Espaço Literário

O Melhor da Web


Parceria de Sucesso entre o site Poesias www.omelhordaweb.com.br e o www.efuturo.com.br
Confira. Adicione seus textos nele. O eFUTURO já começou.

Indicamos:Efuturo.com.br - Efuturo é uma Rede Social de Conhecimento, Ensino, Aprendizado Colaborativo, Jogos Educativos e Espaço Literário.


Busca por Autores (ordem alfabética)
Busca Geral:
Nome/login (Autor)
Título
Texto
kuryos - Silvio Dutra
Silvio Dutra
Cadastrado desde: 29/08/2012

Texto mais recente: A Origem e a Cura do Mal



Necessita estar logado! Adicionar como fã (necessita estar logado)
 
Recado
Contato

Conheça a Página de Silvio Dutra , agora só falta você!
http://www.poesias.omelhordaweb.com.br/pagina_autor.php?cdEscritor=6704

 
Textos & Poesias || Evangélicas
Imprimir - Impressora!
Imprimir
A Autoridade de Jesus Sendo Questionada – Mateus 21.23-27
12/01/2013
Autor(a): Silvio Dutra
VOTE!
TEXTO ELEITO
0
Após 100 votos, o Texto Eleito será exibido em uma página que irá reunir somente os mais votados.
Só é permitido um voto por Internauta por dia.
Achou o texto ótimo, VOTE! Participe!
ELEJA OS MELHORES TEXTOS DA WEB!
A Autoridade de Jesus Sendo Questionada – Mateus 21.23-27


“23 Tendo Jesus entrado no templo, e estando a ensinar, aproximaram-se dele os principais sacerdotes e os anciãos do povo, e perguntaram: Com que autoridade fazes tu estas coisas? e quem te deu tal autoridade?
24 Respondeu-lhes Jesus: Eu também vos perguntarei uma coisa; se ma disserdes, eu de igual modo vos direi com que autoridade faço estas coisas.
25 O batismo de João, donde era? do céu ou dos homens? Ao que eles arrazoavam entre si: Se dissermos: Do céu, ele nos dirá: Então por que não o crestes?
26 Mas, se dissermos: Dos homens, tememos o povo; porque todos consideram João como profeta.
27 Responderam, pois, a Jesus: Não sabemos. Disse-lhe ele: Nem eu vos digo com que autoridade faço estas coisas.”

Foi com ironia que os principais sacerdotes e anciãos de Israel perguntaram a Jesus com que autoridade fazia todas aquelas coisas, especialmente a de ter expulsado os vendilhões do templo.
Perguntaram com ironia porque bem sabiam que Ele não estava comissionado nem pelas autoridades civis romanas, que mantinham a Judeia sob dominação, nem pelas autoridades religiosas de Israel, especialmente os sacerdotes que compunham o Sinédrio, que era a mais alta corte religiosa de Israel para decidir sobre assuntos religiosos, inclusive com poderes para prenderem e condenarem à morte os israelitas, que segundo eles, fossem hereges, quanto a não cumprirem a Lei de Moisés, quando eles próprios eram os principais transgressores da referida lei.
A autoridade que havia comissionado nosso Senhor foi a mesma que havia comissionado a João, o Batista, a saber, Deus, o Pai, e dera testemunho desta comissão nas próprias Escrituras do Velho Testamento, que cabia especialmente aos sacerdotes e escribas defenderem. Então eles teriam que defender o ministério de João, o Batista, e de nosso Senhor, porque não somente era de proveniência divina, como também, estava registrado nas Escrituras.
Por isso, Jesus não falou de onde provinha a Sua própria autoridade a eles, porque se tivessem reconhecido de onde vinha a autoridade com a qual João ministrava,    também teriam reconhecido que a de nosso Senhor era da mesma procedência.   
Por causa de inveja, e do endurecimento no pecado do orgulho religioso deles, não poderiam reconhecer nem a João, nem a Jesus, como enviados de Deus para fazerem tudo o que estavam fazendo, e então jamais diriam, conforme Jesus lhes perguntara se reconheciam se a autoridade de João vinha de Deus, e nem mesmo poderiam mentir, dizendo que criam que era de Deus, porque sabiam que Jesus lhes perguntaria em seguida por que então não haviam crido nele.
Tampouco poderiam dizer que o batismo com que João batizava não era em obediência a uma comissão divina, senão dos homens, porque sabiam que todo o povo tinha João na conta de profeta, e não queriam cair no desagrado do povo.
Logo, responderam de forma sagaz, raposas que eram, dizendo simplesmente que não sabiam.
Com isso, responderam exatamente conforme nosso Senhor esperava que respondessem, uma vez que se negando a dizer de onde provinha a autoridade com que João batizava, por não terem reconhecido a mesma, então de nada adiantaria nosso Senhor responder diretamente a eles de onde provinha a Sua própria autoridade, e por conseguinte, negou-se também a responder a pergunta que eles Lhe fizeram.
Ninguém conhecerá a autoridade de Jesus e da Sua doutrina, se não se submeter a ambos, porque é assim que se reconhece que a Sua autoridade é a mesma que está também sobre aqueles que O seguem, e que se submetem ao Seu ensino, e eles reconhecerão que procede efetivamente de Deus, sendo uma doutrina e uma autoridade do céu, e não deste mundo (Jo 7.17).   
Consequentemente, todos aqueles que rejeitarem ao Senhor e à Sua doutrina, nunca poderão saber com que autoridade faz todas as coisas, que apesar de as verem, não podem compreendê-las.   


Publicado no site: O Melhor da Web em 12/01/2013
Código do Texto: 100943
AQUI VOCÊ INTERAGE DIRETAMENTE COM O(a) AUTOR(a) DA OBRA! DEIXE UM COMENTÁRIO REFERENTE AO TEXTO! É FÁCIL, É LEGAL, VALE A PENA!
Caderno Comente esse Texto - Seja o primeiro a comentar!
Obras do(a) Autor(a):


Lomadee, uma nova espécie na web. A maior plataforma de afiliados da América Latina.