Espaço Literário

O Melhor da Web



Busca por Autores (ordem alfabética)
Busca Geral:
Nome/login (Autor)
Título
Texto
Drake - IGOR FERREIRA KOMAR
IGOR FERREIRA KOMAR
Cadastrado desde: 19/08/2009

Texto mais recente: The Life's Window is Open:...See!!!



Necessita estar logado! Adicionar como fã (necessita estar logado)
 
Recado
Contato

Conheça a Página de IGOR FERREIRA KOMAR , agora só falta você!
http://www.poesias.omelhordaweb.com.br/pagina_autor.php?cdEscritor=2953

 
Textos & Poesias || Contos
Imprimir - Impressora!
Imprimir
Ryan,O Mercenario:A Montanha de Irmoré
19/08/2009
Autor(a): IGOR FERREIRA KOMAR
VOTE!
TEXTO ELEITO
0
Após 100 votos, o Texto Eleito será exibido em uma página que irá reunir somente os mais votados.
Só é permitido um voto por Internauta por dia.
Achou o texto ótimo, VOTE! Participe!
ELEJA OS MELHORES TEXTOS DA WEB!
Ryan,O Mercenario:A Montanha de Irmoré

Ryan,O Mercenário:A Montanha de Irmoré

O vento estava soprando muito fraco naquela tarde.Só as moscas tinham animo para fazer alguma coisa.Até os pássaros tinham se esquecido de voar naquela quente tarde.No centro da cidade de Bellaster,ao pé da montanha de Irmoré,havia uma grande confusão.Todos corriam para a praça,pois o sino de chamado geral estava tocando.
A praça da cidade era pequena,com um lago artificial,cruzado ao meio por uma estreita ponte de madeira,onde os meninos ficavam brincando de pescaria.A praça era bem arborizada,com muita sombra,e possuía também bancos de pedra,para as pessoas descansarem.Aquele ambiente era calmo e aconchegante,pelo menos quando não havia uma chamada geral.Isso por que,quando tocavam o sino de chamada geral,todos da cidade se dirigiam para a praça,ouvir o pronunciamento que o prefeito iria fazer,no pequeno palanque de madeira que haviam construído.
E é nesse cenário que se encontra o nosso heroi.Sentado,ou melhor,atirado,sobre um dos bancos de pedra da praça,os braços atirados para traz do banco,a cabeça recostada,um chapéu de couro com uma fivela de metal na lateral recostado sobre os olhos...
Descrevamos a sua aparência:Ele tem pelo menos um metro e oitenta de altura,pesa no máximo 90 kilos,ou seja,é magro.Seus olhos aparentam ser azuis mesclados com castanhos,Cabelos negros,cortados curtos.Sua vestimenta não aparenta ser das melhores:ele usa o já referido chapéu,uma camisa simples,por baixo de um enorme sobretudo negro,de couro,além de calças de couro reforçadas e botas também de couro.
Parece mais um mendigo,mas,por debaixo da camisa,que alias já está bem gasta,pode-se ver um pedaço da armadura cor de sangue que usa por debaixo da roupa.
Um menino passa correndo por ele,quase pisa em seus pés,e,ao reparar que ele parecia estar dormindo,o garoto tenta pegar um saquinho,que está pendurado no cinto de nosso heroi.Porem,o menino toma um susto,quando estava prestes a puxar o saco para si,e sair correndo,uma das mãos de nosso herói segurou-o fortemente,forçando o garoto a soltar do saquinho,que tilintava a moedas.Sem nem mesmo levantar a cabeça,ou o chapéu,nosso herói diz:-Se queria dinheiro era só pedir,não precisava roubar...-e,dizendo isso,colocou a mão no saco de moedas,retirou três delas,e entregou ao garoto.
O menino saiu correndo,contente,com as moedas na mão.-''Definitivamente...eu odeio crianças...''-pensou,se ajeitando no banco.Uma voz começou a soar perto dali,abafada pela algazarra da multidão em frente ao palanque.Nosso herói se levantou,ajeitou o chapéu e o cinto,guardou o saquinho de moedas dentro do sobretudo e caminhou em direção ao palanque,para ouvir o prefeito.
-Caros cidadãos de Bellaster...-dizia a imponente voz do prefeito,enquanto seus assessores pediam silencio para a multidão-A aproximadamente uma semana,um fato horrível e sofrível aconteceu em nossa comunidade! Como alguns de vocês sabem,minha filha,Ilude,foi raptada,enquanto colhia flores,por um ogro tirano,que desejava tela por esposa. Como vocês também sabem,eu enviei alguns dos guardas da cidade,bravos e corajosos,para resgatar a minha filha.Mas infelizmente,eles não foram bem sucedidos em sua nobre missão,e foram abatidos pela besta maligna...
-''Gostaria de saber quem escreve os discursos dele...''pensou nosso herói-''é o pior discurso que já vi... pra que tanta enrolação?''.E o discurso do prefeito continuava:
-Meus queridos cidadãos,se houver alguém entre vocês,com força e coragem necessárias para derrotar a fera e trazer a minha filha de volta,sã e salva,eu lhes agradeceria do fundo do coração...-o prefeito se retirou do palanque,chorando,enquanto um de seus acessores subia e tomava a palavra:-O prefeito está oferecendo uma recompensa,a qualquer um que traga a sua filha de volta,no valor de 200 moedas de prata!-ouve um novo rebuliço entre a multidão,gritos e brandidos de espadas,movidos pela ambição da recompensa.
-''200 moedas de prata? Que pobreza...''-pensou o nosso herói.
Derrepente,três homens se aproximaram do palanque.O primeiro aparentava ser muito forte,usando uma mascara de touro,cobrindo a cabeça,um colete e calção de couro rústico,brandindo uma enorme maça de guerra.O segundo homem era magro,usava óculos,um robe vermelho com um chapéu pontudo e carregava um livro debaixo do braço.O terceiro homem usava uma armadura de anéis,um capacete metálico,tornozeleiras e caneleiras de placas metálicas,uma espada guardada em uma bainha,no cinto,e uma lança de cabo nodoso e ponteira de ferro nas mãos.
O homens falaram em couro, ao acessor do prefeito:-Nos,um dos grupos de aventureiros mais famosos para os lado do oeste,derrotaremos a fera e traremos a filha do prefeito de volta,desde que cada um de nós receba o mesmo valor da recompensa!-.
-Está bem.Tragam a filha do prefeito aqui, e receberam a recompensa!-disse o acessor do prefeito.Os três homens acentiram com a cabeça,e tomaram o caminho da rua principal da cidade,que os levaria até o começo da montanha.
-''O bárbaro burro,o aprendiz de mago e um babaca metido a cavaleiro...''-pensou nosso heroi.A multidão começou a deixar a praça e a voltar aos seus afazeres comuns.O prefeito continuou sentado em um dos bancos da praça,chorando como uma criança,mal ouvindo a noticiam que seu assessor estava dando a ele,sobre os três homens que iam resgatar sua filha.-''Bem,vamos trabalhar...''-pensou nosso heroi.Ele se dirigiu na direção do prefeito,mas foi barrado pelo seu acessor.
-O que quer?-perguntou o assessor do prefeito,observando aquele sujeito mal vestido,parecendo um mendigo.
-Falar com o prefeito.
-Ele já está com problemas de mais,e não está em condições de dar esmolas a mendigos agora!-respondeu irritado o acessor.
-Esmolas? Quem falou em esmolas? Eu quero falar com o prefeito a respeito da recompensa por sua filha.
-Hã?
-Isso mesmo que você ouviu. Por 300 moedas de prata,eu faço o serviço...
-O que?! Além de me fazer perder tempo,ainda vem nos esnobar e debochar da situação do prefeito! Fora daqui! Fora daqui!
-Calasse,verme inutil.Eu vou realizar o serviço,mas apenas por 300 moedas.E eu posso realizar este servisso,não é deboche...
-Você? Enfrentando um ogro? Você não passa de um mendigo,um andarilho mandrião! Eu vou chamar os guardas e ...
O acessor silenciou-se.Uma das mãos do nosso herói o ergueu do chão pelo pescoço.O pequeno homenzinho esperneava,sem ar,tentando se livrar daquela mão que lhe prendia o pescoço.
-Ouça agora,infeliz!-disse nosso herói-Eu vou provar que não sou um andarilho nem um mendigo...
Com a mão livre,ele rasgou a camisa surrada,revelando a armadura vermelha.O vermelho da armadura brilhava como rubi.No centro dela havia,entalhado em alto relevo,um dragão ocidental,cuspindo fogo.-Meu nome é Ryan.-disse o nosso herói,afrouxando um pouco a mão do pescoço do assesso,-Ryan,o mercenário!
O olhar do assessor era puro medo e pavor.Estivera nas mãos de um dos mercenários mais perigosos de que se tinha noticia,conhecido por matar mais de mil soldados sozinho,de uma unica vez.Agora que Ryan tinha soltado a sua garganta,ainda tremia.
-Vá chamar o prefeito, e diga que quero falar com ele,já!-disse Ryan,se livrando do resto dos trapos das roupas,revelando totalmente a armadura,inclusive a parte das pernas.Desta vez,o assessor não disse nada,simplesmente obedeceu e saiu correndo para chamar o prefeito.
Ryan costumava usar roupas velhas e rasgadas por cima da armadura,para não chamar muita a atenção.Ele só se livrava delas na hora de realizar alguma missão.O assessor chegou até onde o prefeito estava,já sem fôlego,pois o prefeito tinha resolvido dar uma caminhada pelo parque.
-Prefeito!!-disse o assessor,quase sem ar,-Ryan,o mercenário está aqui ele quer falar com o senhor!
-Ryan o mercenário?-perguntou o prefeito,espantado-Tem certeza?
-Sim senhor,sem sombra de duvida é ele!
-Mas sobre o que ele quer falar comigo?
-É sobre a sua filha!Ele disse que vai resgata-la!
-Mas você me disse que já tinha enviado três mercenários!
-Eu sei,mas é melhor o senhor ouvir o que ele tem a dizer !
-Está bem...-disse o prefeito,indo na direção em que seu assessor apontava.Em instantes,o prefeito alcançou Ryan,que tinha sentado em um dos bancos do parque,e brincava com uma adaga curva,rodopiando-a,atirando-a para o alto e pegando-a entre os dedos.Quando o prefeito se aproximou,ele guardou a adaga em um coldre escondido na bota.
O prefeito esta ao mesmo tempo curioso e assustado.Era a primeira vez que via Ryan,pois apenas tinha ouvido falar dele,um dos melhores mercenários de já se tem noticia.
-Soube que queria falar comigo...-disse o prefeito,pensando bem em como iria falar com ele.
-Sim.É sobre o resgate de sua filha.
-Agradeço a sua preocupação,mas meu assessor já enviou três excelentes mercenários para resgatá la e ...
-Estão mortos...-Ryan respondeu,secamente.
-O que?-exaltou-se o prefeito-Como pode saber se estão mortos ou não?Eles partiram a apenas uma hora,no máximo!
-E dai?Eles eram fracos e inexperiantes.Se quem raptou sua filha foi mesmo um ogro,aqueles três já estão mortos.Sem contar nos boatos que ouvi na taberna da cidade....Parece que o ogro não é o unico responsável.
-''Ele sabe dos detalhes!Maldição,eu pedi para que os detalhes não fossem divulgados,se não ninguém iria atrás da minha filha!''-pensou o prefeito,apreensivo-Você tem certeza de que estão mortos?
-Absoluta.
-E o que eu vou fazer?-perguntou o prefeito,quase recomeçando a chorar-Aqueles três eram a minha ultima esperança! Qualquer mercenário mais forte e corajoso custaria muito mais caro do que 200 moedas,e a cidade é pobre,não podemos pagar mais do que isso e...
-300 moedas de prata.
-O que?
-Por 300 moedas de prata,eu trago a sua filha de volta,ainda hoje.
-É serio? Você faria isso mesmo?
- É claro que é serio! Eu sou um mercenário,não um ladrão! Esse é o preço por um serviço fácil como este.-respondeu Ryan,sem mecher o serio olhar.
-Fácil?!! Matar um ogro,e talvez um mago,ou algo parecido,e você diz que a missão é fácil?!?!
-Na minha tabela de preços,é uma missão fácil.
-Está bem. Traga a minha filha de volta e eu te darei as 300 moedas.
-Está bem.Terá sua filha de volta ao por do sol.Só mais uma informação...Qual é a aparência da sua filha?
-E isso interessa? Ou melhor,isso é importante?
-Sim.Se realmente houver um mago,ele pode usar alguma magia de ilusão,ou transformação,e eu posso confundir a sua filha com um inimigo.-disse Ryan-''Se bem que eu jamais cometeria um erro destes por causa de uma magia tão simples como a ilusão...''
-Bom,se é assim...-disse o prefeito-Minha filha tem a pele clara,os olhos muito claros também,não é muito alta,tem os cabelos loiros,além de que,ela é meia-elfa.
-Ótimo...até    o fim de tarde,prefeito.
-Boa sorte,bravo mercenário.Que os deuses o abençoem!-disse o prefeito,acenando para Ryan,enquanto este se dirigia para a hospedaria de Bellaster.
-Eu não preciso da benção de quem não existe,prefeito!-gritou Ryan,já longe.
-O que será que ele quis dizer com isto...?-se questionou o prefeito-Bem,espero que ele seja bem sucedido na sua empreitada...
Ryan afastou-se rapidamente da praça,caminhando a passos largos.Em pouco tempo,chegou a porta da hospedaria onde se registrara a três dias,quando chegou a cidade.Passou pelo senhorio,cumprimentou-o,pegou a chave de seu quarto e entrou rapidamente.
-''A melhor parte do meu trabalho...''-pensou-''Escolher as armas a usar na missão!''.Rapidamente,Ryan retirou o sobre tudo e jogou-o sobre a cama.Agora,era possível observar toda a sua armadura.A armadura não lhe cobria todo o corpo,mas era ainda assim muito eficiente,resistente,com aberturas nas juntas para facilitar os movimentos,a armadura cobria os braços,os antebraços,todo o dorso e abdômen,tanto na frente quanto atrás,e as pernas por completo,com abertura no joelho.Cada peça da armadura era fechada literalmente,com presilhas de metal.Toda a armadura era vermelha,como o sangue.
Ryan abriu o ropeiro do quarto,onde encontrou somente dois objetos:uma grande mochila,onde guardava suas roupas,equipamentos,mantimentos e afins,e um objeto semelhante a um cobertor de viagem enrolado,Ele pegou o segundo,e o atirou na cama,fechando o ropeiro em seguida.O cobertor,que era feito de couro curtudito e reforçado,media mais ou menos um metro e meio de comprimento,e estava preso por uma corrente e um sólido cadeado.O cadeado era decorado com diversos símbolos,inteligiveis.Ryan segurou o cadeado,e disse,em voz baixa:-ocigam odaedac,es-arba!.O cadeado se abriu sozinho,soltando a corrente.Ryan desenrolou o objeto,estendendo-o sobre a cama.Dentro dele,havia uma verdadeira coleção de armas:facas de todos os tamanhos,adagas,shurikens,kunais,machados pequenos,ponteiras para lanças,bumerangues,dardos,um arco desmontado,uma aljava de flechas,estacas de madeira e de metal...
As armas mais chamativas eram os cabos das espadas,que além de estarem envoltas naquele pano,estavam guardadas dentro das bainhas.Ryan observou o arsenal por alguns instantes,passou a mão por cima de algumas armas,apanhou o sobretudo de cima da cama e vestiu-o.Em seguida,pegou dois bastões metálicos,de mais ou menos um metro cada,com encaixes em ambas as pontas,e guardou-os em um encaixe por dentro do sobretudo,nas costas.Depois,apanhou uma das ponteiras,um machado pequeno de um unico gume,uma lamina de machado sem cabo,dez estacas metálicas,um bumerangue laminado de quatro pontas e uma faca curva,em seguida ajeitou tudo isso nos compartimentos internos do sobretudo.
Por fim,passou a mão por sobre os cabos das espadas,pegou duas,retirou-as das bainhas e testou-as.A primeira espada tinha o cabo metálico,media mais ou menos um metro e meio,não tinha protetor,tinha pelo menos vinte centímetros de largura e a sua lamina era totalmente verde-escuro.A segunda espada era uma espada bastarda,com um metro de comprimento,uma lamina de no máximo dez centímetros,porem com diversos detalhes na lamina,no cabo e no protetor:a lamina era decorada com marcas de dentes,formando sulcos,além de uma serie de símbolos no meio da lamina.O cabo tinha desenhos semelhantes aos da lamina,e terminava em um desenho semelhante a um morcego.O protetor era adornado com a figura negra e metálica de um morcego,com as asas abertas e os dentes a amostra,com os olhos feitos de rubis.
Depois de testar as espadas,Ryan as guardou nas suas respectivas bainhas,colocou-as nas costas,pelo lado de fora do sobretudo,com dois cintos transversais para segurar as bainhas.-''Estou pronto...''-pensou ele,após ter guardado o pacote de armas de volta no ropeiro,e ter pego uma pedra e uma espécie de isqueiro e ter colocado-os no bolso do sobretudo.Ele foi até uma bacia com água que havia em seu quarto,pegou um pouco de água com as mãos e passou-a no cabelo,deixando-o levantado.Antes de sair do quarto,Ryan ainda pegou e colocou um para de luvas de couro,sem dedos,que estavam em cima da cama.
Já do lado de fora da hospedaria,ele seguiu a rua principal da pequena cidade,até chegar aos limites da cidade,onde começava a montanha Irmoré.Quando chegou ao começo da montanha,Ryan olhou-a de alta a baixo,segurou o medalhão dourado que carregava em seu pescoço,beijou-o e disse em voz baixa:-Me proteja,de onde você estiver,Alanna...-e,enseguida,começou a subir a montanha.O ambiente da montanha era bem aconchegante.Um vento frio soprava do alto,brincando com as folhas caídas no chão.A floresta possui a também muitas arvores,grandes e pequenas,e arbustos de diversos tipos.
Vinte minutos após ter iniciado a subida,Ryan avista um capacete de ferro jogado no chão,onde havia um poça de sangue.Quando vê aquilo,ele se move rápido para de traz de uma arvore e fica observando,a espreita,esperando que algum inimigo aparecesse.Porem nada que fosse ameaçador apareceu.Ainda escondido atrás de uma arvore,Ryan colocou a mão dentro do sobretudo e retirou o machado,que não devia ter mais do que trinta centímetros,além de ter um encaixe do lado oposto ao da lamina.Em seguida,ele pegou a segunda lamina e a encaixou no machado,deixando-o com duas laminas.Depois,ele pegou os bastões metálicos,encaixou um no outro,formando um só,de quase dois metros de comprimento.Em seguida,encaixou junto ao bastão a ponteira de metal,formando uma lança.Quando Ryan tinha terminado de encaixar a parte de baixo da lança,sentiu que havia algo por de traz dele.Em um rápido movimento,abaixou-se e rolou para o lado,escapando por pouco das garras de um enorme urso que estava louco por devora-lo.
-''Como eu não percebi uma coisa deste tamanho se aproximando?''-perguntou-se ele-''Com este tamanho,eu deveria ter ouvido pelo menos o ruido dos galhos e folhas quando ele estava pisando,mas nem isso eu ouvi! Porque será?''.Porem a criatura não havia desistido de seu ataque.Virou de lado e se preparou para mais uma investida.Ryan,de machado e lança em punhos,já estava preparado.A criatura galopou em    direção a ele,se erguendo nas duas patas quando chegou perto para dar uma patada.Em uma fração de segundos o urso estava esticado no chão,morto.Quando atacou Ryan,este apenas deixou o urso passar,dando um passo para o lado,deixando a mão firmemente esticada segurando    o machado com a lamina voltada para o lado do urso.Quando o urso passou,teve a barriga cortada ao meio.
Quando Ryan foi observar a criatura,viu que esta estava se deteriorando.Em pouco tempo,a criatura esfarelara-se em pó verde.-''Um urso conjurado com magia...''-pensou Ryan-''Como pensei.Por isso não consegui ouvir ele se aproximando.Criaturas conjuradas não emitem sons dos pés.''.
-''Mas isso confirma os boatos que ouvi na taberna.Realmente existe um mago nesta montanha,e aposto 100 moedas de ouro como ele está por traz do rapto da filha do prefeito''.Ryan continuou subindo a montanha,um pouco mais cauteloso,de machado e lança nas mãos,observando cada detalhe da trilha que seguia.Depois de andar mais uns 200 metros,encontrou o bárbaro,pregado em uma arvore,sem cabeça.Foi encontrar a sua cabeça uns 50 metros adiante,jogada no chão.-''Só falta o mago...''-pensou.
Finalmente,chegou a uma parte menos escarpada da montanha,entre dois enormes rochedos.A trilha da montanha continuava por detrás dos rochedos.Ryan parou,colocou a mão no bolso e retirou um pequeno mapa.-''Só mais uns 400 metros e devo encontrar o tal forte onde dizem que mora o mago''.-pensou ele,após dar uma rápida olhada no mapa e te-lo novamente guardado.Então,Ryan percebeu que tinha um homem sentado sobre um dos rochedos.Encapuzado,usando um robe longo,que lhe cobria as pernas,o homem tocava uma flauta de pã.O homem já tinha notado a presença de Ryan,e,após terminar a sua canção,falou a ele:-Olá,viajante errante...O que procura por estas terras ermas?
-Procuro uma menina loira,meia -elfa,de mais ou menos 19 anos.Por acaso você viu alguma?
-Não,a tempos que não vejo donzelas por essas terras.
-Entendo...Mas,por acaso pode me dizer o que há por detrás destes rochedos?
-A montanha acaba aqui.Depois dos rochedos é muito ingrime.Um verdadeiro penhasco.Sómente craituras muito fortes conseguem cruzar a montanha,os humanos comuns não conseguem.
-Criaturas muito fortes é...?Como o que? Um Hogbear? Um Anão? Ou talvez um ogro...?
-Não sei que está falando!!!-retrucou o homem,nervosamente,por de traz do capuz-Não aparecem ogros por aqui a muitos anos.
-Não me diga...Bom,de qualquer maneira,eu vou seguir em frente.Adeus eremita errante.-porem,quando Ryan deu-lhe as costas,preparando-se para continuar a trilha por detrás dos rochedos,o homem levantou-se do rochedo onde esta sentado e disse a Ryan,com raiva:
-Acho ue não fui muito claro...Você não pode cruzar deste ponto em diante!!!
-E porque não?
-Porque eu sou o dono desta montanha, e proíbo a entrada de estranhos deste ponto em diante!!!
-Engraçado...Não vejo o seu nome escrito em nenhum lugar desta montanha...
-Estou lhe avisando por bem...Está montanha é minha,e eu não permito que você passe!De meia volta,se dá valor a sua miserável vida!E não se meta nos negócios dos outros!
-Se não o que vai me acontecer...?
-Não diga que eu não avisei...-o homem ergueu as mãos,uma fumaça verde se formou a sua volta.-etron od sonissassa sobol,mahnev!!!-disse o homem.A fumaça verde desapareceu.Oito lobos cinzentos,enormes,apareceram,de varias direções,cercando Ryan.
-Agora,livre-se disso,herói!!!-disse o homem,sumindo em meio a uma estranha nevoa.Os lobos rangiam os dentes,o pelo ouriçado.-''Hum...Acho que estou em uma situação no mínimo curiosa...''-pensou Ryan.Os lobos preparavam-se para atacar.Porem,Ryan esta tranqüilo,muito calmo.
-Vamos totó...Quero ver se algum de vocês vai conseguir me tirar uma gota de sangue...-disse ele,enquanto segurava uma estaca de metal por entre os dentes,o machado em uma mão,a lança na outra.
Então começou.Todos os lobos pularam na direção de Ryan,quase ao mesmo tempo.O combate todo porem,não durou mais de quarenta segundos.Ryan desviou do pulo do primeiro lobo,acertando-lhe uma machadada nas costas,o que o matou instantaneamente.Os dois lobos seguintes vieram parelhos em direção a Ryan,que os golpeou com ambas as armas,matando-os instantaneamente.O quarto lobo pulou por traz de Ryan,chegando a morde lo,porem os dentes eram fracos,e não conseguiram perfurar a armadura,sendo que Ryan o matou com o machado.O quinto e o sexto lobo já estavam bem perto,e já iam saltar em Ryan.Este arremessou a lança,que pegou o quinto lobo durante o seu pulo,cravando-o em uma arvore.O sexto lobo estava atacando Ryam quando este arremessou o machado,quebrando o crânio do lobo.O sétimo lobo também atacou,porem teve a mandíbula perfurada pela estaca de metal.Por fim,quando o oitavo lobo atacou,Ryan o segurou pela garganta com uma mão,em pleno salto,e apertou a garganta do lobo até quebrar os ossos,e a garganta explodir em sangue.
Ryan observou as rochas e finalmente passou por detrás delas.Apos andar mais duzentos metros,avistou algo semelhante a um pequeno forte.De fato,quando chegou perto,constatou tratar-se mesmo de um forte,embora pequeno,feito de madeira.O pesado portão do forte estava fechado.Observando o portão,Ryan ouviu o que parecia ser o choro de uma jovem,vindo de dentro do forte.-''Não resta duvidas...''pensou ele-''A minha recompense está dentro deste forte...''.Em seguida,Colocou a mão sobre o cabo da espada de lamina verde,retirando-a da binha.Quando terminou de retirar a espada de sua bainha,desferiu três golpes em direção ao portão do forte,dois em transversal,formando um xis,e um na vertical,exatamente no meio do portão.Porem nada aconteceu.Então,Ryan encostou a ponta da espada no centro do desenho formado pelos golpes desferidos.O portão ruiu como um castelo de cartas.
Mesmo com a poeira levantada pela queda do enorme portão,Ryan adentrou o forte,com a espada de lamina verde apoiada no ombro.Uma voz familiar soou no meio da poeira:-Vejo que conseguiu sobreviver aos meus lobos,assim como sobreviveu ao urso...-
-''Como ele me vê com toda essa poeira...?''-pensou Ryan,enquanto caminhava por entre a poeira que demorava a baixar.
-Mas duvido que sobreviva a isso!!!-disse a voz.
-A isso,o que?-perguntou Ryan.
De dentro da poeira,uma enorme mão verde surgiu,brandindo um machado.Ryan saltou para o lado,desviando do golpe.Então,ele vê o que estava o atacando:o ogro que o prefeito disse ter visto raptar sua filha.O enorme ogro,de uns 3 metros de altura,babava uma gosma escura pela boca,onde apareciam do lado de fora dois dentes,ou melhor,duas presas de quase vinte centimetros.A horrenda criatura usava uma pesada armadura de ferro reforçado,um capacete pitoresco e segurava um machado quase do tamanho de Ryan.O ogro ergueu    novamente o machado,e desferiu outro golpe.Ryan,sem ter como esquivar pois suas costas estavam voltadas para uma das paredes do forte,aparou o golpe do machado com sua espada,desviando o golpe para o lado.Ryan golpeou a criatura,arrancando a parte da armadura que lhe protegia o ombro,e cortando a grossa pele verde escuro.
O ogro urrou de dor.Ele colocou a mão nas costas e sacou um segundo machado,identico.Novamente o ogro golpeou Ryan.Este desviou o golpe do primeiro machado,mas como o segundo vinha do alto,Ryan cravou a espada no chão,e ficou de cabeça para baixo,apoiado com uma das mãos na ponta do cabo da espada,escapando do terrível golpe.O segundo machado do ogro cravou no chão após ter falhado em acertar Ryan,que aproveitou a chance,pulou,deu um giro com o corpo,e em pleno ar,agarrou a espada com uma das mãos,golpeando a criatura na altura do peito,quebrando partes da armadura e cortando profundamente a pele do ogro.
Porem,ao encerrar o ataque,e pisar no chão novamente,Ryan foi surpreendido pelo ogro,que já estava sangrando.A criatura o acertara com um dos machados,fazendo-o soltar a espada,que voou longe,indo se cravar numa das paredes do forte.O braço de Ryan sangrou com ataque,devido a força com que tinha sido aplicado.A criatura estava agora em frenesi,enrraivecida.Preparou-se novamente para atacar,levantando os machados.Como o ogro bloqueara seu caminho até a espada de lamina verde,cravada na parede do forte,Ryan sacou a segunda espada que tinha trazido com ele.Ao ser desembainhada,da boca do morcego que enfeitava o protetor da espada saiu uma pequena névoa negra.Ryan deu um salto atraz,desviando do ataque do ogro,que,sem perder tempo,se preparava para outro ataque.
Ryan segurou a espada com a lamina para baixo,observou o morcego que ostentava o protetor da espada e,enseguida,cravou os dentes da pequena gravura em sua mão.Os olhos do morcego começaram a brilhar em vermelho.Ryan fechou os olhos de dor.O morcego estava sugando seu sangue.Apos um breve período de tempo,Ryan retirou os dentes de sua mão.A boca do morcego se fechou.As bordas da lamina da espada,onde não havia inscrições,agora eram vermelhas.A menina dos olhos de Ryan se tornara vermelha tambem.Uma névoa negra,juntamente com uma escura aura,se formara em torno de Ryan e da espada.Ryan apontou a espada na direção do ogro,e disse:-Arua Ciripmav!!!.Gotículas de sangue começaram a sair dos ferimentos da criatura,envolvendo o braço machucado de Ryan,que em segundos estava totalmente curado.
O ogro começou a correr em direção a Ryan,porem,quando ergueu um dos braços para golpear com o machado,Ryan pulou e decepou o braço fora com um unico golpe.Com o toco de braço restante jorrando sangue,a criatura urrou alto o suficiente para ser ouvido da cidade.Cego de raiva,o ogro correu direção a Ryan novamente,golpeando com o machado.Ryan destruiu o machado ao defender o golpe,ao mesmo tempo em que provocou um corte na lateral do braço direito do ogro,quase partindo o braço ao meio.
Acuada,a criatura olhava para seu mestre,que observava a luta do outro lado do forte,implorando ajuda com o olhar,já que não sabia falar.Porem o lorde-mago não mecheu um músculo,apavorado com o poder do mercenário.-Apenas aceite a sua derrota e morra com alguma honra...-disse Ryan,segurando a espada com as duas mãos,enquanto caminhava em direção ao ogro.Sem ter com o que se defender,a criatura tentou fugir mas caiu de joelhos,incapacitado de andar.Ryan pulou em direção ao ogro,transpassando-o.Quando passou pelo ogro,este estava morto,cortado ao meio pela espada de Ryan.
Do outro lado do forte,o lorde observava a tudo apavorado.Quando deu por si,Ryan já estava perto dele,caminhando tranqüilamente,com seu olhar vermelho demoníaco,e com a espada emitindo uma névoa negra em sua volta.Ryan caminhou até uma parede do forte,e retirou a espada de lamina verde que tinha se cravado ali.Enseguida,após guardar a espada nas costas,dirigiu-se em direção ao lord.Este,apavorado,sacou seu livro de magias,começando a folhea-lo,procurando algo que pudesse ajuda-lo.Quando menos esperava,uma estaca metálica cravou a sua mão direita na parede,no instante em que ele ia lançar uma magia.O lorde deixou cair o livro,pois entrou em choque olhando para a sua mão cravada na parede.Quando tornou a olhar para a frente,Ryan já estava parado ali,apontando a ponta da espada para sua garganta.
-Onde está a garota?-perguntou Ryan.
-Nunca vou dizer!!-respondeu o lorde.
-Seja razoavel...Olhe a sua situação...Eu matei o seu ogro de estimação,você já não pode conjurar nenhuma magia...me diga,onde está a garota,ou cortarei a sua garganta.Se me dizer onde ela está,eu posso poupar a sua vida miserável.
Após relutar por alguns instantes,o lorde cedeu ante a espada de Ryan:-Está bem,você venceu!A garota está no segundo andar desta torre...
Ryan observou a torre que o lorde lhe mostrava,e que ficava mais para o fim do forte.-Está bem velho!-disse Ryan,puxando o lorde da parede,o que rasgou a mão dele,pois ainda estava presa na parede, jogando-o no chão mais adiante.Enseguida,Ryan cortou os tendões de um dos pés do homem,impedindo-o de andar.-Eu volto daqui a pouco...Se ela não estiver lá,eu volto para te matar.Se ela estiver,eu poupo a sua vida.-disse Ryan,indo em direção a torre.
-Maldito!Nunca vai conseguir tira-la de lá!A porta do primeiro andar é selada com magia!Nenhum mortal conseguirá passar!-praguejou o homem,entre gritos de dor segurando a mão ensanguentada.Porem Ryan não deu a menor atanção ao avise do lorde,e seguiu caminhando até a torre.Quando chegou a porta da torre,observou que realmente era mágica,com diversos símbolos gravados por toda a enorme porta.Ele empunhou a espada de lamina avermelhada e golpeou a porta diversas vezes,provocando somente arranhões.Insatisfeito,ele observou o resto do prédio,a janela do segundo andar e novamente a porta.Após pensar por alguns segundos,se afastou alguns passos da torre e gritou:-Se tiver alguém no segundo andar desta torre,se afaste da janela,pois a parede dela será destroçada!.Dentro da torre ouviu-se um grito de espanto e o som de passos apresados.
Ryan se concentrou,segurando a espada firmemente na mão esquerda.Enseguida,correu a toda velocidade,subindo a torre verticalmente.Quando atingiu a altura da divisão entre o segundo e o primeiro andar,ele saltou e golpeou a parede do segundo andar duas vezes,destroçando a parede.Emseguida,girou o corpo ainda no ar,aterrissando de pé.Apos a poeira baixar,uma figura humana apareceu por entre os restos da parede.Conforme a descrição que tinha recebido,era a filha do prefeito.A garota apareceu se esgueirando por de traz do que sobrará da parede.
-Quem é você...?
-Ryan.
-Quem?
-Ryan,o famoso mercenário,conhecido por todo o continente,aquele que tem a fama de invencível.!!!!-disse Ryan,irritado pela insolência da menina.
-Tá bom,desculpa!-disse a garota,tapando os ouvidos-Não precisa gritar!
-Tudo bem...Agora,pule,para eu poder te levar devolta para o seu pai.
-Pular?Você deve estar brincando!Olha a altura em que estou.
-Ai,ai...-suspirou Ryan,cravando a espada no chão e estendendo os braços-Eu te pego,pode pular sem medo.
-Porque você não abriu a porta da torre?Era mais fácil!
-Por que ela está selada com magia! Que droga,não é possível abrir a porta,exceto se eu fosse um mago!
-Ora,você não é o conhecido guerreiro,famoso pelo    continente,conhecido pela invencibilidade e poder...?-disse a menina,não segurando o riso.
-Grrrr....!!!Estou começando a me irritar com você!-disse Ryan,olhando com uma cara de bravo para ela-Vou embora.Você que se vire....
-Espera! Tá bom,desculpa se te insultei...Por favor me salva...
-Certo.Aceito as suas desculpas...Mas por favor,pule logo.
-É que eu estou com medo....
-Feche os olhos e se jogue de costas.Pode confiar em mim...
-Tem certeza...?
-Absoluta.
-Está bem...Eu confio em você.
A menina fechou os olhos,e,após exitar por um instante,se jogou de costas.Quando ela abriu os olhos,pensando que estava morta,estava nos braços de Ryan.Este a colocou no chão,e disse:-Vamos...o caminho até a cidade é longe...
A menina fitou a aquele sujeito,alto e forte,de olhar tão tenro e ao mesmo tempo tão frio...olhou-o com um olhar de ternura,e se surpreendeu ao receber um sorriso de volta.Olhando tenramente para ela,Ryan disse:-Você me deve 300 moedas...
-O que????-gritou ela,espantada e irritada.
-Brincadeira!!!-disse ele,coçando a cabeça-É que eu não sou um herói,e sim um mercenario.Tudo o que eu fasso é por dinheiro.Bem,quase tudo....
Ryan a desceu dos seus braços,e começou a caminhar em direção a saída do forte,com a garota caminhando logo atrás dele.
Porem,após darem alguns passos,se depararam com o lorde,ensangüentado,com olhos estremecendo de raiva,segurando um espada com as mãos tremulas.A garota,que fora ameaçada por ele durante a semana em que esteve presa na torre,se assustou,levando as mãos no rosto e dando alguns passos para trás.Porem Ryan a segurou pelo braço,virou-se e sorriu.Aquele sorriso a acalmou,embora ela propia não soubesse porque.
-Você não vai levá-la sem antes me derrotar,seu desgraçado!!!-bradou o lorde,erguendo sofridamente a espada.O estado do lorde era péssimo,tinha abandonado a cartola,tinha a roupa rasgada e ensangüentada e seu cabelo,antes rigoramente arrumado,agora parecia o de um mendigo.
-É realmente um milagre você estar vivo...-disse Ryan,passando as mãos pelos cabos das espadas,porem,quando ia escolher uma delas,relutou,colocou a mão dentro do sobretudo,e retirou o bumerangue de quatro laminas,dizendo ao lorde:-Você não merece a honra de morrer por uma das minhas espadas.Somente inimigos de honra e coragem podem morrer por elas.
-Como é que é?!?!?-exclamou o lorde,tremendo de raiva-Não me subestime seu idiota!.O lorde correu colocando a sua força nos punhos,e desferiu um golpe em direção a Ryan.Quando pensou ter acertado,porem,viu que tinha atingido o ar.Ele não viu mais nada,além de uma lamina atravessada em seu peito,e de seu sangue jorrando.Ele não viu de onde Ryan atacara.O lorde estendeu a mão em direção a garota,porem agora só enchergava vultos.Até que ele fechou os olhos e não se moveu mais.
A garota tremia,em parte por causa do frio vento que soprava,em parte da horrível cena que acabará de presenciar.Ela já tinha visto batalhas e lutas antes,durante sua visita aos coliseus das grandes cidades junto de sue pai,mas nunca tinha visto um homem morrer tão rapidamente e de modo tão brutal.Quem era aquele homem,ao mesmo tempo gentil e alegre,ao mesmo tempo melancólico e frio.Ela nem se deu conta quando Ryan se aproximou dela,colocando sobre os ombros dela o seu sobretudo,deixando a amostra a armadura cor de sangue.A garota olhava-o com medo ao mesmo tempo que olhava com respeito e adimirtação.Porem o medo era o sentimento que aflorava neste momento.
Ryan estava com o olhar melancólico agora,porem lhe deu um sorriso,aliviado a tensão que ela estava sentindo.
-Desculpe por te-la feito olhar este pequeno espetaculo...-disse Ryan.
-Tudo bem....eu acho...
-Depois de um tempo você vai esquecer....
-Eu espero...
-Agora sabe que tipo de trabalho é o meu.Você não é a primeira que testemunha isto.Agora,vamos sair daqui.Prometi levar você devolta para seu pai antes do por do sol.
-Certo.-respondeu Ilude.
Ambos recomeçaram o lento caminhar,que tinha sido interrompido pelo lorde.Quando cruzaram o portão destruído do forte,Ilude lançou um longo olhar em direção ao forte,suspirando.
-Gostaria que este lugar deixa-se de existir...por que sempre que eu olhar para a montanha,terei de lembrar dos dias que passei aqui...-disse ela.Ryan a observou por alguns instantes.Em seguida,colocou a mão sobre o cabo da espada de lamina verde,dizendo:-Se este é seu desejo,tudo bem.
-Hã?!
-De cinco passos atrás,por favor.
-Tudo bem...-disse Ilude,dando alguns passos atras.
Ryan retirou a espada da bainha e segurou-a com as duas mãos,fechando os olhos e se concentrando.E assim ficou por alguns instantes.Uma fraca aura verde começou a circundar a lamina da espada,até que a aura se uniu a lamina,que agora brilhava em um tom de verde radiante.Ryan abriu os olhos e disse:-Wabisuchy,a espada sagrada da natureza...-a luz emitida pela espada se tornou ainda mais forte.Finalmente,Ryan gritou,golpeando o chão com a ponta da espada voltada para o forte:-Otomerret!
Um grande terremoto atingiu o forte,devastando tudo,pedra por pedra,tábua por tabua.O terremoto todo não durará mais que um minuto,mas destruirá completamente o forte.Ryan guardou a espada novamente na bainha.Ilude não cansara-se de espantar-se com seu salvador,que a surpreendia cada vez mais.
Os dois desceram a montanha,adentrando na cidade exatamente ao por do sol.O prefeito estava esperando ansiosamente na entrada da cidade,sentado sob um tronco de árvore.Ao avistar sua filha chegando,o prefeito saltou de cima do tronco,correndo em direção a ela e abraçandoa.Agora prefeito e filha choravam juntos,abraçados.
Ryan observou a cena em silencio,em seguida virando-se e observando o por do sol.Sua armadura vermelha brilhava com o por do sol.-''As vezes essa vida amarga e violenta me traz algumas recompensas.''-pensou,sorrindo.Então Ryan começou a caminhar em direção a hospedaria,quando um dos acessores do prefeito o abordou no meio do caminho,lhe entregando um pequeno saquinho com trezentas moedas de prata.Ryan agradeceu e retornou a hospedaria.Na hospedaria,guardou suas coisas,arrumou seus pertences e tornou a vestir roupas comuns por sobre a armadura.Colocou a mochila e o arsenal nas costas,pagou o hospedeiro e saiu.
Quando se dirigia para a saída da cidade,a filha do prefeito e o prefeito abordaram-o,para lhe agradecer.
-Não tenho palavras para lhe agradecer,Ryan...-disse o prefeito,com lágrimas nos olhos.
-Ora,não foi nada...Afinal você me contratou,era o meu serviço....
-Eu sei,eu sei...Mas,e aqueles três que subiram a montanha?Você os encontrou?
-Só o que restou deles...
-É uma pena,heróis tão bravos e corajosos...
-Ryan...-disse Ilude-Seu casaco!
-Obrigado...-respondeu Ryan.Porem,quando Ilude lhe devolveu o casaco,esta se inclinou em sua direção e o beijou nos labios.O rosto de Ryan tornou-se vermelho,enquanto ele ainda estava espantado com o fato inesperado.
-Adeus!-gritou Ilude,correndo em direção a praça da cidade.
-Adeus,Ryan...-disse o prefeito-Você será sempre muito bem recebido em nossa cidade.
-Obrigado prefeito...Adeus!
Ryan caminhou em direção a estrada principal,quando avisou,na beira da estrada,o garotinho que tinha tentado lhe roubar mais cedo.Quando se aproximou,colocou a mão no saco de moedas,pegou um pequeno punhado e entregou ao garoto dizendo:-Nunca mais roube de ninguem...O garoto sorriu,com os olhos brilhando de felicidade,e correu em direção a sua casa.
-''Acho que estou amoleçendo o coração....''-pensou Ryan,retomando sua caminhada,até sumir após uma colina,sob a luz do por do sol.






Publicado no site: O Melhor da Web em 19/08/2009
Código do Texto: 37106
AQUI VOCÊ INTERAGE DIRETAMENTE COM O(a) AUTOR(a) DA OBRA! DEIXE UM COMENTÁRIO REFERENTE AO TEXTO! É FÁCIL, É LEGAL, VALE A PENA!
Caderno Comente esse Texto - Seja o primeiro a comentar!
Obras do(a) Autor(a):


Lomadee, uma nova espécie na web. A maior plataforma de afiliados da América Latina.