Espaço Literário

O Melhor da Web

 

Parceria de Sucesso entre o site Poesias www.omelhordaweb.com.br e o www.efuturo.com.br
Confira. Adicione seus textos nele. O eFUTURO já começou.

Indicamos:Efuturo.com.br - Efuturo é uma Rede Social de Conhecimento, Ensino, Aprendizado Colaborativo, Jogos Educativos e Espaço Literário.


Busca por Autores (ordem alfabética)
Busca Geral:
Nome/login (Autor)
Título
Texto

PAULO FONTENELLE DE ARAUJO
Cadastrado desde: 06/03/2018

Texto mais recente: CURRÍCULO VITAE



Necessita estar logado! Adicionar como fã (necessita estar logado)
 
Recado
Contato

Conheça a Página de PAULO FONTENELLE DE ARAUJO , agora só falta você!
http://www.poesias.omelhordaweb.com.br/pagina_autor.php?cdEscritor=7367

 
Textos & Poesias || Contos
Imprimir - Impressora!
Imprimir
20 DE JANEIRO DE 1983
05/04/2019
Autor(a): PAULO FONTENELLE DE ARAUJO
VOTE!
TEXTO ELEITO
0
Após 100 votos, o Texto Eleito será exibido em uma página que irá reunir somente os mais votados.
Só é permitido um voto por Internauta por dia.
Achou o texto ótimo, VOTE! Participe!
ELEJA OS MELHORES TEXTOS DA WEB!
20 DE JANEIRO DE 1983

   Passo mal perto do almoço. Exatamente na hora, eu me recordo do meu teste fracassado no Flamengo durante a adolescência. Não foi igual ao Garrincha que    driblou várias vezes o Nilton Santos até o Nilton Santos pedir a contratação porque era melhor Garrincha ao lado do Botafogo do que contra.   

Eu me lembro então do cine-jornal “Canal 100”. O Canal 100 mostrava os gols do Brasil.    Um dia vi três gols do Garrincha no cine-jornal antes do filme “O incrível homem que encolheu”. A história falava de um homem atingido por uma nuvem radioativa, sendo encolhido até ficar do tamanho de uma bactéria... e quanto menor a vítima era reduzida pela radiação, quanto menor ficava... ele olhava para o céu e o céu continuava dentro da mesma distância.

Assistir aos gols de Garrincha e depois aquele filme pareceu-me um contrassenso, pois se alguém jamais diminuiria este alguém seria Mané Garrincha. O seu futebol não só o deixava imenso; transformava os adversários em bactérias de chuteiras.

Tomo seis comprimidos que nunca melhoram meus problemas de ausência. Eles são um pouco como as finais de campeonato depois da copa do mundo de 1970; um desconcerto diante do jogo que poderia marcar a final da história do futebol.

Por causa destas recordações termino deslumbrado em uma sala de troféus irreal, entre estrelas, comprimidos, medalhas, taças perdidas, bolas gigantescas e gols estranhos.

- Jairzinho contra a Itália na copa de 1970. A sua perna direita não chutou, mas no quase chute foi dela a autoria do terceiro gol do Brasil!

No final da tarde passo mal novamente. Alguns banhistas me veem questionando mendigos e gritando dentro de agências bancárias. Chamam a polícia quando estou perto do Hotel Copacabana Palace. A polícia me segura, depois chega meu irmão e vou parar na UTI do Hospital Miguel Couto. Durante todo o transporte tenho uma sensação de estar no meio de um grande estádio. Uma sensação que você perceberá quando estiver morto e faltar alguém para avisar: “É a sua morte, Marcos. Você morreu mas está tudo bem agora!”

Eu acordei antes da revelação desta morte. Estava com os dois pés e as duas mãos amarrados em uma cama de hospital repetindo frases futebolísticas. Não cheguei ao limite de responder aos avisos “Você está morto!” “Tua vida passou!”. Eu talvez perguntasse:    “ Porque demoraram tanto para me informar! Para onde eu vou agora? Temos algo a fazer, não é?    Participar de um “rachão” em um gramado de nuvens? Acho que me responderiam:
            -    Faça o que você quiser. O retorno é até possível, pois o sentido de tudo é a perfeição. Como voltar ao mundo no dia em que Garrincha morreu. Nascer outro jogador de futebol como Mané Garrincha no dia 20 de janeiro de 1983.

Trecho do livro: O AVESSO DA CAMISA SETE


Publicado no site: O Melhor da Web em 05/04/2019
Código do Texto: 139628
AQUI VOCÊ INTERAGE DIRETAMENTE COM O(a) AUTOR(a) DA OBRA! DEIXE UM COMENTÁRIO REFERENTE AO TEXTO! É FÁCIL, É LEGAL, VALE A PENA!
Caderno Comente esse Texto - Seja o primeiro a comentar!
Obras do(a) Autor(a):