Espaço Literário

O Melhor da Web



Busca por Autores (ordem alfabética)
Busca Geral:
Nome/login (Autor)
Título
Texto
Manu - MANUELA
MANUELA
Cadastrado desde: 23/04/2012

Texto mais recente: Cantigas (Jorge de Lima) (+tradução italiana)



Necessita estar logado! Adicionar como fã (necessita estar logado)
 
Recado
Contato

Conheça a Página de MANUELA , agora só falta você!
http://www.poesias.omelhordaweb.com.br/pagina_autor.php?cdEscritor=6281

 
Textos & Poesias || Poema
Imprimir - Impressora!
Imprimir
A cabeça de Nefertiti (Ana Paula Tavares) (+tradução italiana)
21/07/2016
Autor(a): MANUELA
VOTE!
TEXTO ELEITO
8
Após 100 votos, o Texto Eleito será exibido em uma página que irá reunir somente os mais votados.
Só é permitido um voto por Internauta por dia.
Achou o texto ótimo, VOTE! Participe!
ELEJA OS MELHORES TEXTOS DA WEB!
A cabeça de Nefertiti (Ana Paula Tavares) (+tradução italiana)

         Tivesse soerguido,
         da solidão granular,
         o perfil oblongo
         da cabeça de Nefertiti
               Luís Carlos Patraquim

Esta cabeça é minha
por cima do muro
que a sustém

Esta cabeça está cortada de mim
há sete mil anos
e no entanto é a voz dela
que fala dentro da minha voz
o seu olho vazado que me ilumina
os olhos

Pelo seu nariz eu respiro
o barro dos antigos
e passo pelos olhos o khol preto
da distância

É Berlim com o sopro dos anjos
em cada esquina
é deserto com desenhos de areia
muito fina
percorro o labirinto

Esta cabeça é minha
é o perfil que me convém
com seu olhar vazio e limpo
do sono de tantos anos

Esta cabeça
encaixa-se-me nos ombros
com o peso dos cabelos

Esta mulher é a minha fala
O meu segredo
Minha língua de poder
E meus mistérios

Esta mulher está fechada em mim
há sete mil anos
por ela descobri o rosto
fui noiva e esposa
conheci o doce sabor do abandono

Como ela não sei quem sou
Estou diante do espelho
Com uma moldura de bronze à volta
____________________________________

Tradução italiana de Manuela Colombo



La testa di Nefertiti

Questa testa è la mia
in cima al pilastro
che la sostiene

Questa testa fu separata da me
settemila anni fa
e tuttavia è la sua voce
che parla dentro la mia voce
il suo occhio vuoto che m’illumina
gli occhi

Attraverso il suo naso respiro
la creta degli antichi
e passo sugli occhi il kajal nero
della distanza

È Berlino con l’alito degli angeli
ad ogni angolo
è deserto con disegni di sabbia
molto fine
percorro il labirinto

Questa testa è la mia
è il profilo che mi si adatta
col suo sguardo vuoto e pulito
dal sonno di tanti anni

Questa testa
mi s’incastra sulle spalle
col peso dei capelli

Questa donna è il mio eloquio
Il mio segreto
La mia lingua di potere
E i miei misteri

Questa donna è rinchiusa in me
da settemila anni
con lei ho scoperto il volto
fui promessa e sposa
conobbi il gusto dolce dell’abbandono

Come lei non so chi sono
Sto davanti allo specchio
Con una cornice di bronzo intorno




Publicado no site: O Melhor da Web em 21/07/2016
Código do Texto: 132149
AQUI VOCÊ INTERAGE DIRETAMENTE COM O(a) AUTOR(a) DA OBRA! DEIXE UM COMENTÁRIO REFERENTE AO TEXTO! É FÁCIL, É LEGAL, VALE A PENA!
Caderno Comente esse Texto - Seja o primeiro a comentar!
Obras do(a) Autor(a):


Lomadee, uma nova espécie na web. A maior plataforma de afiliados da América Latina.