Visitante, seja Bem-Vindo! 
Novo Cadastro
Esqueceu a Senha?

Login: 
Senha:
MANUELA

A poesia é ao mesmo tempo um esconderijo e um altifalante (Nadine Gordimer)
Manu - MANUELA
RSS - As recentes de:MANUELA
&nbnsp;
 

----------------------------------------------------------------------------------------

PARTICIPE! Quero incluir Textos! É GRÁTIS, É fácil, É simples, EU POSSO!



MANUELA
Aniversário: 22/08
Cadastrado desde: 23/04/2012 -

Texto mais recente: Era um relógio das 19 horas (Paulinho Assunção) (+tradução italiana)

Textos & Poesias || Poema

Imprimir
Era um relógio das 19 horas (Paulinho Assunção) (+tradução italiana)
14/11/2017
Autor(a): MANUELA

Era um relógio das 19 horas (Paulinho Assunção) (+tradução italiana)

partiu joão, o sem gramática.
terminou a saga. foi-se 
pela estrada, a que é infinita,
a estrada que não acaba nunca.

não pude vê-lo enquanto partia
no trem vespertino das 19 horas.
batia o relógio da plataforma, 
o relógio batia as 19 horas.

sozinho partiu joão, o sem gramática.
sozinho como se faz nesse modo
de viagem. ninguém atrás,
ninguém adiante, só e só o viajante.

viveu quase em silêncio, e nada disse
no embarque. são trens que são
velozes esses trens nessa viagem.
chega o instante, a hora explode.

assim partiu joão, o sem gramática.
tão depressa que não pude afagar 
as suas mãos curtas. o tempo, esse
trem louco, já dava o giro nas rodas.

partiu joão, o sem gramática. sem 
mala, não levou nada, e a casa
das 19 horas era uma casa sem música.
assim partiu joão, o sem gramática.

____________________________________


Tradução italiana de Manuela Colombo


Era un orologio delle 19

è partito joão, quello senza grammatica.
ha concluso la saga. se n’è andato
per la strada, quella infinita,
la strada che non finisce mai.

non ho potuto vederlo mentre partiva
col treno serale delle 19.
batteva l’orologio dalla piattaforma, 
l’orologio batteva le 19.

da solo è partito joão, quello senza grammatica.
da solo come si fa per questo tipo
di viaggi. nessuno di dietro,
nessuno di fronte, il passeggero solo solamente.

quasi in silenzio è vissuto, e nulla disse
all’imbarco. son treni che van
veloci questi treni in questo viaggio.
giunge il momento, l’ora esplode.

così è partito joão, quello senza grammatica.
tanto in fretta che non ho potuto carezzare 
le sue manine piccole. il tempo, questo
folle treno, già stava per mettersi in moto.

è partito joão, quello senza grammatica. senza 
valigia, non s’è portato nulla, e la casa
delle 19 era una casa senza musica.
così è partito joão, quello senza grammatica.


Publicado no site: O Melhor da Web em 14/11/2017
Código do Texto: 135954
AQUI VOCÊ INTERAGE DIRETAMENTE COM O(a) AUTOR(a) DA OBRA!
DEIXE UM COMENTÁRIO REFERENTE AO TEXTO!

Comente esse Texto - Seja o primeiro a comentar!


Busca Geral:
Título
Texto Título e Texto


CLIQUE AQUI! PARA LER OS TEXTOS CADASTRADOS!
ESSE LINK VAI PARA A PÁGINA PARA EXIBIÇÃO DOS TEXTOS!

Galeria de Fãs