Espaço Literário

O Melhor da Web



Busca por Autores (ordem alfabética)
Busca Geral:
Nome/login (Autor)
Título
Texto
kuryos - Silvio Dutra
Silvio Dutra
Cadastrado desde: 29/08/2012

Texto mais recente: Uma Falsa Liberdde



Necessita estar logado! Adicionar como fã (necessita estar logado)
 
Recado
Contato

Conheça a Página de Silvio Dutra , agora só falta você!
http://www.poesias.omelhordaweb.com.br/pagina_autor.php?cdEscritor=6704

 
Textos & Poesias || Evangélicas
Imprimir - Impressora!
Imprimir
O Propósito e o Modo de se Buscar a Deus – Parte 1
16/09/2013
Autor(a): Silvio Dutra
VOTE!
TEXTO ELEITO
0
Após 100 votos, o Texto Eleito será exibido em uma página que irá reunir somente os mais votados.
Só é permitido um voto por Internauta por dia.
Achou o texto ótimo, VOTE! Participe!
ELEJA OS MELHORES TEXTOS DA WEB!
O Propósito e o Modo de se Buscar a Deus – Parte 1

Tradução e adaptação de citações extraídas do sermão de Thomas Manton, baseado no Salmo 119.2, elaboradas pelo Pr Silvio Dutra.

“Bem-aventurados os que guardam os seus testemunhos, que o buscam de todo o coração.” (Salmo 119.2)

Neste salmo o homem de Deus começa com uma descrição do caminho para a verdadeira bem-aventurança. No primeiro verso o homem bem-aventurado é descrito pelo curso de suas ações, "Bem-aventurados os retos em seus caminhos." Neste, pela estrutura de seu coração: “Bem-aventurados os que guardam os seus testemunhos, que o buscam de todo o coração." O princípio interno das boas ações é a verdade e a pureza do coração.
Aqui você pode constatar duas marcas de um homem bem-aventurado:
1. Eles guardam os Seus testemunhos.
2. Eles o buscam com todo o coração .
Doct . 1. Aqueles que mantêm estreita vigilância dos testemunhos de Deus são abençoados.
A título de explicação, duas coisas são percebidas:
1. A noção de que é dada aos preceitos e conselhos na palavra: eles são chamados de seus testemunhos.
2. Guardar estes testemunhos é o que concerne ao homem bem-aventurado.
Primeiro, a noção pela qual a palavra de Deus é expressada é testemunho, por isto se entende toda declaração da vontade de Deus, em doutrinas, mandamentos, exemplos, ameaças e promessas. Toda a palavra é o testemunho que Deus tem revelado para a satisfação do mundo sobre o caminho da sua salvação.
Agora, porque a palavra de Deus se apresenta em duas partes, a lei e o evangelho, esta noção pode ser aplicada a ambos. Em primeiro lugar, à lei, no que diz respeito à "arca do testemunho" Êxodo 25.16, porque as duas tábuas foram colocadas nela, o evangelho também é chamado de testemunho, "o testemunho de Deus acerca de seu Filho”: Isa 8.20, "À lei e ao testemunho", onde testemunho parece ser distinguido da lei. O evangelho é assim chamado, porque Deus tem testificado nele como o homem deve ser perdoado, reconciliado com Ele, e obter o direito à vida eterna. Precisamos de um testemunho neste caso, porque isto é mais desconhecido para nós. A lei foi escrita no coração, mas o evangelho é um estranho. A luz natural discernirá algo da lei, e levantar assuntos que são de uma estirpe moral, mas as verdades evangélicas são um mistério, e dependem somente do testemunho de Deus acerca de seu Filho. E sob o evangelho este testemunho é gravado no coração e não em tábuas de pedra, como na dispensação da lei. Por isso permanece o testemunho em mistério enquanto o homem não nascer de novo, recebendo o testemunho do Espírito em seu coração.
Agora, a partir dessa noção de testemunhos temos esta vantagem:
[1] Que a palavra é uma declaração completa da mente do Senhor. Deus não nos deixa no escuro nas questões que dizem respeito ao Seu serviço e à salvação do homem. Ele nos deu o seu testemunho, ele nos revelou a sua mente, o que ele aprova e o que ele não permite, e em que condições ele vai aceitar os pecadores em Cristo. É uma coisa abençoada que não somos deixados à incerteza de nossos próprios pensamentos: Miquéias 6.8, "Ele te mostrou, ó homem, o que é bom." A maneira de agradar e desfrutar de Deus é claramente revelada na sua palavra. Podemos saber o que devemos fazer, o que podemos esperar, e sob que termos. Nós temos o seu testemunho.
Todavia esta revelação permanecerá em oculto àqueles sobre cujos olhos permanece o véu da incredulidade por recusarem a Cristo.   
[2] Outra vantagem que temos por esta noção é a certeza da palavra, é o testemunho de Deus. O apóstolo diz, I João 5.9, “Se tomarmos o testemunho dos homens, o testemunho de Deus é maior". E Deus dá este testemunho em nossos corações pelo Espírito Santo.    Isto é a razão porque deveríamos dar muito mais valor ao testemunho de Deus do que o que damos ao testemunho de homens, que são falíveis e enganadores. Entre os homens, "na boca de duas ou três testemunhas, tudo está estabelecido", Deut 19.15, “Agora, quanto a Deus, há três que dão testemunho no céu, e três que dão testemunho na terra", 1 João 5.8. Estamos aptos para duvidar do evangelho, e ter pensamentos suspeitosos    de uma tal excelente doutrina, mas agora existem três testemunhas no céu: o Pai, a Palavra, e o Espírito, o Pai por uma voz: Mat 3.7: "E eis que uma voz dos céus dizia: Este é o meu Filho amado", etc. E o Filho também por uma voz, quando ele apareceu a Paulo do céu: “Saulo, Saulo, por que me persegues?” E o Espírito Santo deu o seu testemunho, ao descer sobre ele na forma de uma pomba, e sobre os apóstolos em línguas de fogo. "E três são os que testificam na terra," pois ele diz: 1 João 5.10, "Aquele que crê, tem o testemunho em si mesmo." O que é isso? O Espírito, a água e o sangue, no coração de um cristão, estes dão testemunho do evangelho. O Espírito dá testemunho do evangelho quando ilumina o coração, o que nos permite discernir que a doutrina é de Deus, para discernir essas assinaturas e personagens de majestade, bondade, poder, verdade, que Deus tinha deixado acerca do evangelho, e água e sangue testemunham quando sentimos esses efeitos constantes e sensíveis do poder de Deus que vem com o evangelho (1 Tes 1.5), tanto por pacificar a consciência, e trazendo alegria e satisfação, e por santificar e libertar o homem da escravidão do pecado. A água significa santificação: João 17.17, "Santifica-os na tua verdade." O poder santificador de Deus, que vai junto com o evangelho, é uma confirmação clara do testemunho divino nele: João 8.32, "A verdade vos libertará." Pelo nosso desembaraçamento da luxúria chegamos a ser confirmados na verdade. O testemunho de Deus é a resolução final da nossa fé. Por que cremos? Porque é o testemunho de Deus. Como sabemos que é o testemunho de Deus? Ele o evidenciou pela sua própria luz nas consciências dos homens, mas Deus para a maior satisfação para o mundo, nos deu testemunhas, três no céu e três na terra.
Cada manifestação de Deus tem naturezas assinadas por Ele, personagens de Deus suficientes sobre elas para mostrar de onde vieram. A criação é uma manifestação de Deus; agora, quem olha para a mesma de modo sério e com consideração, pode encontrar Deus lá, pode segui-lo por suas pegadas, “Pelas coisas que são feitas, o seu ser invisível e poder." Rom 1.20. A criação se revela ser de Deus, e se o menor testemunho tem evidências claras, muito mais o do evangelho. Por quê? Porque Ele engrandeceu a sua palavra acima de tudo, o seu nome, Sl 138.2. O nome de Deus é aquele pelo qual ele é conhecido. Agora, há mais caracteres sensíveis e impressões de Deus deixados na sua palavra, que é a evidência da sua procedência divina, do que em qualquer outra parte.
[3] Esta vantagem que temos por esta noção, um testemunho é um motivo de auto-exame, ou a regra segundo a qual podemos julgar o nosso estado e as nossas ações, pois testifica não apenas de acordo com a lei, quanto ao que devemos fazer, ou nas situações da vida, o que podemos esperar, e se de fato fazemos o bem ou o mal, o que somos e o que podemos esperar da parte de Deus quanto à nossa obediência ou desobediência: Mat 24.14, "O evangelho do reino será pregado em todo o mundo, para testemunho a todas as nações," primeiro para elas, depois, contra elas, Marcos 13.9. A palavra é um testemunho para eles da vontade de Deus em Cristo, se a recebem; contra eles se eles a rejeitam, negligenciam, ou não creem nela. Por este meio podemos julgar a nossa condição pela nossa conformidade, ou não conformidade e contrariedade, à palavra de Deus. Cristo diz quanto ao dia do juízo, que Moisés vai acusá-lo: João 5.45, "Há um que vos acusa, Moisés, em quem vós esperais.” Por causa do evangelho virá a acusação. O que é agora uma oferta, então, será uma acusação. Deus não vai ficar sem uma testemunha no dia do julgamento. As criaturas, que tiveram uma impressão evidente de Deus sobre elas, vão testemunhar contra os gentios, de modo que eles fiquem inescusáveis. Rom 1.20, e os judeus, que estavam sob a dispensação de Moisés, ele vai acusá-los, não havia luz suficiente para convencê-los. Assim, o evangelho, que é o testemunho de Deus acerca de seu Filho, irá acusá-los se não for recebido. Portanto, é bom ver sobre o que a palavra dá testemunho; Acaso ela testemunha o bem ou o mal? de conformidade com o que deve ser tratada no dia do julgamento. É triste quando só podemos dizer da Escritura como os parentes do profeta do Senhor, "Ela nada testifica, senão o mal contra mim", I Reis 22.8. Vamos ver o que o testemunho de Deus fala, se ele vai interceder por nós ou contra nós no grande dia do Senhor.
[4] Ela repreende a nossa incredulidade, que quando Deus tem não somente nos dado uma lei, mas um testemunho, ainda estamos recuando e descuidados, a palavra de Deus não era mais, senão uma lei, que foram obrigados a obedecê-la, porque nós somos suas criaturas, mas quando é o seu testemunho, devemos considerá-lo ainda mais, pois agora Deus não se levanta somente sobre a honra de sua autoridade, mas da sua verdade: I João 5.10 "Aquele que não crê faz Deus um mentiroso, porque não crê no testemunho que tem dado a respeito de seu Filho." Podemos considerar isto em nossos corações - Oh! devemos fazer de Deus um mentiroso, depois de haver tão solenemente dado sua palavra, essa palavra que tem muitas assinaturas, personagens e selos de Deus sobre ela? Descuido agora não é somente desobediência, mas incredulidade; isto coloca uma    maior afronta em Deus, questionar sua veracidade e sua verdade, e não apenas rejeitar o Seu senhorio, mas impiamente fazer dele um mentiroso.


Publicado no site: O Melhor da Web em 16/09/2013
Código do Texto: 110514
AQUI VOCÊ INTERAGE DIRETAMENTE COM O(a) AUTOR(a) DA OBRA! DEIXE UM COMENTÁRIO REFERENTE AO TEXTO! É FÁCIL, É LEGAL, VALE A PENA!
Caderno Comente esse Texto - Seja o primeiro a comentar!
Obras do(a) Autor(a):


Lomadee, uma nova espécie na web. A maior plataforma de afiliados da América Latina.