Espaço Literário

O Melhor da Web

 

Parceria de Sucesso entre o site Poesias www.omelhordaweb.com.br e o www.efuturo.com.br
Confira. Adicione seus textos nele. O eFUTURO já começou.

Indicamos:Efuturo.com.br - Efuturo é uma Rede Social de Conhecimento, Ensino, Aprendizado Colaborativo, Jogos Educativos e Espaço Literário.


Busca por Autores (ordem alfabética)
Busca Geral:
Nome/login (Autor)
Título
Texto
brussolo - ALEXANDRE BRUSSOLO
ALEXANDRE BRUSSOLO
Cadastrado desde: 21/11/2008

Texto mais recente: Minha Magia (T2977)



Necessita estar logado! Adicionar como fã (necessita estar logado)
 
Recado
Contato

Conheça a Página de ALEXANDRE BRUSSOLO , agora só falta você!
http://www.poesias.omelhordaweb.com.br/pagina_autor.php?cdEscritor=646

 
Textos & Poesias || Contos
Imprimir - Impressora!
Imprimir
A Derrota (T175)
10/02/2009
Autor(a): ALEXANDRE BRUSSOLO
VOTE!
TEXTO ELEITO
0
Após 100 votos, o Texto Eleito será exibido em uma página que irá reunir somente os mais votados.
Só é permitido um voto por Internauta por dia.
Achou o texto ótimo, VOTE! Participe!
ELEJA OS MELHORES TEXTOS DA WEB!
A Derrota (T175)

      __ Mestre, está ferido!
      __ Não é nada, eu estou bem, apenas me ajude a erguer a lança.
      __ Mas senhor...
      __ Não ouse me contrariar, você está comigo para me servir e pronto.
      Sir Cristopher era teimoso, a última coisa que admitia era estar envelhecendo e que estas competições para ele já não davam mais, o tempo era de muitos jovens aprendendo e ingressando.
      Lembrar que seu nome causava medo aos mais novos, ele era o terror de todos os cavaleiros mais antigos, ídolo incontestável dos mais novos, sempre em sua armadura dourada, cor do ouro, cor da fortuna e de sua sorte. Sempre acompanhado por seu fiel escudeiro, Thomas que nunca o deixara na mão, cuidava de sua armadura como um guarda cuida do tesouro real.
      Thomas já havia pedido para que seu mestre, era assim que o chamava carinhosamente, deixasse o campo de competição, pois já havia conquistado a glória sem ter conhecido a derrota. Agora estava lá enfrentando um cavaleiro bem mais jovem, mas que tinha a mesma determinação da juventude de seu mestre.
      Mas Sir Cristopher era muito orgulhoso para admitir a que seria a única derrota de sua vida. Como dizia Thomas, o orgulho é a cegueira da humanidade, mas seu mestre sempre rebatia que o homem sem orgulho é um homem sem coragem, então Thomas preferia calar-se.
      Agora estava lá com a ponta de uma lança encravada em seu ombro, pedira a Thomas que a retirasse para que pudesse voltar para a segunda rodada, ele tentou argumentar para que ele parasse mas ele era muito teimoso, o pior é a teimosia misturada com o seu orgulho, aí não tem argumento que dê jeito.
      Fez de pronto o que o Mestre lhe pedira, primeiro retirou a ponta da lança e depois ajudou-o com sua lança.
      __ Mestre, o senhor mal aguenta segurá-la, pelo amor do Deus que você tanto teme é hora de reconhecer a derrota, eu te imploro, o que farei se algo te acontecer.
      __ Eu sou Sir Cristopher e nada vai me acontecer, nunca perdi uma guerra, hoje perdi uma batalha mas a guerra ainda não. E pare de ficar me agourando... este... ombro... vou parar de falar... tenho que guardar energia... humm...
      A trombeta soa é o chamado.
      __ Vamos me ajude a levantar a lança.
      Ele vira o cavalo a muito custo consegue comandá-lo, agora espera o segundo toque, escuta o som muito baixo, com o calcanhar faz com que seu cavalo comece a corrida até seu oponente, são segundos que se transformam em longos minutos. De repente um silêncio cortante na arena, o grande campeão de todos os tempos estava no chão sem movimento, só os olhos vidrados pela única derrota que conhecera.


Alexandre Brussolo (10/02/2009)



Publicado no site: O Melhor da Web em 10/02/2009
Código do Texto: 13552
AQUI VOCÊ INTERAGE DIRETAMENTE COM O(a) AUTOR(a) DA OBRA! DEIXE UM COMENTÁRIO REFERENTE AO TEXTO! É FÁCIL, É LEGAL, VALE A PENA!
Caderno Comente esse Texto - Total comentários: 10
Obras do(a) Autor(a):