Espaço Literário

O Melhor da Web



Busca por Autores (ordem alfabética)
Busca Geral:
Nome/login (Autor)
Título
Texto
Luciene - LUCIENE LIMA PRADO
LUCIENE LIMA PRADO
Cadastrado desde: 12/03/2009

Texto mais recente: METAMORFOSE



Necessita estar logado! Adicionar como fã (necessita estar logado)
 
Recado
Contato

Conheça a Página de LUCIENE LIMA PRADO , agora só falta você!
http://www.poesias.omelhordaweb.com.br/pagina_autor.php?cdEscritor=1588

 
Textos & Poesias || Crônicas
Imprimir - Impressora!
Imprimir
A POESIA NO DIVÃ
21/03/2009
Autor(a): LUCIENE LIMA PRADO
VOTE!
TEXTO ELEITO
0
Após 100 votos, o Texto Eleito será exibido em uma página que irá reunir somente os mais votados.
Só é permitido um voto por Internauta por dia.
Achou o texto ótimo, VOTE! Participe!
ELEJA OS MELHORES TEXTOS DA WEB!
A POESIA NO DIVÃ

            - Senhora Poesia!
- Sou eu.
- Sente-se no divã.
- (...)
- Conte-me sobre você.
- Eu estou com crise de identidade. Não sei mais quem sou. Não acredito no que eu mesma versejo.
- Há quanto tempo se sente assim?
- Nem faço idéia. Acho que faz muito tempo.
- Fale mais.
- Eu não consigo mais saber o que sinto. Às vezes estou triste; outras vezes, alegre. Numa hora quero viver eternamente; na outra, quero morrer. Eu ando ouvindo o canto das estrelas. Estou ficando louca. Por algum momento, me organizo metrificamente; em outro momento, meu “versamento” se perde em versos brancos.
- Algum problema na vida amorosa?
- Todos. Eu amo demais e, no mesmo instante, odeio infinitamente ou um segundo sem fim. Então, torno a amar além da primavera.
- Que lembranças lhe trazem a sua infância?
- Já não sei mais a minha idade. Pareço ter todas as idades. Na infância, eu gosto de brincar de rima fácil, de rodopiar etc. Na adolescência discordo de tudo, apaixono-me... Já não sei mais. Na idade adulta, reflito sobre tudo, creio em tudo e não creio em nada. Fico querendo me matar ou viver e transmitir minha vida pra quem eu encontrar. Na velhice, tudo recomeça e tudo acaba e tudo vira do avesso. Nem faço idéia se o que eu disse agora é mentira ou verdade.
- Seu problema é poeticidade múltipla associada a uma confusão conotativa com resquícios de denotação, cujo tratamento se baseia em deixar as folhas em branco por várias horas o máximo de tempo que puder.
- Assim poderei ficar curada, doutor?
- Talvez. Com muita disciplina e pouca imaginação, certamente!
- Eu certamente já estarei extinta. (A poesia, em voz baixa.)
- O que disse, dona Poesia?
- Divagações, divagações...
- E o tratamento prescrito?
- Eu o cumprirei até o nascimento de um novo poeta.

(Luciene Lima Prado)

Publicado no site: O Melhor da Web em 21/03/2009
Código do Texto: 15893
AQUI VOCÊ INTERAGE DIRETAMENTE COM O(a) AUTOR(a) DA OBRA! DEIXE UM COMENTÁRIO REFERENTE AO TEXTO! É FÁCIL, É LEGAL, VALE A PENA!
Caderno Comente esse Texto - Total comentários: 22
Obras do(a) Autor(a):


Lomadee, uma nova espécie na web. A maior plataforma de afiliados da América Latina.