Espaço Literário

O Melhor da Web

 

Parceria de Sucesso entre o site Poesias www.omelhordaweb.com.br e o www.efuturo.com.br
Confira. Adicione seus textos nele. O eFUTURO já começou.

Indicamos:Efuturo.com.br - Efuturo é uma Rede Social de Conhecimento, Ensino, Aprendizado Colaborativo, Jogos Educativos e Espaço Literário.


Busca por Autores (ordem alfabética)
Busca Geral:
Nome/login (Autor)
Título
Texto
otavio - O. STUDART
O. STUDART
Cadastrado desde: 13/05/2009

Texto mais recente: 1998



Necessita estar logado! Adicionar como fã (necessita estar logado)
 
Recado
Contato

Conheça a Página de O. STUDART , agora só falta você!
http://www.poesias.omelhordaweb.com.br/pagina_autor.php?cdEscritor=2111

 
Textos & Poesias || Solidão
Imprimir - Impressora!
Imprimir
POR UM FIO
29/05/2009
Autor(a): O. STUDART
VOTE!
TEXTO ELEITO
0
Após 100 votos, o Texto Eleito será exibido em uma página que irá reunir somente os mais votados.
Só é permitido um voto por Internauta por dia.
Achou o texto ótimo, VOTE! Participe!
ELEJA OS MELHORES TEXTOS DA WEB!
 
28307 POR UM FIO otavio - O. STUDART
POR UM FIO

Profiro que minha morte
será em vida.
Uma das tantas opções covarde
de um ser só, excitado de tanto decidir
entre o certo e o correto.
Fiz do furacão, brisa
e da ventania um vendaval
para apagar a brasa
que persiste em queimar no meu coração.
Não tendo outra opção,
calmo e sem ansiar, escolho o tornado
por ser ávido no profano momento de entender a linguagem dos ventos.
Mais uma vez tolo, sofro na sangria
do desejo por não saber os sinais
de quem me levaria até o paraiso
na hora acertada de te amar.
Sigo sem rumo nas curvas do teu corpo
e não evito o teu olhar.

Abatido, tento continuar
a viver sem ti.
Sem aprender a viver só,
faço do ator um canastrão e
sigo de carona com a ventania
a untar teu corpo com a poeira
no momento do teu sonhar.
Busco tua boca
e me resumo a tua gosma.
Ao dormir, me adorno de lírios
no delírio e me cubro com teu corpo.
Sei que o Senhor não se importa
com o que pensei e não fiz.

Sim, sou um eremita, solidário na oração
sem pronunciar mais o teu nome.
Sem poder retornar a roubar teus beijos
com tranquilidade, exponho minha agonia nas promessas feitas na busca por Zeus.
Nele...No meu outro eu distante,
a partir de agora na clausura,
permanece segredado,
numa espécie de forma
com o contorno dos teus lábios
carnudos e sem vida.
Que ainda me deixa louco.


Publicado no site: O Melhor da Web em 29/05/2009
Código do Texto: 28307
AQUI VOCÊ INTERAGE DIRETAMENTE COM O(a) AUTOR(a) DA OBRA! DEIXE UM COMENTÁRIO REFERENTE AO TEXTO! É FÁCIL, É LEGAL, VALE A PENA!
Caderno Comente esse Texto - Total comentários: 3
Obras do(a) Autor(a):