Visitante, seja Bem-Vindo! 
Novo Cadastro
Esqueceu a Senha?

Login: 
Senha:
Silvio Dutra

Todas imagens extraídas da galeria do Google.
kuryos - Silvio Dutra
RSS - As recentes de:Silvio Dutra
&nbnsp;
 

----------------------------------------------------------------------------------------

PARTICIPE! Quero incluir Textos! É GRÁTIS, É fácil, É simples, EU POSSO!



Silvio Dutra
Aniversário: 25/11
Cadastrado desde: 29/08/2012 -

Texto mais recente: Pobre e Ainda Rico

Textos & Poesias || Evangélicas

Imprimir
Conformidade
13/07/2017
Autor(a): Silvio Dutra

Conformidade


A. W. PInk (1886-1952)

Traduzido, Adaptado e
Editado por Silvio Dutra

"Porque os que dantes conheceu, também os predestinou para serem conformes à imagem de seu Filho, a fim de que ele seja o primogênito entre muitos irmãos." (Romanos 8:29)
Que declaração incrível é essa! Certamente, uma que nenhuma mente mortal jamais pensou em inventar. Que alguns dos descendentes caídos de Adão não sejam apenas salvos de seus pecados e libertos da ira por vir - mas decretados por Deus para serem feitos como aquele Abençoado em quem Sua alma se deleita! Esse é o clímax da graça, pois não é possível conferir maior favor aos seus escolhidos. Que as criaturas depravadas ainda devem se tornar réplicas do Santo - que os vermes da terra devem ser conformados ao Senhor da glória - ultrapassa a compreensão finita, mas a fé o recebe e ama.
Em que consiste essa "conformidade"? Resumindo o ensinamento do Novo Testamento sobre isso, podemos dizer que é um espiritual, um prático, um experiencial e um físico. Uma linha não deve ser desenhada muito bruscamente entre essas distinções, pois elas são interrelacionadas.
A conformidade espiritual começa em nossa regeneração;
A conformidade prática tem a ver com a nossa santificação;
A conformidade experiencial diz respeito à nossa mortificação; e
A conformidade física não será efetuada até a nossa glorificação.
Conformidade espiritual a Cristo. Antes que haja uma verdadeira conformidade com Cristo externamente - deve haver um interior da natureza, como primeiro devemos "viver no Espírito" - antes que possamos "andar no Espírito" (Gálatas 5:25).
Na regeneração, a imagem espiritual de Cristo é estampada sobre a alma, e Ele é "formado" no coração - o "homem novo" (Efésios 4:24; Col 3:10) sendo criado segundo a Sua semelhança. Os membros são da mesma natureza que a cabeça: a vida de Cristo deve nos ser transmitida - antes que possa haver qualquer comunhão ou conformidade com Ele. "E de sua plenitude todos nós recebemos, e graça sobre graça" (João 1:16) - essa é a graça comunicada a nós de natureza correspondente à graça da qual Ele está cheio.
Essa conformidade espiritual inicial continua em toda a vida do cristão na terra: ele é renovado no homem interior dia a dia (2 Coríntios 4:16). É tanto seu privilégio quanto seu dever se tornar cada vez mais crentes como seu caráter e conduta. Para que você "cresça nele em todas as coisas" (Efésios 4:15) deve ser o nosso incessante objetivo e esforço. Nós somos encarregados de "colocar o Senhor Jesus Cristo" (Rom 13:14) - como o soldado faz com o uniforme - evidenciando o dever diário dos que servem Sua bandeira.
Somos obrigados a expressar ou mostrar suas virtudes (1 Pedro 2: 9), fazendo com que se manifeste que Ele nos habita. Disse o apóstolo: "Sejam seguidores [ou "imitadores"] de mim, assim como eu também sou de Cristo" (1 Coríntios 11: 1). Nós, que levamos o nome de Cristo somos justificados, apenas na medida em que exibimos Suas perfeições.
Cristo não só vive para o Seu povo, mas neles (Gal 2:20); E Ele não pode "estar escondido" (Marcos 7:24). Cristo morreu por eles - e eles devem morrer para o pecado, para o ego, para o mundo. É por sua conformidade com Cristo, que Seus seguidores se distinguem dos professantes vazios.
Esta conformidade espiritual e interior a Cristo, é promovida pelo uso regular de meios apropriados. "Mas todos nós [almas regeneradas], com rosto aberto [em contraste com os judeus sob o véu - versículos 13-16], contemplando como no espelho a glória do Senhor - somos transformados na mesma imagem de glória em glória, assim como Pelo Espírito do Senhor "(2 Coríntios 3:18). O "espelho" em que a "glória do Senhor" é vista é a Escritura. Essa fé é "contemplada" pela fé, pois a fé é o olho do espírito - como é por nossos olhos físicos, que capamos a luz do sol. Como a alma regenerada está ocupada com crença e adoração com essa maravilhosa "glória", ele é "transformado na mesma imagem": não completamente como em um momento, mas gradual e progressivamente "de glória em glória". Não por nenhum esforço nosso, mas "pelo Espírito", cujo ofício é primeiro nos unir a Cristo e depois nos fazer como Ele.
A comunhão e a afiliação mais próximas devemos ter com o Senhor Jesus. Como a fé se alimenta daquele que nos entrega a própria carne, nos tornamos assimilados espiritualmente a Ele. Quanto mais somos afetados pelo Seu amor, mais nós devemos esforçar-nos para agradá-Lo. "Vendo como no espelho a glória do Senhor - somos transformados na mesma imagem". A figura é tirada dos espelhos usados pelos antigos, que, ao contrário do nosso, eram feitos de metal altamente polido. Para sua utilização, era necessária uma luz brilhante; e diante do espelho, não somente a pessoa via nele seu semblante, mas em seu rosto refletia o brilho do metal: se o espelho fosse de bronze ou ouro, o reflexo seria amarelo; se prata, branco. E como a fé é ocupada com a pessoa de Cristo e o Espírito brilha em nossos corações - Suas perfeições são reproduzidas em nós.
Não podemos demorar na presença do "Sol da justiça" (Mal 4: 2) sem refletirmos Seus feixes. Como Moisés desceu do monte depois de quarenta dias de conversa com Jeová, "a pele do seu rosto brilhava" (Ex 34:30). Quanto mais o santo está na companhia de Cristo - mais ele é conformado à Sua semelhança.
A conformidade PRÁTICA com Cristo, em nossa conduta, é promovida pelo nosso exemplo seguindo o que Ele nos deixou (1 Pedro 2:21). Um dos grandes fins para os quais Deus enviou Seu Filho ao mundo em nossa natureza, foi que Ele nos revelasse através de Sua vida, como devemos nos comportar de maneira aceitável para Deus. Em Cristo, o ideal divino da maturidade foi realizado. Toda a bondade original (Gênesis 1:31) da natureza humana tem sido exercida e exemplificada para a glória de Deus na vida perfeita de Cristo. Como todas as cores se encontram no arco-íris - então todas as virtudes e excelências se encontram em Cristo. Ele é um padrão perfeito e glorioso de todas as graças. Não são os santos mais eminentes. O melhor de suas graças e a mais alta de suas conquistas foram prejudicados por manchas e falhas.
Cristo é "completamente amável" (Cantares 5:16), o Cordeiro "sem mancha e sem mácula" (1 Pedro 1:19). Em Sua vida - nós contemplamos a Lei traduzida em termos concretos, e seus requisitos colocados diante de nós por representação pessoal. Em Sua vida - temos uma exibição clara do que consiste a santidade prática. Em Sua vida - Cristo expôs o que Ele exige de Seus seguidores: "Aquele que diz que permanece nele, também deve caminhar, como ele andou." (1 João 2: 6). Como um dos puritanos menos conhecidos o expressou: "Cristo é o sol, e todos os relógios de nossas vidas devem ser ajustados pelo discernimento de seus movimentos."
Um cristão é aquele que renunciou à sua própria vontade e sabedoria como a regra de suas ações - e se entregou ao cetro de Cristo para ser governado por Ele. Ele ensina tanto por preceito quanto por exemplo. "Tome meu jugo sobre você, e aprenda de mim" (Mat 11:29) é o requisito dele, e a conformidade com ele deve ser o negócio de nossas vidas. "Que haja em vós a mesma mente que havia em Cristo Jesus" (Fil 2: 5). Devemos aprender com a conduta de Cristo, bem como com os conselhos de Deus – para que a santa obediência à vontade de Deus possa nos marcar em todas as coisas. "Agora, quando viram a ousadia de Pedro e João [não sua "doçura", mas sua fidelidade intransigente, sua lealdade a todo custo] - eles tomaram conhecimento que eles    estiveram com Jesus" (Atos 4:13)!
"Então disse Jesus aos seus discípulos: Se alguém quer vir após mim, negue-se a si mesmo, tome a sua cruz, e siga-me." (Mateus 16:24). A "cruz" significa abnegação, uma vida cedida a Deus; e isto não é colocado sobre o discípulo, mas voluntariamente "assumido" por ele, para que seja "conformado à Sua morte" (Filipenses 3:10) - morrendo diariamente para o pecado.
Deve haver uma conformidade EXPERIMENTAL a Cristo no sofrimento. Os membros do corpo de Cristo compartilham, em sua medida, as experiências de sua Cabeça; e eles fazem isso na medida em que seguem o exemplo que Ele lhes deixou. Como o mundo odiou Cristo - assim odeia aqueles que levam a Sua imagem. Era o mundo religioso não regenerado que se opunha muito a Ele, e é suficiente para o discípulo ser como seu Mestre. Quanto mais nós o sigamos, mais traremos sobre nós a hostilidade de Satanás: "Mas regozijem-se, na medida em que vocês são participantes dos sofrimentos de Cristo" (1 Pedro 4:13).
"Mas sabemos que, quando ele aparecer, seremos como ele" (1 João 3: 2) - há a consumação abençoada.
Escolhido em Cristo,
Chamado por Cristo,
Comungando com Cristo,
Plenamente conformado a Cristo!
Como Deus predestinou o Seu povo para ser conformado com a imagem de Seu Filho espiritualmente, praticamente e experiencialmente - assim também de forma física: porque no Seu retorno, Cristo "mudará o nosso corpo vil, para que seja moldado como seu corpo glorioso" (Fil 3:21). Nada menos de conformidade completa satisfará os desejos de Deus para os Seus eleitos! "Como carregamos a imagem do que é terreno, também teremos a imagem do celestial." (1 Coríntios 15:49). Mas a conformidade com Cristo não será consumada no Céu - a menos que tenha sido iniciada na Terra! Deve haver regeneração, santificação e mortificação - antes que exista uma glorificação. Cristo foi humilhado na Terra - antes que Ele fosse exaltado no Céu. Apenas conosco - a cruz precede a coroa.

Conformidade
A. W. PInk (1886-1952)

Traduzido, Adaptado e
Editado por Silvio Dutra

"Porque os que dantes conheceu, também os predestinou para serem conformes à imagem de seu Filho, a fim de que ele seja o primogênito entre muitos irmãos." (Romanos 8:29)
Que declaração incrível é essa! Certamente, uma que nenhuma mente mortal jamais pensou em inventar. Que alguns dos descendentes caídos de Adão não sejam apenas salvos de seus pecados e libertos da ira por vir - mas decretados por Deus para serem feitos como aquele Abençoado em quem Sua alma se deleita! Esse é o clímax da graça, pois não é possível conferir maior favor aos seus escolhidos. Que as criaturas depravadas ainda devem se tornar réplicas do Santo - que os vermes da terra devem ser conformados ao Senhor da glória - ultrapassa a compreensão finita, mas a fé o recebe e ama.
Em que consiste essa "conformidade"? Resumindo o ensinamento do Novo Testamento sobre isso, podemos dizer que é um espiritual, um prático, um experiencial e um físico. Uma linha não deve ser desenhada muito bruscamente entre essas distinções, pois elas são interrelacionadas.
A conformidade espiritual começa em nossa regeneração;
A conformidade prática tem a ver com a nossa santificação;
A conformidade experiencial diz respeito à nossa mortificação; e
A conformidade física não será efetuada até a nossa glorificação.
Conformidade espiritual a Cristo. Antes que haja uma verdadeira conformidade com Cristo externamente - deve haver um interior da natureza, como primeiro devemos "viver no Espírito" - antes que possamos "andar no Espírito" (Gálatas 5:25).
Na regeneração, a imagem espiritual de Cristo é estampada sobre a alma, e Ele é "formado" no coração - o "homem novo" (Efésios 4:24; Col 3:10) sendo criado segundo a Sua semelhança. Os membros são da mesma natureza que a cabeça: a vida de Cristo deve nos ser transmitida - antes que possa haver qualquer comunhão ou conformidade com Ele. "E de sua plenitude todos nós recebemos, e graça sobre graça" (João 1:16) - essa é a graça comunicada a nós de natureza correspondente à graça da qual Ele está cheio.
Essa conformidade espiritual inicial continua em toda a vida do cristão na terra: ele é renovado no homem interior dia a dia (2 Coríntios 4:16). É tanto seu privilégio quanto seu dever se tornar cada vez mais crentes como seu caráter e conduta. Para que você "cresça nele em todas as coisas" (Efésios 4:15) deve ser o nosso incessante objetivo e esforço. Nós somos encarregados de "colocar o Senhor Jesus Cristo" (Rom 13:14) - como o soldado faz com o uniforme - evidenciando o dever diário dos que servem Sua bandeira.
Somos obrigados a expressar ou mostrar suas virtudes (1 Pedro 2: 9), fazendo com que se manifeste que Ele nos habita. Disse o apóstolo: "Sejam seguidores [ou "imitadores"] de mim, assim como eu também sou de Cristo" (1 Coríntios 11: 1). Nós, que levamos o nome de Cristo somos justificados, apenas na medida em que exibimos Suas perfeições.
Cristo não só vive para o Seu povo, mas neles (Gal 2:20); E Ele não pode "estar escondido" (Marcos 7:24). Cristo morreu por eles - e eles devem morrer para o pecado, para o ego, para o mundo. É por sua conformidade com Cristo, que Seus seguidores se distinguem dos professantes vazios.
Esta conformidade espiritual e interior a Cristo, é promovida pelo uso regular de meios apropriados. "Mas todos nós [almas regeneradas], com rosto aberto [em contraste com os judeus sob o véu - versículos 13-16], contemplando como no espelho a glória do Senhor - somos transformados na mesma imagem de glória em glória, assim como Pelo Espírito do Senhor "(2 Coríntios 3:18). O "espelho" em que a "glória do Senhor" é vista é a Escritura. Essa fé é "contemplada" pela fé, pois a fé é o olho do espírito - como é por nossos olhos físicos, que capamos a luz do sol. Como a alma regenerada está ocupada com crença e adoração com essa maravilhosa "glória", ele é "transformado na mesma imagem": não completamente como em um momento, mas gradual e progressivamente "de glória em glória". Não por nenhum esforço nosso, mas "pelo Espírito", cujo ofício é primeiro nos unir a Cristo e depois nos fazer como Ele.
A comunhão e a afiliação mais próximas devemos ter com o Senhor Jesus. Como a fé se alimenta daquele que nos entrega a própria carne, nos tornamos assimilados espiritualmente a Ele. Quanto mais somos afetados pelo Seu amor, mais nós devemos esforçar-nos para agradá-Lo. "Vendo como no espelho a glória do Senhor - somos transformados na mesma imagem". A figura é tirada dos espelhos usados pelos antigos, que, ao contrário do nosso, eram feitos de metal altamente polido. Para sua utilização, era necessária uma luz brilhante; e diante do espelho, não somente a pessoa via nele seu semblante, mas em seu rosto refletia o brilho do metal: se o espelho fosse de bronze ou ouro, o reflexo seria amarelo; se prata, branco. E como a fé é ocupada com a pessoa de Cristo e o Espírito brilha em nossos corações - Suas perfeições são reproduzidas em nós.
Não podemos demorar na presença do "Sol da justiça" (Mal 4: 2) sem refletirmos Seus feixes. Como Moisés desceu do monte depois de quarenta dias de conversa com Jeová, "a pele do seu rosto brilhava" (Ex 34:30). Quanto mais o santo está na companhia de Cristo - mais ele é conformado à Sua semelhança.
A conformidade PRÁTICA com Cristo, em nossa conduta, é promovida pelo nosso exemplo seguindo o que Ele nos deixou (1 Pedro 2:21). Um dos grandes fins para os quais Deus enviou Seu Filho ao mundo em nossa natureza, foi que Ele nos revelasse através de Sua vida, como devemos nos comportar de maneira aceitável para Deus. Em Cristo, o ideal divino da maturidade foi realizado. Toda a bondade original (Gênesis 1:31) da natureza humana tem sido exercida e exemplificada para a glória de Deus na vida perfeita de Cristo. Como todas as cores se encontram no arco-íris - então todas as virtudes e excelências se encontram em Cristo. Ele é um padrão perfeito e glorioso de todas as graças. Não são os santos mais eminentes. O melhor de suas graças e a mais alta de suas conquistas foram prejudicados por manchas e falhas.
Cristo é "completamente amável" (Cantares 5:16), o Cordeiro "sem mancha e sem mácula" (1 Pedro 1:19). Em Sua vida - nós contemplamos a Lei traduzida em termos concretos, e seus requisitos colocados diante de nós por representação pessoal. Em Sua vida - temos uma exibição clara do que consiste a santidade prática. Em Sua vida - Cristo expôs o que Ele exige de Seus seguidores: "Aquele que diz que permanece nele, também deve caminhar, como ele andou." (1 João 2: 6). Como um dos puritanos menos conhecidos o expressou: "Cristo é o sol, e todos os relógios de nossas vidas devem ser ajustados pelo discernimento de seus movimentos."
Um cristão é aquele que renunciou à sua própria vontade e sabedoria como a regra de suas ações - e se entregou ao cetro de Cristo para ser governado por Ele. Ele ensina tanto por preceito quanto por exemplo. "Tome meu jugo sobre você, e aprenda de mim" (Mat 11:29) é o requisito dele, e a conformidade com ele deve ser o negócio de nossas vidas. "Que haja em vós a mesma mente que havia em Cristo Jesus" (Fil 2: 5). Devemos aprender com a conduta de Cristo, bem como com os conselhos de Deus – para que a santa obediência à vontade de Deus possa nos marcar em todas as coisas. "Agora, quando viram a ousadia de Pedro e João [não sua "doçura", mas sua fidelidade intransigente, sua lealdade a todo custo] - eles tomaram conhecimento que eles    estiveram com Jesus" (Atos 4:13)!
"Então disse Jesus aos seus discípulos: Se alguém quer vir após mim, negue-se a si mesmo, tome a sua cruz, e siga-me." (Mateus 16:24). A "cruz" significa abnegação, uma vida cedida a Deus; e isto não é colocado sobre o discípulo, mas voluntariamente "assumido" por ele, para que seja "conformado à Sua morte" (Filipenses 3:10) - morrendo diariamente para o pecado.
Deve haver uma conformidade EXPERIMENTAL a Cristo no sofrimento. Os membros do corpo de Cristo compartilham, em sua medida, as experiências de sua Cabeça; e eles fazem isso na medida em que seguem o exemplo que Ele lhes deixou. Como o mundo odiou Cristo - assim odeia aqueles que levam a Sua imagem. Era o mundo religioso não regenerado que se opunha muito a Ele, e é suficiente para o discípulo ser como seu Mestre. Quanto mais nós o sigamos, mais traremos sobre nós a hostilidade de Satanás: "Mas regozijem-se, na medida em que vocês são participantes dos sofrimentos de Cristo" (1 Pedro 4:13).
"Mas sabemos que, quando ele aparecer, seremos como ele" (1 João 3: 2) - há a consumação abençoada.
Escolhido em Cristo,
Chamado por Cristo,
Comungando com Cristo,
Plenamente conformado a Cristo!
Como Deus predestinou o Seu povo para ser conformado com a imagem de Seu Filho espiritualmente, praticamente e experiencialmente - assim também de forma física: porque no Seu retorno, Cristo "mudará o nosso corpo vil, para que seja moldado como seu corpo glorioso" (Fil 3:21). Nada menos de conformidade completa satisfará os desejos de Deus para os Seus eleitos! "Como carregamos a imagem do que é terreno, também teremos a imagem do celestial." (1 Coríntios 15:49). Mas a conformidade com Cristo não será consumada no Céu - a menos que tenha sido iniciada na Terra! Deve haver regeneração, santificação e mortificação - antes que exista uma glorificação. Cristo foi humilhado na Terra - antes que Ele fosse exaltado no Céu. Apenas conosco - a cruz precede a coroa.

Conformidade
A. W. PInk (1886-1952)

Traduzido, Adaptado e
Editado por Silvio Dutra

"Porque os que dantes conheceu, também os predestinou para serem conformes à imagem de seu Filho, a fim de que ele seja o primogênito entre muitos irmãos." (Romanos 8:29)
Que declaração incrível é essa! Certamente, uma que nenhuma mente mortal jamais pensou em inventar. Que alguns dos descendentes caídos de Adão não sejam apenas salvos de seus pecados e libertos da ira por vir - mas decretados por Deus para serem feitos como aquele Abençoado em quem Sua alma se deleita! Esse é o clímax da graça, pois não é possível conferir maior favor aos seus escolhidos. Que as criaturas depravadas ainda devem se tornar réplicas do Santo - que os vermes da terra devem ser conformados ao Senhor da glória - ultrapassa a compreensão finita, mas a fé o recebe e ama.
Em que consiste essa "conformidade"? Resumindo o ensinamento do Novo Testamento sobre isso, podemos dizer que é um espiritual, um prático, um experiencial e um físico. Uma linha não deve ser desenhada muito bruscamente entre essas distinções, pois elas são interrelacionadas.
A conformidade espiritual começa em nossa regeneração;
A conformidade prática tem a ver com a nossa santificação;
A conformidade experiencial diz respeito à nossa mortificação; e
A conformidade física não será efetuada até a nossa glorificação.
Conformidade espiritual a Cristo. Antes que haja uma verdadeira conformidade com Cristo externamente - deve haver um interior da natureza, como primeiro devemos "viver no Espírito" - antes que possamos "andar no Espírito" (Gálatas 5:25).
Na regeneração, a imagem espiritual de Cristo é estampada sobre a alma, e Ele é "formado" no coração - o "homem novo" (Efésios 4:24; Col 3:10) sendo criado segundo a Sua semelhança. Os membros são da mesma natureza que a cabeça: a vida de Cristo deve nos ser transmitida - antes que possa haver qualquer comunhão ou conformidade com Ele. "E de sua plenitude todos nós recebemos, e graça sobre graça" (João 1:16) - essa é a graça comunicada a nós de natureza correspondente à graça da qual Ele está cheio.
Essa conformidade espiritual inicial continua em toda a vida do cristão na terra: ele é renovado no homem interior dia a dia (2 Coríntios 4:16). É tanto seu privilégio quanto seu dever se tornar cada vez mais crentes como seu caráter e conduta. Para que você "cresça nele em todas as coisas" (Efésios 4:15) deve ser o nosso incessante objetivo e esforço. Nós somos encarregados de "colocar o Senhor Jesus Cristo" (Rom 13:14) - como o soldado faz com o uniforme - evidenciando o dever diário dos que servem Sua bandeira.
Somos obrigados a expressar ou mostrar suas virtudes (1 Pedro 2: 9), fazendo com que se manifeste que Ele nos habita. Disse o apóstolo: "Sejam seguidores [ou "imitadores"] de mim, assim como eu também sou de Cristo" (1 Coríntios 11: 1). Nós, que levamos o nome de Cristo somos justificados, apenas na medida em que exibimos Suas perfeições.
Cristo não só vive para o Seu povo, mas neles (Gal 2:20); E Ele não pode "estar escondido" (Marcos 7:24). Cristo morreu por eles - e eles devem morrer para o pecado, para o ego, para o mundo. É por sua conformidade com Cristo, que Seus seguidores se distinguem dos professantes vazios.
Esta conformidade espiritual e interior a Cristo, é promovida pelo uso regular de meios apropriados. "Mas todos nós [almas regeneradas], com rosto aberto [em contraste com os judeus sob o véu - versículos 13-16], contemplando como no espelho a glória do Senhor - somos transformados na mesma imagem de glória em glória, assim como Pelo Espírito do Senhor "(2 Coríntios 3:18). O "espelho" em que a "glória do Senhor" é vista é a Escritura. Essa fé é "contemplada" pela fé, pois a fé é o olho do espírito - como é por nossos olhos físicos, que capamos a luz do sol. Como a alma regenerada está ocupada com crença e adoração com essa maravilhosa "glória", ele é "transformado na mesma imagem": não completamente como em um momento, mas gradual e progressivamente "de glória em glória". Não por nenhum esforço nosso, mas "pelo Espírito", cujo ofício é primeiro nos unir a Cristo e depois nos fazer como Ele.
A comunhão e a afiliação mais próximas devemos ter com o Senhor Jesus. Como a fé se alimenta daquele que nos entrega a própria carne, nos tornamos assimilados espiritualmente a Ele. Quanto mais somos afetados pelo Seu amor, mais nós devemos esforçar-nos para agradá-Lo. "Vendo como no espelho a glória do Senhor - somos transformados na mesma imagem". A figura é tirada dos espelhos usados pelos antigos, que, ao contrário do nosso, eram feitos de metal altamente polido. Para sua utilização, era necessária uma luz brilhante; e diante do espelho, não somente a pessoa via nele seu semblante, mas em seu rosto refletia o brilho do metal: se o espelho fosse de bronze ou ouro, o reflexo seria amarelo; se prata, branco. E como a fé é ocupada com a pessoa de Cristo e o Espírito brilha em nossos corações - Suas perfeições são reproduzidas em nós.
Não podemos demorar na presença do "Sol da justiça" (Mal 4: 2) sem refletirmos Seus feixes. Como Moisés desceu do monte depois de quarenta dias de conversa com Jeová, "a pele do seu rosto brilhava" (Ex 34:30). Quanto mais o santo está na companhia de Cristo - mais ele é conformado à Sua semelhança.
A conformidade PRÁTICA com Cristo, em nossa conduta, é promovida pelo nosso exemplo seguindo o que Ele nos deixou (1 Pedro 2:21). Um dos grandes fins para os quais Deus enviou Seu Filho ao mundo em nossa natureza, foi que Ele nos revelasse através de Sua vida, como devemos nos comportar de maneira aceitável para Deus. Em Cristo, o ideal divino da maturidade foi realizado. Toda a bondade original (Gênesis 1:31) da natureza humana tem sido exercida e exemplificada para a glória de Deus na vida perfeita de Cristo. Como todas as cores se encontram no arco-íris - então todas as virtudes e excelências se encontram em Cristo. Ele é um padrão perfeito e glorioso de todas as graças. Não são os santos mais eminentes. O melhor de suas graças e a mais alta de suas conquistas foram prejudicados por manchas e falhas.
Cristo é "completamente amável" (Cantares 5:16), o Cordeiro "sem mancha e sem mácula" (1 Pedro 1:19). Em Sua vida - nós contemplamos a Lei traduzida em termos concretos, e seus requisitos colocados diante de nós por representação pessoal. Em Sua vida - temos uma exibição clara do que consiste a santidade prática. Em Sua vida - Cristo expôs o que Ele exige de Seus seguidores: "Aquele que diz que permanece nele, também deve caminhar, como ele andou." (1 João 2: 6). Como um dos puritanos menos conhecidos o expressou: "Cristo é o sol, e todos os relógios de nossas vidas devem ser ajustados pelo discernimento de seus movimentos."
Um cristão é aquele que renunciou à sua própria vontade e sabedoria como a regra de suas ações - e se entregou ao cetro de Cristo para ser governado por Ele. Ele ensina tanto por preceito quanto por exemplo. "Tome meu jugo sobre você, e aprenda de mim" (Mat 11:29) é o requisito dele, e a conformidade com ele deve ser o negócio de nossas vidas. "Que haja em vós a mesma mente que havia em Cristo Jesus" (Fil 2: 5). Devemos aprender com a conduta de Cristo, bem como com os conselhos de Deus – para que a santa obediência à vontade de Deus possa nos marcar em todas as coisas. "Agora, quando viram a ousadia de Pedro e João [não sua "doçura", mas sua fidelidade intransigente, sua lealdade a todo custo] - eles tomaram conhecimento que eles    estiveram com Jesus" (Atos 4:13)!
"Então disse Jesus aos seus discípulos: Se alguém quer vir após mim, negue-se a si mesmo, tome a sua cruz, e siga-me." (Mateus 16:24). A "cruz" significa abnegação, uma vida cedida a Deus; e isto não é colocado sobre o discípulo, mas voluntariamente "assumido" por ele, para que seja "conformado à Sua morte" (Filipenses 3:10) - morrendo diariamente para o pecado.
Deve haver uma conformidade EXPERIMENTAL a Cristo no sofrimento. Os membros do corpo de Cristo compartilham, em sua medida, as experiências de sua Cabeça; e eles fazem isso na medida em que seguem o exemplo que Ele lhes deixou. Como o mundo odiou Cristo - assim odeia aqueles que levam a Sua imagem. Era o mundo religioso não regenerado que se opunha muito a Ele, e é suficiente para o discípulo ser como seu Mestre. Quanto mais nós o sigamos, mais traremos sobre nós a hostilidade de Satanás: "Mas regozijem-se, na medida em que vocês são participantes dos sofrimentos de Cristo" (1 Pedro 4:13).
"Mas sabemos que, quando ele aparecer, seremos como ele" (1 João 3: 2) - há a consumação abençoada.
Escolhido em Cristo,
Chamado por Cristo,
Comungando com Cristo,
Plenamente conformado a Cristo!
Como Deus predestinou o Seu povo para ser conformado com a imagem de Seu Filho espiritualmente, praticamente e experiencialmente - assim também de forma física: porque no Seu retorno, Cristo "mudará o nosso corpo vil, para que seja moldado como seu corpo glorioso" (Fil 3:21). Nada menos de conformidade completa satisfará os desejos de Deus para os Seus eleitos! "Como carregamos a imagem do que é terreno, também teremos a imagem do celestial." (1 Coríntios 15:49). Mas a conformidade com Cristo não será consumada no Céu - a menos que tenha sido iniciada na Terra! Deve haver regeneração, santificação e mortificação - antes que exista uma glorificação. Cristo foi humilhado na Terra - antes que Ele fosse exaltado no Céu. Apenas conosco - a cruz precede a coroa.



Publicado no site: O Melhor da Web em 13/07/2017
Código do Texto: 135318
AQUI VOCÊ INTERAGE DIRETAMENTE COM O(a) AUTOR(a) DA OBRA!
DEIXE UM COMENTÁRIO REFERENTE AO TEXTO!

Comente esse Texto - Seja o primeiro a comentar!


Busca Geral:
Título
Texto Título e Texto


CLIQUE AQUI! PARA LER OS TEXTOS CADASTRADOS!
ESSE LINK VAI PARA A PÁGINA PARA EXIBIÇÃO DOS TEXTOS!

Galeria de Fãs
Sou Fã de...