Espaço Literário

O Melhor da Web



Busca por Autores (ordem alfabética)
Busca Geral:
Nome/login (Autor)
Título
Texto
Manu - MANUELA
MANUELA
Cadastrado desde: 23/04/2012

Texto mais recente: Vento (A.M. Pires Cabral) (+tradução italiana)



Necessita estar logado! Adicionar como fã (necessita estar logado)
 
Recado
Contato

Conheça a Página de MANUELA , agora só falta você!
http://www.poesias.omelhordaweb.com.br/pagina_autor.php?cdEscritor=6281

 
Textos & Poesias || Poema
Imprimir - Impressora!
Imprimir
O Poema (Sofia de Mello Breyner Andresen) (+tradução italiana)
28/09/2012
Autor(a): MANUELA
VOTE!
TEXTO ELEITO
3
Após 100 votos, o Texto Eleito será exibido em uma página que irá reunir somente os mais votados.
Só é permitido um voto por Internauta por dia.
Achou o texto ótimo, VOTE! Participe!
ELEJA OS MELHORES TEXTOS DA WEB!
 
96293 O Poema (Sofia de Mello Breyner Andresen) (+tradução italiana) Manu - MANUELA
O Poema (Sofia de Mello Breyner Andresen) (+tradução italiana)

O poema me levará no tempo
Quando eu já não for eu
E passarei sozinha
Entre as mãos de quem lê

O poema alguém o dirá
Às searas

Sua passagem se confundirá
Com o rumor do mar com o passar do vento

O poema habitará
O espaço mais concreto e mais atento

No ar claro nas tardes transparentes
Suas sílabas redondas
(Ó antigas ó longas
Eternas tardes lisas)

Mesmo que eu morra o poema encontrará
Uma praia onde quebrar as suas ondas

E entre quatro paredes densas
De funda e devorada solidão
Alguém seu próprio ser confundirá
Com o poema no tempo
___________________________________

Tradução italiana de Manuela Colombo


La poesia

La poesia mi condurrà nel tempo
Quando io più non sarò io
E passerò solitaria
Fra le mani di chi legge

La poesia qualcuno la declamerà
Alle messi

Il suo passaggio si confonderà
Col rumore del mare col passare del vento

La poesia abiterà
Lo spazio più concreto e più attento

Nell’aria chiara nelle sere trasparenti
Le sue sillabe tonde

(O antiche o lontane
Eterne dolci sere)

Pur se io muoia la poesia troverà
Una spiaggia ove infrangervi le onde

E fra quattro spesse pareti
Di profonda e consunta solitudine
Qualcuno il proprio stesso essere confonderà
Con questa poesia nel tempo


Publicado no site: O Melhor da Web em 28/09/2012
Código do Texto: 96293
AQUI VOCÊ INTERAGE DIRETAMENTE COM O(a) AUTOR(a) DA OBRA! DEIXE UM COMENTÁRIO REFERENTE AO TEXTO! É FÁCIL, É LEGAL, VALE A PENA!
Caderno Comente esse Texto - Seja o primeiro a comentar!
Obras do(a) Autor(a):


Lomadee, uma nova espécie na web. A maior plataforma de afiliados da América Latina.