Espaço Literário

O Melhor da Web



Busca por Autores (ordem alfabética)
Busca Geral:
Nome/login (Autor)
Título
Texto
jessebarbosa - JESSÉ BARBOSA DE OLIVEIRA
JESSÉ BARBOSA DE OLIVEIRA
Cadastrado desde: 11/06/2008

Texto mais recente: COMEDORES DE SOBRAS



Necessita estar logado! Adicionar como fã (necessita estar logado)
 
Recado
Contato

Conheça a Página de JESSÉ BARBOSA DE OLIVEIRA , agora só falta você!
http://www.poesias.omelhordaweb.com.br/pagina_autor.php?cdEscritor=405

 
Textos & Poesias || Social
Imprimir - Impressora!
Imprimir
PENUMBRA DA VIOLÊNCIA
11/06/2008
Autor(a): JESSÉ BARBOSA DE OLIVEIRA
VOTE!
TEXTO ELEITO
0
Após 100 votos, o Texto Eleito será exibido em uma página que irá reunir somente os mais votados.
Só é permitido um voto por Internauta por dia.
Achou o texto ótimo, VOTE! Participe!
ELEJA OS MELHORES TEXTOS DA WEB!
PENUMBRA DA VIOLÊNCIA

                           PENUMBRA DA VIOLÊNCIA


Eles dizem que os habitantes da senzala contemporânea
Não são merecedores da diafaneidade da revolta,
Mesmo quando vêem o apagar abominável de sua flama
Já tão esmaecida pela vida miseravelmente cotidiana


Como se a centelha de um arquiteto popular de casas
Não tivesse a mesma têmpera que a de um menestrel, que platéias
Arrebata, através da lírica soprada por densa flauta de fragas
                          

Como se aquela que levanta sob o afago dissaboroso
Do céu da alvorada, para depurar os castelos urbanos,
Não se irmanasse em importância aos catadores de lixo Cibernético, que limpam as cybercidades,
Onde alguns poucos de nós habitamos mentecaptos e tão Crédulos de nossa superioridade!


Eles, pescadores de achismos e filhos do estamental egoísmo,
Pensam que, por estarem sob os holofotes da voga, merecem
Imadiato reparo pelas balas da perda que os alvejam ao sol do
                                                            Agora]                                                               

No entanto, a eles se deve dizer:
Todo dia uma digna luz da vida é apagada;
Todo dia vigas da existência são destroçadas;
Todo dia tombam mães e pais de família, curtidos de sol
                                                                                                                     [E de labuta,
Pelas mãos dos revólveres da legalização segura;
Ou perdem seus filhos para as falsas promessas do capital,
Que traz consigo o rastro bruno que desponta no lato sorriso
Do horizonte da Anti-Aurora Imperial



Portanto, cessemos definitivamente de verter os inefáveis Granizos da hipocrisia.
Se vamos chorar, choremos, então, não tão-somente por
Vaga-lumes que julgam estar no auge da sua luminescência;
Todavia, sobretudo, com o mesmo ardor pelos seus congêneres,
Que erram por aí, quase sempre ofuscados pela inexorável
Sombra da mendicância, do padecimento, da desventura
                     [Do anonimato que se propala, abunda!



JESSÉ BARBOSA DE OLIVEIRA


Publicado no site: O Melhor da Web em 11/06/2008
Código do Texto: 4346
AQUI VOCÊ INTERAGE DIRETAMENTE COM O(a) AUTOR(a) DA OBRA! DEIXE UM COMENTÁRIO REFERENTE AO TEXTO! É FÁCIL, É LEGAL, VALE A PENA!
Caderno Comente esse Texto - Seja o primeiro a comentar!
Obras do(a) Autor(a):


Lomadee, uma nova espécie na web. A maior plataforma de afiliados da América Latina.