Espaço Literário

O Melhor da Web

 

Parceria de Sucesso entre o site Poesias www.omelhordaweb.com.br e o www.efuturo.com.br
Confira. Adicione seus textos nele. O eFUTURO já começou.

Indicamos:Efuturo.com.br - Efuturo é uma Rede Social de Conhecimento, Ensino, Aprendizado Colaborativo, Jogos Educativos e Espaço Literário.


Busca por Autores (ordem alfabética)
Busca Geral:
Nome/login (Autor)
Título
Texto
Luly - Luly Diniz
Luly Diniz
Cadastrado desde: 17/04/2011

Texto mais recente: O CIO DOS TRÊS DIAS



Necessita estar logado! Adicionar como fã (necessita estar logado)
 
Recado
Contato

Conheça a Página de Luly Diniz , agora só falta você!
http://www.poesias.omelhordaweb.com.br/pagina_autor.php?cdEscritor=5294

 
Textos & Poesias || Acrósticos
Imprimir - Impressora!
Imprimir
A GANSA DOS OVOS DE OURO
25/06/2013
Autor(a): Luly Diniz
VOTE!
TEXTO ELEITO
0
Após 100 votos, o Texto Eleito será exibido em uma página que irá reunir somente os mais votados.
Só é permitido um voto por Internauta por dia.
Achou o texto ótimo, VOTE! Participe!
ELEJA OS MELHORES TEXTOS DA WEB!
A GANSA DOS OVOS DE OURO


Um fazendeiro e a mulher tinham uma gansa que todos os dias punha um ovo de ouro maciço. E todas as noites a guardavam em segurança dentro de um cercado ao canto da cozinha, com uma tigela cheia de bom milho e outra de água limpa. E todas as manhãs encontravam mais um ovo amarelo e reluzente na sua cama de palha fofa.
Certo dia, a mulher do fazendeiro disse ao marido:
- Isto dos ovos de ouro é muito bom, meu amigo, mas apesar de acabarmos ricos, vai levar muito tempo a fazermos fortuna que se veja. E, quando o conseguirmos, não nos vai aproveitar nem metade do que aproveitava já. Por isso tive uma ideia. É mais que certo que deve haver uma grande provisão de ovos de ouro dentro da nossa gansa. Porque havemos de esperar toda a vida que ela os ponha? Pega na faca e teremos todo esse ouro agora, enquanto podemos gozar.
- Bem – disse o fazendeiro, hesitante – parece-me uma maneira injusta de tratar um animal tão bom. Mas, por outro lado…
E sem dizer mais nada, matou a gansa e abriu-a. Para constatar que a ave por dentro era igual a outra gansa qualquer, sem o menor vestígio de um único ovo de ouro.
- Agora, minha querida, não ficamos ricos nem depressa nem devagar – disse o fazendeiro muito aborrecido.
Quem tudo quer, tudo perde.

POSTADO POR Luly Diniz.

Publicado no site: O Melhor da Web em 25/06/2013
Código do Texto: 107965
AQUI VOCÊ INTERAGE DIRETAMENTE COM O(a) AUTOR(a) DA OBRA! DEIXE UM COMENTÁRIO REFERENTE AO TEXTO! É FÁCIL, É LEGAL, VALE A PENA!
Caderno Comente esse Texto - Seja o primeiro a comentar!
Obras do(a) Autor(a):