Espaço Literário

O Melhor da Web



Busca por Autores (ordem alfabética)
Busca Geral:
Nome/login (Autor)
Título
Texto


Necessita estar logado! Adicionar como fã (necessita estar logado)
 
Recado
Contato

Conheça a Página de GINALDO SANTOS SILVA , agora só falta você!
http://www.poesias.omelhordaweb.com.br/pagina_autor.php?cdEscritor=119

 
Textos & Poesias || Ensaios
Imprimir - Impressora!
Imprimir
A IMPORTÂNCIA DE MACHADO DE ASSIS UM SÉCULO DEPOIS DE SUA MORTE
28/01/2009
Autor(a): GINALDO SANTOS SILVA
VOTE!
TEXTO ELEITO
0
Após 100 votos, o Texto Eleito será exibido em uma página que irá reunir somente os mais votados.
Só é permitido um voto por Internauta por dia.
Achou o texto ótimo, VOTE! Participe!
ELEJA OS MELHORES TEXTOS DA WEB!
A IMPORTÂNCIA DE MACHADO DE ASSIS UM SÉCULO DEPOIS DE SUA MORTE

A IMPORTÂNCIA DE MACHADO DE ASSIS UM SÉCULO DEPOIS DE SUA MORTE
Ginaldo Santos Silva


Há dois grandes momentos na literatura brasileira: o antes e o depois de Machado de Assis. Esse divisor de águas é caracterizado pela sua produção literária que contribuiu e continua contribuindo, para a formação de outros tantos grandes escritores que se inspiram em seu estilo de narrar, seja na prosa ou em forma de contos.
Seu estilo é antes de tudo, arte. E quem há de negar que ELE não seja também superior? E essa superioridade se dá pelo fato de que fazer literatura hoje no Brasil é talvez, uma tarefa quase impossível de se realizar. Fazemos literatura já que o termo serve para todo o tipo de literatura, mas falta muitas vezes a qualidade literária. Escrever não é fácil. Por outro lado, percebemos que a qualidade do leitor também já não é a mesma. O leitor mudou? Ou será que mudamos o nosso leitor? E a literatura não muda?
Depois de Machado a literatura não é mais a mesma. Mudou. Atribuímos essa mudança a diversos fatores. Dentre eles, a modernidade. O homem moderno não tem mais tempo para a leitura. E quando tem, percebemos que é para uma literatura rápida, sem subjetivismo. Sem complexidades lingüísticas. Sem linguagem figurada. O que querem mesmo é ler o óbvio. E o óbvio é consumível. E por que não descartável? É que o tempo não pára e esses leitores consideram, na sua maioria, os autores considerados clássicos, como arcaicos. Condenados ao ostracismo. Quando falamos clássicos, queremos dizer que são aqueles escritores cuja obra sobreviveu ao tempo e ainda continua sendo cultuada. Relida com a mesma intensidade. E não velhos. Estamos falando em especial sobre os escritores considerados cânones da literatura. Não pelo fato de terem sido escolhidos a dedo por uma classe elitizada e sim pelo mérito e importância de suas obras. Estamos falando de Machado de Assis. Deixemos de lado a hipocrisia daqueles que fingem que são escritores. O que importa para nós leitores sedentos de arte literária é apenas ler uma obra de qualidade. Uma obra machadiana com certeza. E aquilo que se revelará em um breve futuro, aos poucos bons leitores que restam, seja o prazer da leitura sempre. E isso é imprescindível para a formação de novos leitores. É preciso estar atento a eles. Seja em casa ou em sala de aula, são eles os veículos de perpetuação da arte literária.
Façamos então nossa parte como educadores e mostremos a eles que mesmo depois de um século de sua morte, Machado de Assis ainda continua vivo. Que sua obra é a sua vida. Que a sua importância está em tudo aquilo que ele produziu, disse e fez. Que a literatura brasileira é rica de bons escritores, mas que é bem mais rica por ele ter existido. Por ele ter criado um novo estilo de narrar o inaudito. Por ter mergulhado em um romantismo que já não cabia mais em um Brasil tão realista. Machado decretou o fim da mediocridade literária. Despiu com sensibilidade toda a sociedade brasileira, tão influenciada pela literatura luso-brasileira, e deu-lhes a pura literatura brasileira.
Relacionar Machado ao tempo é uma questão atemporal. Sua obra não pode ser medida apenas a um determinado tempo. Ela transpassa esse tempo. Ela o engana e transforma-se em novo, numa literatura que já quase não trás novidade alguma. Tudo já foi dito e escrito? Depois de Machado o escritor tem que inovar. Tem que criar uma nova maneira de narrar o que já foi dito com uma nova roupagem criativa. Esse é o desafio dos novos escritores. Despertar leitores saturados e bombardeados por lixo e transformá-los em leitores de bom gosto. Seletivos.    Em leitores que aproveitem o pouco de seu tempo e sintam prazer em consumir também um bom livro. Que despertem para a vida através da literatura, como a literatura despertou para Machado. E o resultado? Teremos que esperar mais um século para ver qual obra sobreviveu além da de Machado de Assis.








SOBRE O AUTOR: Graduado em Letras    Português / Inglês pela Universidade Tiradentes, especialista em Literatura Brasileira pela Faculdade Atlântico.













Publicado no site: O Melhor da Web em 28/01/2009
Código do Texto: 12842
AQUI VOCÊ INTERAGE DIRETAMENTE COM O(a) AUTOR(a) DA OBRA! DEIXE UM COMENTÁRIO REFERENTE AO TEXTO! É FÁCIL, É LEGAL, VALE A PENA!
Caderno Comente esse Texto - Total comentários: 2
Obras do(a) Autor(a):


Lomadee, uma nova espécie na web. A maior plataforma de afiliados da América Latina.