cidade que tem fundamentos, cujo construtor e o criador é Deus ". Verso 24-26, "Pela fé, Moisés, quando já homem feito, recusou ser chamado filho da filha de Faraó, preferindo ser maltratado junto com o povo de Deus a usufruir prazeres transitórios do pecado; porquanto considerou o opróbrio de Cristo por maiores riquezas do que os tesouros do Egito, porque contemplava o galardão.". Verso 27, "Pela fé abandonou o Egito, não temendo a ira do rei; porque ele suportou como vendo aquele que é invisível". E no verso 35: "Alguns foram torturados, não aceitando seu resgate, para obterem superior ressurreição." [Todo homem é como os objetos sobre os quais sua alma é mais familiarizada, etc.]
(3) Em terceiro e √ļltimo lugar, a f√© faz isso assegurando a alma de desfrutar de coisas melhores. De minha parte devo confessar que, at√© onde entendi alguma coisa das coisas de Deus, n√£o consigo ver como uma alma sob o poder de uma garantia bem fundamentada pode ser uma serva de seu escravo, refiro-me ao mundo. Confesso que os homens podem falar muito do c√©u e de Cristo, e religi√£o, etc.; mas d√°-
20
me um homem que vive verdadeira e claramente sob o poder da segurança divina, e não consigo ver como tal pessoa pode ser levada a cabo num amor desordenado a essas coisas transitórias e precárias. Não conheço nenhum exemplo em toda a Escritura que possa ser produzido para provar que qualquer santo precioso que tenha vivido na certeza do amor divino, e que tenha andado por este mundo com seu perdão em seu peito, já tenha sido acusado com um amor desordenado do mundo.
[4] Agora, uma quarta razão deste ponto, por que as pessoas devem exercitar suas graças, é, Porque é a melhor maneira de preservar suas almas da apostasia e desviar-se de Deus. 2 Pedro 1: 5-11, "5 por isso mesmo, vós, reunindo toda a vossa diligência, associai com a vossa fé a virtude; com a virtude, o conhecimento; 6 com o conhecimento, o domínio próprio; com o domínio próprio, a perseverança; com a perseverança, a piedade; 7 com a piedade, a fraternidade; com a fraternidade, o amor.
21
8 Porque estas coisas, existindo em vós e em vós aumentando, fazem com que não sejais nem inativos, nem infrutuosos no pleno conhecimento de nosso Senhor Jesus Cristo. 9 Pois aquele a quem estas coisas não estão presentes é cego, vendo só o que está perto, esquecido da purificação dos seus pecados de outrora. 10 Por isso, irmãos, procurai, com diligência cada vez maior, confirmar a vossa vocação e eleição; porquanto, procedendo assim, não tropeçareis em tempo algum. 11 Pois desta maneira é que vos será amplamente suprida a entrada no reino eterno de nosso Senhor e Salvador Jesus Cristo.."
"Acrescente a sua f√© a virtude." A palavra grega que est√° aqui traduzida por acrescente, tem uma grande √™nfase nisso. √Č tirado de dan√ßar em volta. Conecte-os, diz o ap√≥stolo, de m√£os dadas, como na dan√ßa, as pessoas se juntam; ent√£o devemos nos juntar de m√£o em m√£o nestas medidas de gra√ßas, levar a dan√ßa das gra√ßas, como na dan√ßa francesa em que todo mundo tem sua vez. Assim, no cap√≠tulo 3: 17-18: "V√≥s, pois, amados, prevenidos como estais de antem√£o, acautelai-
22
vos; não suceda que, arrastados pelo erro desses insubordinados, descaiais da vossa própria firmeza; antes, crescei na graça e no conhecimento de nosso Senhor e Salvador Jesus Cristo. A ele seja a glória, tanto agora como no dia eterno." Há muitos que se desviam e se separam de Deus e de Cristo, e da verdade e das palavras de justiça; e, portanto, você precisa ter cuidado para não cair, pois outros caíram antes de você.
Mas como seremos impedidos de apostatar? Por "crescer na gra√ßa e no conhecimento de nosso Senhor e Salvador Jesus Cristo". √Č um crescimento na gra√ßa, √© o exerc√≠cio da gra√ßa - que far√° um homem ficar de p√© quando os outros ca√≠rem, sim, quando os cedros caem, etc.
[5] Em quinto lugar, todos os outros exercícios sem o exercício da graça não trarão nada. Ou se você quiser, leve assim:
Todos os outros exercícios serão perda para nós, sem o exercício da graça; portanto, precisamos melhorar nossas graças. Quando a casa está em chamas, se um homem apenas orar e chorar, etc., ele pode ser queimado por tudo isso; portanto ele deve estar ativo e agitado; ele deve correr de um lugar para outro, e pedir ajuda, e deve trabalhar até no fogo, e se sacrificar quanto
23
√† sua vida, no uso de todos os meios, atrav√©s dos quais o fogo pode ser apagado. Portanto, se a gra√ßa n√£o √© exercida, nem todas as pessoas est√£o orando e chorando, etc., o que ir√° benefici√°-lo ou melhor√°-lo. A gra√ßa deve ser exercida - ou tudo ser√° perdido; ora√ß√Ķes perdidas, l√°grimas perdidas, tempo perdido, for√ßa perdida, alma perdida, etc. 1 Tim 4: 7-8: "Mas rejeita as f√°bulas profanas e de velhas caducas. Exercita-te, pessoalmente, na piedade. Pois o exerc√≠cio f√≠sico para pouco √© proveitoso, mas a piedade para tudo √© proveitosa, porque tem a promessa da vida que agora √© e da que h√° de ser." [D√™ uma desculpa justa.] Desligue-as, como a palavra est√°, coloque-as de lado. Diga-lhes que voc√™ n√£o est√° √† vontade para atend√™-las, fa√ßa uma justa desculpa, como a palavra assinala; diga-lhes que voc√™ tem uma preocupa√ß√£o eterna para cuidar e "exercitar-se em piedade", ou deixar de lado suas vestes superiores, como fazem os corredores e lutadores, a quem o ap√≥stolo alude e se gloriar vigorosamente, pois ele diz: vers√≠culo 8, "exerc√≠cio corporal pouco aproveita, mas a piedade √© vantajosa para todas as coisas, e tem a promessa desta vida e daquela que h√° de vir." [Que o paciente tome tal ou tal po√ß√£o que em si mesma √© boa - contudo, se lhe faltar tal ou tal ingrediente em particular, n√£o funciona.]
24
Diz-se que os babil√īnios fazem trezentos e sessenta mercadorias diferentes da palmeira; mas quais s√£o esses bens, comparados aos milhares que assistem √† santidade, que assistem ao exerc√≠cio da gra√ßa?
"A palavra não aproveitou àqueles que a ouviram, porque não foi misturada com fé." Hebreus 4: 2. Ele não fala lá dos incrédulos - mas daqueles que tinham fé na alma - mas não no exercício; e, portanto, a palavra não lhes aproveitou. Eles ouviram e nunca foram os melhores. E qual foi o fundamento disso? Ora, foi porque eles não exerceram fé sobre a palavra. As palavras que saíam dos lábios do pregador para os ouvidos eram uma doce poção - mas não funcionavam eficazmente, porque lhes faltava o ingrediente da fé. A fé é um desses ingredientes gloriosos, que faz com que todo sermão, toda verdade, trabalhe em benefício de suas almas. Nada funcionará para o crente ser bom, para seu ganho - se não for misturado com fé. Nada faz um homem rico em coisas espirituais, como os frequentes e constantes atos de fé.
[6] Em sexto lugar, porque é o fim de toda a dignidade e glória que Deus conferiu ao seu povo; portanto, devem exercitar e melhorar sua graça.
25
Em 1 Pe 2: 9, "Vós, porém, sois raça eleita, sacerdócio real, nação santa, povo de propriedade exclusiva de Deus, a fim de proclamardes as virtudes daquele que vos chamou das trevas para a sua maravilhosa luz."
"Você é uma geração escolhida." Isto é, um povo escolhido; o amado de sua alma; tal como ele escolheu primeiro para o seu amor, e depois amado por sua escolha.
"Um sacerd√≥cio real, uma na√ß√£o santa, um povo peculiar." O grego √© "um povo comprado", tal como compreende, por assim dizer, todas as aquisi√ß√Ķes de Deus, todo o seu estoque, que ele faz qualquer c√°lculo.
"Para que você possa mostrar", ou, como é no grego, "para que você possa pregar", para que você declare publicamente as virtudes daquele que "lhe chamou das trevas para sua maravilhosa luz"; para que possa assim estender as virtudes daquele que conferiu toda esta dignidade e glória a você, a fim de mover os outros, para "glorificar a teu Pai que está no céu". Você sabe que a imagem de um amigo querido não deve ser empurrada para um canto - mas em algum lugar visível da casa. Ora, nossas graças são a própria imagem de Cristo, elas são a sua imagem; e, portanto, ser levado adiante a uma
26
visão aberta. Essas velas não devem ser colocadas sob um alqueire - mas colocadas em um candelabro. As joias devem ser usadas - não escondidas; assim são nossas graças. [O próprio Deus é prejudicado pela lesão que é feita à sua imagem. O desprezo é feito ao próprio rei - o que é feito à sua imagem ou moeda.]
Foi um crime capital nos dias de Tibério, carregar a imagem do imperador em um anel ou moeda, em qualquer lugar sórdido. E os cristãos não devem ser mais atentos e cuidadosos, que suas graças, que são a imagem de Cristo, não sejam obscurecidas de modo algum, mas que sejam mantidas sempre resplandecentes e brilhantes? A glória de Cristo é seu conforto, ó cristão! Resida muito no brilho de suas graças. Pérolas não devem ser empurradas em paredes de barro ou penduradas em focinhos de porco - mas penduradas no pescoço.
[7] Em sétimo lugar, almas graciosas devem exercer sua graça, porque quanto mais a graça é exercitada e melhorada, mais facilidade e prazer todos os serviços piedosos serão realizados, Salmos 40: 7-8; 119: 97-112. Quando a graça é melhorada e exercida, serviços graciosos são facilmente realizados. À medida que a força natural é exercida e melhorada, com mais facilidade e prazer são todos os serviços
27
corporais realizados; assim, quanto mais a gra√ßa √© melhorada e representada, com mais facilidade e alegria todos os servi√ßos crist√£os s√£o realizados. Tais almas encontram sal√°rios em seu pr√≥prio trabalho, eles acham n√£o s√≥ para manter - mas tamb√©m "em guardando os Seus mandamentos h√° grande recompensa." "Todos os caminhos do Senhor s√£o caminhos agrad√°veis para eles", e eles acham "que de todos os seus caminhos caem tutano e gordura", Romanos 6:22; Salmos 19:11; Prov√©rbios 3:17; Salmo 65:11. Ah, crist√£os, como sempre voc√™s gostariam que os servi√ßos de Deus fossem f√°ceis e agrad√°veis para suas almas, olhem para o exerc√≠cio e o aperfei√ßoamento de suas gra√ßas - e ent√£o seu trabalho ser√° uma alegria. [8.] Oitavo, voc√™ deve exercitar e melhorar seus dons e gra√ßas, porque quanto mais a gra√ßa √© melhorada, mais Deus ser√° honrado. Romanos 4: 19-21, "E, sem enfraquecer na f√©, embora levasse em conta o seu pr√≥prio corpo amortecido, sendo j√° de cem anos, e a idade avan√ßada de Sara, n√£o duvidou, por incredulidade, da promessa de Deus; mas, pela f√©, se fortaleceu, dando gl√≥ria a Deus, estando plenamente convicto de que ele era poderoso para cumprir o que prometera.‚ÄĚ [A f√© de Abra√£o o fez se alegrar e obedecer, Hebreus 11. A f√© √© como a mola no rel√≥gio, que move todas as
28
engrenagens, e a graça não se move até que a fé a faça funcionar, Romanos 4: 3, etc.]
"Ele deu gl√≥ria a Deus". Mas como ele deu gl√≥ria a Deus? Foi um h√°bito morto de f√©, que estabeleceu a coroa de honra sobre a cabe√ßa de Deus? N√£o! Foram os atos animados de sua f√© sobre a promessa e o prometedor, que deram gl√≥ria a Deus. Toda a honra e gl√≥ria que Deus tem para receber dos crentes nesta vida, √© das a√ß√Ķes de sua gra√ßa. Foi o ato de f√© de Abra√£o que foi sua alta honraria de Deus. Crist√£os! Eu suplicaria este favor de voc√™s, que voc√™s estivessem frequentemente na medita√ß√£o desta verdade, a saber, que toda a honra que Deus tem dos crentes nesta vida, √© das atua√ß√Ķes e exerc√≠cio de suas gra√ßas.
Quando voc√™ vai √† ora√ß√£o, ent√£o pense assim consigo mesmo: √Č assim, que toda a honra que Deus ter√° de minha alma em ora√ß√£o, ser√° das a√ß√Ķes da gra√ßa em ora√ß√£o? Oh, ent√£o, por que motivo tenho que me levantar para apegar-me a Deus e explodir todas as centelhas de gra√ßa que est√£o em mim? Como um corpo sem alma, muita madeira sem fogo, uma bala em uma arma sem p√≥lvora - assim s√£o palavras em ora√ß√£o sem o Esp√≠rito, sem o exerc√≠cio das gra√ßas do Esp√≠rito. Jonas agiu com f√© quando estava no ventre do inferno; e Daniel agiu f√©
29
quando ele estava na cova dos le√Ķes; e o ladr√£o agiu com f√© quando estava na cruz; e Jeremias agiu com f√© quando ele estava na masmorra; e J√≥ agiu com f√© quando estava no monte de cinzas; e Davi agiu com f√© quando ele estava em sua maior afli√ß√£o; e assim fez Mois√©s em √äxodo 14. E voc√™ sabe que o resultado de tudo foi - muita gl√≥ria para Deus e muito bem para eles. Seu cora√ß√£o nunca ser√° um estranho para a alegria e a paz, que est√° muito no exerc√≠cio e nos atos da gra√ßa. [Assim fez o publicano; ele orou muito, embora falasse pouco; as fontes mais quentes enviam suas √°guas em ebuli√ß√Ķes. Agostinho clama contra aqueles que n√£o lucram com afli√ß√Ķes.]
[9.] Em nono lugar, porque quanto mais a gra√ßa √© melhorada, mais afli√ß√Ķes e tribula√ß√Ķes ser√£o diminu√≠das e ado√ßadas para n√≥s. 2 Cor 4: 16-17: "Embora nosso homem exterior se corrompa - contudo nosso homem interior √© renovado dia a dia".
Quando Pedro M√°rtir estava morrendo, ele disse: "Meu corpo est√° fraco - mas minha mente est√° bem - bem para o presente, e ser√° melhor para sempre no futuro". Este √© o lema do homem piedoso: "Para as afli√ß√Ķes h√° gl√≥ria - porque a luz produz um peso de gl√≥ria - para as afli√ß√Ķes moment√Ęneas da gl√≥ria eterna". Ent√£o em
30
Hebreus 10 e 11. √ď amigos! Se suas gra√ßas fossem mais exercitadas e melhoradas, as afli√ß√Ķes seriam mais doces. Isso transformaria a cruz em uma coroa; isso se transformaria noites longas de inverno, em dias de ver√£o. Isso faria com que todas as condi√ß√Ķes fossem um para√≠so para voc√™, etc.
[10] Em primeiro lugar, se a graça não for exercida e melhorada - a alma pode ser facilmente surpreendida, conquistada e vencida por um diabo tentador e um mundo sedutor. Quando a espada está na bainha, o viajante é facilmente surpreendido; e quando o guarda está dormindo, a cidade é rapidamente conquistada. A criatura mais forte, o leão e a criatura mais sábia, a serpente - se estão adormecidos, são tão facilmente conquistados quanto os vermes mais fracos. Então, o mais forte e mais sábio dos santos, se suas graças estão adormecidas, e não no exercício - eles podem ser tão facilmente surpreendidos e vencidos quanto os cristãos mais fracos de todo o mundo, como você pode ver em Davi, Salomão, Sansão, Pedro. Todo inimigo insulta aquele que perdeu o uso de suas armas, etc. [Os santos devem ser como os serafins - cercados de olhos e luzes. A lebre temerosa, dizem eles, dorme com os olhos abertos. Oh, quão vigilante, então, deveria ser um cristão!]
31
[11] Em décimo primeiro lugar, devemos melhorar nossas graças, porque decaimentos na graça são muito grandes perdas para nós. Decaindo em graça, perdemos nossa força, nossa melhor força, nossa força espiritual; nossa força para fazer por Deus; nossa força para esperar em Deus e andar com Deus; nossa força para suportar por Deus; nossa força para sofrer por Deus. [As perdas espirituais são recuperadas com grande dificuldade. Um homem pode facilmente correr numa baixa colina - mas ele não pode correr tão facilmente em uma alta.]
Decaindo em graça, perdemos aquela "alegria indescritível e cheia de glória", e aquele conforto e "paz que ultrapassam o entendimento", e perdemos o sentido daquele "favor que é melhor que a vida". Agora nossa fé será transformada em medo, nossa dança em luto, nossa alegria em suspiros. E quando, ó cristão! Você começa a cair e a se decompor - quem sabe até onde você pode cair, o quanto suas graças podem ser prejudicadas e quanto tempo pode demorar até que seu sol se levante quando estiver pronto; portanto, você precisa exercitar e melhorar suas graças.
[12.] D√©cimo segundo e por √ļltimo, voc√™ deve melhorar suas gra√ßas, porque as almas verdadeiramente graciosas t√™m o poder de fazer
32
o bem. N√£o digo que um homem em seu estado natural - embora os arminianos o fa√ßam - tenha poder em si mesmo para praticar atos sobrenaturais, acreditar em Deus, amar a Deus e assim por diante, etc., pois acho que um sapo tamb√©m pode cuspir consolos como um homem natural faz a√ß√Ķes sobrenaturais, 1 Cor√≠ntios. 2:14; Jer 13:23; Tiago 1:17; Ef 2: 1-3. N√£o! Eu digo que toda a gra√ßa que temos √© de Deus; e aquele homem em seu estado natural est√° morto em cust√≥dia de Deus, e cust√≥dia de Cristo, e de santidade, e na ala dos c√©us. Ainda assim, digo que as almas verdadeiramente graciosas t√™m o poder de fazer o bem. √Č triste pensar quantos professantes desculpam sua neglig√™ncia fingindo uma incapacidade de fazer o bem, ou sentando-se desencorajados, como tendo em suas m√£os nenhum poder. O que podemos fazer, digamos, se o Senhor n√£o soprar sobre n√≥s, como na primeira convers√£o? N√≥s n√£o podemos fazer nada.
Penso, na minha consci√™ncia, que esta √© uma das raz√Ķes de grande parte daquela neglig√™ncia e omiss√£o de deveres, que est√° entre os professantes nestes dias, para que Deus possa queixar-se, como ele faz, Isa√≠as 64: 7. N√£o h√° homem que se agite para se apossar de mim - eles s√£o como os homens adormecidos, que ficam parados e n√£o fazem nada. Mas
33
certamente aqueles que est√£o realmente unidos a Cristo, n√£o agem como mortos, como se toda vez e no momento em que atuaram em Deus e na santidade, receberam uma nova vida do Esp√≠rito de Cristo, como na primeira convers√£o que fizeram. E tenho certeza de que, por falta de conhecimento e devido respeito a essa verdade, muitos professantes tomam essa liberdade para si mesmos, a ponto de viver negligenciando muitos preciosos deveres da piedade, pelos quais, cedo ou tarde, pagar√£o caro. Mas lembrando que n√£o √© um dil√ļvio de palavras - mas argumentos pesados, que convencem e persuadem as almas e consci√™ncias dos homens, eu lhe darei quatro raz√Ķes para demonstrar que os crentes t√™m o poder de fazer o bem ; e a primeira √© isso.
Primeiro, porque eles têm vida; e toda a vida é um poder para agir. A vida natural é um poder para agir; a vida espiritual é um poder para agir; a vida eterna é um poder para agir. O filósofo diz: "Que uma mosca é mais excelente que os céus, porque a mosca tem vida, o que os céus não têm" etc.
Em segundo lugar, não há justa base para Cristo carregar a culpa dos pecados sobre eles ; como negligência da oração, arrependimento,
34
mortificação; nem a culpa do descuido e preguiça, etc., pelo que ele já fez por eles.
Um terceiro fundamento √© este: se n√£o h√° algum poder nos crentes para fazer o bem, ent√£o n√£o devemos ter tanto benef√≠cio pelo segundo Ad√£o quanto pelo primeiro. O primeiro Ad√£o, se tivesse ficado de p√©, teria comunicado um poder a todos os seus filhos e filhas de terem feito o bem, pois, sendo corrompido, ele comunica poder ao pecado, como todos os seus filhos encontram pela experi√™ncia triste e lastim√°vel; e n√£o poder√° Cristo muito mais comunicar-nos um poder para fazer o bem em nossa medida? Certamente ele faz, embora poucos se importem, e menos o melhorem como deveriam. Quarto e √ļltimo, todas essas exorta√ß√Ķes s√£o vazias e sem efeito - se n√£o h√° algum poder nas almas verdadeiramente graciosas para fazer o bem; como todas aquelas exorta√ß√Ķes √† vigil√Ęncia, para despertar "a gra√ßa de Deus que est√° em n√≥s", e "trabalhar nossa pr√≥pria salva√ß√£o com temor e tremor", e tamb√©m "dar toda a dilig√™ncia para fazer sua voca√ß√£o e elei√ß√£o certa". Para que finalidade todas essas preciosas exorta√ß√Ķes, se o homem regenerado n√£o tem poder algum para agir seja o que for bom? N√£o, ent√£o, os crentes sob o pacto da gra√ßa n√£o
35
devem estar em melhores condi√ß√Ķes do que os homens n√£o regenerados que est√£o sob o pacto de obras, que veem seus deveres descobertos - mas n√£o t√™m poder para realizar; o que √© contr√°rio, como para outras escrituras, como o Salmo 40: 7-9, "Ent√£o, eu disse: eis aqui estou, no rolo do livro est√° escrito a meu respeito; agrada-me fazer a tua vontade, √≥ Deus meu; dentro do meu cora√ß√£o, est√° a tua lei. Proclamei as boas-novas de justi√ßa na grande congrega√ß√£o; jamais cerrei os l√°bios, tu o sabes, SENHOR.", e a de Ez 36: 25-27, etc. Uma alma verdadeiramente graciosa pode sinceramente dizer: "A tua lei, Senhor, est√° no meio do meu cora√ß√£o, e eu me agrado de fazer a tua vontade, √≥ Senhor". Confesso que n√£o posso agir como deveria, nem jamais farei como deveria, at√© chegar ao c√©u; mas isto posso dizer com muita retid√£o que "a tua lei est√° no meu cora√ß√£o e me agrado de fazer a tua vontade, √≥ Pai". E assim Paulo, "Com a minha mente eu sirvo a lei de Deus, embora com a minha carne a lei do pecado", Romanos 7:25.
E n√≥s temos muitos promessas no que diz respeito √† assist√™ncia divina, e se n√≥s apenas despertamos a gra√ßa de Deus que est√° em n√≥s, encontrar√≠amos a assist√™ncia de Deus, e as gloriosas manifesta√ß√Ķes de seu poder e amor, de acordo com sua promessa, e a obra que ele requer de n√≥s, Isa√≠as 26:12; 64: 5, etc. Embora
36
nenhum crente fa√ßa o que ele deve fazer - todavia, sem d√ļvida, todo crente pode fazer mais do que costuma fazer, para a gl√≥ria de Deus, e para o bem interno e eterno dele pr√≥prio e dos outros, Isa√≠as 41:10; Hb 13: 5-6 etc. A afei√ß√£o sem esfor√ßo √© como Raquel - bela, mas est√©ril. S√£o verdadeiramente aben√ßoados ‚Äď aqueles que fazem o que podem, embora n√£o possam sen√£o submergir.
Quando a Demosthenes foi perguntado qual era a primeira parte de um orador, qual a segunda, qual a terceira, ele respondeu: Ação! O mesmo posso dizer, se alguém me perguntar qual é a primeira, a segunda, a terceira parte de um cristão, devo responder: Ação! Lutero diz: "Ele preferiu obedecer - do que operar milagres". "Obediência é melhor que sacrifício."
Mas, senhor, você dirá, qual é o significado desse texto, que é tão frequente na boca dos professantes: "Sem mim você não pode fazer nada"? João 15: 5.
Eu respondo: Tudo o que o texto diz é que, se um homem não tem união com Cristo, se ele não está implantado em Cristo, ele não pode fazer nada. "Sem mim", isto é, separado de mim - como as palavras podem ser lidas, "você não pode fazer nada". Se você não está implantado
37
em mim, se pelo Espírito e fé você não está unido a mim, você não pode fazer nada. O braço pode fazer muito em virtude de sua união com a cabeça ; mas se você separar o braço da cabeça, do corpo, o que ele pode fazer? Certamente a alma, em virtude de sua união com Cristo, pode fazer muito; enquanto aqueles que são separados de Cristo não podem fazer nada - pelo menos como deveriam. Ah, cristãos! Se você se esforçasse ao máximo, encontraria o Senhor pronto e disposto a ajudá-lo, a encontrar-se com você e a fazer por você acima do que é capaz de pedir ou pensar. A união com Cristo é aquela em que a força, o conforto e a felicidade da alma consistem.
C√©sar, pelo empenho cont√≠nuo, superou duas doen√ßas constantes, a dor de cabe√ßa e a tontura. Oh as doen√ßas espirituais que o crist√£o ativo supera! Entre os eg√≠pcios, a ociosidade era um crime capital. Entre os lucani, aquele que emprestava dinheiro a uma pessoa ociosa deveria perd√™-lo. Entre os cor√≠ntios, os pregui√ßosos deveriam ser a√ßoitados. Oh! Os pecados mortais, as tenta√ß√Ķes mortais, os julgamentos mortais ‚Äď a que os crist√£os ociosos e pregui√ßosos s√£o entregues! Portanto, seja ativo, seja diligente, seja abundante na obra do Senhor. A ociosidade √© a fonte de muito pecado. Piscinas paradas coletam lama e nutrem e criam
38
criaturas venenosas; e o mesmo acontece com os cora√ß√Ķes dos crist√£os ociosos e pregui√ßosos, etc.
II. Agora, a segunda coisa que devemos fazer para a próxima abertura deste ponto é, mostrar-lhe porque os dons e graças que Deus concedeu aos crentes, devem ser exercidos e aperfeiçoados. [1] Primeiro, eles devem ser melhorados e exercitados para a honra de Deus, para a exaltação de Deus, e para a manutenção de seu nome e glória no mundo. 1 Cor 10:31, "Portanto, quer comais, quer bebais ou façais outra coisa qualquer, fazei tudo para a glória de Deus."
Aquele que não usa seus dons e graças para esse fim, contraria o grande fim de Deus concedendo tais favores reais a ele. Graças e dons são talentos que Deus lhe deu para trocar e não se esconder num guardanapo, Mat 25. O servo ocioso, no relato de Cristo, era um mau servo. A alma ociosa, no relato de Cristo, é uma alma má e, consequentemente, Cristo lidará com ela.
S√™neca chama a pregui√ßa de "a ama da mendic√Ęncia, a m√£e da mis√©ria"; e os gatos pregui√ßosos acham isso. Crist√£os, Deus lhe deu gra√ßa - que para que voc√™ lhe desse gl√≥ria. Sua
39
honra deve ser mais querida para você do que suas joias, do que suas coroas, do que suas vidas, do que suas próprias almas. Você não vive mais do que vive para o seu louvor.
Est√° registrado que Epaminondas, o comandante em chefe dos tebanos, que ele n√£o se gloriava em nada al√©m disso, "Que seu pai, a quem ele amava e honrava, estava vivendo quando venceu tr√™s batalhas famosas contra os lacedem√īnios", que ent√£o eram famosos por seu valor de serem invenc√≠veis; quanto mais a honra e o contentamento que seu pai receberia, do que a sua. Ser√° que um pag√£o se esfor√ßar√° para honrar seu pai terreno? E n√£o devem os crist√£os se esfor√ßar mais para honrar seu Pai celestial com todos os dons e gra√ßas que ele lhes conferiu.
Mas você dirá, como devemos honrar o Senhor? Eu respondo,
(1) Você deve honrar a Deus por um reconhecimento voluntário e frequente de que todas as suas graças fluem do Senhor Jesus, a fonte da graça. João 1:16: "De sua plenitude todos nós recebemos graça sobre graça". Tiago 1:17: "Todo dom bom e perfeito desce do alto" etc. Você deve dizer, ó cristão, que eu não tenho nada além do que recebi; eu não tenho luz, não
40
tenho vida, n√£o tenho amor, n√£o tenho alegria, n√£o tenho paz, sen√£o de cima! 1 Cor 4: 7. As joias que pendem em meus seios, e as correntes de p√©rolas que est√£o em volta do meu pesco√ßo, e a coroa de ouro que est√° sobre minha cabe√ßa, e todos os diamantes cintilantes naquela coroa s√£o todas de cima! Ez 16: 11-15, Salmos 45: 8, segs. Todos aqueles ornamentos principescos pelos quais sou feito mais bonito e am√°vel do que outros; e todas aquelas camas de especiarias e flores doces, pelas quais me sinto mais desej√°vel e deleit√°vel, s√£o de cima! Eu n√£o sou nada. Eu n√£o tenho nada de mim mesmo; tudo o que sou e tudo o que tenho √© do alto. " Porque quem sou eu, e quem √© o meu povo para que pud√©ssemos dar voluntariamente estas coisas? Porque tudo vem de ti, e das tuas m√£os to damos.", diz Davi, 1 Cr√īn 29:14. Ent√£o voc√™ diz: "Senhor, o amor com o qual eu amo voc√™ - vem de voc√™; e a f√© pelo qual eu me penduro de voc√™ - vem de voc√™; e o temor pelo qual temo diante de voc√™ - vem de voc√™; e a alegria que eu me regozijo diante de voc√™ - vem de voc√™; e a paci√™ncia com o qual eu espero em voc√™ - vem de voc√™. "E, portanto, diga, como fez Davi, ap√≥s o recebimento da miseric√≥rdia: "Pelo que Davi louvou ao SENHOR perante a congrega√ß√£o toda e disse: Bendito √©s tu, SENHOR, Deus de Israel, nosso pai, de eternidade em eternidade. Teu,
41
SENHOR, √© o poder, a grandeza, a honra, a vit√≥ria e a majestade; porque teu √© tudo quanto h√° nos c√©us e na terra; teu, SENHOR, √© o reino, e tu te exaltaste por chefe sobre todos. Riquezas e gl√≥ria v√™m de ti, tu dominas sobre tudo, na tua m√£o h√° for√ßa e poder; contigo est√° o engrandecer e a tudo dar for√ßa. Agora, pois, √≥ nosso Deus, gra√ßas te damos e louvamos o teu glorioso nome." 1 Cr√īnicas 29: 10-13.
(2) Voc√™ deve honr√°-lo, reconhecendo a depend√™ncia de suas gra√ßas, sobre a fonte da gra√ßa. E que a sua for√ßa para permanecer repousa n√£o tanto em suas gra√ßas, como em sua depend√™ncia da fonte da gra√ßa - de sua recep√ß√£o do Deus da gra√ßa. Um homem em seu bra√ßo pode fazer muito - mas √© principalmente por causa de sua uni√£o e conjun√ß√£o com a cabe√ßa. √Č assim entre as gra√ßas de um crist√£o e Cristo. A corrente n√£o depende mais da fonte, nem do ramo sobre a raiz, nem da lua sobre o sol, nem da crian√ßa sobre a m√£e, nem do efeito sobre a causa - do que nossas gra√ßas dependem da fonte da gra√ßa, Salmo 138 : 3, Fp 4: 12-13.
Agora que nossas próprias graças dependem da fonte da graça; e que nossa força para permanecer não é tanto em nossas graças como em Cristo, é claro por isto - que as graças dos santos podem e mais fracassam quando eles
42
mais precisam delas: Marcos 4:40, "Ent√£o, lhes disse: Por que sois assim t√≠midos?! Como √© que n√£o tendes f√©?" Quando o vento estava alto, a f√© deles era baixa; quando a tempestade era grande, a f√© deles era pequena; ent√£o, em Lucas 8:25, "e disse-lhes: Onde est√° a vossa f√©?" Voc√™ agora procura quando deveria estar usando isto? Pedro negou a Cristo - quando ele precisou da f√© para ter confessado a Cristo. A f√© de Mois√©s falhou - quando deveria ter sido mais √ļtil para ele, N√ļm 20:12. E a coragem de Davi falhou - quando deveria ter sido um escudo para ele, 1 Sam 21: 13-14. E o amor dos disc√≠pulos lhes falhou - quando deveria ter sido mais √ļtil para eles, Jo√£o 14:28. E a sabedoria e a paci√™ncia de J√≥ fracassaram - quando deveriam ter sido seus maiores apoiadores. Por tudo o que √© mais claro, que n√£o apenas n√≥s mesmos, mas tamb√©m nossas pr√≥prias gra√ßas - devem ser apoiados pelo Deus da gra√ßa, a fonte da gra√ßa - ou ent√£o elas estar√£o faltando, quando mais precisamos delas.
Embora nossas graças sejam nossas melhores joias, elas são imperfeitas; e como a lua brilha por uma luz emprestada, as nossas graças também. Se não fosse pelo sol da justiça, todas as nossas graças não iluminariam. Embora a graça seja uma criatura gloriosa, ela é apenas uma criatura e, portanto, deve ser mantida por
43
seu Criador. Embora a graça seja uma criança linda - ainda assim é apenas uma criança, que deve ser sustentada pelos braços do Pai. Nisso, cristãos, você deve lembrar e dar glória a Deus!
(3) Voc√™ deve honr√°-lo lan√ßando suas gra√ßas - para coroar o Deus de suas gra√ßas. Tirando a coroa de suas pr√≥prias cabe√ßas, e colocando-a sobre a Sua, ou colocando-a aos Seus p√©s, como fizeram com a deles, os anci√£os em Apocalipse 4:10, Atos 3: 11-12, 16 e 4: 7 -10. Essas escrituras s√£o fontes de √°guas vivas; s√£o colmeias de mel vivo; veja e prove. [√Č verdade que √© isso n√≥s fazemos o que fazemos - mas √© verdade que Cristo nos capacita a fazer o que fazemos.] O Senhor muitas vezes n√£o se decidiu, para coroar as gra√ßas de seu povo, como voc√™ pode ver nestas escrituras a seguir, Mat 9:22 e 15:28, Marcos 10:52, Lucas 7:50. E por que, ent√£o, n√£o deveria seu povo despertar suas gra√ßas para coro√°-lo? Cantares 5:10, seq. Aquilo que os outros atribuem √†s suas gra√ßas - voc√™ deve atribuir ao Deus da gra√ßa. Voc√™ deve dizer: Embora nossas gra√ßas sejam preciosas - ainda assim, Cristo √© mais precioso; ainda que sejam doces, mas Cristo √© o mais doce; apesar de serem ador√°veis - ainda assim, Cristo √© totalmente am√°vel.
44
Suas graças são apenas a imagem de Cristo, e, portanto, não adore sua imagem e, ao mesmo tempo, negligencie sua pessoa. Faça muito da foto dele - mas faça mais de Si mesmo. Deixe a sua imagem ter o seu olho, mas deixe-se ter o Seu coração, João 1:39, seq. Suas graças são apenas as mãos de Cristo, pelas quais ele trabalha; tenha cuidado, portanto, para que você não se importe mais com as mãos do trabalhador - do que com o próprio trabalhador. Suas graças são apenas servos de Cristo; portanto, não sorria para o servo - e olhe com atenção para o Mestre. Suas graças são apenas as favoritas de Cristo; portanto, não olhe para elas e seja levado com elas, como para esquecer o Príncipe em quem elas esperam, etc. Tudo o que eu dirijo é isto - que não são suas graças, mas Cristo, que deve ser tudo em todos vocês, etc.
[2.] O segundo fim para o qual voc√™ deve melhorar seus dons e gra√ßas, √© para o bem dos outros. Salmo 66:16: "Vem e ouve, todo aquele que teme a Deus, e eu declararei o que ele fez por minha alma"; Salmo 34: 8: "√ď, prove e veja que o Senhor √© bom; bendito √© o homem que nele confia;" Isa√≠as 2: 3; Atos 5: 26-29. Deus lhe deu dons e gra√ßa - para que voc√™ possa melhor√°-los para o bem dos outros. √Č a pr√≥pria natureza da gra√ßa ser difusiva e comunicativa. A gra√ßa n√£o pode ser ocultada por muito tempo. Quanto
45
melhor é qualquer coisa, mais comunicativa será. A graça é como fogo nos ossos, como vinho novo nas garrafas; você não pode escondê-lo, deve dar vazão a ele: Atos 4:28: "Não podemos deixar de falar das coisas que ouvimos e vimos". Pode o fogo cessar de transformar toda a matéria combustível em fogo? Pode a vela, uma vez completamente iluminada, deixar de gastar-se para a iluminação dos outros? Então os preciosos filhos de Sião deixarão de dar luz aos outros, através de seus exemplos, conselhos e comunicando suas experiências.
N√£o h√° como honrar a Deus, nem como ganhar almas, nem como aumentar seus pr√≥prios dons e gra√ßas - do que exerc√™-los para o bem dos outros. A gra√ßa n√£o √© como as vaidades mundanas, que diminuem pela distribui√ß√£o - mas como velas que guardam a mesma luz, embora mil sejam iluminadas por elas. A gra√ßa √© como o azeite da vi√ļva - que se multiplicou ao derram√°-lo, 2 Reis 4; e como aqueles talentos - que dobraram pelo seu emprego, Mat 25.
Ainda, quanto mais derramamos nossas coisas espirituais para os outros - muito mais a abund√Ęncia √© maior para n√≥s. Aqueles que d√£o seu dinheiro ao pr√≥ximo, diminuem sua pr√≥pria renda; e quanto ele d√° - tanto menos √© o dinheiro
46
que ele possui; mas nas coisas espirituais é completamente diferente.
N√£o h√° como avan√ßar o reino de Cristo dessa maneira - de melhorar seus dons e gra√ßas para a vantagem e o lucro dos outros. N√£o h√° amor nem piedade √†s almas preciosas de homens como este. N√£o h√° como abundar na gra√ßa, para ser rico em gra√ßa como este. N√£o h√° como ser elevado no c√©u assim. [Romanos 1: 11-12; 2 Cor 9: 6.] Voc√™, √≥ crist√£o, √© obrigado a fazer o bem aos outros, comunicando coisas terrenas? E voc√™ n√£o est√° muito mais obrigado a fazer o bem comunicando coisas espirituais? Certamente voc√™ √©. Por que os crist√£os s√£o t√£o frequentemente nas Escrituras comparados com as √°rvores - sen√£o por causa de sua produtividade e utilidade para os outros? E por que eles s√£o chamados de "mordomos dos m√ļltiplos dons de Deus", sen√£o para denotar que seus dons n√£o devem ser guardados para si mesmos, mas empregados para o bem dos outros? E por que Cristo colocou uma caixa de unguento precioso nas m√£os de todo crist√£o ‚Äď sen√£o que isso deve ser aberto para o benef√≠cio dos outros?
Certamente, aquele que é bom é obrigado a fazer o bem; porque dons e graças são dados, não apenas para nos tornar bons, e para nos manter
47
bons - mas tamb√©m para nos fazer, sim, para nos provocar a fazer o bem. "Portanto, aprendemos ‚Äď para que possamos ensinar" - √© um prov√©rbio entre os rabinos. "E eu, portanto, deito e me deito", diz as na√ß√Ķes, "para que eu possa estabelecer o bem de muitos". Eu acho que n√£o s√£o bons crist√£os aqueles que desprezam aprender essa boa li√ß√£o, embora de um pag√£o. E oh, que todos os que descrevem a si mesmos crist√£os deveriam ser t√£o bons a ponto de imitar o bem que brilhou em muitos pag√£os! Para mim, √© muito triste que os crist√£os vivam e ajam abaixo dos pr√≥prios pag√£os; que eles deveriam ficar ofendidos ao ouvir de vez em quando as excel√™ncias que brilhavam nos pr√≥prios pag√£os. Eu acho que √© um esp√≠rito muito maligno -aquele que n√£o pode suportar ouvir sobre essas excel√™ncias nos outros que ele mesmo n√£o tem. Certamente √© um bravo crist√£o, aquele que tem muito em seu interior, de Cristo - que n√£o considera nada seu que n√£o se comunica com os outros. A abelha armazena sua colmeia de todos os tipos de flores para o benef√≠cio comum; e por que ent√£o n√£o deveria todo crist√£o ser como uma abelha?
Synesius fala de alguns que, tendo um tesouro de habilidades raras neles, logo se separariam de seus cora√ß√Ķes como suas habilidades. Eu
48
acho que eles são mais monstros do que cristãos reais, os que são de tal espírito.
[3.] A terceira e a √ļltima coisa para a qual voc√™ deve melhorar seus dons e gra√ßas √© para o benef√≠cio e o lucro de suas pr√≥prias almas. N√£o para melhor√°-los para o seu pr√≥prio bem interno e eterno, √© com a m√£o alta para atravessar a extremidade principal de Deus conferindo-os a voc√™. Ah, crist√£os! Voc√™s devem aperfei√ßo√°-los - para o fortalecimento de voc√™s contra as tenta√ß√Ķes - para o apoio de si mesmos sob afli√ß√Ķes - para o sustento de suas fortes corrup√ß√Ķes - para suavizar todas as suas dificuldades - e para a prepara√ß√£o e adapta√ß√£o para os dias de sua morte. O bem da alma √© especialmente para ser ocupado:
(1) porque é a parte mais notável do homem;
(2) porque a imagem de Deus é mais justamente estampada nela;
(3.) porque é convertido primeiro;
(4.) porque ser√° primeiro glorificado.
Vou me contentar em dar a você essa dica, porque antes falei mais completamente sobre essa cabeça. E assim fizemos com a parte doutrinal.
49
Vamos vir agora para fazer algumas APLICA√á√ēES deste ponto para n√≥s mesmos.
Se for assim, é dever dos cristãos melhorar e exercitar os dons e graças que o Senhor lhes deu,
Ent√£o, no primeiro lugar, isso parece muito amargamente e mal a todos os crist√£os pregui√ßosos, ociosos e negligentes, que n√£o se levantam para se apegar a Deus, que n√£o despertam a gra√ßa do Senhor neles. √Č triste considerar quantos crist√£os podem despertar em todas as oportunidades para se tornarem grandes e ricos no mundo - e ainda permitir que seus dons e gra√ßas dourados enferrujem por falta de exerc√≠cio. Nenhum crist√£o √© t√£o livre dos assaltos de Satan√°s - como os crist√£os ativos s√£o; nem s√£o t√£o tentados - como crist√£os ociosos. Os Rabinos Judeus relatam que na mesma noite em que Israel partiu do Egito em dire√ß√£o a Cana√£, todos os √≠dolos e templos id√≥latras no Egito, por rel√Ęmpagos e terremotos, foram destru√≠dos. Assim, quando a gra√ßa e a santidade s√£o estabelecidas no cora√ß√£o, todos os √≠dolos de Satan√°s, que s√£o os desejos dos homens, s√£o derrubados.
√Č triste ver como muitos homens est√£o ocupados para exercitar e melhorar um talento
50
de riquezas - que ainda assim guardam seus talentos de presentes e graça em um guardanapo. Por estes - Deus perde muita honra e louvor - e eles mesmos perdem muito conforto e contentamento - e outros perdem muito lucro e benefício - e o evangelho perde muito crédito e glória.
Mas o principal uso que vou fazer deste ponto, será exortar e mover todos vocês, para fazer uma melhoria abençoada de suas graças. E de fato é um ponto de aplicação mais singular para nós todos os nossos dias, uma verdade que é cada dia de grande preocupação para nossas almas.
Agora existem sete considera√ß√Ķes ou motivos, para estimular suas almas a fazer uma melhoria aben√ßoada da gra√ßa e dos dons que voc√™ recebeu.
[1.] E a primeira é isto: Considerai seriamente que o exercício e a melhoria da graça em vossas almas serão cada vez mais a morte e a ruína do pecado em vossas almas.
Tire isso da experiência; não há um modo especial para que um homem possa controlar o poder de seu pecado - do que manter o exercício de sua graça. Pecado e graça são como dois
51
baldes em um poço - quando um está em cima do outro está em baixo. Certamente, o caminho mais rápido e mais seguro para se colocar sob o poder do pecado, é estar muito no exercício da graça: Romanos 8:10, "Mas se Cristo está em você, seu corpo está morto por causa do pecado, mas seu espírito está vivo por causa da justiça." A vida e atividade de Cristo e graça na alma é a morte e destruição do pecado na alma. Quanto mais a graça age na alma - mais o pecado morre e morre na alma. Quanto mais forte a casa de Davi crescia, 2 Sam 3, mais fraca a casa de Saul ficava. Como a casa de Davi crescia cada dia mais e mais forte, a casa de Saul crescia cada dia mais e mais fraca. Então a atividade do novo homem é a morte do velho homem.
Quando Cristo começou a atuar no templo - os cambistas logo fugiram, Mat 21: 12-14. Então, quando a graça está ativa e movendo a alma, a corrupção voa rapidamente. Um homem pode descobrir muitas maneiras de esconder seu pecado - mas nunca descobrirá qualquer maneira de subjugar seu pecado - senão pelo exercício da graça. De todos os cristãos, nenhum é tão mortificado como aqueles em quem a graça é mais exercida. O pecado é uma víbora que deve ser morta - ou te matará para sempre; e não há como matá-lo senão pelo exercício da graça.
52
[2] Em segundo lugar, considere isso como motivo para levá-lo a exercitar e melhorar suas graças. O exercício e a melhoria de suas graças provocarão outros a bendizer e admirar o Deus da graça. "Que a tua luz brilhe diante dos homens, para que vejam as vossas boas obras e glorifiquem o Pai que está no céu". 5: 16 - a luz de sua conversa e a luz de suas graças. Oh, quantas milhares de almas estão agora triunfando no céu - cujos dons e graças brilharam gloriosamente quando estavam na terra. E ah! Quantos milhares há agora na terra, que bendizem e admiram o Senhor pelo resplendor das graças daqueles que estão agora no céu; que bendizem o Senhor pela fé de Abraão, pelo zelo de Davi, pela mansidão de Moisés, pela paciência de Jó e pela coragem de Josué, etc.
Ah, crist√£os! Se voc√™ estimular os outros a exaltar o Deus da gra√ßa, procure o exerc√≠cio e o aperfei√ßoamento de suas gra√ßas. Quando os servos pobres devem viver em uma fam√≠lia, e ver a f√© de um mestre, e o amor de um mestre, e a sabedoria de um mestre, e a paci√™ncia de um mestre, e a humildade de um mestre, etc., brilhando como tantas estrelas do c√©u - oh, como isso atrai os cora√ß√Ķes deles para aben√ßoar o Senhor, que eles sempre entrassem em tal fam√≠lia! N√£o √© uma mera profiss√£o da religi√£o - mas o exerc√≠cio e aperfei√ßoamento da gra√ßa, que
53
contribui tanto para a eleva√ß√£o da gl√≥ria do Senhor, e para o engrandecimento de seu louvor no mundo. Muitos santos tiveram seus cora√ß√Ķes aquecidos, sentados junto a outras fogueiras de santos, observando e refletindo sobre as gra√ßas de outros santos. Ah! Quando as gra√ßas dos homens brilham como Mois√©s, seu rosto brilhou, quando suas vidas, como se fala da vida de Jos√©, √© um c√©u muito cintilante, com uma variedade de virtudes, como com tantas estrelas brilhantes; ah! Como os outros se movem para glorificar a Deus e para clamar? Estes s√£o de fato crist√£os! Estes s√£o uma honra para o seu Deus, uma coroa para o seu Cristo e um cr√©dito para o seu evangelho. Oh! Se todos fossem assim, tamb√©m nos tornar√≠amos crist√£os. √Č uma grande pedra de trope√ßo para muitos pobres pecadores, ver homens que fazem uma grande profiss√£o de Cristo, nunca exercitar e mostrar as virtudes ou gra√ßas de Cristo. Eles professam que o conhecem e, no entanto, pelo n√£o exerc√≠cio de suas virtudes - eles o negam.
Era um dos princípios de Maquiavel, que a aparência externa da virtude era apenas para ser procurada. Receio que esse princípio amaldiçoado é a melhor flor que cresce nos jardins de muitos homens nestes dias. Embora não haja virtude, mas é como uma pedra
54
brilhante em uma noite escura, ela brilha e mostra sua clareza e beleza; √© como ouro puro, mais brilhante para passar pelo fogo; ainda como mais cobi√ßam em vez do nome da virtude, do que ser realmente virtuoso! Tal, creio eu, ter√° o lugar mais quente e mais baixo no inferno. [N√£o existe uma criatura mais cruel, mais impaciente e vingativa, do que um hip√≥crita, diz Lutero, que teve a experi√™ncia disso; portanto, n√£o confie nos Maqui√°veis dos tempos.] Bem, crist√£os, lembrem-se disto, n√£o √© uma mera demonstra√ß√£o de gra√ßa - exerc√≠cio da gra√ßa - o que provocar√° outros a glorificar a fonte da gra√ßa. Essa √© uma escritura muito not√°vel, 1 Ts 1: 2-3, 8, comparada, "Damos, sempre, gra√ßas a Deus por todos v√≥s, mencionando-vos em nossas ora√ß√Ķes e, sem cessar, recordando-nos, diante do nosso Deus e Pai, da operosidade da vossa f√©, da abnega√ß√£o do vosso amor e da firmeza da vossa esperan√ßa em nosso Senhor Jesus Cristo... Porque de v√≥s repercutiu a palavra do Senhor n√£o s√≥ na Maced√īnia e Acaia, mas tamb√©m por toda parte se divulgou a vossa f√© para com Deus, a tal ponto de n√£o termos necessidade de acrescentar coisa alguma.‚ÄĚ Neste oitavo vers√≠culo voc√™ tem uma met√°fora elegante, que significa que a f√© deles era t√£o viva, que com seu som, por assim dizer, despertou outras na√ß√Ķes.
55
A palavra grega √© soar como o som de uma trombeta, para soar distante. Diz o ap√≥stolo, suas gra√ßas fizeram um ru√≠do como uma trombeta; eles instigaram outros a serem graciosos e ativos, enquanto a trombeta incita os homens √† guerra. Ent√£o, em 2 Ts 1: 3-4, "Irm√£os, cumpre-nos dar sempre gra√ßas a Deus no tocante a v√≥s outros, como √© justo, pois a vossa f√© cresce sobremaneira, e o vosso m√ļtuo amor de uns para com os outros vai aumentando, a tal ponto que n√≥s mesmos nos gloriamos de v√≥s nas igrejas de Deus, √† vista da vossa const√Ęncia e f√©, em todas as vossas persegui√ß√Ķes e nas tribula√ß√Ķes que suportais." Esse √© o car√°ter da natureza angelical, regozijar-se nas gra√ßas e a√ß√Ķes graciosas dos outros. Aquele que age de outro modo mant√©m a imagem do diabo e se declara um nativo do inferno. [Pl√≠nio fala de alguns nas partes remotas da √ćndia, que eles n√£o t√™m bocas. Temos muitos desses monstros entre n√≥s - que n√£o t√™m bocas para bendizer a Deus pelo bem que brilha nos outros.]
[3.] Em terceiro lugar, considere que aquele exercício e aperfeiçoamento da graça, pode ser um meio especial para estimular o exercício da graça nos outros.
56
Sua melhoria da gra√ßa pode ser um meio especial para estimular outros a melhorar suas gra√ßas tamb√©m. 1 Ts 1: 7, "Voc√™ se tornou um modelo para todos os crentes na Maced√īnia e na Acaia". Ou, como est√° no grego: "voc√™ era um tipo, molde", padr√£o de piedade para aqueles que estavam em Cristo muito antes de voc√™. Ent√£o, em 2 Cor√≠ntios 9: 2, "porque bem reconhe√ßo a vossa presteza, da qual me glorio junto aos maced√īnios, dizendo que a Acaia est√° preparada desde o ano passado; e o vosso zelo tem estimulado a muit√≠ssimos." Eu sabia que voc√™ estava ansioso, e disso eu me gabava; eu fiz a minha gl√≥ria para contar como a gra√ßa brilhou em suas almas. "E", diz ele, "seu entusiasmo levou a maioria deles √† a√ß√£o". Quando eles viram qu√£o quente e animada e ativa, qu√£o de cora√ß√£o aberto voc√™s foram para os pobres santos - seus cora√ß√Ķes tamb√©m foram movidos para atos de caridade. Hist√≥rias falam de alguns que n√£o conseguiam dormir quando pensavam nos trof√©us de outros dignit√°rios que os precediam. Os maiores exemplos s√£o muito estimulantes e provocantes. [Preceitos podem instruir - mas exemplos persuadem.]
Para que isto se apegue √†s vossas almas, pe√ßo-lhe cama e t√°bua, levante-se e caminhe com esta √ļnica considera√ß√£o, a saber, que todo o bem a que voc√™ provoca os outros, por conselho ou
57
exemplo, será colocado na sua conta. Certamente se voltará para sua vantagem interna e eterna. No grande dia, Cristo fará menção honrosa de todo o bem para o qual você se moveu e provocou, e irá recompensá-lo por isso diante de anjos e homens. A fé, o amor, a

Publicado no site: O Melhor da Web em 05/07/2019
Código do Texto: 140242

Fatal error: Call to undefined function session_is_registered() in D:\Domains\omelhordaweb.com.br\wwwroot\poesias\comentario_poesia.php on line 490