Espaço Literário

O Melhor da Web

 

Parceria de Sucesso entre o site Poesias www.omelhordaweb.com.br e o www.efuturo.com.br
Confira. Adicione seus textos nele. O eFUTURO já começou.

Indicamos:Efuturo.com.br - Efuturo é uma Rede Social de Conhecimento, Ensino, Aprendizado Colaborativo, Jogos Educativos e Espaço Literário.


Busca por Autores (ordem alfabética)
Busca Geral:
Nome/login (Autor)
Título
Texto
kuryos - Silvio Dutra
Silvio Dutra
Cadastrado desde: 29/08/2012

Texto mais recente: Um Alerta aos Pecadores



Necessita estar logado! Adicionar como fã (necessita estar logado)
 
Recado
Contato

Conheça a Página de Silvio Dutra , agora só falta você!
http://www.poesias.omelhordaweb.com.br/pagina_autor.php?cdEscritor=6704

 
Textos & Poesias || Evangélicas
Imprimir - Impressora!
Imprimir
Julgamento Geral
05/11/2019
Autor(a): Silvio Dutra
VOTE!
TEXTO ELEITO
0
Após 100 votos, o Texto Eleito será exibido em uma página que irá reunir somente os mais votados.
Só é permitido um voto por Internauta por dia.
Achou o texto ótimo, VOTE! Participe!
ELEJA OS MELHORES TEXTOS DA WEB!
Julgamento Geral


Por Thomas Boston (1676-1732)


Traduzido, Adaptado e
Editado por Silvio Dutra



"31 Quando vier o Filho do Homem na sua majestade e todos os anjos com ele, então, se assentará no trono da sua glória;
32 e todas as nações serão reunidas em sua presença, e ele separará uns dos outros, como o pastor separa dos cabritos as ovelhas;
33 e porá as ovelhas à sua direita, mas os cabritos, à esquerda;
34 então, dirá o Rei aos que estiverem à sua direita: Vinde, benditos de meu Pai! Entrai na posse do reino que vos está preparado desde a fundação do mundo.” Mateus 25: 31-34
"41 Então, o Rei dirá também aos que estiverem à sua esquerda: Apartai-vos de mim, malditos, para o fogo eterno, preparado para o diabo e seus anjos.
42 Porque tive fome, e não me destes de comer; tive sede, e não me destes de beber;
43 sendo forasteiro, não me hospedastes; estando nu, não me vestistes; achando-me enfermo e preso, não fostes ver-me.
44 E eles lhe perguntarão: Senhor, quando foi que te vimos com fome, com sede, forasteiro, nu, enfermo ou preso e não te assistimos?
45 Então, lhes responderá: Em verdade vos digo que, sempre que o deixastes de fazer a um destes mais pequeninos, a mim o deixastes de fazer.
46 E irão estes para o castigo eterno, porém os justos, para a vida eterna." Mateus 25:41 - 46
O morto será levantado , e aqueles encontrados vivos na vinda do Juiz serão transformados, e então    ocorrerá o seguinte julgamento geral, claramente e solenemente descrito nesta porção da Escritura; em que tomaremos conhecimento das seguintes informações:
1. A vinda do juiz. "Quando o Filho do homem vier em Sua glória", etc. O juiz é Jesus Cristo, por cujo poder todo-poderoso, os mortos serão ressuscitados. Ele também é chamado de rei, no versículo 34, sendo o julgamento do mundo um ato do ofício real do mediador real. Ele virá em glória; glorioso em Sua própria pessoa, e tendo um séquito glorioso, de todos os santos anjos com Ele, para ministrar a Ele nesta grande solenidade.
2. A montagem do tribunal. Ele é um rei e, portanto, tem um trono, um trono glorioso: "Ele se assentará no trono em glória celestial", versículo 31.
3. A aparência das partes. Estas são - todas as nações; todos, pequenos e grandes, de qualquer nação, que já existiu, que existe ou que há de estar na face da terra. Todos serão reunidos diante dEle, convocados perante Seu tribunal.
4. A separação deles. Ele deve separar as ovelhas eleitas e reprovar as cabras, estabelecendo cada grupo por si. O piedoso Ele colocará em Sua mão direita, como o lugar mais honroso; os ímpios à esquerda, versículo 33.
5. A sentença das partes e que de acordo com suas obras; os justos sendo absolvidos e os iníquos condenados, versículo 34-41.
6. A execução de ambas as sentenças, no afastamento dos ímpios para o inferno e no transporte dos piedosos para o céu, versículo 46.
I. Doutrina. Haverá um julgamento geral. Esta doutrina, devo confirmar.
II. Explicação.
III. Aplicação
I. A CONFIRMAÇÃO desta grande verdade - que haverá um julgamento geral.
1. É evidente a partir de testemunhos claros das Escrituras. O mundo foi informado em todas as idades. Enoque, antes do dilúvio, o ensinou em sua profecia, relatada em Judas, versículo 14, 15: "Eis que o Senhor vem com dez mil de seus santos, para julgar a todos", etc. Daniel descreve, capítulo 7: 9, 10, "Continuei olhando, até que foram postos uns tronos, e o Ancião de Dias se assentou; sua veste era branca como a neve, e os cabelos da cabeça, como a pura lã; o seu trono eram chamas de fogo, e suas rodas eram fogo ardente. Um rio de fogo manava e saía de diante dele; milhares de milhares o serviam, e miríades de miríades estavam diante dele; assentou-se o tribunal, e se abriram os livros."
O apóstolo é muito expressivo, Atos 17:31, "Ele designou um dia, no qual julgará o mundo em retidão, por aquele homem a quem ele ordenou." Veja Mat 16:27 ; 2 Cor. 5:10 ; 2 Tes 1: 7-10 ; Apo 20: 11-15 . Deus não apenas disse isso, mas ele jurou, Romanos 14:10, 11 : "Pois todos compareceremos perante o tribunal de Deus. Como está escrito: Por minha vida, diz o Senhor, diante de mim se dobrará todo joelho, e toda língua dará louvores a Deus." Para que a verdade de Deus seja solenemente prometida por ela.
2. A perfeita justiça e bondade de Deus, o soberano do mundo, necessariamente o exigem, na medida em que exigem que ela esteja bem com os justos e doente com os iníquos. No entanto, muitas vezes vemos a iniquidade exaltada, enquanto a verdade e a justiça caem nas ruas; a piedade oprimida, enquanto profanação e irreligião triunfam. Isso é tão comum que todo aquele que sinceramente adota o caminho da santidade deve prestar contas com a perda de tudo o que tem, que o mundo pode lhe tirar, Lucas 14:26 "Se alguém vem a mim e não odeia seu pai, esposa, filhos, irmãos e irmãs, sim, e também sua própria vida, ele não pode ser meu discípulo." Mas é inconsistente com a justiça e a bondade de Deus que os assuntos dos homens sempre continuem no estado em que aparecem, de uma geração para outra; e que todo homem não deve ser recompensado de acordo com suas obras: e como isso não é feito nesta vida, deve haver um julgamento por vir; "se, de fato, é justo para com Deus que ele dê em paga tribulação aos que vos atribulam e a vós outros, que sois atribulados, alívio juntamente conosco, quando do céu se manifestar o Senhor Jesus com os anjos do seu poder," 2 Tes 1: 6 , 7. Haverá um dia em que as mesas serão viradas; e os iníquos serão chamados a prestar contas de todos os seus pecados, e sofrerão o devido castigo deles; e os piedosos serão prósperos, pois, como o apóstolo defende a feliz ressurreição dos santos: "Se nesta vida somente temos esperança em Cristo, somos de todos os homens os mais miseráveis" 1 Coríntios. 15:19.
É verdade que Deus às vezes castiga os iníquos nesta vida: para que os homens saibam: "Ele é um Deus que julga na Terra"; mas, ainda assim, muita iniquidade permanece impune e não descoberta, para ser uma promessa do julgamento vindouro. Se nenhum dos ímpios fosse punido aqui, eles concluiriam que Deus havia abandonado completamente a Terra; se todos eles fossem punidos nesta vida, os homens poderiam pensar que não haveria depois o acerto de contas. Portanto, na sabedoria de Deus, alguns são punidos agora, e outros não. Às vezes o Senhor fere os pecadores, no próprio ato do pecado; para mostrar ao mundo que ele é testemunha de todas as suas iniquidades, e os chamará para prestar contas por isso. Às vezes, demora muito antes de atacar, para revelar ao mundo que não esquece as más ações dos homens, embora ele não os castigue imediatamente. Além de tudo isso, os pecados de muitos sobrevivem; e a fonte impura aberta por eles corre muito tempo depois de mortos. Como no caso de Jeroboão, o primeiro rei das dez tribos, cujo pecado durou até o fim daquele reino infeliz, 2 Reis 17:22 , 23 : "Os filhos de Israel andaram em todos os pecados de Jeroboão, o que ele fez; não se apartaram deles; até que o Senhor tirou Israel da sua vista".
3. A ressurreição de Cristo é uma prova certa de que haverá um dia de julgamento. Este argumento que Paulo usa para convencer os atenienses de que Jesus Cristo será o juiz do mundo: "O que", diz ele, "ele deu garantia a todos os homens, na medida em que o ressuscitou dentre os mortos", Atos 17: 38 . O juiz já está nomeado, sua patente escrita e selada, sim, e lida diante de todos os homens, ao ressuscitar dos mortos. Por meio disso, Deus deu certeza disso: ao ressuscitar Cristo dentre os mortos, ele exibiu suas credenciais como Juiz do mundo. Quando, nos dias de sua humilhação, ele foi citado perante um tribunal, processado, acusado e condenado por homens; ele claramente lhes disse sobre esse julgamento, Mat 26:64 : "A partir de agora você verá o Filho do homem sentado à direita do poder e vindo nas nuvens do céu." E agora que ele ressuscitou dos mortos, embora condenado como um blasfemador nesta mesma cabeça, não é uma prova inegável, do céu, da verdade do que ele afirmou? Além disso, esse foi um dos grandes fins da morte e ressurreição de Cristo: "Pois, para esse fim, Cristo morreu e ressuscitou e ressuscitou, para que pudesse ser o Senhor", isto é, "o Senhor Juiz", como é evidente do contexto, "tanto dos mortos quanto dos vivos", Romanos 14: 9 .
4. Todo homem presta testemunho disso em seu próprio seio , Romanos 2:15., "Que mostram o trabalho da lei escrito em seus corações, suas consciências também testemunham e seus pensamentos acusam enquanto isso, ou desculpam-se mutuamente". Existe um tribunal erguido dentro de todo homem, em que a consciência é acusadora, testemunha e juiz, vinculando o pecador ao julgamento de Deus. Isso enche os mais devassos de horror e os pica interiormente, mediante o cometimento de algum crime atroz; com efeito, convocando-os a responder por isso, perante o juiz dos vivos e dos mortos. E assim acontece, mesmo quando o crime é secreto e oculto aos olhos do mundo. Atinge aqueles a quem as leis dos homens não podem alcançar, por causa de seu poder ou astúcia. Os homens fugiram do julgamento de seus semelhantes; ainda que vão aonde eles vão, a consciência como oficial do juiz supremo, ainda os mantém, reservando-os em suas cadeias, para o julgamento do grande dia. E se eles escapam do castigo dos homens ou caem pela mão da justiça pública, quando percebem a abordagem da morte, ouvem de dentro disso, depois de calcular; sendo constrangidos a ouvi-lo, nesses minutos mais graves de suas vidas.
Se existem alguns, nos quais nada disso aparece, não temos mais base para concluir contra isso, do que temos que concluir que, porque alguns homens não gemem, não sentem dor; ou que morrer é uma mera brincadeira, porque houve quem parecesse fazer pouco disso. Uma boa face pode ser colocada em uma má consciência; quanto mais desesperador é o caso dos homens, eles consideram mais seu interesse não refletir sobre seu estado e caso. Mas todo mundo que se consultar seriamente, encontrará em si mesmo a testemunha do julgamento vindouro. Até os pagãos tinham noção disso, embora misturados com ficções próprias. Portanto, embora alguns dos atenienses "quando ouviram falar da ressurreição dos mortos, zombaram", ainda assim não há relato de sua zombaria, Atos 17:31 , 32.
II. A explicação dessa grande verdade - que deve haver um julgamento geral. Para explicação, os seguintes detalhes podem servir para dar uma visão das transações daquele grande dia.
1. Deus julgará o mundo por Jesus Cristo. "Ele julgará o mundo em justiça por aquele homem a quem ele ordenou", Atos 17:31 . O salmista nos diz que Deus é o próprio juiz, Salmo 50: 6. A Santíssima Trindade - Pai, Filho e Espírito Santo - é Juiz, no que diz respeito à autoridade judicial, domínio e poder: mas o Filho encarnado é o Juiz, no que diz respeito à dispensação e exercício especial desse poder. A sentença será exercida ou executada por ele como mediador real; pois ele delegou poder de julgamento do Pai, como seu servo, "seu rei", a quem ele "estabeleceu no seu monte santo de Sião", Salmo 2: 6 , e a quem ele "cometeu todo julgamento". João 5:22. Isso faz parte da exaltação do mediador, dada a ele por sua humilhação voluntária, Fp 2: 8-10: " a si mesmo se humilhou, tornando-se obediente até à morte e morte de cruz. Pelo que também Deus o exaltou sobremaneira e lhe deu o nome que está acima de todo nome, para que ao nome de Jesus se dobre todo joelho, nos céus, na terra e debaixo da terra,". Isso é explicado pelo próprio apóstolo, de "estar diante do tribunal de Cristo", Romanos 14:10 , 11 . Assim, aquele que foi julgado e condenado por homens será o juiz de homens e anjos.
2. Jesus Cristo, o juiz, descendo do céu. 1 Tes. 4:16 , 17 , "Ele virá nas nuvens do céu, com poder e grande glória", Mat 24:30. Esta sua vinda será uma grande surpresa para o mundo, que será encontrado em profunda segurança carnal; virgens tolas dormindo e os sábios adormecidos. Haverá muito luxo e deboche no mundo, pouca sobriedade e vigilância; uma grande multidão de negócios, mas uma grande escassez de fé e santidade. "Assim como foi nos dias de Noé, assim também será nos dias do Filho do Homem. As pessoas estavam comendo, bebendo, casando e sendo dadas em casamento até o dia em que Noé entrou na arca. Então veio o dilúvio. e destruiu todos eles.” Foi o mesmo nos dias de Ló. As pessoas estavam comendo e bebendo, comprando e vendendo, plantando e construindo. Mas no dia em que Ló deixou Sodoma, fogo e enxofre choveram do céu e destruíram todos eles. seja assim no dia em que o Filho do Homem for revelado." Lucas 17: 26-30
A vinda do juiz surpreenderá alguns nos mercados, comprando e vendendo; outros à mesa, comendo, bebendo e se divertindo; outros ocupados com suas novas plantações; alguns construindo casas novas; não, o dia do casamento de alguns será o seu e o dia do julgamento do mundo. Mas o juiz vem! Os mercados estão estragados; o comprador joga fora o que comprou; o vendedor lança seu dinheiro; eles são levantados da mesa e sua alegria se apaga em um momento; embora a árvore seja posta na terra, o jardineiro não pode ficar para lançar a terra sobre ela; os operários jogam fora suas ferramentas, quando a casa está meio construída, e o dono não a considera mais; o noivo, a noiva e os convidados devem sair do dia do casamento e comparecer perante o tribunal; pois "Eis que ele vem com as nuvens”, Apo 1: 7 .
Ele virá da maneira mais gloriosa ; pois ele "virá na glória de seu Pai, com os santos anjos", Marcos 8:38 . Quando ele veio em carne e morreu pelos pecadores, deixou de lado as vestes de sua glória e foi desprezado e rejeitado pelos homens; mas, quando voltar, para julgar o mundo, tal será sua glória e majestade visíveis, que lançará um véu eterno sobre toda a glória terrena e encherá seus maiores inimigos de medo e pavor. Nunca houve príncipe e potentado no mundo um trem tão glorioso, como acompanhará este juiz: todos os santos anjos virão com ele, por sua honra e serviço. Então Ele, que foi levado à cruz com um bando de soldados, será gloriosamente atendido no local do julgamento, não apenas por uma multidão    dos anjos celestiais, mas por "todos os seus santos anjos", diz o texto.
3. Na chegada do juiz, a convocação é dada às partes pelo som da última trombeta; em que os mortos ressuscitam e os que são encontrados vivos são mudados; veja 1 Tes 4:16, 17. Oh trombeta alta, que será ouvida ao mesmo tempo, em todos os cantos da terra e do mar! Ó voz maravilhosa, que não só perturbará aqueles que dormem no pó, mas efetivamente acorda, os desperta do sono e os ressuscita da morte! Agora soavam trombetas, tambores batendo, soldados furiosos chorando e matando homens, mulheres e crianças correndo e berrando, os feridos gemendo e morrendo; aqueles que estão nas sepulturas não teriam mais distúrbios do que se o mundo estivesse em paz mais profunda. Sim, eram ventos tempestuosos lançando os carvalhos elevados, os mares rugindo e engolindo os navios, os mais terríveis trovões percorrendo os céus, relâmpagos por toda parte piscando, a terra tremendo, abrindo e engolindo cidades inteiras, e enterrando multidões de uma só vez; os mortos ainda desfrutariam de um repouso perfeito e dormiam profundamente no pó, embora seu próprio pó devesse ser jogado fora de seu lugar. Mas ao som dessa trombeta, todos eles acordarão. Chegou a manhã, eles não podem mais dormir; o tempo para os mortos serem julgados; eles devem sair de suas sepulturas e comparecer perante o Juiz.
4. O juiz sentará no tribunal; ele se sentará no trono de sua glória. Ele esteve diante de um tribunal na terra e foi condenado como um malfeitor: agora ele deve se sentar em seu próprio tribunal e julgar o mundo. Certa vez, ele ficou pendurado na cruz, coberto de vergonha; agora ele se sentará em um trono de glória. O que será esse trono, seja uma nuvem brilhante, ou o que mais, não perguntarei. Nossos olhos responderão a essa pergunta longamente. João "viu um grande trono branco", Apo 20:11. "Seu trono", diz Daniel, "era como a chama ardente, e suas rodas como fogo ardente", cap. 7: 9. Seja o que for, sem dúvida será um trono glorioso além da expressão; e em comparação com o qual, o trono mais glorioso da terra é apenas um assento em um esterco; e vê-lo surpreenderá igualmente reis que se sentaram nos tronos nesta vida e mendigos que se sentaram em montes de pedras. Será um trono, por imponência e glória, adequado à qualidade daquele que nele se sentar. Nunca houve um juiz com um trono, e nunca houve um trono com um juiz.
Deixando a descoberta da natureza do trono até aquele dia, é mais preocupante considerarmos    que um JUIZ sentará ; um ponto em que não somos deixados a conjecturas incertas. O juiz do trono será,
(1) Um juiz visível aos nossos olhos corporais , Apo 1: 7: "Todo olho o verá". Quando Deus deu a lei no monte Sinai, o povo "não viu aparência alguma, apenas ouviu uma voz", mas quando ele chama o mundo a uma conta de como eles observavam sua lei, o homem Cristo sendo juiz, veremos nosso juiz com nossa olhos, para o nosso conforto eterno, ou para a nossa eterna confusão, de acordo com o tratamento que lhe damos agora. Aquele mesmo corpo que foi crucificado fora dos portões de Jerusalém, entre dois ladrões, será então visto no trono, brilhando em glória. Nós agora o vemos simbolicamente, no sacramento de sua ceia; os santos o veem pelos olhos da fé; então todos o verão com aqueles olhos agora em suas cabeças.
(2) Um juiz com plena autoridade e poder para dar a todos de acordo com suas obras, Cristo, como Deus, tem autoridade sobre si mesmo; e como Mediador, ele tem poder e autoridade judiciais, com os quais o Pai o investiu, de acordo com o pacto entre o Pai e o Filho para a redenção dos pecadores. Sua glória divina será leve, pela qual todos os homens verão claramente a sua comissão para este grande e honrado emprego. "Todo poder é dado a ele no céu e na terra", Mat 28:18 . Ele tem "as chaves do inferno e da morte", Apo 1:18. Não pode haver apelo a seu tribunal: a sentença, uma vez proferida ali, deve permanecer para sempre; não há como revertê-la. Todos os recursos são de um tribunal inferior a um superior: mas quando Deus dá sentença contra um homem, onde ele pode encontrar um tribunal superior para levar seu processo? Este julgamento é o julgamento do Mediador e, portanto, o último julgamento. Se o intercessor estiver contra nós, quem pode ser por nós? Se Cristo nos condena, quem nos absolverá?
(3.) Um juiz de infinita SABEDORIA. Seus olhos irão penetrar e discernir claramente os casos mais complexos. Sua onisciência o qualifica para julgar os pensamentos mais ocultos, assim como as palavras e obras. O pecador mais sutil não poderá enganá-lo, nem, por qualquer manobra astuta, minimizar o crime. Ele é o buscador de corações, para quem nada pode ser oculto; mas todas as coisas estão nuas e abertas aos seus olhos, Heb 4:13.
(4) Um juiz MUITO JUSTO ; um juiz de perfeita integridade. Ele é o juiz justo, 2 Tim. 4: 8, e seu trono, um grande trono branco, Apo 20:11, de onde nenhum julgamento deve sair, senão o que é puro e imaculado. Os tebanos pintaram a justiça às cegas e sem mãos; porque os juízes não devem respeitar as pessoas, nem aceitar subornos. Os areopagitas julgaram no escuro; para que não considerassem quem falou, mas o que foi falado. Com o juiz em seu trono, não haverá respeito pelas pessoas; ele não considerará os ricos, nem os pobres; mas o justo julgamento será divulgado, na causa de todos.
(5.) Um juiz onipotente, capaz de colocar sua sentença em execução. A força unida de demônios e homens maus será completamente incapaz de resistir a ele. Eles não podem retardar a execução da sentença contra eles nem um momento; muito menos eles podem parar completamente. "Milhares de anjos ministram para ele", Dan 7:10 . E, pela respiração da boca, ele pode dirigir o rebanho amaldiçoado onde quiser.
5. As PARTES aparecerão. Estes são homens e demônios. Embora os anjos caídos tenham sido, desde o primeiro momento de seu pecado, submetidos à ira de Deus, e tenham sido lançados no inferno, e aonde quer que vão eles carregam consigo o inferno; no entanto, é evidente que eles são reservados para o julgamento, 2 Pedro 2: 4, a saber, para o julgamento do grande dia, Judas, versículo 6. Então eles serão solenemente e publicamente julgados, 1 Coríntios. 6: 3, "Você não sabe que julgaremos os anjos?" Naquele dia, eles responderão pelo seu ofício de pecar e tentados a pecar, que têm praticado desde o princípio. E eles receberão a devida recompensa por toda a desonra que fizeram a Deus e por toda a maldade que fizeram aos homens. Aqueles espíritos iníquos agora acorrentados, embora não sob custódia, mas que andam como leões que rugem, buscando a quem devorar, receberão sua sentença final e serão encerrados em sua cova na prisão; onde serão mantidos em tormento extremo e indizível, por toda a eternidade, Apo 20:10 "E o diabo que os enganou, foi lançado no lago de fogo e enxofre, onde estão a besta e o falso profeta, e serão atormentados dia e noite para todo o sempre." Em perspectiva disso, os demônios disseram a Cristo: "Você veio aqui para nos atormentar antes do tempo?" Mateus 8:29.
Mas o que nos preocupa principalmente em prestar atenção é o caso dos homens naquele dia. Todos os homens devem comparecer perante este tribunal. Todo gênero, idade, qualidade e condição; os grandes e pequenos, nobres e ignóbeis; nenhum é excetuado. Adão e Eva, com todos os seus filhos e filhas, todos os que tiveram - ou, até o fim do mundo, terão - uma alma viva unida a um corpo, formarão essa grande congregação. Mesmo aqueles que se recusaram a chegar ao trono da graça serão forçados ao tribunal da justiça: pois não há como se esconder do juiz que tudo vê, nem fugir daquele que está presente em todos os lugares, nem resistir àquele que está armado. com poder onipotente: "Todos devemos estar diante do tribunal de Cristo", 2 Cor 5:10. "Diante dele serão reunidas todas as nações", diz o texto. Isso deve ser feito pelo ministério dos anjos. Por eles serão reunidos os eleitos, Marcos 13:27: "Então ele enviará seus anjos, e reunirá seus eleitos dos quatro ventos". E eles também reunirão os réprobos: "Como as ervas daninhas são arrancadas e queimadas no fogo, assim será no fim dos tempos. O Filho do homem enviará seus anjos, e eles removerão do seu reino. tudo o que causa pecado e todos os que praticam o mal. Eles os jogarão na fornalha ardente, onde haverá choro e ranger de dentes". Mateus 13: 40-42. De todos os cantos do mundo os seus habitantes serão reunidos no lugar em que ele estabelecerá seu trono para julgamento.
6. Haverá uma SEPARAÇÃO entre os justos e os iníquos ; as ovelhas eleitas são colocadas na mão direita de Cristo e as cabras réprobas à sua esquerda. Não há necessidade de esperar por essa separação, até que o julgamento termine; uma vez que as partes se levantarão de seus túmulos com distintas marcas externas de distinção, como mencionado anteriormente. A separação parece ser efetuada por essa dupla reunião, antes mencionada; a dos eleitos, Marcos 13: 2, a outra dos que praticam a iniquidade, Mat 13:41 . Os eleitos "arrebatados juntos nas nuvens, encontram o Senhor no ar", 1 Tes 4:17, e assim estão colocadas à sua mão direita; e os réprobos deixados na terra são colocados à mão esquerda do juiz.
Aqui está agora uma separação total de duas partes, que sempre foram opostas entre si em seus princípios, objetivos e modo de vida; que, quando juntos, eram um fardo, um para o outro, sob o qual um gemeu e o outro se enfureceu; mas agora estão finalmente separados, para nunca mais se unirem. Os justos e iníquos, como o ferro e o barro, que nunca poderiam se misturar (ver Daniel 2: 41-43 ), são bastante separados: aquele que é atraído ao ar pela virtude atraente da "pedra cortada da montanha", a saber, Jesus Cristo; e o outro deixado sobre a terra, para ser pisado.
Agora, olhemos para as ovelhas eleitas à direita , e lá veremos uma gloriosa companhia de santos brilhando, como tantas estrelas em seus orbes; e com um semblante alegre contemplando Aquele que se assenta no trono. Aqui estarão duas vistas maravilhosas que o mundo nunca viu.
(1) Uma grande congregação de santos, na qual não haverá nem um hipócrita. Havia um Caim sanguinário na família de Adão; um Cão amaldiçoado na família de Noé, na arca; um Judas traiçoeiro na própria família de Cristo: mas nessa companhia não haverá senão os selados, membros de Cristo, tendo todos um Pai. Esta é uma visão reservada para esse dia.
(2.) Todos os piedosos de um lado. Raramente ou nunca os santos da terra têm tal harmonia, pois há algumas cordas dissonantes entre eles. Não é de se esperar que os homens que veem, senão em parte, embora todos estejam indo para uma cidade, concordem com cada passo no caminho: não, não devemos procurá-lo, neste estado de imperfeição. Mas naquele dia, Paulo e Barnabé se encontrarão em paz e união, embora uma vez "a disputa tenha sido tão acentuada entre eles, que eles se afastaram, um do outro", Atos 15:39. Não haverá mais divisões, nem posição separada entre os que pertenceram a Cristo. Todos os santos, das diferentes partes, estarão então de um lado; vendo, quaisquer que fossem suas diferenças em coisas menores, enquanto no mundo, ainda assim, eles se encontraram e se reuniram em um único Senhor Jesus Cristo, por uma fé verdadeira e viva, e no único caminho de santidade ou piedade prática. E hipócritas vis, de qualquer parte, serão levados adiante com os que praticam a iniquidade.
Olhe para a mão esquerda e ali você verá os bodes amaldiçoados, todos os iníquos, de Caim até a última pessoa ímpia que estará no mundo, reunidos em uma congregação muito miserável. Existem muitas assembleias dos ímpios agora; então haverá apenas uma. Mas todos eles estarão presentes lá, reunidos, como um rebanho para o matadouro, berrando e rugindo, chorando e uivando, pois as misérias vêm e estão chegando sobre eles. E lembre-se, você não será um mero espectador, olhando para essas duas assembleias tão diferentes; mas você deve tomar seu lugar em uma das duas e compartilhar com uma delas, qualquer que seja a mão. Aqueles que agora não abominam mais uma sociedade do que a dos santos, ficariam felizes em poder entrar entre eles, embora fosse apenas repousar a seus pés. Mas então nem uma tara será encontrada com o trigo; Ele limpará completamente o chão. Muitos dos homens da mão direita deste mundo serão homens da esquerda naquele dia. Muitos, que devem ter a porta à direita daqueles que são melhores que eles, se os justos são mais excelentes que o próximo, serão então virados para a esquerda, como os mais desprezíveis desgraçados!
Oh, quão terrível será essa separação para os ímpios! Quão terrível será isso reuni-los em uma única sociedade! No que eles não acreditarão, verão então, a saber, que poucos são salvos. Eles acham que agora é o suficiente se parecer com um vizinho e podem seguir com segurança a multidão: mas a multidão na mão esquerda não lhes dará conforto. Como isso vai atormentar o ímpio frequentador de igreja, ver-se colocado na mesma mão com turcos e pagãos! Como irritará os protestantes profanos, ficar com papistas idólatras;    com seus vizinhos profanos, que zombavam de exercícios religiosos; professantes formais, estranhos ao novo nascimento e poder da piedade, com perseguidores!
Agora, existem muitas sociedades opostas no mundo; mas então todos os ímpios estarão em uma sociedade. E quão terríveis serão os rostos dos companheiros em pecado um para o outro lá! Que gritos tristes, quando os bêbados, que passaram muitos dias juntos, se verão cara a cara; quando marido e mulher, pais e filhos, senhores e servos e vizinhos, que foram armadilhas e obstáculos para a ruína de suas próprias almas e de seus parentes, se encontrarão novamente naquela sociedade miserável! Então haverá maldições em vez de cumprimentos; e se enfurecendo um contra o outro, em vez de seus abraços habituais.
7. As partes serão julgadas. O julgamento não pode ser difícil, pois o juiz é onisciente e nada pode ser oculto a ele. Mas, para que seu julgamento justo seja evidente a todos, ele colocará as coisas ocultas das trevas sob a luz mais clara naquele julgamento, 1 Coríntios. 4: 5 . Homens serão provados,
(1.) Sobre suas obras ; pois "Deus julgará toda obra, com toda coisa secreta, seja boa ou má", Ec 12:14. O juiz provará a vida de todos os homens e colocará suas ações no corpo, com todas as circunstâncias, sob uma verdadeira luz. Então, muitas ações, elogiadas e aplaudidas pelos homens, boas e justas, serão descobertas como más e abomináveis aos olhos de Deus; e muitas obras, agora condenadas pelo mundo, serão aprovadas e elogiadas pelo grande juiz, como boas e justas. Coisas secretas serão trazidas à luz; e o que foi escondido da visão do mundo será aberto. A maldade, que foi mantida oculta e secreta, apesar de toda busca humana, será então levada à glória de Deus e à confusão dos pecadores impenitentes que a ocultaram. O mundo parece agora muito vil aos olhos daqueles que são exercitados à piedade; e então parecerá mil vezes mais vil, quando o que for feito dos homens em segredo for descoberto. Toda boa ação será então lembrada; e a piedade oculta e as boas obras, mais diligentemente escondidas pelos santos dos olhos dos homens, não mais se ocultarão; pois, embora o Senhor não permita que os homens proclamem a todos a sua própria bondade, ele mesmo o fará no devido tempo .
(2.) Suas PALAVRAS serão julgadas , Mat 12:37 , "Porque, pelas tuas palavras, serás justificado e, pelas tuas palavras, serás condenado."
Nenhuma palavra dita por Deus e sua causa no mundo, do amor a si mesmo, será esquecida. Todas elas são mantidas em lembrança e devem ser apresentadas como evidências de fé e de interesse em Cristo. Mal 3:16 , 17: "Então, os que temiam ao SENHOR falavam uns aos outros; o SENHOR atentava e ouvia; havia um memorial escrito diante dele para os que temem ao SENHOR e para os que se lembram do seu nome. Eles serão para mim particular tesouro, naquele dia que prepararei, diz o SENHOR dos Exércitos; poupá-los-ei como um homem poupa a seu filho que o serve." A língua, que correu aleatoriamente, confessará então a Deus; e o orador achará que foi seguido, e toda palavra notada que caiu dos lábios não santificados. "Toda palavra ociosa que os homens falarem, darão conta dela no dia do julgamento", Mat 12:36. E se eles prestarem contas de palavras ociosas, isto é, palavras proferidas sem bom propósito, nem para a glória de Deus, nem para a própria nem para o bem do próximo; quanto mais as palavras perversas dos homens, seus juramentos pecaminosos, maldições, mentiras, comunicações sujas e palavras amargas serão convocadas novamente naquele dia! As línguas de muitos cairão sobre si mesmos e os arruinarão.
3. Os PENSAMENTOS DOS HOMENS serão levados a julgamento : o juiz tornará manifesto os conselhos dos corações, 1 Coríntios. 4: 5. Os pensamentos se libertam do julgamento do homem, mas não do julgamento do Deus que perscruta o coração, que conhece os pensamentos dos homens, sem a ajuda de sinais para discerni-los. As fontes secretas das ações dos homens serão trazidas à luz; e os pecados, que nunca foram além do coração, serão então abertos. Oh, que imagem a natureza corrupta do homem apresentará quando seus pensamentos mais íntimos forem revelados e todas as suas impurezas especulativas forem expostas! A podridão que está dentro de um sepulcro caído, a imundície e devassidão especulativa, assassinato e malignidade, agora à espreita nos corações dos homens, como nas câmaras de imagens, serão então reveladas, e que bem havia nos corações de qualquer pessoa? Não há mais mentiras ocultas.
Este julgamento será justo e imparcial, preciso e perspicaz , claro e evidente . O juiz é o juiz justo, e ele fará o que é certo para todos. Ele tem uma balança justa para ações boas e más, e para corações honestos e falsos.
A cobertura da hipocrisia em folha de figueira será então jogada de lado e a nudez do hipócrita aparecerá; como quando o Senhor veio julgar Adão e Eva "no frio", ou, como é a palavra, "na viração do dia", Gn 3: 8 . "O fogo", que prova as coisas de maneira mais requintada, "provará a obra de todo homem, de que tipo é" 1 Cor. 3:13. O julgamento do homem é frequentemente confuso: mas aqui todo o processo deve ser claro e evidente, como está escrito com um raio de sol. Deve ficar claro para o juiz, a quem nenhum caso pode ser complicado; às partes, que serão convencidas, Judas, versículo 15. E as multidões de ambos os lados verão que o juiz é claro quando julga; pois então "os céus declararão sua justiça", na audiência de todo o mundo; e assim será universalmente conhecido, Salmo 50: 6.
Por esses relatos, é que esse julgamento é realizado nas Escrituras, sob a noção de "abertura de livros"; e diz-se que os homens são "julgados pelas coisas escritas nos livros", Apo 20:12 . O juiz do mundo, que sabe infalivelmente todas as coisas, não precisa de livros que lhe sejam apresentados, para evitar erros em qualquer ponto da lei ou fato; mas a expressão aponta para seus procedimentos como a mais clara, precisa, justa e bem fundamentada, em todas as etapas. Agora, existem QUATRO LIVROS que serão abertos naquele dia.
(1.) O livro da lembrança de Deus, ou onisciência , Mal 3:16. Este é um registro exato do estado, pensamentos, palavras e ações de todo homem, bom ou mau: é, por assim dizer, uma contabilidade, na qual o Senhor coloca tudo o que passa no coração, nos lábios e na vida dos homens; e é um acerto de contas todos os dias que se vive. Nele estão registrados os pecados e as boas obras dos homens, secretos e abertos, com todas as suas circunstâncias. Aqui estão registrados todos os seus privilégios, misericórdias temporais e espirituais, muitas vezes preparadas para suas mãos; as verificações, advertências e repreensões, dadas por professores, vizinhos, aflições e consciências dos homens; tudo na sua devida ordem. Este livro servirá apenas como uma acusação, em relação aos ímpios; mas será para outro uso em relação aos piedosos, a saber, para um memorial do bem deles. A abertura do processo é trazer à luz o que está escrito nele; a leitura, por assim dizer, da conta e do memorial, respectivamente, em sua audiência.
(2.) O livro da CONSCIÊNCIA será aberto, que será como um milhar de testemunhas para provar o fato, Romanos 2:15 : "Que mostram a obra da lei escrita em seus corações, sua consciência também testemunhando". A consciência é um censor que acompanha todo homem aonde quer que vá, levando em consideração suas ações realizadas no corpo e, por assim dizer, anotando-as em um livro. Muito está escrito nele, que não pode ser lido agora; a escrita da consciência é, em muitos casos, semelhante à que é feita com o suco de limão, para não ser lida até que seja realizada diante do fogo; mas então os homens lerão clara e distintamente: o fogo que deve provar a obra de todo homem tornará legível o livro da consciência em todos os aspectos.
Embora o livro esteja selado agora, a consciência cega, muda e surda, os selos serão quebrados e o livro aberto. Não haverá mais uma consciência silenciosa, e muito menos uma consciência cauterizada, entre toda a tripulação ímpia; mas sua consciência será a mais viva e mais animada naquele dia. Ninguém então chamará bem de mal ou mal de bem. A ignorância do que é o pecado e do que são as coisas pecaminosas não terá lugar entre eles: e os sutis raciocínios dos homens, em favor de suas concupiscências, serão para sempre confundidos com sua própria consciência. Ninguém terá o favor, se assim posso dizer, de estar sob a capa macia da ilusão; mas todos serão condenados por sua consciência. Queiram ou não, eles devem olhar para este livro, ler, ficar confusos e ficar sem palavras, sabendo que nada lhes é cobrado por engano; já que este é um livro que estava sempre sob sua custódia. Assim o juiz fará todo homem se ver no espelho de sua própria consciência.
(3) O livro da LEI será aberto. Este livro é o padrão e a regra, pela qual se sabe o que é certo e o que é errado; como também, que sentença deve ser proferida de acordo com aqueles que estão sob ela. Quanto à abertura deste livro, em um estatuto, que mostra o que é pecado e o que é dever; concorda com a abertura do livro da consciência. Pois a consciência é estabelecida, pelo legislador soberano, no seio de todo homem, como seu professor particular, para lhe mostrar a lei; e seu pastor particular, para fazer a aplicação do mesmo: e naquele dia, será perfeitamente adequado para seu cargo; para que a consciência, que agora é mais estúpida, leia para o homem palestras mais precisas, mas terríveis, sobre a lei.
Mas o que parece apontado principalmente pela abertura deste livro, é a abertura daquela parte que determina a recompensa das obras dos homens. Agora, a lei promete vida, com perfeita obediência: mas não se encontra nada à direita ou à esquerda, que pretenderá isso quando abrir o livro da consciência. Ameaça a morte por desobediência e efetivamente a colocará sobre todos sob seu domínio. E esta parte do livro da lei, determinando a recompensa das obras dos homens, é aberta, apenas para mostrar qual deve ser a porção dos ímpios, e para que eles possam ler sua sentença antes que seja pronunciada.
Mas não será aberto para a sentença dos santos; pois nenhuma sentença que absolva um pecador jamais poderia ser tirada dela. A lei promete a vida, não como uma regra de ações, mas como uma aliança de obras; portanto, o homem inocente não poderia ter exigido vida sob sua obediência, até que a lei fosse reduzida na forma de um pacto; como foi mostrado antes. Mas os santos, tendo sido, nesta vida, trazidos sob uma nova aliança, a aliança da graça, estavam mortos para a lei como um pacto de obras, e ela estava morta para eles. Portanto, como agora eles não terão mais medo da morte; para que eles não possam ter esperança de vida, uma vez que "eles não estão debaixo da lei, mas debaixo da graça", Romanos 6:14 . Mas, para a sentença deles, "outro livro é aberto".
Assim, o livro da lei é aberto, para a sentença contra todos os que estão à esquerda: e com isso eles verão claramente a justiça do julgamento contra eles, e como o juiz procederá de acordo com a lei. No entanto, haverá essa diferença, a saber, que aqueles que tinham apenas a lei natural e que não viviam sob nenhuma revelação especial serão julgados pela lei da natureza que tinham em seus corações; que a lei declara "que aqueles que cometem tais coisas", como serão condenados, "são dignos da morte", Romanos 1:32 . Mas aqueles que tinham a lei escrita, a quem a palavra de Deus veio, soando na igreja visível, serão julgados por essa lei escrita. Assim diz o apóstolo, Romanos 2:12 "Porque todos os que pecaram sem a lei" escrita "também perecerão sem a lei" escrita; e “todos os que pecaram na lei", isto é, nos termos da lei escrita, também serão julgados pela lei    "escrita".
(4.) "Outro livro" será aberto, “que é o livro da VIDA”, Apo 20:12 . Neste estão escritos os nomes de todos os eleitos, como Cristo disse aos seus discípulos, Lucas 10:20, "Seus nomes estão escritos no céu." Este livro contém o propósito gracioso e imutável de Deus, de trazer todos os eleitos para a vida eterna; e que, para isso, eles serão redimidos pelo sangue de seu Filho, efetivamente chamado, justificado, adotado, santificado e ressuscitado por ele no último dia sem pecado. Agora está apresentado na mão do Mediador, como o livro da "maneira do reino"; e tendo aperfeiçoado a obra que o Pai lhe deu para realizar, ele deverá, no grande dia, produzir e abrir o livro e apresentar as pessoas ali denominadas "sem defeito diante da presença de sua glória", Judas, versículo 24; "não tendo mancha, ou rugas, ou qualquer coisa assim", Ef 5:27. Nenhum dos que estão mencionados no livro estará ausente. Serão considerados qualificados de acordo com a ordem do livro, redimidos, chamados, justificados, santificados, levantados, sem mancha: o que resta então, que de acordo com o mesmo livro, eles obtenham o grande fim, a saber, a vida eterna? Isso pode ser obtido a partir dessa preciosa promessa, Apo 3: 5 "Aquele que vencer, será vestido com roupas brancas", ressuscitando em glória; "e não apagarei o nome dele do livro da vida, mas confessarei o seu nome e diante de meu Pai:" será, por assim dizer, lido entre os demais eleitos de Deus "e diante de seus anjos." Aqui está agora o fundamento da absolvição dos santos, o fundamento da sentença abençoada que eles receberão. O livro da vida sendo aberto, será revelado a todos, quem é eleito e quem não é. Até o momento do julgamento das partes.
8. Então o juiz pronunciará esta frase abençoada sobre os santos : "Vinde, benditos do meu Pai, para o reino preparado para vós desde a fundação do mundo", Mat 25:34. O mais provável é que o homem que Cristo o pronuncia com uma voz audível: que não apenas todos os santos, mas também todos os ímpios ouvirão e entenderão. Quem pode conceber a alegria inexprimível, com a qual esses felizes ouvirão essas palavras? Quem pode imaginar a plenitude de alegria, que será derramada em seus corações, com essas palavras chegando aos seus ouvidos? E quem pode conceber quanto do inferno irromperá no coração de toda a tripulação ímpia, por essas palavras do céu? É certo que esta sentença deve ser pronunciada antes da sentença de condenação. "Então o rei dirá àqueles à sua direita: Vinde, benditos", etc., Mat 25:34 . Assim verão o céu à distância, para tornar o inferno mais quente: como aquele mestre incrédulo,2 Reis 7:19 , 20 , eles "verão" a abundância "com os olhos, mas não a comerão". Cada palavra da sentença abençoada deve ser como uma flecha envenenada em seus corações enquanto eles veem o que perderam e, a partir daí, pensam no que devem esperar.
Esta frase transmite aos santos, "de acordo com suas obras", Apo 20:12 ; mas não por suas obras, nem por sua fé, como se a vida eterna fosse merecida por eles. A própria frase derruba esse conceito absurdo. O reino ao qual eles são chamados foi "preparado para eles desde a fundação do mundo"; não foi deixado para ser merecido por eles, que eram apenas de ontem. Eles o herdam como filhos, mas não o adquirem para si mesmos como servos que recompensam seu trabalho. Eles foram redimidos pelo sangue de Cristo e revestidos de Sua justiça impecável, que é a causa apropriada da sentença. Eles também foram qualificados para o céu, pela santificação do Espírito; e, portanto, é "de acordo com as obras deles"; para que o mundo ímpio veja agora, que o juiz dos vivos e dos mortos faz o bem aos que eram bons. Assim sendo, é acrescentado à frase: "Porque eu estava com fome e você me deu algo para comer, eu estava com sede e você me deu algo para beber, eu era um estranho e você me convidou para entrar, eu precisava de roupas e você me vestiu, eu estava doente e você cuidou de mim, eu estava na prisão e você veio me visitar", versículo 35, 36; que não denota o fundamento, mas a evidência de seu direito ao céu: como se um juiz dissesse, que ele absolve um homem perseguido por dívidas, pois as testemunhas consideram que já está pago.
Então o apóstolo diz: 1 Coríntios. 10: 5 , "Mas de muitos deles Deus não se agradou; pelo que foram abatidos no deserto". A queda deles no deserto não foi o motivo do descontentamento de Deus com eles, mas foi uma evidência disso. E assim nosso Senhor nos ensina a conexão necessária entre glória e boas obras, a saber, obras evangelicamente boas; trabalham em relação a Jesus Cristo e confiando nele, e amando-o, sem o que não serão considerados naquele dia. E até agora os santos serão julgados de acordo com tais obras, para que os graus de glória entre eles sejam de acordo com essas obras. Pois é uma verdade eterna: "Quem semeia com moderação, ceifará com moderação", 2 Cor 9: 6.
Assim, as boas obras dos piedosos terão uma recompensa gloriosa, mas gratuita; uma recompensa da graça, não da dívida; que os enche de espanto com as riquezas da graça gratuita e com a condescendência do Senhor em prestar atenção, especialmente em público, a suas pobres obras inúteis: o que parece ser a importância daquilo que dizem: "Senhor Quando te vimos com fome e te alimentamos, ou com sede e te demos alguma coisa para beber? Quando te vimos como um forasteiro e o hospedamos, ou precisando de roupas e o vestimos? Quando te vimos doente ou na prisão e fomos te visitar?" versículo 37-39.
Eles ficarão surpresos ao se ver assentados na ceia das bodas do Cordeiro, e ouvi-lo reconhecer um pouco de comida ou bebida, como eles tinham, que deram a um membro faminto de Cristo por ele! Ó, colheita abundante, seguindo a semente de boas obras! Rios de prazeres, em troca de um copo de água fria, dado a um discípulo! Mansões eternas de glória, em troca de uma noite de hospedagem dada a um santo, que era um estranho! Vestes eternas de glória, em troca de um casaco novo, ou, porventura, um antigo, concedido a algum santo que não tinha roupas necessárias! Uma visita ao santo doente, recompensado pelo próprio Cristo, vindo na glória de seu Pai, com todos os seus santos anjos! Uma visita feita a um pobre prisioneiro pela causa de Cristo, recompensado com uma visita do Juiz de todos, levando o visitante com ele ao palácio do céu, para que esteja para sempre com Ele! Essas coisas serão motivo de espanto eterno; e devem despertar todos para semearem liberalmente no tempo, enquanto durar o tempo das sementes das boas obras. Mas é o selo de Cristo nas boas obras que lhes atribui um valor aos olhos do nosso Deus gracioso; o que parece ser a importância da resposta de nosso Senhor, versículo 40: "Na medida em que você o fez a um dos meus irmãos, você o fez a mim".
9. Agora, os santos que receberam sua própria sentença "julgarão o mundo" 1 Coríntios. 6: 2 . Isso não foi cumprido, quando o império se tornou cristão e os cristãos se tornaram magistrados. Não, o salmista nos diz: "Esta honra têm todos os santos", Salmo 149: 9 . E o apóstolo no lugar previsto acrescenta: "E se o mundo será julgado por você, você não é digno de julgar os menores assuntos?" versículo 3: "Você não sabe que julgaremos os anjos?" Sendo chamados, eles vêm para receber seu reino, na visão de anjos e homens: eles vão, por assim dizer - do tribunal ao trono: "Aquele que vencer”, Apo 3:21. Não julgarão o mundo por meio de comunhão com ele, por suas obras comparadas às dos ímpios, ou por testemunho contra eles; mas serão assessores de Jesus Cristo, o Juiz, dando voz contra eles, concordando com seu julgamento como justo, e dizendo Amém à condenação pronunciada contra todos os ímpios: como é dito dos santos, no juízo da grande prostituta , Apo 19: 1 , 2 , "Aleluia - porque verdadeiros e justos são os teus juízos." Assim, os retos terão domínio sobre eles, na manhã da ressurreição, Salmo 49:14. Então, e até lá, isso será plenamente realizado: "Que o louvor de Deus esteja em suas bocas e uma espada de dois gumes em suas mãos, para infligir vingança às nações e punição aos povos, para prender seus reis a grilhões, seus nobres com algemas de ferro, para cumprir a sentença escrita contra eles. Esta é a glória de todos os seus santos. Louvado seja o Senhor." Salmos 149: 6-9
Oh! Que estranha mudança de assunto aparecerá aqui! Que visão espantosa será ver homens perversos, anteriormente seus juízes injustos, como criminosos diante dos santos, a quem anteriormente eles condenavam como hereges, rebeldes e traidores! Ver homens de riquezas e poder ficarem pálidos diante daqueles a quem oprimiram! Ver o zombador tremer diante daqueles de quem zombou! O homem mundano, diante daqueles a quem ele considerava tolos! Então os rostos desprezados dos santos serão terríveis para os iníquos; e aqueles que, às vezes, eram a canção dos bêbados, serão um terror para eles. Todos os erros devem ser corrigidos longamente, e todos colocados em seu devido lugar.
10. O juiz pronuncia a sentença de condenação a toda a multidão ímpia. "Então Ele também dirá aos da esquerda: Partam de Mim, malditos, para o fogo eterno preparado para o diabo e seus anjos!" Mateus 25:41. Perdição terrível! E que da mesma boca de onde procedia a sentença de absolvição antes. Foi um agravamento da miséria dos judeus, quando sua cidade foi destruída, que eles foram arruinados por alguém que foi considerado o queridinho do mundo. Oh, que agravamento da miséria dos ímpios será também que Cristo pronuncie esta sentença! Ouvir a maldição do monte Sião, deve ser terrível. Ser condenado por quem veio salvar os pecadores, deve haver dupla condenação. Mas assim será. O Cordeiro de Deus rugirá como leão contra eles; ele excomungará e os lançará para fora de Sua presença para sempre, por uma frase do trono, dizendo: "Apartai-vos de mim malditos". Ele os julgará como fogo eterno.
E essa frase também, supomos, será pronunciada com uma voz audível, por Cristo. E todos os santos dirão: "Aleluia, porque verdadeiros e justos são os teus juízos!" Ninguém era tão compassivo como os santos quando estavam na terra, durante o tempo da paciência de Deus. Mas agora que o tempo chegou ao fim: a compaixão deles pelos ímpios é tragada de alegria na glória do Mediador, e na execução de um julgamento justo, pelo qual seus inimigos são apoiados por seus pés. Embora, quando na terra, o homem justo chorasse em lugares secretos por causa do orgulho deles, e porque eles não ouviam; todavia "O justo se alegra quando vê a retribuição; lavará os pés no sangue dos ímpios". Salmo 58:10. Nenhuma piedade lhes será mostrada nas relações mais próximas. A esposa piedosa aplaudirá a justiça do juiz, na condenação de seu marido ímpio! O marido piedoso dirá Amém à condenação daquela que jazia em seu seio. Os pais piedosos dirão Aleluia na passagem da sentença contra seu filho ímpio. E a criança piedosa aprovará, do fundo de seu coração, a condenação de seus pais maus, do pai que o gerou e da mãe que o deu à luz. A sentença é justa; eles são julgados "de acordo com suas obras", Apo 20:12. "E novamente eles gritaram: Aleluia! A fumaça dela sobe para todo o sempre." Apocalipse 19: 3 "Então ouvi o que parecia uma grande multidão, como o rugido das águas agitadas e como trovões altos, gritando: Aleluia! Pois nosso Senhor Deus Todo-Poderoso reina!" Apocalipse 19: 6.
Não há nada de errado com eles: "Porque tive fome, e não me destes de comer; tive sede, e não me destes de beber; sendo forasteiro, não me hospedastes; estando nu, não me vestistes; achando-me enfermo e preso, não fostes ver-me." versículo 42, 43. Essas não são apenas evidências de seu estado ímpio e amaldiçoado, mas a base mais adequada de sua condenação: pois, embora boas obras não mereçam salvação, mas más obras merecem condenação. Os pecados de um só tipo, a saber, de omissão, são mencionados aqui; não que somente esses sejam descobertos, pois os livros estão totalmente abertos; mas porque esses, embora não existam mais, são suficientes para condenar pecadores não perdoados. E se os homens são condenados por pecados de omissão, muito mais por pecados de comissão. A omissão de obras de caridade e misericórdia é mencionada em particular, para parar a boca dos ímpios; pois é muito justo que "tenha juízo sem piedade, aquele que não tenha demonstrado piedade", Tiago 2:13. Observando a omissão de atos de caridade e misericórdia para com os membros angustiados de Cristo, insinua que o julgamento daqueles que ouviram falar de Cristo no evangelho é o principal objetivo dessa parte das Escrituras; e que o desprezo de Cristo será a grande causa da ruína daqueles que ouvem o evangelho: mas a inimizade do coração dos ímpios contra o próprio Cristo é descoberta pelo tratamento que agora dão a seus membros.
Em vão eles dirão: "Senhor, quando te vimos com fome, ou com sede, ou um estranho, ou sem roupa, ou doente, ou na prisão, e não te visitamos?" versículo 44. Porque o Senhor considera, e julgará, a maldade do mundo para com o seu povo, como sendo maldade para consigo mesmo; "Digo a verdade: tudo o que você não fez por um dos meus menores irmãos, você não fez por mim", versículo 45. Comida e bebida poupadas infelizmente, quando um membro de Cristo precisava disso! Oh, miserável negligência, que o santo sem abrigo não foi hospedado! Seria melhor para eles se tivessem deixado seu próprio quarto e sua própria cama do que eles não fossem hospedados.
Ó, roupas amaldiçoadas, dirão os ímpios, que estavam em minha casa, trancadas em meu guarda-roupa, e não foram trazidas para vestir alguém necessitado! Oh, que eu tivesse me despido, ao invés de ele ter ido embora sem roupa! Malditos negócios que me desviaram de visitar um santo! Oh, que eu preferisse vigiar noites inteiras com ele! Que droga que eu era! Por que me sentei à vontade em minha casa, quando ele estava na prisão, e não o visitei? Mas agora as mesas estão preparadas: os servos de Cristo comerão - mas eu terei fome; seus servos beberão, mas eu terei sede; eles se alegrarão - mas eu terei vergonha, Isaías 65:13. Eles são abraçados - mas eu sou expulso e pretendo partir; estão vestidos com mantos de glória - mas eu ando nu, e eles veem minha vergonha, Apo 16:15 . Eles agora estão elevados, além do alcance de doenças ou dores - mas agora devo "deitar-me em tristeza", Isaías 50:11. Agora eles irão para o palácio do céu - mas eu devo ir para a prisão do inferno.
Mas se nosso Senhor, portanto, se ressente da negligência dos homens em ajudar seu povo sob aflições semelhantes; o que podem esperar aqueles que são os autores e instrumentos delas? Se serão alimentados com ira, quem não os alimentou quando estavam com fome; o que será daqueles que os roubaram e se aproveitaram deles? Que cálice cheio de ira será a parte daqueles que estavam tão longe de lhes dar comida ou bebida quando estavam com fome ou com sede, que eles fizeram um crime para os outros entretê-los e ficarem bêbados com seu sangue! Devem se alojar para sempre com os demônios, aqueles que não acolhem o povo do Senhor, quando forasteiros: então, que alojamento terão aqueles que os expulsaram de suas próprias casas, de suas terras nativas e os tornaram estranhos! Os homens serão condenados por não vesti-los, quando nus; então, quão pesada deve ser a sentença daqueles que os despojaram e os fizeram ficar sem roupa! Certamente, se não os visitar na doença ou na prisão, será severamente punido;    não escaparão de uma desgraça pesada, aqueles que os lançaram nas prisões e os sujeitaram a dificuldades que prejudicaram sua saúde, causaram doenças e reduziram seus dias na prisão ou fora da prisão, pela simples razão de serem crentes.
Para colocar um rosto nessas práticas iníquas, os homens fingem reter uma honra por Cristo e pela religião, enquanto tratam seus membros, caminhando em seu caminho e mantendo a verdade. Eles estão aqui representados para dizer: "Senhor, quando te vimos com fome, ou com sede, ou um estranho, ou sem roupa, ou doente, ou na prisão, e não o ajudamos?" versículo 44. Como se eles dissessem: Nosso pão, bebida, alojamento, roupa e visitas foram realmente recusados, mas não para Cristo; mas para um conjunto de homens de mau caráter, homens que "viraram o mundo de cabeça para baixo", Atos 17: 6 ; que perturbaram Israel, 1 Reis 18: 7; um tipo estranho e fanático de pessoas, com leis diversas de todas as pessoas, facciosas e rebeldes; eles não mantinham as leis do rei e, portanto, eram um conjunto perigoso de homens; não era para o lucro do rei tolerá-los, Ester 3: 8. Mas, embora os homens lancem iniquidade sobre os piedosos e lhes deem maus nomes, para que possam tratá-los como criminosos, todas essas pretensões não lhes valerão nada, no grande dia, perante o justo juiz, nem diante de suas próprias consciências; mas o verdadeiro fundamento de sua inimizade contra os santos será encontrado, por sua própria convicção, como inimizade contra o próprio Cristo. Essa parece ser a importância da objeção dos condenados, versículo 44, e da resposta dada a eles, versículo 45: "“Digo a verdade, tudo o que você não fez por um desses meus menores irmãos, você não fez isso por mim."
11. A sentença sendo proferida a ambas as partes, segue-se a execução completa da mesma , versículo 46: "E estes serão levados para o castigo eterno; mas os justos para a vida eterna". Os condenados não terão indulto, mas vão para o seu lugar sem demora; serão expulsos do tribunal para o inferno; e os santos "entrarão no palácio do rei", Salmo 45:15 , a saber, no céu, o assento dos abençoados. Mas nosso Senhor Jesus Cristo, e sua gloriosa companhia, guardarão o campo naquele dia e verão as costas de todos os seus inimigos; pois os condenados partirão primeiro.
Neste dia do Senhor, o grande dia, será a conflagração geral; no qual esses céus visíveis, a terra e o mar passarão. Não que eles sejam aniquilados, ou reduzidos a nada, que não é a operação do fogo; mas serão purificados por esse fogo, de todos os efeitos do pecado e da maldição sobre eles; e depois renovados e tornados mais gloriosos e estáveis. Desta conflagração, o apóstolo Pedro fala, 2 Pedro 3:10 "Mas chegará o dia do Senhor, como ladrão à noite; no qual os céus passarão com grande barulho, e os elementos derreterão com calor fervente; a terra também e as obras que nela estão, serão queimadas." Veja também os versículos 7, 12. E sobre a renovação do mundo, ele acrescenta no versículo 13: "Contudo, segundo a sua promessa, procuramos novos céus e uma nova terra, onde habita a justiça".
Parece muito agradável às Escrituras, e à natureza da coisa, conceber esta conflagração a seguir após o julgamento geral; sentença sendo proferida em ambas as partes antes dela. E acho provável que isso se enquadre na execução da sentença contra os condenados; para que, de acordo com sua sentença, partam, e os céus e a terra passem juntos, e de uma só vez, com aquela repreensão furiosa do trono, afastando-os do mundo (neste fogo) para o eterno fogo preparado para o diabo e seus anjos. Assim como, no dilúvio, com o qual o apóstolo Pedro compara a conflagração, ou queima do mundo, 2 Pedro 3: 6 , 7, o próprio mundo e os ímpios sobre ele perecerão juntos, pois não é provável que os iníquos permaneçam na nova terra, onde habita a justiça, 2 Ped 3:13 .
E quanto a esta terra, ela "fugirá", o que parece indicar uma expedição muito rápida, e "fugirá do rosto, do que está sentado no trono", Apo 20:11 . "E vi um grande trono branco, e aquele que estava assentado sobre ele, de cuja face a terra e o céu fugiram." A execução da sentença sobre os ímpios também é assim expressa; eles "serão punidos com a destruição eterna da presença" ou "da face do Senhor", 2 Tes 1: 9. A palavra original é a mesma nos dois textos, os quais, comparados, parecem dizer que essas criaturas, abusadas pelos ímpios, são deixadas como testemunhas contra eles no julgamento, são, após sentença proferida aos seus agressores, feitas a passar com eles da face do juiz.
Além disso, é notável, na execução da sentença, Apo 20:14, 15 , que não apenas os réprobos são "lançados no lago", mas "a morte e o inferno" são lançados nele da mesma forma: todos os efeitos do pecado e da maldição são removidos do mundo, por qual causa será a conflagração, e estão confinados ao lugar dos condenados.
Além de tudo isso, é evidente que o fim do mundo é pela conflagração: e o apóstolo nos diz: 1 Coríntios. 15:24 , 25 : "Então chegará o fim, quando ele tiver entregado o reino a Deus, o Pai; quando ele tiver derrubado todo domínio, toda autoridade e poder. Pois ele deve reinar até que todos os seus inimigos estejam debaixo dos seus pés".
Agora, se a queima de Sodoma e Gomorra, que é apresentada como exemplo, Judas, versículo 7, foi tão terrível, quão terrível será esse dia, quando o mundo inteiro estiver em chamas ao mesmo tempo! Como estarão os miseráveis mundanos, quando seu mundo querido estiver em chamas! Então castelos fortes e palácios imponentes, com todos os seus ricos móveis, subirão juntos em uma chama com os chalés mais pobres. Que coração pode conceber plenamente o terror daquele dia para os iníquos, quando todo o tecido do céu e da terra será dissolvido ao mesmo tempo por esse fogo? Quando aquela miserável companhia for expulsa do tribunal - para a cova, com fogo dentro e fora deles por toda parte; e fogo esperando por eles no lago; onde este fogo, também pode segui-los.
Quanto ao LUGAR particular desse julgamento, embora alguns apontem para o vale de Josafá; todavia, nosso Senhor, que infalivelmente o conhecia, sendo questionado por seus discípulos: "Onde, Senhor?" apenas disse: "Onde o corpo estiver, os abutres serão reunidos", Lucas 17:37. Após essa resposta, é demais para os homens renovarem a pergunta.
Quanto ao TEMPO, quando vier, em vão os homens procurarão o que o Senhor propositadamente manteve em segredo, Atos 1: 7: "Não cabe a você conhecer os tempos ou as épocas que o Pai reservou à sua exclusiva autoridade". O apóstolo Paulo, depois de ter descrito muito claramente a segunda vinda de Cristo, 1 Tes 4:16 , 17, acrescenta no capítulo 5: 1, 2: "Mas, sobre os tempos e as estações, irmãos, não preciso escrever para vocês; pois sabem perfeitamente que o dia do Senhor vem como ladrão à noite." No entanto, alguns, em várias idades, se tornaram muito ousados com o tempo; e vários anos particulares, que agora são passados, foram entregues ao mundo, pelo tempo do fim, por homens que se interessaram pelos segredos de Deus. O tempo proclamou ao mundo sua imprudência e loucura; e é provável que não sejam mais felizes em suas conjecturas, cujo tempo determinado ainda está por vir. Vamos descansar nisso: "Ele virá".
Deus manteve o dia escondido de nós, para que possamos estar todos os dias prontos para isso, Mat 25:13: "Vigiai, pois; pois você não conhece o dia nem a hora em que o Filho do homem vem". E lembremos que o último dia de nossa vida determinará nosso estado no último dia do mundo. À medida que morrermos, seremos julgados.
III. A APLICAÇÃO desta grande verdade - que haverá um julgamento geral. Concluirei agora esse assunto, com alguma aplicação do que foi dito.
Aplicação 1. De conforto para todos os SANTOS. Aqui há abundância de consolo para todos os que estão no estado de graça. Quaisquer que sejam suas aflições no mundo, este dia compensará todas as suas perdas. "Embora você tenha se deitado entre as panelas, ainda assim você será como as asas de uma pomba coberta de prata, e suas penas com ouro amarelo", Salmo 68:13 . Embora o mundo o repreenda, julgue e condene; o juiz naquele dia absolverá você e produzirá sua justiça como a luz. Os tolos do mundo parecerão então que foram os únicos homens sábios que estavam nele. Embora a cruz seja pesada, você pode suportá-la, na expectativa da coroa da justiça, que o justo juiz lhe dará. Se o mundo o despreza e o trata com o maior desprezo, pense nisso: está chegando o dia em que você deverá sentar-se com Cristo em seu trono.
Não desanime por causa de múltiplas tentações. Mas resista ao diabo na confiança de uma vitória completa; pois julgará finalmente o tentador. Embora você tenha uma luta dura agora com o corpo do pecado e da morte; todavia, todos os seus inimigos ficarão debaixo dos seus pés e serão apresentados sem falhas diante da presença da sua glória. Não deixe que o terror daquele dia o desanime, quando você pensar sobre isso; aqueles que menosprezaram o juiz e continuem inimigos dele, e do caminho da santidade, caiam e abaixem a cabeça quando pensam na sua vinda; mas levantem suas cabeças com alegria, pois o último dia será seu melhor dia O juiz é seu chefe e marido, seu redentor e seu advogado. Você deve comparecer perante o tribunal, João 5:24, mas Sua vinda não será contra você - mas por    você. Ele veio em carne para remover os impedimentos legais do casamento espiritual, por sua morte; Ele veio no evangelho para você, para lhe abraçar; Ele virá, finalmente, para solenizar o casamento e levará a noiva para casa, na casa de seu pai. "Mesmo assim, venha, Senhor Jesus."
Aplicação 2. De terror para todos os incrédulos. Isso pode servir para despertar uma geração segura, um mundo deitado na maldade, como se eles nunca fossem chamados a prestar contas por isso; e menosprezando o mediador, como se não os julgasse. Ah! Quão poucos têm impressões vívidas do julgamento por vir! A maioria dos homens vive como se o que se diz da palavra de Deus não passasse de histórias ociosas. A vida profana de muitos fala que seus pensamentos estão longe de seus corações e, de fato, zombam disso diante do mundo, dizendo, com efeito: "Onde está a promessa de sua vinda?" A hipocrisia de outros, que cegam os olhos do mundo por ser uma profissão esplêndida, parecendo ser ovelhas de Cristo, enquanto são de fato as cabras do diabo, prova que a grande separação entre as ovelhas e as cabras é muito pouco afetada. Como muitos se entregam à maldade secreta, da qual teriam vergonha diante das testemunhas; sem considerar que seus pensamentos e ações mais secretos serão, naquele dia, revelados diante da grande congregação!
Quão ansiosamente o coração dos homens está posto no mundo - como se fosse sua habitação eterna! As assembleias solenes e as ordenanças públicas, nas quais o juiz está em uma transação de paz com os criminosos, são subestimadas: Muitos corações nadam como penas nas águas do santuário, que afundam como pedras no fundo nos cuidados desta vida; serão muito sérios em insignificantes deste mundo, e insignificantes nas coisas mais sérias e pesadas de outro mundo. Mas, ó, considere o dia que está se aproximando, no qual Cristo chegará ao julg

Publicado no site: O Melhor da Web em 05/11/2019
Código do Texto: 140867
AQUI VOCÊ INTERAGE DIRETAMENTE COM O(a) AUTOR(a) DA OBRA! DEIXE UM COMENTÁRIO REFERENTE AO TEXTO! É FÁCIL, É LEGAL, VALE A PENA!
Caderno Comente esse Texto - Seja o primeiro a comentar!
Obras do(a) Autor(a):