Warning: include(../i_menu_impressao.php) [function.include]: failed to open stream: No such file or directory in D:\Domains\omelhordaweb.com.br\wwwroot\poesias\imprime_poesia.php on line 21

Warning: include(../i_menu_impressao.php) [function.include]: failed to open stream: No such file or directory in D:\Domains\omelhordaweb.com.br\wwwroot\poesias\imprime_poesia.php on line 21

Warning: include() [function.include]: Failed opening '../i_menu_impressao.php' for inclusion (include_path='c:\php5.2fastcgi\dev;c:\php5.2fastcgi\ext;c:\php5.2fastcgi\extras;c:\php5.2fastcgi\extras\pdf-related;c:\php5.2fastcgi;.') in D:\Domains\omelhordaweb.com.br\wwwroot\poesias\imprime_poesia.php on line 21
Evangélicas

Autor(a): Silvio Dutra

Justiça e Santidade para a Vida Eterna
A exigência da justiça de Deus em relação às Suas criaturas morais (anjos e homens) é que sejam perfeitamente santos assim como Ele é santo. Essa perfeição que atende à Sua justiça só é possível quando se está em união completa com Ele. Deus é justo nesta exigência porque foi para o propósito de serem santos e perfeitos como Ele, que os criou.
Os anjos que se apartaram de Deus ficaram desprovidos de justiça em si mesmos, pois como vimos é impossível permanecer justo, separado de Deus.
Quando o primeiro homem pecou tendo, por conseguinte se separado de Deus, sujeitou à referida separação toda a Sua descendência. Todavia, aquilo que aos anjos caídos foi negado, tem sido concedido àqueles que dentre os homens desejam retornar à união com Deus.
É neste ponto que entra a necessidade da justificação pela fé em Jesus Cristo, uma vez que a referida união não pode ser consolidada por nenhum outro meio, já que o homem necessita de uma justiça perfeita para poder estar unido a Deus, e é bem sabido que tal justiça perfeita não existe em nenhum homem.
Todavia, a justificação não consiste em transformar um pecador em um santo, pois ela realiza apenas a expiação da culpa do pecador, o seu perdão, a sua remoção de debaixo da condenação da Lei, mas não opera qualquer transformação moral em sua natureza.
O pecador é justificado pela redenção que há no sangue de Cristo, para que tendo retornado ao favor de Deus, e à comunhão com ele, possa então ser regenerado e santificado pelo poder do Espírito Santo.
A regeneração, que lhe dá uma nova natureza celestial e espiritual, é realizada simultaneamente com a justificação, no momento mesmo em que ele crê em Cristo de uma forma salvífica.
A santificação começa com a regeneração e deve progredir paulatinamente operando a transformação moral à semelhança do próprio Cristo.
Entendemos então a justificação como a abertura da porta do caminho da salvação, a partir da qual há uma longa caminhada a ser feita através do processo da santificação que é realizada pela agência do Espírito Santo, mediante a instrumentalidade da aplicação da Palavra de Deus em nossas vidas. É nisto o que consiste o que se costuma chamar de prática da Palavra.
É nesta prática e não no mero conhecimento da Palavra que consiste a santificação.