Espaço Literário

O Melhor da Web

 

Parceria de Sucesso entre o site Poesias www.omelhordaweb.com.br e o www.efuturo.com.br
Confira. Adicione seus textos nele. O eFUTURO já começou.

Indicamos:Efuturo.com.br - Efuturo é uma Rede Social de Conhecimento, Ensino, Aprendizado Colaborativo, Jogos Educativos e Espaço Literário.


Busca por Autores (ordem alfabética)
Busca Geral:
Nome/login (Autor)
Título
Texto
jessebarbosa - JESSÉ BARBOSA DE OLIVEIRA
JESSÉ BARBOSA DE OLIVEIRA
Cadastrado desde: 11/06/2008

Texto mais recente: COMEDORES DE SOBRAS



Necessita estar logado! Adicionar como fã (necessita estar logado)
 
Recado
Contato

Conheça a Página de JESSÉ BARBOSA DE OLIVEIRA , agora só falta você!
http://www.poesias.omelhordaweb.com.br/pagina_autor.php?cdEscritor=405

 
Textos & Poesias || Desilusão
Imprimir - Impressora!
Imprimir
CAIS PARTICULARMENTE IMPERMEÁVEL
11/06/2008
Autor(a): JESSÉ BARBOSA DE OLIVEIRA
VOTE!
TEXTO ELEITO
0
Após 100 votos, o Texto Eleito será exibido em uma página que irá reunir somente os mais votados.
Só é permitido um voto por Internauta por dia.
Achou o texto ótimo, VOTE! Participe!
ELEJA OS MELHORES TEXTOS DA WEB!
CAIS PARTICULARMENTE IMPERMEÁVEL

CAIS PARTICULARMENTE IMPERMEÁVEL


Quero me ancorar no porto
Onde a maioria de nós ancora:
O seu espaço é altruísta, aberto
A qualquer um que nele
Queira vitaliciamente fazer o seu réquiem.
Réquiem qual embarca no veleiro do sabor da brisa
Dos idílios vividos: sim, na brama da saciedade, adormecidos.


Mas o problema que inquinodoa tal perspectiva
Sou eu: mar de malogros, cobardias e torturas.
Sou o meu próprio obstáculo: basta dizer que,
Quando um ânimo leviano me ataca, aos afagos,
A sombra da irresolução logo em mim paira inexorável.
Ah, o amargo das tormentas dum homem-barco
Vivendo no trapiche melancólico do naufrágio-fracasso!


Eu, enleado á bruma dos meus medos,
Fico a paralisar as ações da minha vontade,
Que sempre fica a querer rumar,
O quão mais rápido possa,
Para o porto-comuna da máxima glória.   
Ah, morar eternamente no tornado benfazejo do éden,
Onde chegam as almas teimosas!


Contudo, a inação, com seu riso sardônico, me suplanta.
As chagas cicatrizadas reabrem: novamente afloram, inflamam.
Domam-me, porfim, outra vez, os demônios de outrora.
Ah, ode que ecoa nas sáfaras portuárias da minha memória.

JESSÉ BARBOSA DE OLIVEIRA
jessebarbosadeoliveira@yahoo.com.br




Publicado no site: O Melhor da Web em 11/06/2008
Código do Texto: 4355
AQUI VOCÊ INTERAGE DIRETAMENTE COM O(a) AUTOR(a) DA OBRA! DEIXE UM COMENTÁRIO REFERENTE AO TEXTO! É FÁCIL, É LEGAL, VALE A PENA!
Caderno Comente esse Texto - Seja o primeiro a comentar!
Obras do(a) Autor(a):