Espaço Literário

O Melhor da Web

 

Parceria de Sucesso entre o site Poesias www.omelhordaweb.com.br e o www.efuturo.com.br
Confira. Adicione seus textos nele. O eFUTURO já começou.

Indicamos:Efuturo.com.br - Efuturo é uma Rede Social de Conhecimento, Ensino, Aprendizado Colaborativo, Jogos Educativos e Espaço Literário.


Busca por Autores (ordem alfabética)
Busca Geral:
Nome/login (Autor)
Título
Texto


Necessita estar logado! Adicionar como fã (necessita estar logado)
 
Recado
Contato

Conheça a Página de MANUELA , agora só falta você!
http://www.poesias.omelhordaweb.com.br/pagina_autor.php?cdEscritor=6281

 
Textos & Poesias || Poema
Imprimir - Impressora!
Imprimir
Através da chuva e da névoa (Ruy Belo) (+tradução italiana)
05/11/2019
Autor(a): MANUELA
VOTE!
TEXTO ELEITO
7
Após 100 votos, o Texto Eleito será exibido em uma página que irá reunir somente os mais votados.
Só é permitido um voto por Internauta por dia.
Achou o texto ótimo, VOTE! Participe!
ELEJA OS MELHORES TEXTOS DA WEB!
Através da chuva e da névoa (Ruy Belo) (+tradução italiana)

Chovia e vi-te entrar no mar
longe de aqui há muito tempo já
ó meu amor o teu olhar
o meu olhar o teu amor
Mais tarde olhei-te e nem te conhecia
Agora aqui relembro e pergunto:
Qual é a realidade de tudo isto?
Afinal onde é que as coisas continuam
e como continuam se é que continuam?
Apenas deixarei atrás de mim tubos de comprimidos
a casa povoada o nome no registo
uma menção no livro das primeiras letras?

Chovia e vi-te entrar no mar
ó meu amor o teu olhar
o meu olhar o teu amor
Que importa que algures continues?
Tudo morreu: tu eu esse tempo esse lugar
Que posso eu fazer por tudo isso agora?
Talvez dizer apenas
chovia e vi-te entrar no mar
E aceitar a irremediável morte para tudo e todos


In Homem de Palavra[s] (1969)
________________________________________


Tradução italiana de Manuela Colombo


Attraverso la pioggia e la nebbia
  
Pioveva e t’ho vista entrare in mare
lontano da qui già tanto tempo fa
o amor mio il tuo sguardo
il mio sguardo il tuo amore
Più tardi t’ho guardata e neanche ti riconoscevo
Ora qui ricordo e mi chiedo:
Qual è la realtà di tutto ciò?
Alfine dov’è che proseguono le cose
e come proseguono sempre che proseguano?
Dietro di me non lascerò che tubetti di compresse
la casa gremita il nome sul registro delle firme
una menzione sul libro delle elementari?

Pioveva e t’ho vista entrare in mare
o amor mio il tuo sguardo
il mio sguardo il tuo amore
Che importa che altrove tu prosegua?
Tutto è morto: tu io quel tempo quel luogo
Che posso fare adesso di tutto questo?
Forse soltanto dire
pioveva e t’ho vista entrare in mare
E accettare l’irrimediabile morte di tutto e tutti


Publicado no site: O Melhor da Web em 05/11/2019
Código do Texto: 140871
AQUI VOCÊ INTERAGE DIRETAMENTE COM O(a) AUTOR(a) DA OBRA! DEIXE UM COMENTÁRIO REFERENTE AO TEXTO! É FÁCIL, É LEGAL, VALE A PENA!
Caderno Comente esse Texto - Seja o primeiro a comentar!
Obras do(a) Autor(a):