Espaço Literário

O Melhor da Web



Busca por Autores (ordem alfabética)
Busca Geral:
Nome/login (Autor)
Título
Texto
Betimartins - ELIZABETE MARTINS
ELIZABETE MARTINS
Cadastrado desde: 13/12/2008

Texto mais recente: Hino de amor à natureza



Necessita estar logado! Adicionar como fã (necessita estar logado)
 
Recado
Contato

Conheça a Página de ELIZABETE MARTINS , agora só falta você!
http://www.poesias.omelhordaweb.com.br/pagina_autor.php?cdEscritor=941

 
Textos & Poesias || Reflexões
Imprimir - Impressora!
Imprimir
Na voz do poeta.
27/10/2010
Autor(a): ELIZABETE MARTINS
VOTE!
TEXTO ELEITO
0
Após 100 votos, o Texto Eleito será exibido em uma página que irá reunir somente os mais votados.
Só é permitido um voto por Internauta por dia.
Achou o texto ótimo, VOTE! Participe!
ELEJA OS MELHORES TEXTOS DA WEB!
Na voz do poeta.

Na voz do poeta.

O poeta é a luz que clareia na suavidade dos poemas, ele transforma um palco, nos mais belos contos na arte dos enganos.
O poeta transforma a floresta queimada por belas clareiras verdes, cheirosas, onde a vida é clamorosa e altiva.
O poeta chora, mas mente nas suas poesias falando de amor, trazendo a lua resgatada ao teu encontro nua e cheia de mistérios somente para ti e para sonhares...
O poeta fica possesso de tristeza quando vê o sofrimento e escreve sem parar coisas que para muitos são excrementos e outros tocam corações...
O poeta ama também, sente medo, sente solidão, mas nunca pode deixar de escrever as paginas do seu templo onde ninguém magoa, e pode calar...
O poeta o sente desprezo dos outros poetas e fica magoado, mas sempre segue com a sua boca velada no tempo.
O poeta gosta de sonhar, trazer seus sonhos repletos de estrelas a cintilar, no cantinho da sua esperança nobre de um dia alguém se lembrar...
O poeta também caminha na sombra, gosta de penumbra, só assim pode trazer a beleza do dia para ti.
O poeta gosta de viver, ele ama as coisas sem escolhas e delas trazer as memórias um dia, na sua lapide fria e esquecida pelo tempo.
O poeta grita, com alento magoado pela rouquidão da sua voz, deixando as lamentações o guiar como luzes da subtil vida por ele escrita um dia...
O poeta gosta de pintar também o mais belo quadro de amor, onde a nudez é fatal na rima do poema vivo, do desejo insano da poesia...
O poeta caminha na valsa do tempo, deixando-se namorar pela rima, pela prosa e no conto ele poder extravasar seus fantasmas ainda escondidos na gaveta da sua secretária...
È o poeta, sofre na quietude do tempo, o seu    tempo submisso, amando cada dia na inspiração da sua musa, do seu belo despertar na penumbra do quarto solitário mas que ninguém pode acessar a não ser nas suas paginas escritas largadas um dia na poeira do tempo esquecido....


Publicado no site: O Melhor da Web em 27/10/2010
Código do Texto: 66158
AQUI VOCÊ INTERAGE DIRETAMENTE COM O(a) AUTOR(a) DA OBRA! DEIXE UM COMENTÁRIO REFERENTE AO TEXTO! É FÁCIL, É LEGAL, VALE A PENA!
Caderno Comente esse Texto - Seja o primeiro a comentar!
Obras do(a) Autor(a):


Lomadee, uma nova espécie na web. A maior plataforma de afiliados da América Latina.