Espaço Literário

O Melhor da Web

 

Parceria de Sucesso entre o site Poesias www.omelhordaweb.com.br e o www.efuturo.com.br
Confira. Adicione seus textos nele. O eFUTURO já começou.

Indicamos:Efuturo.com.br - Efuturo é uma Rede Social de Conhecimento, Ensino, Aprendizado Colaborativo, Jogos Educativos e Espaço Literário.


Busca por Autores (ordem alfabética)
Busca Geral:
Nome/login (Autor)
Título
Texto
kuryos - Silvio Dutra
Silvio Dutra
Cadastrado desde: 29/08/2012

Texto mais recente: O Maior e Melhor Dom



Necessita estar logado! Adicionar como fã (necessita estar logado)
 
Recado
Contato

Conheça a Página de Silvio Dutra , agora só falta você!
http://www.poesias.omelhordaweb.com.br/pagina_autor.php?cdEscritor=6704

 
Textos & Poesias || Evangélicas
Imprimir - Impressora!
Imprimir
Quase um Cristão
19/11/2013
Autor(a): Silvio Dutra
VOTE!
TEXTO ELEITO
0
Após 100 votos, o Texto Eleito será exibido em uma página que irá reunir somente os mais votados.
Só é permitido um voto por Internauta por dia.
Achou o texto ótimo, VOTE! Participe!
ELEJA OS MELHORES TEXTOS DA WEB!
Quase um Cristão

1. Pecados abertos podem ser abandonados, e ainda retermos pecados secretos. Quando isto sucede não houve um abandono correto; e alma nessa condição não achará misericórdia. Um homem pode ser curado de uma ferida na sua carne, e ainda pode morrer de uma infecção em suas    entranhas.

2. Um homem pode abandonar o pecado, mas não como pecado; pois aquele que abandona o pecado como pecado, abandona todo o pecado. É impossível para um homem abandonar o pecado como pecado a menos que ele abandone tudo o que ele sabe ser pecado.

3. Um homem pode deixar um pecado ir, e manter outro; como um homem, que vai para o mar, devesse salvar todos os seus bens, mas se a tempestade se levanta ele não pode fazê-lo. Assim, se surge uma tempestade em sua consciência então ele abandonará uma luxúria ao mar para salvar a vida de outra.

4 . Um homem pode deixar todo o pecado e ainda ser um pecador, pois há a raiz de todo o pecado no coração ainda que o fruto não seja visto na vida; a árvore vive embora os ramos sejam cortados. Assim como o homem é um pecador antes mesmo de que ele peque, assim até que a graça o renove, ele é um pecador embora ele deixe de pecar, porque há nele o pecado original    que é suficiente para condená-lo destruí-lo.

5. O pecado pode ser deixado e ainda ser amado; um homem pode abandonar a vida de pecado    e ainda reter o amor ao pecado; agora, contudo deixar o pecado faça dele quase um cristão, ainda amar o pecado mostra que ele é senão quase um cristão. É um mal menor praticar o pecado, e não amá-lo do que amar o pecado e não praticá-lo, porque praticar o pecado pode ser devido somente à fraqueza da graça, mas amar o pecado é devido à força da luxúria.

6. Todo pecado pode ser amarrado, e ainda o coração não ser mudado e assim a natureza do pecador permanece a mesma de sempre, - um cachorro acorrentado, é ainda um cão, tanto quanto se ele fosse deixado solto para devorar.
Um pecador pode lançar fora as armas do pecado de suas mãos, e ainda a inimizade contra Deus permanecer em seu coração.
A graça da restrição detém o pecador, mas é a graça renovadora que muda a natureza. Muitos são guardados pela graça de serem pecadores abertos, mas que não são renovados pela graça e feitos verdadeiros crentes.
Então, se um homem pode abandonar pecados abertos, e reter os pecados secretos; se ele pode abandonar o pecado, mas não como pecado, se ele pode deixar de cometer um pecado e praticar outro mais rápido e, se um homem pode deixar todo pecado, e ainda ser um pecador; se o pecado pode ser deixado, e ainda ser amado; finalmente, se todo o pecado pode ser amarrado e ainda o coração não ser mudado; então, um homem pode abandonar o pecado, e ainda assim ser, senão quase um cristão.

Tradução de citações de um texto de Matthew Mead, em domínio público.


Publicado no site: O Melhor da Web em 19/11/2013
Código do Texto: 112979
AQUI VOCÊ INTERAGE DIRETAMENTE COM O(a) AUTOR(a) DA OBRA! DEIXE UM COMENTÁRIO REFERENTE AO TEXTO! É FÁCIL, É LEGAL, VALE A PENA!
Caderno Comente esse Texto - Seja o primeiro a comentar!
Obras do(a) Autor(a):