Espaço Literário

O Melhor da Web

 

Parceria de Sucesso entre o site Poesias www.omelhordaweb.com.br e o www.efuturo.com.br
Confira. Adicione seus textos nele. O eFUTURO já começou.

Indicamos:Efuturo.com.br - Efuturo é uma Rede Social de Conhecimento, Ensino, Aprendizado Colaborativo, Jogos Educativos e Espaço Literário.


Busca por Autores (ordem alfabética)
Busca Geral:
Nome/login (Autor)
Título
Texto
kuryos - Silvio Dutra
Silvio Dutra
Cadastrado desde: 29/08/2012

Texto mais recente: Deserção Espiritual



Necessita estar logado! Adicionar como fã (necessita estar logado)
 
Recado
Contato

Conheça a Página de Silvio Dutra , agora só falta você!
http://www.poesias.omelhordaweb.com.br/pagina_autor.php?cdEscritor=6704

 
Textos & Poesias || Evangélicas
Imprimir - Impressora!
Imprimir
Pregação de Cristo Crucificado
28/03/2019
Autor(a): Silvio Dutra
VOTE!
TEXTO ELEITO
0
Após 100 votos, o Texto Eleito será exibido em uma página que irá reunir somente os mais votados.
Só é permitido um voto por Internauta por dia.
Achou o texto ótimo, VOTE! Participe!
ELEJA OS MELHORES TEXTOS DA WEB!
Pregação de Cristo Crucificado


Sermão nº 3218
Por Charles H. Spurgeon (1834-1892)
Traduzido, Adaptado e
Editado por Silvio Dutra
Mar/2019
2
S772
Spurgeon, Charles H.- 1834-1892
Pregação de Cristo crucificado / Charles H.
Spurgeon
Tradução e adaptação Silvio Dutra Alves – Rio
de Janeiro, 2019.
33p.; 14,8 x21cm
1. Teologia. 2. Pregação. 3. Alves, Silvio Dutra.
I. Título.
CDD 252
3
“Mas nós pregamos a Cristo crucificado, escândalo para os judeus, loucura para os gentios.” (1 Coríntios 1:23)
No versículo que precede nosso texto, Paulo escreve: “Os judeus exigem um sinal”. Eles disseram: “Moisés fez milagres; vejamos milagres operados e então creremos”, esquecendo que todas as maravilhas que Moisés operou foram totalmente eclipsadas por aquelas que Jesus operou enquanto esteve sobre a terra na carne. Então havia certos professores judaizantes que, para ganhar os judeus, pregavam a circuncisão, exaltavam a Páscoa e tentavam provar que o judaísmo ainda existia lado a lado com o cristianismo - e que os antigos ritos ainda podiam ser praticados pelos seguidores de Cristo. Então Paulo, que se fez todas as coisas a todos os homens para que pudesse salvar alguns, colocou o pé no chão e disse: “O que quer que os outros façam, pregamos a Cristo crucificado - não ousamos, não podemos e não vamos alterar o grande assunto de nossa pregação, Jesus Cristo e Ele crucificado. Então ele acrescentou: “e os gregos buscam a sabedoria.” Corinto era os próprios olhos da Grécia e os gregos coríntios buscavam o que eles consideravam como sabedoria - isto é, a sabedoria deste mundo, não a sabedoria de
4
Deus que Paulo pregou! Os gregos também valorizavam a memória da eloquência de Demóstenes e outros oradores famosos. E eles pareciam pensar que a verdadeira sabedoria deve ser proclamada com as graças da magistral elocução - mas Paulo escreve a esses gregos coríntios: “Decidi não conhecer nada entre vós, a não ser Jesus Cristo e Ele crucificado. E meu discurso e minha pregação não foram com palavras sedutoras da sabedoria humana, mas na demonstração do Espírito e do poder, para que a sua fé não se baseasse na sabedoria dos homens, mas no poder de Deus.”
Agora, nestes dias há quem se alegraria se pregássemos algo que não fosse Cristo crucificado! Talvez os mais perigosos entre eles sejam aqueles que continuamente clamam por pregação intelectual, pelo que eles querem dizer pregar que nem os céus de forma que nem os próprios pregadores podem compreender - o tipo de pregação que pouco ou nada tem a ver com as Escrituras e com a Bíblia. que requer um dicionário em vez de uma Bíblia para explicá-lo! Estas são as pessoas que estão continuamente correndo e perguntando: “Você ouviu nosso ministro? Ele nos deu um discurso maravilhoso no último domingo de manhã! Ele citou hebraico, grego e latim. Ele nos deu algumas peças charmosas de poesia - na verdade, tratava-
5
se de um deleite intelectual!”. Sim, e eu geralmente descobri que tais delícias intelectuais levam à ruína das almas. Esse não é o tipo de pregação que Deus geralmente abençoa para a salvação das almas e, portanto, embora outros possam pregar a filosofia de Platão ou adotar os argumentos de Aristóteles, pregamos Cristo crucificado, o Cristo que morreu pelos pecadores, e, “pregamos Cristo crucificado” em linguagem simples, em linguagem clara como as pessoas comuns podem entender!
Vou tentar colocar nosso texto em prática, dizendo-lhe, primeiro, o que pregamos. Em segundo lugar, a quem nós pregamos. E, em terceiro lugar, como nós pregamos isso.
I. Primeiro de tudo, o que nós PREGAMOS. Paulo é o modelo para todos os pregadores e ele diz: “Nós pregamos a Cristo crucificado”. Para pregar o evangelho plenamente, deve haver uma descrição muito clara da pessoa de Cristo, e pregamos a Cristo como Deus - não um homem feito. em um Deus, nem um Deus degradado ao nível de um homem, não algo entre um homem e um Deus, mas, "muito Deus de muito Deus". Ele é um com Seu Pai em todo atributo - eterno, não tendo nenhum começo de dias nem fim dos anos. Onipresente,
6
preenchendo todo o espaço. Onipotente, tendo todo o poder no céu e na terra. Onisciente, sabendo todas as coisas desde a eternidade - o grande Criador, Preservador e Juiz de todos - em todas as coisas, a imagem igual e expressa do Deus invisível! Se errarmos quanto à divindade de Cristo, erraremos em todos os lugares! O evangelho que não revela um Salvador divino não é nenhum evangelho - é como um navio sem leme - o primeiro vento contrário que sopra o levará à destruição e ai das almas que confiam nele! Não há ombros, senão aqueles onipotentes que sustentam os imensos pilares da terra que podem carregar o enorme peso da culpa humana e da necessidade humana. Nós pregamos a você Cristo, o filho de Maria, uma vez dormindo nos braços de sua mãe, mas o infinito, mesmo quando Ele era criança! Cristo, o reputado filho de José, labora na oficina de carpintaria, sendo o tempo todo o Deus que fez os céus e a terra! Cristo, que não tinha onde reclinar a cabeça, o desprezado e rejeitado dos homens, que é, todavia, “sobre tudo, Deus para sempre”. Cristo pregado no madeiro maldito, sangrando por todos os poros e morrendo na cruz; para sempre. Cristo sofre agonias que são indescritíveis, mas sendo ao mesmo tempo o Deus a cuja mão direita há prazeres para todo o sempre. Se Cristo não tivesse sido homem, Ele não poderia ter simpatizar com você e comigo,
7
nem poderia ter sofrido em nosso lugar. Como poderia Ele ter sido o cabeça da aliança dos filhos e filhas de Adão se Ele não tivesse sido feito em todos os pontos como eles, exceto que Ele estava sem pecado? Com essa única exceção, Ele era exatamente como nós somos - osso de nossos ossos e carne de nossa carne -, mas Ele era verdadeiramente Deus como Ele era homem, aquele de quem Isaías foi inspirado a profetizar: “Seu nome será chamado Maravilhoso, Conselheiro, Deus Poderoso, O Pai Eterno, O Príncipe da Paz.” Assim, ao pregar a Cristo crucificado, pregamos a glória do céu unida à beleza da terra - a perfeição da humanidade unida à Glória e à dignidade da divindade. !
Então, em seguida, devemos muito claramente pregar a Cristo como o Messias, o enviado de Deus. Por muito tempo havia sido predito que um grande Libertador viria, que seria “uma luz para iluminar os gentios”, e para ser a glória de Seu povo, Israel e Jesus de Nazaré era o Prometido Libertador, de quem Moisés na Lei e os profetas escreveram.
Ele foi enviado por Deus para ser o Salvador dos pecadores. Ele não tomou este ofício sobre Si sem autoridade, mas realmente podia dizer: “Eis-me aqui: no volume do livro está escrito de
8
mim, tenho prazer em fazer a tua vontade, ó meu Deus”. Ele se tornou o substituto para os pecadores, mas isso não aconteceu acidentalmente, mas por decreto divino, pois lemos: “o Senhor colocou sobre Si a iniquidade de todos nós”. Um sacerdote não ordenado, um profeta não enviado por Deus, um rei sem autoridade divina teria sido apenas um escárnio - mas nosso grande Sumo Sacerdote foi divinamente ungido, nosso inigualável profeta foi enviado por Deus e nosso rei é Rei dos reis e Senhor dos senhores, governando corretamente como o eterno Filho do eterno Pai! Pecador, essa verdade de Deus deve trazer-lhe esperança e consolo - o Cristo a quem pregamos é o ungido do Senhor! E o que Ele faz, Ele faz pela designação de Deus. Quando Ele diz a você: “Vinde a mim, todos aqueles que testais cansados e sobrecarregados, e eu vos darei descanso”, Ele fala tanto por seu Pai quanto por si mesmo, pois Ele tem a garantia do eterno para sustentar Sua declaração! Portanto, venha com confiança para Ele e coloque sua confiança nEle!
Quando o pregador estabeleceu um bom fundamento sólido, pregando a pessoa de Cristo e a messianidade de Cristo, ele deve continuar pregando a obra de Cristo. Eu só posso dar um breve resumo do que levaria toda a eternidade para expor. Devemos pregar para mostrar como,
9
no pacto eterno, Cristo permaneceu como a garantia e representante de Seu povo e como, na plenitude dos tempos, Ele saiu dos palácios de marfim vestidos com trajes de carne - e como Ele primeiro elaborou uma retidão ativa pela perfeita obediência de Sua vida diária - e finalmente elaborou uma retidão passiva por Seus sofrimentos e morte na cruz.
Começando na encarnação, indo para a grande obra da redenção, contando sobre o sepultamento, ressurreição, ascensão e intercessão de Cristo diante do trono de Seu Pai e da gloriosa segunda vinda, temos um tema que os anjos bem poderiam cobiçar - um tema que pode despertar esperança no coração do pecador!
Mas é especialmente Cristo crucificado a quem devemos pregar.
Suas feridas e contusões nos lembram que devemos dizer-lhe que “Ele foi ferido pelas nossas transgressões, moído pelas nossas iniquidades; o castigo da nossa paz estava sobre ele; e com as suas feridas somos curados.” É no Calvário que se encontra a salvação! Onde Jesus inclinou a cabeça e entregou o espírito, quando Ele venceu os poderes das trevas e abriu o reino dos céus para todos os crentes!
10
(Nota do tradutor: É exatamente a pregação de Jesus crucificado que é escândalo para os judeus carnais, e loucura para os gentios, especialmente para os sábios gregos com suas especulações filosóficas, que colocam o homem como o centro de todas as coisas, e glorificam o seu livre arbítrio – daí a razão de todos os místicos que afirmam suas loucuras imaginativas por inspiração satânica, tanto quanto lhes agrade, porque deixam o sacrifício de Jesus de lado, embora muitos deles afirmem outras coisas relativas a Ele, como o Seu exemplo de humildade e sabedoria, no entanto, nos pontos que são da conveniência deles para serem afirmados, pois rejeitam a maior parte das ordenanças de Jesus, como por exemplo a de nos negarmos, de tomarmos a cruz, de rendermos nossa vontade ao Espírito Santo, e tudo o que se traduza em obediência estrita a Deus. Eles afirmam, como diz o apóstolo, pretensa humildade, culto de anjos, tanto quanto os judeus que se escandalizavam em Jesus por ter morrido num madeiro, que era a forma de um maldito morrer, e não propriamente de alguém afirmava ser santo e divino.
Os apóstolos combateram vários ensinos heréticos já em seus dias, os quais negavam ou a divindade de Jesus, ou a sua humanidade, o seu
11
sacrifício vicário, e pretextavam que a perfeição espiritual seria atingida pelo conhecimento de mistérios não revelados na Bíblia, e que Deus concede a uns poucos iluminados para ensinarem o caminho da perfeição à humanidade, especialmente pelo cultivo de virtudes como a humildade, a bondade para com todos os homens, de forma que chegaria um tempo em que toda a humanidade na terra seria constituída somente por pessoas boas e unidas pelo amor em um só coração. Isto não tem nada de bíblico, e nem tampouco com o motivo de Jesus ter vindo a este mundo e morrido na cruz.
É isto que Paulo, por exemplo, combate em sua epístola aos Colossenses: “4 Assim digo para que ninguém vos engane com raciocínios falazes. 5 Pois, embora ausente quanto ao corpo, contudo, em espírito, estou convosco, alegrando-me e verificando a vossa boa ordem e a firmeza da vossa fé em Cristo. 6 Ora, como recebestes Cristo Jesus, o Senhor, assim andai nele,
12
7 nele radicados, e edificados, e confirmados na fé, tal como fostes instruídos, crescendo em ações de graças. 8 Cuidado que ninguém vos venha a enredar com sua filosofia e vãs sutilezas, conforme a tradição dos homens, conforme os rudimentos do mundo e não segundo Cristo; 9 porquanto, nele, habita, corporalmente, toda a plenitude da Divindade.” (Colossenses 2.4-9). ” 18 Ninguém se faça árbitro contra vós outros, pretextando humildade e culto dos anjos, baseando-se em visões, enfatuado, sem motivo algum, na sua mente carnal, 19 e não retendo a cabeça, da qual todo o corpo, suprido e bem vinculado por suas juntas e ligamentos, cresce o crescimento que procede de Deus. 20 Se morrestes com Cristo para os rudimentos do mundo, por que, como se vivêsseis no mundo, vos sujeitais a ordenanças: 21 não manuseies isto, não proves aquilo, não toques aquiloutro,
13
22 segundo os preceitos e doutrinas dos homens? Pois que todas estas coisas, com o uso, se destroem. 23 Tais coisas, com efeito, têm aparência de sabedoria, como culto de si mesmo, e de falsa humildade, e de rigor ascético; todavia, não têm valor algum contra a sensualidade.” (Colossenses 2.18-23)
Há uma palavra que todo verdadeiro servo de Cristo deve ser capaz de falar muito distintamente - essa palavra é substituição. Acredito que a substituição é a palavra-chave para toda a teologia verdadeira - Cristo permanecendo no lugar dos pecadores e contado com os transgressores por causa de suas transgressões, e não pelas Suas - Cristo pagando nossas dívidas e cumprindo todas as nossas obrigações. Esta verdade de Deus envolve, naturalmente, tomar o lugar de Cristo como Ele tomou o nosso, para que todos os crentes sejam amados, aceitos, feitos herdeiros de Deus e, no devido tempo, sejam glorificados com Cristo para sempre!
Irmãos ministros, o que quer que deixem de pregar, façam com que seus ouvintes sempre entendam claramente que existe um substituto divino e todo suficiente para os pecadores - e
14
que todos os que depositam sua confiança nEle serão eternamente salvos! Quando pregamos a Cristo assim, devemos também pregar seus ofícios.
Nós devemos pregá-lo como o grande Sumo Sacerdote que sempre vive para interceder por nós. Nós devemos pregá-lo como o profeta cujas palavras são divinas e, portanto, chegam até nós com uma autoridade que não pode ser posta de lado. E devemos nos lembrar de que sempre O pregamos como Rei, colocando a coroa de louvor sobre Sua cabeça real e reivindicando de Seu povo a lealdade inabalável de seus corações - e o serviço indiviso de suas vidas!
Também devemos pregar as qualificações de Cristo para os Seus ofícios. Ele é um marido? Devemos dizer quão amoroso e quão terno Ele é. Ele é um pastor? Devemos proclamar Sua paciência, Seu poder, Sua perseverança - e devemos especialmente falar de Seu amor abnegado em dar a vida por Suas ovelhas. Ele é um Salvador? Nós devemos mostrar como Ele é capaz de salvar perfeitamente aquele que vem a Deus por Ele. Devemos falar muito da gentileza que não vai quebrar o junco ferido, nem apagar o pavio fumegante. Nós devemos nos deleitar em falar de Cristo como se inclinando sobre os quebrantados de coração, amarrando suas
15
feridas e tendo Seus ouvidos sempre abertos para ouvir o clamor de um espírito contrito!
É o caráter de Cristo que é o ímã que atrai os pecadores para Si mesmo - e, sobre esse tema abençoado, pode-se continuar falando para sempre!
Quando Rutherford estava falando das belezas do Cristo a quem ele amava tão carinhosamente, um dos seus ouvintes foi compelido a clamar: “Agora, meu senhor, você está na corda certa, mantenha isso!” E, de fato, este é um tema que poderia agitar o gago para falar com poder e fazer o mudo para ser eloquente para Cristo! Oh, quão glorioso é o nosso abençoado Senhor! Com o cônjuge podemos muito bem dizer: "Sim, Ele é totalmente amável". Não podemos exagerar Sua excelência e encantos e deve ser nosso objetivo constante pintar um retrato assim dEle que os pecadores podem se apaixonar por Ele e confiar nEle para salvá-los com a Sua grande salvação!
Devemos ter em mente que sempre pregamos a Cristo como a única esperança do pecador.
Nos tempos antigos, havia certos simplórios que buscavam um remédio universal para todas as doenças - uma cura para todos. Mas a busca
16
deles foi em vão. Todos os anúncios de medicamentos charlatães que sempre enganaram pessoas tolas nunca convencerão as pessoas sensatas de que tal cura para todas as doenças das quais a carne é herdeira jamais foi ou jamais será descoberta.
No entanto, existe uma cura para todas as doenças da alma, e essa cura é Cristo! Seja sua doença o que for - a febre da luxúria, os tremores de dúvidas e medos, ou a queda no desespero da tuberculose - Jesus Cristo pode curar você! Qualquer que seja a forma que o pecado possa tomar - seja o olho cego, ou o ouvido surdo, ou o coração duro e pedregoso, ou a consciência maçante e lacrimejada - há um remédio nas veias de Jesus que podemos chamar de cura divina! Nenhum caso que já foi submetido a Cristo confundiu Sua habilidade e Ele ainda é “poderoso para salvar”.
Devemos ser muito claros ao dizer ao pecador que não há esperança para ele em nenhum outro lugar a não ser em Cristo. Nove em dez das flechas na aljava de um ministro devem ser disparadas contra as boas obras do pecador, pois são seus piores inimigos. Esse “ato mortal” que precisa ser lançado “aos pés de Jesus” - que é tentar ser ou sentir algo para que eles possam se salvar - esta é a maldição de muitos! Ó Pecador,
17
se desde a coroa da sua cabeça até as solas dos seus pés, não há nenhuma parte sadia em você, mas você está cheio de feridas, hematomas e feridas putrefatas, contudo, se você crer em Jesus, Ele fará você todo são, e você seguirá seu caminho como um pecador salvo pela graça!
Precisamos também pregar a Cristo como a única alegria do cristão. Nós precisávamos de Cristo como uma boia salva-vidas quando estávamos afundando nas ondas do pecado, mas precisamos que Ele seja nossa comida e nossa bebida, agora que Ele tem nos trazido em segurança para a terra. Quando estávamos enfermos pelo pecado, precisávamos de Cristo como remédio, mas agora que Ele restaurou nossa alma, precisamos dEle como nosso alimento contínuo. Não há falta que um cristão jamais tenha, que Cristo não possa suprir totalmente e que não haja nada em Cristo que não seja útil para um cristão. Você sabe que algumas coisas que temos são boas, mas não são de todo úteis para nós. Por exemplo, a fruta é boa, mas há a pele a ser retirada e a semente a ser jogada fora. Mas quando Cristo se doa a nós, podemos tomar o todo dele e desfrutá-lo para o contentamento do nosso coração! Tudo o que Cristo é e tudo o que Cristo tem é nosso. Portanto, cristão, faça um pacto com as mãos que você vai se agarrar na cruz de Cristo para
18
sua única confiança! Faça um pacto com os seus olhos para que você não procure a luz em lugar algum, a não ser o Sol da Justiça! Faça um pacto com todo o seu ser para que seja crucificado com Cristo e depois levado para o céu para viver e reinar com Ele para sempre! Sim, que isto seja a expressão de seu coração –
“Você, ó Cristo,
é tudo de que preciso,
Mais do que tudo
em você eu acho”.
II. Agora, em segundo lugar, a quem nós devemos pregar isso? Possivelmente, um irmão diz: “Você deve pregar Cristo aos eleitos”. Mas como saberemos quem são os eleitos? Li um sermão, há algum tempo atrás, em que o ministro disse: “Tenho pregado aos vivos em Sião - o restante de vocês está morto e não tenho nada a dizer para vocês. A eleição os obteve e os demais estão cegos.” Pregadores desse tipo têm vida para pregar aos vivos, remédios para prescrever para aqueles que são saudáveis, mas qual é o bem disso? Imagine Pedro em pé no dia de Pentecostes e dizendo para a multidão reunida em torno dele: "Eu não sei quantos de
19
vocês que estão aqui são eleitos, mas eu tenho que dizer a vocês que a eleição os alcançou e os demais estão cegos”. Quantos teriam sido convertidos e acrescentados à igreja por meio de uma mensagem como essa? Agora Pedro estava, naquele tempo, cheio do Espírito - e foi por inspiração divina que ele pregou a Cristo crucificado a toda aquela multidão misturada e então, quando eles foram constrangidos em seu coração e clamaram, “Homens e irmãos, O que faremos?” Ele ficou igualmente inspirado quando respondeu: “Arrependam-se, e sejam batizados, cada um de vocês, em nome de Jesus Cristo para a remissão dos pecados, e receberão o dom do Espírito Santo”. Pretendo fazer como Pedro fez, pois considero a comissão de Cristo aos Seus discípulos como obrigatória hoje: “Ide por todo o mundo e pregai o evangelho a toda criatura”. Não sei dizer se toda criatura a quem eu prego é eleita ou não, mas é meu dever pregar o evangelho a todos os que eu puder alcançar, descansando na certeza de que todos aqueles a quem Deus escolheu para a vida eterna certamente o aceitarão! Quando um certo clérigo perguntou ao Duque de Wellington: “Sua Graça pensa que é útil pregar o evangelho aos hindus?” Ele simplesmente respondeu: “Quais são as suas ordens de marcha?” Como soldado, ele acreditava em obedecer às ordens. E quando o clérigo
20
respondeu que as ordens eram: “Pregue o evangelho a toda criatura”, disse o Duque. “Então seu dever é bem claro. Obedeça às ordens de seu Mestre e não se preocupe com as opiniões de qualquer outra pessoa.” O principal objetivo de um verdadeiro ministro é pregar o evangelho aos pecadores e ele nunca é tão feliz como quando está pregando para aqueles que se reconhecem pecadores! Quando ele está pregando para aqueles que são hipócritas, ele está em grande dificuldade sobre o efeito de sua mensagem, pois ele teme que possa provar ser um sabor de morte para a morte para eles. Mas quando ele se encontra com aqueles que confessam tristemente que são culpados, perdidos e arruinados, então ele se alegra na esperança de resultados abençoados de sua pregação. Ele sente que agora está entre os peixes que em breve morderão a isca, então ele deixa sua linha no rio e logo tem a alegria de trazer muitos para a terra! Ele sabe que o pão é sempre mais doce para os homens famintos e que até o remédio amargo será avidamente engolido pelo homem que está muito doente e deseja ser curado. Ele entende que são os nus que precisam ser vestidos e os pobres que clamam por esmolas. Ó pecadores, se você perceber que é vil e cheio de todos os tipos de mal, sem nada de seu próprio que seja digno de ser chamado de bom - e se você está desejando
21
ser liberto de todo tipo de mal e ser feito santo como Deus é santo, eu estou contente que meu Mestre me deu em Sua Palavra uma mensagem como esta para você - “Se nós, confessarmos nossos pecados, Ele é fiel e justo para nos perdoar os pecados e nos purificar de toda injustiça”.
Ainda assim, um verdadeiro ministro de Cristo não limitará sua pregação a pecadores sensatos à sua culpa, mas ele pregará o evangelho aos pecadores de todas as idades. Para os jovens, cujas vidas ainda não foram contaminadas pelos vícios da idade, ele prega a Cristo crucificado como o Salvador das crianças e fica feliz quando os meninos e as meninas confiam em Jesus e são salvos. Para você que atingiu a meia-idade, ele prega Cristo crucificado como o bálsamo para cada ferida, o consolo para todos os cuidados e grato é quando você, também, é salvo pela graça através da fé em Jesus! Para o velho e grisalho, para o decrépito, para aqueles que estão à beira do túmulo, ele ainda prega a Cristo crucificado! Se ele pudesse encontrar um pecador que tivesse alcançado a idade de Matusalém, ele teria o mesmo evangelho para pregar para ele, pois ele sabe que não há Salvador além do Cristo crucificado do Calvário! E ele também sabe que, velho ou jovem, ou se não é velho nem jovem - todos os que confiam nele são imediatamente
22
salvos e salvos para sempre! E como ele prega a Cristo a pecadores de todas as épocas, ele também prega Cristo a pecadores de todos os níveis. Ele não tem nada melhor que Cristo para pregar a rainhas, príncipes e nobres - e ele não tem nada menos que Cristo para pregar a camponeses, artesãos ou indigentes - Cristo crucificado para homens de letras e eruditos e Cristo crucificado igualmente para os ignorantes e analfabetos! Ele também prega Cristo a pecadores de todo tipo, até ao ateu, o homem que diz que não há Deus! Ele lhe pede para acreditar e viver. Ele prega a Cristo para o abertamente profano. Quando eles param por um tempo em seus juramentos, ele lhes fala do grande juramento que Deus jurou: “Vivo eu, diz o Senhor Deus, que não tenho prazer na morte do ímpio, mas que o ímpio se converta de sua iniquidade e viva.”
Nós pregamos a Cristo para as prostitutas na rua e oh, como alegremente muitas delas O receberam e quão alegremente elas encontraram limpeza de suas manchas sujas no precioso sangue de Jesus!
Nós pregamos a Cristo para o bêbado, pois acreditamos que nada, a não ser a graça de Deus, pode resgatá-lo de sua degradação e pecado - e
23
muitos desses pecadores temos visto serem recuperados pelo evangelho!
A pregação de Cristo crucificado, a elevação do Filho de Deus, “como Moisés levantou a serpente no deserto”, tem poder suficiente para virar o mundo de cabeça para baixo e transformar inumeráveis pecadores em santos, então nós queremos continuar pregando a Cristo a todos os pecadores de todos os tipos! Não temos a intenção de deixar de fora um, nem mesmo você, meu amigo, que acha que ficou de fora ou deveria ficar de fora.
Sabemos que existe um livro da vida diante do trono de Deus e que nenhum outro nome pode ser escrito ali - todos eles foram registrados antes da fundação do mundo, quando o Pai deu a Cristo aqueles que são eternamente Seus. Não podemos subir ao céu para ler os nomes que estão escritos lá, mas acreditamos que a lista contém milhões e milhões de nomes daqueles que ainda não confiaram em Cristo, por isso queremos continuar pregando a Cristo a pecadores de todas as épocas, de todos os graus, de todos os tipos, de todos os graus de impureza e vileza! E nós acreditamos que "há ainda espaço", há ainda misericórdia para os miseráveis, ainda há perdão para os culpados
24
que virão e confiarão em Jesus Cristo e Ele crucificado!
III. Agora, finalmente, como é que devemos pregar CRISTO CRUCIFICADO? Em primeiro lugar, penso que devemos pregar a Cristo com muita ousadia. Lembro-me de um rapaz que entrou em um púlpito para se dirigir a uma pequena congregação e começou dizendo que esperava perdoar sua juventude e perdoar sua impertinência ao falar com eles. Um tolo e velho cavalheiro disse: “Quão humilde é aquele jovem por falar assim!” Mas outro, que era mais sábio, apesar de mais jovem, disse: “Que desonra para o seu Senhor e Mestre! Se Deus o enviou com uma mensagem para essas pessoas, o que importa se ele é jovem ou velho? Essa falsa modéstia como essa está fora do lugar no púlpito.” Eu acho que o segundo homem estava certo e o primeiro errado. Um verdadeiro ministro do evangelho é um embaixador de Cristo e nossos embaixadores vão para tribunais estrangeiros com pedidos de desculpas por levarem mensagens de seu soberano? Seria um insulto grosseiro à coroa desses reinos se eles demonstrassem tanta humildade quanto isso em sua capacidade oficial! Que os ministros do evangelho mantenham sua modéstia em outras ocasiões em que deva ser manifestada, mas não
25
desonrem seu Mestre e desacreditem Sua mensagem como aquele jovem tolo fez!
Quando pregamos a Cristo crucificado, não temos razão para gaguejar, hesitar ou pedir desculpas - não há nada no evangelho do qual tenhamos qualquer motivo para nos envergonharmos! Se um ministro não tem certeza sobre sua mensagem, deixe-o em silêncio até ter certeza disso! Acreditamos e, portanto, falamos com o sotaque de convicção! Se eu não tiver provado o poder do evangelho em meu próprio coração e vida, sou um impostor vil para estar de pé neste púlpito para pregar esse evangelho a outras pessoas! Mas, como eu, com certeza, sei que sou salvo pela graça por meio da fé em Jesus Cristo e tenho certeza de que fui divinamente chamado para pregar o Seu evangelho - “Devo, por medo do homem fraco, restringir o Espírito em mim? Ou indiferente em obras e palavras, ser uma testemunha verdadeira para meu Senhor?”
Mas enquanto pregamos a Cristo corajosamente, devemos também pregá-lo afetuosamente. Deve haver grande amor em nossa proclamação da verdade de Deus. Não devemos hesitar em apontar aos pecadores o estado de ruína para o qual o pecado os trouxe. E devemos claramente colocar diante deles o
26
remédio divinamente designado. Mas devemos misturar a ternura da mãe com a severidade do pai. Paulo era como mãe e pai, em sentido espiritual, em seu ministério. Ele escreveu aos gálatas: “Minhas criancinhas, das quais de novo sinto dores de parto até que Cristo seja formado em vós”. E aos coríntios ele escreveu: “Em Cristo Jesus, eu te gerei pelo evangelho”. E todo ministro verdadeiro de Cristo pode, em sua medida, simpatizar com ele em ambas as experiências. Sim, pecadores, nós realmente amamos vocês! Muitas vezes o nosso coração está bem perto de quebrar pelo desejo que temos de ver você salvo! Nós desejamos que pudéssemos pregar para você com os olhos lacrimosos de Baxter - não, e sim com o coração de derretimento do Salvador e o zelo que tudo consome! Então, em seguida, devemos pregar somente a Cristo. Com Paulo, todo verdadeiro ministro deve ser capaz de dizer aos seus ouvintes: "Decidi não saber nada entre vocês, exceto Jesus Cristo e Ele crucificado". O pregador nunca deve misturar qualquer outra coisa com o evangelho. Toda vez que ele prega, ele ainda deve ter o mesmo tema antigo, “Jesus Cristo e Ele crucificado”. Cristo é o Alfa do evangelho e Ele é o Ômega também! A primeira letra do alfabeto do evangelho e a última letra - e todas as letras intermediárias! Deve ser Cristo, Cristo, Cristo do começo ao fim! Não deve haver
27
obra ou qualquer outra coisa misturada com Cristo! Não deve haver nenhuma argamassa com argamassa não temperada em nosso edifício em Cristo, o fundamento único que é colocado de uma vez por todas!
O pregador também deve ter em mente que ele prega muito simplesmente a Cristo. Ele deve quebrar suas grandes palavras e longas sentenças e orar contra a tentação de usá-las. Geralmente é a curta sentença que faz o trabalho melhor. Um verdadeiro servo de Cristo nunca deve tentar deixar as pessoas verem quão bem ele pode pregar. Ele nunca deve sair do seu caminho para arrastar uma linda peça de poesia em seu sermão, nem para apresentar algumas citações refinadas dos clássicos. Ele deve empregar um estilo simples e caseiro ou um estilo como Deus lhe deu. E ele deve pregar a Cristo tão claramente que seus ouvintes possam não apenas entendê-lo, mas também não possam entendê-lo mal, mesmo que tentem fazê-lo!
Agora, com o passar do tempo, devo encerrar dizendo que devemos tentar pregar a Cristo salvificamente.
Ó pecadores, eu gostaria que você confiasse em Cristo neste exato momento! Você percebe
28
quão grande é o seu perigo? Alma não convertida, você está de pé, por assim dizer, sobre a boca do inferno em uma única prancha - e essa prancha está podre! Homem, você pode estar em sua sepultura antes que outro domingo amanheça e então, se não estiver salvo, você estará no inferno! Tome cuidado para não ser despreparado, pois se esse é o seu destino infeliz, não haverá resgate que possa libertar sua alma perdida de ir até o abismo! Veja sua necessidade de Cristo, pecador, e apegue-se a Ele pela fé! Ninguém além de Cristo pode salvá-lo! Cristo é o caminho! Você pode ir todos os seus dias tentando encontrar outra entrada para o céu, mas você não vai encontrá-la, pois esta é a única.
Por que você não vem a Deus por Cristo? Por que você é tão ingrato a ponto de desprezar a longa misericórdia de Deus? A bondade de Deus não o conduzirá ao arrependimento? Será que Cristo morrerá pelos pecadores e, ainda assim , você, ó pecador, se afasta daquele que somente pode lhe dar vida? Se você quiser confiar nele, Ele salvará você! Seus pecados, que são muitos, serão todos perdoados! Você será adotado na família de Deus e no devido tempo você se encontrará no céu para não sair mais para sempre! Se você fosse feliz. Se você for desfrutaria da paz que ultrapassa todo
29
entendimento. Se você tivesse dois céus - um céu abaixo e um paraíso, confie em Jesus, pecador, confie em Jesus neste exato momento! Não saia deste prédio não salvo. Um olhar de fé lhe trará salvação, pois - “Há vida por ver o Crucificado! Há vida neste momento para você. Então olhe, pecador - olhe para Ele e seja salvo - para Aquele que foi pregado na cruz.”
Olhe para Ele, olhe para Ele agora! Que o Espírito Santo permita que você olhe e viva, pelo amor de Jesus Cristo! Amém. 1 Cor – 1 1 Paulo, chamado pela vontade de Deus para ser apóstolo de Jesus Cristo, e o irmão Sóstenes, 2 à igreja de Deus que está em Corinto, aos santificados em Cristo Jesus, chamados para ser santos, com todos os que em todo lugar invocam o nome de nosso Senhor Jesus Cristo, Senhor deles e nosso: 3 graça a vós outros e paz, da parte de Deus, nosso Pai, e do Senhor Jesus Cristo. 4 Sempre dou graças a [meu] Deus a vosso respeito, a propósito da sua graça, que vos foi dada em Cristo Jesus;
30
5 porque, em tudo, fostes enriquecidos nele, em toda a palavra e em todo o conhecimento; 6 assim como o testemunho de Cristo tem sido confirmado em vós, 7 de maneira que não vos falte nenhum dom, aguardando vós a revelação de nosso Senhor Jesus Cristo, 8 o qual também vos confirmará até ao fim, para serdes irrepreensíveis no Dia de nosso Senhor Jesus Cristo. 9 Fiel é Deus, pelo qual fostes chamados à comunhão de seu Filho Jesus Cristo, nosso Senhor. 10 Rogo-vos, irmãos, pelo nome de nosso Senhor Jesus Cristo, que faleis todos a mesma coisa e que não haja entre vós divisões; antes, sejais inteiramente unidos, na mesma disposição mental e no mesmo parecer. 11 Pois a vosso respeito, meus irmãos, fui informado, pelos da casa de Cloe, de que há contendas entre vós. 12 Refiro-me ao fato de cada um de vós dizer: Eu sou de Paulo, e eu, de Apolo, e eu, de Cefas, e eu, de Cristo.
31
13 Acaso, Cristo está dividido? Foi Paulo crucificado em favor de vós ou fostes, porventura, batizados em nome de Paulo? 14 Dou graças [a Deus] porque a nenhum de vós batizei, exceto Crispo e Gaio; 15 para que ninguém diga que fostes batizados em meu nome. 16 Batizei também a casa de Estéfanas; além destes, não me lembro se batizei algum outro. 17 Porque não me enviou Cristo para batizar, mas para pregar o evangelho; não com sabedoria de palavra, para que se não anule a cruz de Cristo. 18 Certamente, a palavra da cruz é loucura para os que se perdem, mas para nós, que somos salvos, poder de Deus. 19 Pois está escrito: Destruirei a sabedoria dos sábios e aniquilarei a inteligência dos instruídos. 20 Onde está o sábio? Onde, o escriba? Onde, o inquiridor deste século? Porventura, não tornou Deus louca a sabedoria do mundo?
32
21 Visto como, na sabedoria de Deus, o mundo não o conheceu por sua própria sabedoria, aprouve a Deus salvar os que creem pela loucura da pregação. 22 Porque tanto os judeus pedem sinais, como os gregos buscam sabedoria; 23 mas nós pregamos a Cristo crucificado, escândalo para os judeus, loucura para os gentios; 24 mas para os que foram chamados, tanto judeus como gregos, pregamos a Cristo, poder de Deus e sabedoria de Deus. 25 Porque a loucura de Deus é mais sábia do que os homens; e a fraqueza de Deus é mais forte do que os homens. 26 Irmãos, reparai, pois, na vossa vocação; visto que não foram chamados muitos sábios segundo a carne, nem muitos poderosos, nem muitos de nobre nascimento; 27 pelo contrário, Deus escolheu as coisas loucas do mundo para envergonhar os sábios e escolheu as coisas fracas do mundo para envergonhar as fortes;
33
28 e Deus escolheu as coisas humildes do mundo, e as desprezadas, e aquelas que não são, para reduzir a nada as que são; 29 a fim de que ninguém se vanglorie na presença de Deus. 30 Mas vós sois dele, em Cristo Jesus, o qual se nos tornou, da parte de Deus, sabedoria, e justiça, e santificação, e redenção, 31 para que, como está escrito: Aquele que se gloria, glorie-se no Senhor.

Publicado no site: O Melhor da Web em 28/03/2019
Código do Texto: 139544
AQUI VOCÊ INTERAGE DIRETAMENTE COM O(a) AUTOR(a) DA OBRA! DEIXE UM COMENTÁRIO REFERENTE AO TEXTO! É FÁCIL, É LEGAL, VALE A PENA!
Caderno Comente esse Texto - Seja o primeiro a comentar!
Obras do(a) Autor(a):