Espaço Literário

O Melhor da Web



Busca por Autores (ordem alfabética)
Busca Geral:
Nome/login (Autor)
Título
Texto
jessebarbosa26 - JESSÉ BARBOSA DE OLIVEIRA
JESSÉ BARBOSA DE OLIVEIRA
Cadastrado desde: 19/12/2008

Texto mais recente: A GRAVIDADE EM COMA



Necessita estar logado! Adicionar como fã (necessita estar logado)
 
Recado
Contato

Conheça a Página de JESSÉ BARBOSA DE OLIVEIRA , agora só falta você!
http://www.poesias.omelhordaweb.com.br/pagina_autor.php?cdEscritor=1036

 
Textos & Poesias || Poesia
Imprimir - Impressora!
Imprimir
MY LIFE, MY JAZZ
03/01/2009
Autor(a): JESSÉ BARBOSA DE OLIVEIRA
VOTE!
TEXTO ELEITO
0
Após 100 votos, o Texto Eleito será exibido em uma página que irá reunir somente os mais votados.
Só é permitido um voto por Internauta por dia.
Achou o texto ótimo, VOTE! Participe!
ELEJA OS MELHORES TEXTOS DA WEB!
MY LIFE, MY JAZZ

                                                                        MY LIFE, MY JAZZ



As vezes,
Sinto o pulsar da minha oxigenada e maravilhosa cantiga
Como uma acústica em desordem, uma sinfonia caótica, abortiva.


As vezes,
Ela é o ermo,
É a contraluz o tempo inteiro,
É a sádica miragem, o sereno desespero e a silente ferina tempestade.
Afinal, de quando em quando,
Ela é, enfim, o sequioso vácuo em esmagadora densidade
Em mim se assentando como o inamovível
Monólito da invisível voragem do ânimo.


Então, quando são vigentes estes dias,
contemplo ou mentalizo
Na humana Estrela Ígnea
Que me fez emanar
A centelha, a Opala, a Esmeralda, a Água mais Cristalina,
O Graal da Imensa Tela Celestina
E recobro a viscosa sofreguidão, a hialina fulgência em falta, perdida
No avançar momentâneo da dantesca névoa intermitente
Da desilusão de tudo.



Então, quando são vigentes estes dias,
Meus ouvidos degustam redundantemente
A garrida, fluida e indômita    ventania saxofônica
De Charlie Parker;
Degustam redundantemente
As alamedas e esquinas
Da galhardia pianista de Duck Ellington;
Degustam redundantemente
A melancólica suavidade trompetista de Milles Davis;
Degustam redundantemente
A dor que floresce do azul das antigas
Plantações do algodão sulista
Ou da voz de Billie Holiday,
Fúria Fibrosa, Vulcânica Diva,
E digo:
Sou caô puro! Sou vácuo rarefeito!
Ah, mas a vida,
A vida é BLUES, É JAZZ,
A MAIS BELA E NOCIVA
AQUARELA DO CAOS QUE HÁ NO MUNDO!
Ah, mas a vida,
A vida é jardim de arco-íris
E de zinco que vocifera as vísceras dos vivos seres aqualinos!


JESSÉ BARBOSA DE OLIVEIRA



















Publicado no site: O Melhor da Web em 03/01/2009
Código do Texto: 10724
AQUI VOCÊ INTERAGE DIRETAMENTE COM O(a) AUTOR(a) DA OBRA! DEIXE UM COMENTÁRIO REFERENTE AO TEXTO! É FÁCIL, É LEGAL, VALE A PENA!
Caderno Comente esse Texto - Total comentários: 2
Obras do(a) Autor(a):


Lomadee, uma nova espécie na web. A maior plataforma de afiliados da América Latina.