Espaço Literário

O Melhor da Web



Busca por Autores (ordem alfabética)
Busca Geral:
Nome/login (Autor)
Título
Texto
tais - Bruma Lilás -Taís V. Mariano
Bruma Lilás -Taís V. Mariano
Cadastrado desde: 22/11/2009

Texto mais recente: Eu sei



Necessita estar logado! Adicionar como fã (necessita estar logado)
 
Recado
Contato

Conheça a Página de Bruma Lilás -Taís V. Mariano , agora só falta você!
http://www.poesias.omelhordaweb.com.br/pagina_autor.php?cdEscritor=3583

 
Textos & Poesias || Prosa Poética
Imprimir - Impressora!
Imprimir
Mundo febril
25/04/2013
Autor(a): Bruma Lilás -Taís V. Mariano
VOTE!
TEXTO ELEITO
0
Após 100 votos, o Texto Eleito será exibido em uma página que irá reunir somente os mais votados.
Só é permitido um voto por Internauta por dia.
Achou o texto ótimo, VOTE! Participe!
ELEJA OS MELHORES TEXTOS DA WEB!
Mundo febril

A insanidade cerca o mundo, histeria...   
não há mais inverno ou verão
aliás nota-se que o mundo está febril
Ora estremece de frio
Depois fica quente e ferve
até derreter os pensamentos teimosos
Os seres estão sem rostos
Não falam mais a mesma língua
Desconhecem a linguagem universal
Perderam sua identidade para a tirania
Ninguém mais sabe de si,convulsões...
Perdidos estão em suas tramas e ilusões
Num cantinho escondido do planeta
que transformou-se em foco do inferno
Um sutil tormento toma conta
das águas, das cores da noite ,das pessoas
O vento não sabe mais de sua direção
se vai soprar quente ou frio
Não há mais meio termo,só medo e covardia
meias mentiras e horas passando...sem dó
algumas verdades embaixo das máscaras de ego
O desconforto e um descaso
instalou-se no lugar
Valores inverteram-se e os anjos de cristal sofrem
Pobres anjos da Terra parecem estar    inquietos e irados
Confusos com as muitas tempestades que se formam a todo instante
Não conseguem ver o que realmente se passa
E alguns dardos envenenados com palavras e gestos
São lançados a cada troca de lua
A música da natureza silenciou,
as vozes da desmedida ambição são estridentes
A vida aqui ficou passando,para nós filhos do sol
assim como passam os andarilhos sem vontade
Nem deixam rastros de seus pés calejados
E a Terra adoeceu de tanta tristeza
Tentando encontrar as frestas de luz
muitos sucumbiram em suas lágrimas
Outros desistiram e para sempre se foram
E alguns valentes ainda estão resistindo
Tomando pílulas de lembranças
remediando o luto com aromas do inconsciente   
fornecendo alimento homeopático à doce saudade distante
Para não entrar na sintonia da mesmice e do conformismo
Que se apodera a todo o dia,
no desespero dos fatos...
do irreversível,do não entender
e não querer calar
Nosso    choro é pelo que deveria ser feito
e não fizeram, pela ganância dos corvos
Nosso lamento é por observar que o lugar,
esse mesmo lugar que há alguns anos foi puro
cheio de tesouros que o metal não podia comprar
espalhados pelo solo úmido...
Está morrendo pela mão de quem o criou
O fato é que o Paraíso continua lindo, percebemos,enxergamos e soluçamos
São os olhos de quem quer ver luz e esperança
Um dia, alguns de nós ,sabemos,
todo mal será extirpado
as armadilhas serão destruídas,
a guerra está no ápice,
como nas premonições   
Seremos um só pelo resgate do verdadeiro poder do amor
Unidos por    ideais verdadeiros    de justiça e paz
O planeta vive momentos difíceis
Esquecido é somente um ponto de areia entre tantos espaços
a viagem apenas iniciou...
há muitas estações,chegadas e partidas
Sobreviveremos ...


Publicado no site: O Melhor da Web em 25/04/2013
Código do Texto: 105488
AQUI VOCÊ INTERAGE DIRETAMENTE COM O(a) AUTOR(a) DA OBRA! DEIXE UM COMENTÁRIO REFERENTE AO TEXTO! É FÁCIL, É LEGAL, VALE A PENA!
Caderno Comente esse Texto - Seja o primeiro a comentar!
Obras do(a) Autor(a):


Lomadee, uma nova espécie na web. A maior plataforma de afiliados da América Latina.