Espaço Literário

O Melhor da Web

 

Parceria de Sucesso entre o site Poesias www.omelhordaweb.com.br e o www.efuturo.com.br
Confira. Adicione seus textos nele. O eFUTURO já começou.

Indicamos:Efuturo.com.br - Efuturo é uma Rede Social de Conhecimento, Ensino, Aprendizado Colaborativo, Jogos Educativos e Espaço Literário.


Busca por Autores (ordem alfabética)
Busca Geral:
Nome/login (Autor)
Título
Texto
Vilma Oliveira - VILMA OLIVEIRA
VILMA OLIVEIRA
Cadastrado desde: 06/05/2008

Texto mais recente: HORAS QUE PASSAM... (Parte I)



Necessita estar logado! Adicionar como fã (necessita estar logado)
 
Recado
Contato

Conheça a Página de VILMA OLIVEIRA , agora só falta você!
http://www.poesias.omelhordaweb.com.br/pagina_autor.php?cdEscritor=283

 
Textos & Poesias || Amor
Imprimir - Impressora!
Imprimir
A CHAMA DO AMOR ETERNO
04/11/2008
Autor(a): VILMA OLIVEIRA
VOTE!
TEXTO ELEITO
0
Após 100 votos, o Texto Eleito será exibido em uma página que irá reunir somente os mais votados.
Só é permitido um voto por Internauta por dia.
Achou o texto ótimo, VOTE! Participe!
ELEJA OS MELHORES TEXTOS DA WEB!
A CHAMA DO AMOR ETERNO


Um dia, ouvimos falar na chama do amor Eterno
E, desejamos também como tantos outros...
Porém, teríamos que alcançar a gruta
Onde a tocha se encontrava guardada.

Começamos a caminhar lado a lado,
Em silêncio. Com passos cautelosos
E medidos. Com um leve sussurro nos lábios
Enfrentamos os leões famintos
Atravessamos as águas dos rios bem devagar,
Pisando mansamente, sem rumores...

Os peixes coloridos andavam nas águas
Límpidas. As flores cobriam o chão e as aves
Voavam baixo, quase pousando em nossos ombros.
E cantavam alegremente em meio a tantas
Belezas, onde pairava uma irresistível magia...

Seguimos em silêncio, mas, com determinação.
Vencemos o cansaço dos dias e das noites
E, finalmente, eis a gruta de cristal
Brilhando ao sol como uma imensa
Pedra preciosa, toda revestida de espelhos...

Corremos até ela e vimos nossos rostos
Refletidos. Ao invés, de uma tocha gigante,
Havia a tênue chama de uma lamparina.
Entreolhamo-nos surpresos. Então, a chama
Do amor Eterno era apenas um pequeno olho
De luz alimentado a óleo que poderia
Apagar-se a qualquer momento?

Abraçamo-nos ante a pequena chama
Todo ambiente da gruta fez-se impregnado
De uma profunda ternura. Compreendemos, enfim,
Que o amor não era mais que frágil luz de lamparina.
Queimaria para sempre, sem no entanto, esquecer
De colocar o óleo sem falhar todos os dias, todos os dias...


Publicado no site: O Melhor da Web em 04/11/2008
Código do Texto: 5249
AQUI VOCÊ INTERAGE DIRETAMENTE COM O(a) AUTOR(a) DA OBRA! DEIXE UM COMENTÁRIO REFERENTE AO TEXTO! É FÁCIL, É LEGAL, VALE A PENA!
Caderno Comente esse Texto - Seja o primeiro a comentar!
Obras do(a) Autor(a):