Espaço Literário

O Melhor da Web



Busca por Autores (ordem alfabética)
Busca Geral:
Nome/login (Autor)
Título
Texto
Manu - MANUELA
MANUELA
Cadastrado desde: 23/04/2012

Texto mais recente: Os mortos (Ferreira Gullar) (+tradução italiana)



Necessita estar logado! Adicionar como fã (necessita estar logado)
 
Recado
Contato

Conheça a Página de MANUELA , agora só falta você!
http://www.poesias.omelhordaweb.com.br/pagina_autor.php?cdEscritor=6281

 
Textos & Poesias || Poema
Imprimir - Impressora!
Imprimir
A carne do amor (Carlos Rodolfo Stopa) (+tradução italiana)
29/09/2013
Autor(a): MANUELA
VOTE!
TEXTO ELEITO
33
Após 100 votos, o Texto Eleito será exibido em uma página que irá reunir somente os mais votados.
Só é permitido um voto por Internauta por dia.
Achou o texto ótimo, VOTE! Participe!
ELEJA OS MELHORES TEXTOS DA WEB!
A carne do amor (Carlos Rodolfo Stopa) (+tradução italiana)

Às vezes, os pensamentos criam-me ondas revoltas;
inquieto-me, e mal dou conta de me expressar.
Cerro os olhos... e as palavras não vêm à tona.
Percebo que desejo dizer algo mais substancial,
algo que fosse mais sangue, e também
mais carne que a carne dorida do amor.

Assim, só posso deixar no ar perguntas
cujas respostas eu e o mundo
[e o que me importa o mundo...]
estamos fartos de saber:

o que é que pode encharcar de mágoas a noite,
senão as lágrimas misturadas à chuva fina, lenta?

Fazer uma pergunta assim, ao léu, nada me custa:
tu e eu sabemos muito bem o que nos corta em tiras...
o que devora lentamente a carne do amor!
_______________________________

Tradução italiana de Manuela Colombo


La carne dell’amore

A volte, i pensieri creano in me onde di rivolta;
m’inquieto, e a mala pena mi riesco a spiegare.
Chiudo gli occhi... ma le parole non affiorano.
Sento che vorrei dire qualcosa di più concreto,
qualcosa che fosse più sangue, ed anche
più carne della carne ferita dell’amore.

Così, posso solo lasciare in aria domande
le cui risposte io e il mondo
[e che m’importa del mondo...]
siamo stanchi di sapere:
che cosa può inondare di tristezza la notte,
se non le lacrime miste alla pioggia fine, lenta?

Fare una domanda così, alla leggera, niente mi costa:
tu e io sappiamo molto bene che cosa ci dilania...
cosa divora lentamente la carne dell’amore!



Publicado no site: O Melhor da Web em 29/09/2013
Código do Texto: 110889
AQUI VOCÊ INTERAGE DIRETAMENTE COM O(a) AUTOR(a) DA OBRA! DEIXE UM COMENTÁRIO REFERENTE AO TEXTO! É FÁCIL, É LEGAL, VALE A PENA!
Caderno Comente esse Texto - Seja o primeiro a comentar!
Obras do(a) Autor(a):


Lomadee, uma nova espécie na web. A maior plataforma de afiliados da América Latina.