Espaço Literário

O Melhor da Web



Busca por Autores (ordem alfabética)
Busca Geral:
Nome/login (Autor)
Título
Texto
kuryos - Silvio Dutra
Silvio Dutra
Cadastrado desde: 29/08/2012

Texto mais recente: Discernimento



Necessita estar logado! Adicionar como fã (necessita estar logado)
 
Recado
Contato

Conheça a Página de Silvio Dutra , agora só falta você!
http://www.poesias.omelhordaweb.com.br/pagina_autor.php?cdEscritor=6704

 
Textos & Poesias || Evangélicas
Imprimir - Impressora!
Imprimir
A Escolha de Companheiros
28/11/2016
Autor(a): Silvio Dutra
VOTE!
TEXTO ELEITO
0
Após 100 votos, o Texto Eleito será exibido em uma página que irá reunir somente os mais votados.
Só é permitido um voto por Internauta por dia.
Achou o texto ótimo, VOTE! Participe!
ELEJA OS MELHORES TEXTOS DA WEB!
A Escolha de Companheiros

Título original: The choice of companions

Extraído de: The Christian Father”s Present to His Children


Por John Angell James (1785-1859)

Traduzido, Adaptado e
Editado por Silvio Dutra



Em sua autobiografia, Spurgeon escreveu:
"Em uma primeira parte de meu ministério, enquanto era apenas um menino, fui tomado por um intenso desejo de ouvir o Sr. John Angell James, e, apesar de minhas finanças serem um pouco escassas, realizei uma peregrinação a Birmingham apenas com esse objetivo em vista. Eu o ouvi proferir uma palestra à noite, em sua grande sacristia, sobre aquele precioso texto, "Estais perfeitos nEle." O aroma daquele sermão muito doce permanece comigo até hoje, e nunca vou ler a passagem sem associar com ela os enunciados tranquilos e    sinceros daquele eminente homem de Deus ."







O homem foi feito para a sociedade, e da sociedade é pensado ser essencial à sua felicidade. Adão desfrutou sozinho as cenas encantadoras e imaculadas do Éden, enquanto não havia companheiro racional a quem pudesse transmitir os arrebatamentos de sua alma – o Paraíso estava incompleto, até que Deus lhe desse uma companheira.
Quanto mais se poderia esperar, que agora, quando o coração humano está desprovido de sua inocência, o homem não procure a felicidade em seu interior, mas sim na sociedade deve olhar.
Os jovens, sobretudo estão ansiosos para formar associações deste tipo, e estão em perigo iminente de escolherem companheiros que não lhes fará nenhum bem.
O projeto do presente capítulo é colocar vocês, meus filhos, em guarda contra este mal, e para ajudá-los na seleção dos amigos com quem vocês diariamente se misturam. Este assunto já foi advertido, mas é de importância suficiente para ocupar um capítulo separado.
Cabe a você refletir muito seriamente sobre a influência que seus companheiros, sejam de que tipo    forem, certamente terão na formação de seu caráter.
"Somos todos", diz Locke, "uma espécie de camaleões que tomam uma tintura dos objetos que nos rodeiam". Um homem ainda mais sábio nos disse que "aquele que anda com sábios será sábio, mas um companheiro de tolos será destruído". Por isso nos diz: "Não façais amizade com um homem irado, e com um homem furioso não vos junteis, para que não aprendais os seus caminhos, e recebais um laço para a vossa alma".
Estas admoestações baseiam-se no princípio geral de que o exemplo de nossos companheiros exercerão uma forte influência na formação de nosso próprio caráter, talvez lenta e silenciosamente - mas irresistível e de maneira bem sucedida - e essa influência será proporcional ao amor e estima que tributamos a eles. Todas as nações e todas as eras confessaram a verdade desse sentimento.
O exemplo de um companheiro amado é poderoso, mais especialmente se ele é pecaminoso, porque um mau modelo encontra na depravação de nossa natureza, algo que a prepara para receber a impressão. Um companheiro ímpio vai desfazer em um mês, tudo o que pais e professores têm trabalhado durante anos para realizar.
Aqui, então, faça uma pausa e considere que o caráter de seus companheiros, com toda a probabilidade pode ser o seu próprio. Se você não levar a eles uma similaridade de gosto, você vai ter certeza de adquirir suas disposições, "pois como podem dois andarem juntos, se não estiverem de acordo?"
Deixe-me agora colocar diante de você os PERIGOS a serem apreendidos da má companhia.
Por má companhia eu quero me referir a    todos aqueles que estão destituídos do temor de Deus; não só o infiel e o profano, mas aqueles que vivem na negligência visível da verdadeira religião. Agora, estes não são companheiros adequados para você. Podem ser respeitáveis e nobres quanto à sua posição na vida; eles podem ser graciosos e apropriados em suas maneiras; podem ser pessoas de bom gosto e mentes cultas; bem-humorados e polidos, mas essas coisas, se ligadas a hábitos ímpios, só os tornam mais perigosos. São como o discurso justo e a forma encantadora, de cores brilhantes que a serpente assumiu quando atacou e destruiu a inocência de Eva.
Olhe através destes ornamentos vistosos, perfure este exterior deslumbrante, e reconheça o veneno do inimigo astuto! Quanto mais realizações externas alguém tem, se está sem o temor de Deus, maior é o seu poder de fazer o mal. E lembre-se de que, quando você tiver escutado suas artimanhas, sentir a nitidez de seu dente e a agonia mortal de seu veneno, não haverá compensação, nem consolo, porque você olhou para sua pele alegremente colorida e tem sido arruinado pelo fascínio de seus encantos! Os companheiros que você deve evitar, então, são aqueles que estão obviamente vivendo sem o temor de Deus.
Considere os muitos perigos que surgem de tais companheiros; você logo deixará todo o sentido da piedade sincera e perderá todas as impressões que pode ter recebido de uma educação religiosa. Estes, você não pode esperar conservar, nem pode esperar    proteger uma impressão traçada com o dedo na areia, de ser apagada pela maré do oceano Atlântico. Mesmo aqueles, cujo caráter religioso foi formado há anos, têm dificuldade em preservar a espiritualidade de sua mente em companhia ímpia. "Jogue um fogo flamejante na neve ou na chuva, e seu brilho e calor serão rapidamente extinguidos; então deixe o cristão mais vivo mergulhar em companhia pecaminosa, e em breve ele vai encontrar o calor do seu zelo diminuído, e a ternura de sua consciência ferida."
Como, então, você pode esperar manter um senso de religião verdadeira, quando os hábitos são mal formados, e cujo caráter ainda tem tanto da ternura e flexibilidade da juventude? Considere sua prontidão para imitar seu temor de ser singular, seu amor ao louvor, e seu mórbido sentimento de vergonha.
Você pode suportar o riso, a brincadeira, o riso largo, e alto? Sem ninguém para defendê-lo, ninguém para se unir em sua reverência pela piedade; o que você deve fazer sozinho?
Em tal companhia você se coloca aberto à tentação, e provavelmente será arrastado em uma grande culpa. Em privado e sozinho, a força da tentação e o poder da depravação são muito grandes, porém    tanto maior quando ajudado pelo exemplo de amigos íntimos.
À medida que os incêndios se unem, eles queimam mais ferozmente, assim como o vírus concentrado de muitas pessoas jogadas na mesma sala infectada com a praga torna a doença mais maligna; logo, uma comunidade pecaminosa cresce em impiedade, quando cada membro junta a poluição de seu irmão à sua própria. Nada é tão contagioso como a má moralidade! Comunicações malignas corrompem boas maneiras. Multidões cometeram esses pecados sem escrúpulos na sociedade, e não poderiam tê-los contemplados sozinhos, sem horror.
De fato, é difícil resistir à torrente do exemplo maligno, e em geral, o que quer que seja feito pelo grupo, deve ser feito ou aprovado por cada indivíduo do qual é composto.
Nessa companhia vocês se lançarão fora do caminho do arrependimento e da piedade. O pequeno gosto que você teve por exercícios devocionais em breve será perdido. Sua Bíblia cairá em desuso, a casa de Deus será negligenciada, e os amigos piedosos evitados cuidadosamente. Se um avivamento ocasional de seus sentimentos sinceros ocorrer sob um sermão, ou repreensões de um amigo, eles serão imediatamente embalados novamente para descansar, ou banidos de seu peito pela presença e conversa de um companheiro ímpio.
Em muitos casos, a sociedade maléfica destruiu para sempre os interesses temporais daqueles que a frequentaram. Hábitos de autoindulgência, divertimentos, insensatez e extravagância foram adquiridos; o caráter foi arruinado, o negócio negligenciado, a pobreza e a miséria chegaram. Mas, se isso não acontecer, a influência da má associação irá longe para arruinar suas almas e afundá-las para a perdição eterna!
Um companheiro de tolos será destruído; seu caminho é o caminho para o inferno, descendo até as câmaras da morte. Sim, se você se conectar com eles, vão arrastá-lo para o vórtice de sua própria ruína, como afundam a si mesmos no golfo da perdição eterna. Existe um companheiro na terra, cuja sociedade você procurará reter à custa deste perigo terrível? Existe alguém, cuja amizade você estaria disposto a caminhar com ele para o abismo?
O que valeria se, embora você pudesse ter a sociedade dos melhores poetas, filósofos, sagacidades e modas da época,    e ainda assim perder sua própria alma - o que isso lhe beneficiaria?
Acalmará as agonias de seu espírito nas regiões de horrível desespero, para lembrar que você se alegrou na companhia de seus companheiros ímpios na terra?
Infelizmente, tudo o que tornou sua comunhão deliciosa na terra, chegará ao fim! Não haverá oportunidades concedidas para satisfazer seus desejos sensuais, nenhum alimento delicioso, nenhum licor intoxicante, nenhuma história divertida, não há músicas alegres lá; nenhum brilho de inteligência animará a escuridão do inferno, nenhum prazer impuro iluminará a escuridão do desespero eternal, nenhum sarcasmo de humor iluminará as trevas da noite eterna. "Mas haverá choro, e ranger de dentes - o verme que nunca morre, e o fogo que nunca se apaga".
Que mente, senão a dAquele que abrange o universo em Sua pesquisa, pode contar as multidões que foram arruinadas para ambos os mundos, pela influência da má companhia. Seus nomes foram registrados em cada rolo de infâmia, e encontrados em cada memorial de culpa e miséria. Os registros dos hospitais, das prisões, do necrotério, declarariam o mal. E, se pudéssemos olhar para a prisão das almas perdidas; uma multidão de espectros miseráveis encontraria nossos olhos, que parecem proferir em gemidos de desespero esta triste confissão: “Miseráveis vítimas de maus companheiros!"
Na grande e populosa cidade onde a Providência fixou meu destino tive uma vasta esfera de observação; e digo-lhe como minha convicção decidida, e opinião deliberada, que os companheiros impróprios são os meios mais bem sucedidos que são empregados por Satanás para a ruína das almas dos homens!
O conselho então, que ofereço é este:
1. Não fique mais ansioso sobre a obtenção de amigos. Não aceite a opinião de que todos os centros de felicidade se encontram em um amigo. Muitos de vocês são abençoados com uma casa feliz e um círculo agradável em torno de sua própria lareira. Aqui, procurem seus companheiros - em seus pais, seus irmãos e irmãs.
2. É melhor não ter certos companheiros, do que tê-los e com isso ter um mal. O primeiro caso é uma privação do que é agradável; o outro é a posse de um mal destrutivo.
3. Mantenha uma reserva digna, mas não orgulhosa. Não seja muito aberto e ingênuo. Seja cauteloso ao se apressar demais a se juntar como amigo aos outros. Seja educado e gentil com todos, mas comunicativo e familiarizado com poucos. Mantenha seu coração em suspenso, até que seu julgamento tenha examinado cuidadosamente os caracteres daqueles que desejam ser admitidos no círculo de seu conhecimento. Não corra para amizades, mas, caminhe para elas devagar e cautelosamente.
4. Consulte sempre seus pais sobre seus companheiros, e seja guiado por suas opiniões. Eles têm seu interesse no coração, e veem mais e melhor do que você pode.
5. Cultive um gosto pela leitura e melhoria mental; isso irá torná-lo independente de viver em sociedade inconveniente. Os livros sempre lhe fornecerão amigos inteligentes, úteis e elegantes. Ninguém pode ser aborrecido por ter acesso às obras de autores ilustres, e por ter gosto pela leitura. E, afinal de contas, há poucos comparativamente poucos, cuja sociedade nos recompensará tão ricamente, como esta "conversa silenciosa com os mortos poderosos."
6. Não escolha ninguém para seus companheiros íntimos, senão aqueles que são decididamente piedosos, ou pessoas de muito alto valor moral.
Um respeito escrupuloso a todos os deveres da moralidade, uma elevada reverência pelas Escrituras, uma crença em suas doutrinas essenciais, uma frequência constante nos meios da graça, são as mais baixas qualificações que você deve exigir no caráter de um amigo íntimo.
Talvez me façam uma ou duas perguntas sobre este assunto, a que uma resposta deve ser dada. "Se", você disse, "eu formei uma amizade antes que me convertesse; devo agora deixar sua companhia, uma vez que ele ainda permanece desprovido de qualquer visível respeito à religião verdadeira?”
Tente primeiro, por todos os esforços que a afeição pode impor e a prudência recomendar, impressionar a mente dele com um senso de religião verdadeira - se, depois de algum tempo, seus esforços não se mostrarem úteis, diga abertamente que, como você tomou pontos de vista diferentes, e adquiriu gostos diferentes do que possuía anteriormente, e que, como não conseguiu trazê-lo para o seu modo de vida, não pode mais acomodar suas atividades com as dele, pois a consciência exige de você uma separação de sua sociedade.
Sir Matthew Hale, um dos juízes mais justos e capazes que já se sentaram no tribunal, foi quase arruinado por seus companheiros dissolutos. Quando jovem, ele tinha sido muito estudioso e sóbrio, mas os jogadores passaram a vir para a cidade onde estudava, e ele se tornou uma testemunha de sua performance, pela qual estava tão cativado, que sua mente perdeu o gosto por estudar, e ele se viciou na companhia dissoluta. Quando um dia, no meio de seus companheiros agradou a Deus visitar um deles com morte súbita, Mateus foi atingido com horror e remorso. Ele se afastou e orou primeiro por    seus amigos, que se a centelha vital não tivesse fugido, eles pudessem ser restaurados; e então por si mesmo, que nunca mais poderia ser encontrado em tais lugares e companhia que o tornariam impróprio para encontrar a morte.
Desde aquele dia deixou todos os seus maus companheiros, não andou mais no caminho dos pecadores, e mas dedicou-se à piedade e à literatura.
Jovens de bons hábitos devem ter grande atenção para que não se tornem, por graus insensíveis, pessoas perigosas uns para os outros. Essa reviravolta social, que é natural para os homens, e especialmente para os jovens pode talvez levá-los a se reunir em pequenas sociedades, especialmente em épocas festivas do ano, para passarem as noites juntos. Mas, deixe-me suplicar-lhe para ser cauteloso como você deve gastá-las. Se seus jogos e suas conversas tomam seu tempo até se entrincheirarem na noite; e talvez na manhã também, vocês vão rapidamente corromper uns aos outros. Adeus então, à oração e a todos
os outros exercícios religiosos em segredo. Adeus, pois, a todas as minhas agradáveis esperanças para vocês, e às esperanças que seus pais piedosos têm entretido. Vocês se tornarão exemplos    de todos os males que descrevi tão amplamente.
Não considere que essas coisas sejam legalistas em si mesmas; assim é a maioria daquelas em certo grau, que por seu abuso causam destruição para a alma dos homens e seus corpos. Se você se reunir, que seja para a conversação racional e cristã,    e que a oração e outras devoções tenham seu lugar frequente entre vocês; e se você diz ou pensa que uma mistura dessas coisas estraga a companhia, é hora de você parar sua carreira e chamar-se a uma prestação de contas consigo mesmo, pois parece por tal pensamento que vocês são muito mais amantes do prazer, do que amantes de Deus. Algumas dessas coisas podem parecer ter uma tintura de severidade,    mas considere se eu poderia ter provado ser fiel a você, e a Àquele em cujo nome eu falo, se tivesse omitido o alerta que lhe tenho dado agora. Vou apenas acrescentar, que se eu tivesse te amado menos ternamente, deveria ter te avisado com mais frieza sobre este laço perigoso e mortal!
Nota do tradutor: Devemos lembrar que este texto foi produzido numa época em que a sociedade não era tão permissiva como a dos nossos dias, e ainda assim, vemos todo o cuidado que era tomado para preservar a boa conduta, especialmente dos jovens.
Acrescente-se a isto, como agravante, o fato de que há muitos companheiros virtuais, visíveis e invisíveis nos diversos meios de comunicação de massa modernos, com todo tipo de oferta de práticas licenciosas, de pornografia, de uso de drogas alucinógenas, entre outros.
Muito daquilo que perverte o caráter, por ser uma abominação para Deus, conforme Ele próprio afirma em Sua Palavra é praticado abertamente, sendo considerado como coisas normais por muitos que congregam nas próprias igrejas cristãs.
De modo, que a piedade sofre, e pouco se vê entre nós, pessoas verdadeiramente piedosas e santas que procuram se guardar de toda forma e aparência do mal.
Por isso, se deduz que são chegados a nós os dias trabalhosos para se servir adequadamente a Deus, conforme profetizado nas Escrituras. São trabalhosos e difíceis, tanto para educadores quanto para educandos, mas não impossíveis, pois, com a ajuda da graça de Deus e a devida diligência em se aplicar à Sua Palavra, o mal pode ser vencido e sermos achados naquela forma de vida que é agradável a Deus.







Publicado no site: O Melhor da Web em 28/11/2016
Código do Texto: 133493
AQUI VOCÊ INTERAGE DIRETAMENTE COM O(a) AUTOR(a) DA OBRA! DEIXE UM COMENTÁRIO REFERENTE AO TEXTO! É FÁCIL, É LEGAL, VALE A PENA!
Caderno Comente esse Texto - Seja o primeiro a comentar!
Obras do(a) Autor(a):


Lomadee, uma nova espécie na web. A maior plataforma de afiliados da América Latina.