Visitante, seja Bem-Vindo! 
Novo Cadastro
Esqueceu a Senha?

Login: 
Senha:
Silvio Dutra

Todas imagens extraídas da galeria do Google.
kuryos - Silvio Dutra
RSS - As recentes de:Silvio Dutra
&nbnsp;
 

----------------------------------------------------------------------------------------

PARTICIPE! Quero incluir Textos! É GRÁTIS, É fácil, É simples, EU POSSO!



Silvio Dutra
Aniversário: 25/11
Cadastrado desde: 29/08/2012 -

Texto mais recente: O Bom Efeito da Aflição

Textos & Poesias || Evangélicas

Imprimir
Desejos Santos
06/11/2018
Autor(a): Silvio Dutra

Desejos Santos

“Consumida está a minha alma por desejar, incessantemente, os teus juízos.” (Salmos 119: 20)
Um dos melhores testes do caráter de um homem será encontrado em seus anseios mais profundos e sinceros. Você nem sempre pode julgar um homem pelo que ele está fazendo a qualquer momento, pois ele pode estar sob restrições que o compelem a agir de forma contrária ao seu verdadeiro eu, ou ele pode estar sob um impulso do qual ele logo estará livre. Ele pode, por um tempo, se afastar daquilo que é mau e, no entanto, ele pode ser radicalmente mau. Ou ele pode ser constrangido pela força da tentação para o que é errado, ainda que seu verdadeiro eu possa se regozijar em retidão. Um homem pode não ser declarado bom porque, no momento, o que ele está fazendo pode ser condenado como mau porque, sob certas restrições, ele pode estar cometendo pecado. Os anseios de um homem são mais interiores e mais próximos de seu verdadeiro eu do que de seus atos externos - eles são mais naturais, pois são inteiramente livres e além da compulsão ou da restrição. Como um homem anseia em seu coração, ele também é. Não estou falando de todo desejo ocioso, como falo agora, mas dos fortes desejos do coração - essa é a verdadeira vida da natureza de um homem. Você saberá se você mesmo é mau respondendo a essa pergunta. Para o quê você tem o maior desejo? Você continuamente anseia por prazeres egoístas? Então você é mau além de todas as perguntas! Você suspira para ser e sentir e fazer aquilo que é bom? Esse é o grande objetivo da sua vida? Então, no centro do seu ser, há algo de bom para o Senhor Deus de Israel. Então, queridos ouvintes, seus corações podem fornecer-lhe ajuda para o autoexame e peço que o aplique, pois as coisas do coração tocam a raiz da questão. Os incrédulos são “um povo que erra em seu coração” e os homens realmente encontram o Senhor quando “O buscam de todo o coração” - de modo que o coração é importante e seus anseios estão entre as marcas mais seguras de sua condição. Além disso, os anseios de coração são profecias do que um homem será. Nem sempre a capacidade, se pudermos averiguá-la, nos certificará do que um homem fará, pois muitos homens de grandes habilidades não conseguem nada por falta de inclinação - seus talentos estão escondidos na terra e, embora possam ser bem-sucedidos maravilhosamente bem em certas atividades - eles não fazem nada notável porque não têm tendências nessa direção. Um indivíduo pode ter os meios para aliviar os pobres e nunca realizar um ato de caridade por falta de generosidade. Ou ele pode ter grandes poderes mentais e, no entanto, nunca produzir uma linha de literatura útil, porque ele é devorado pela ociosidade. Mas outras coisas sendo iguais, os anseios de um homem são um índice bastante seguro do que ele será - eles não podem criar capacidade, mas eles a desenvolvem - eles levam ao uso de meios para o seu aumento e eles fazem a mente ansiar para aproveitar oportunidades. Por alguns meios ou por outro, um homem geralmente se torna o que ele deseja intensamente, especialmente se esses desejos são formados no início da juventude, enquanto o mundo ainda está diante dele onde escolher. Daí o nosso provérbio - "A criança é pai do homem". Mesmo nas criancinhas, os gostos e as atividades têm sido proféticos - o jovem artista esboça sua irmã no berço - o jovem engenheiro está ocupado com suas invenções de menino. Se seus anseios se aprofundam, fortalecem e se tornam veementes com o aumento de seus anos, o caráter do jovem está sendo moldado por dentro e isso é frequentemente uma força maior que a das circunstâncias agindo de fora. Assim é nas coisas espirituais - podemos formar previsões sobre o que seremos de nossos desejos ardentes e urgentes. Desejos são os brotos dos quais as palavras e ações serão desenvolvidas. Desejos espirituais são as sombras das bênçãos vindouras. O que Deus pretende nos dar, Ele primeiro nos faz desejar. Portanto, a maravilhosa eficácia da oração, porque a oração é a personificação de um anseio inspirado por Deus porque Ele pretende conceder a bênção! Quais são seus anseios, então, meu ouvinte? Você deseja ser santo? O Senhor te fará santo! Você deseja vencer o pecado? Você deve superá-lo pela fé em Jesus! Você está ansiando pela comunhão com Cristo? Ele virá e fará sua morada com você! Sua alma tem sede, sim, até mesmo é ofegante por    Deus como o coração pelos ribeiros de água? Então você será preenchido com toda a Sua plenitude, pois todos esses anseios são proféticos do que deve ser, assim como o floco de neve, o açafrão e a anêmona predizem a aproximação da Primavera. Não digo que assim seja com todos os desejos humanos, pois “os desejos preguiçosos e não têm nada” e muitos homens têm tais desejos malignos dentro de seu coração que são contrários à pureza de Deus que Ele lhes concedesse. Mas onde há anseios intensos e dolorosos de uma ordem sagrada, dependem disso, são símbolos de boas coisas por vir! Onde a graça de Deus reina na alma, faz um homem tornar-se um estranho entre os seus companheiros e produz nele afeições peculiares e novos desejos. O verso que precede meu texto corre assim - "Eu sou um estranho na terra" - ele era um rei cercado por cortesãos e amigos e ainda assim ele não estava em casa, mas como um banido de sua terra natal. E sendo assim um estranho na terra, ele tinha um desejo notável que os mundanos não podiam entender e aquele desejo singular que ele expressa aqui - “Minha alma rompe com o anseio por Seus julgamentos em todos os momentos”. Os homens mundanos não se importam com os juízos de Deus . Não, eles não se importam com o próprio Deus! Mas quando um homem se torna um novo nascido, um cidadão do céu, cresce dentro de seu espírito um apetite espiritual do qual ele nada havia sentido antes - e ele almeja a Deus e à Sua santa palavra. Cuidem disso, irmãos e irmãs, se suas almas clamam por Deus, pelo Deus vivo, pois de novo digo que, por seus anseios, vocês podem testar a si mesmos - pelos desejos de seu coração, podem prever seu futuro - e por sua fome e sede. você pode julgar se você é homens deste mundo ou cidadão do mundo por vir. Com tais auxílios ao autojulgamento, nenhum homem deve permanecer em dúvida quanto à sua condição espiritual e perspectivas eternas.
Para que possamos ser auxiliados no uso correto deste texto, devemos tratá-lo assim - primeiro, observaremos o objeto absorvente do santo - "Seus julgamentos". Em segundo lugar, refletiremos sobre o ardente desejo do santo - "Minha alma rompe com o anseio por Seus julgamentos”. E, em terceiro lugar, devemos mencionar as reflexões animadoras do santo, que ele pode facilmente extrair do fato de que ele experimenta tal quebra de coração interior. Destes falaremos como o Espírito divino nos capacitará, pois sem Ele nada sabemos.
I. Primeiro, então, pensemos no OBJETIVO ABSORVENTE DOS SANTOS. Eles anseiam pelos julgamentos de Deus. A palavra “juízos” é aqui usada como sinônimo da “Palavra de Deus”. Não significa aqueles juízos de Deus com os quais Ele feriu os pecadores e executou a sentença de Sua lei, mas refere-se à vontade revelada ou julgamentos declarados de Deus. Por todo esse longo salmo, o escritor está falando da Palavra de Deus, da lei de Deus, dos testemunhos, dos preceitos, dos estatutos de Deus - e aqui a palavra “juízos” é usada no mesmo sentido. Talvez eu deva dar a você o significado rapidamente se eu lembrar que os mandamentos e doutrinas da palavra são juízos de Deus sobre as coisas morais e espirituais - Suas decisões sobre o que é certo e o que é errado - e Suas soluções dos grandes problemas do universo. O plano de salvação revelado por Deus é a decisão de Deus sobre o destino do homem - o juízo de condenação de Deus contra o pecado humano - e ainda Seu julgamento de justificação em favor dos pecadores crentes que Ele considera justos pela fé em Jesus Cristo. A Bíblia pode ser corretamente considerada como o livro dos juízos divinos, as sentenças registradas da alta corte do céu, a decisão infalível de perfeita santidade sobre questões que dizem respeito à nossa alma - “Este é o juiz que termina a contenda, onde a inteligência e a razão falham. Nosso guia através de caminhos tortuosos da vida, nosso escudo quando as dúvidas atacam”. Você pode chegar às Escrituras quando os homens subiram ao trono de Salomão, onde casos difíceis foram imediatamente alcançados. Mas um maior que Salomão está aqui! Busque a palavra de Deus e você terá diante de seus olhos o julgamento final da verdade infalível, o último decreto da autoridade suprema da qual não há apelo! A Bíblia contém os veredictos do Juiz de toda a terra, os juízos de Deus que não podem mentir e não podem errar. Assim, a palavra de Deus é justamente chamada Seus “julgamentos”. É um livro que não deve ser julgado por nós, mas para ser nosso juiz - nem uma palavra dele pode ser alterada ou questionada - mas para isso podemos nos referir constantemente a um tribunal de recurso cuja sentença é decisiva. (Nota do tradutor: É de fato algo inconteste que todo o que nascido de novo do Espírito, passa a ter este desejo intenso, quase consumidor de se ajustar aos juízos de Deus em Sua Palavra. Há algo como um constante exame de si mesmo quanto a se está ou não vivendo de acordo com a vontade divina em todos os aspectos da sua vida, e especialmente no que se refere ao ministério que tiver recebido da parte do Senhor para cumprir.
Tão intensos são estes desejos, que se não nos cuidarmos em prudência e equilíbrio neste autoexame, podemos abrir uma brecha para que Satanás nos acuse duramente, ao notarmos quão distante estamos sempre do padrão elevado e perfeito do Senhor.
A tentação para desviarmos os olhos de Cristo e passarmos a olhar apenas para nós mesmos é muito grande, e se não vigiarmos poderemos nos deixar abater na mais profunda depressão de alma.
Convém então, em todo o tempo, considerarmos não apenas a nossa própria fraqueza, mas também o poder superabundante da graça para nos lembrar não somente que já fomos lavados e perdoados no sangue de Jesus, como também, que Ele completará a obra que foi iniciada em nós na conversão.)
Davi em nosso texto nos diz como ele desejou os julgamentos do Senhor, ou a Sua palavra pela qual entendemos, primeiro, que ele reverenciava grandemente a Palavra de Deus. Ele não estava entre aqueles que consideram a Bíblia apenas uma parte muito importante da literatura humana, mas como sendo mais inspirada do que as obras de Shakespeare ou Bacon. O pouco que Davi tinha das Escrituras, ele tinha uma solene reverência pelo que ele tinha e ficou admirado com isso. Eu não tenho objeções à crítica honesta do tipo mais agudo, mas fico chocado com certos sacerdotes que cortam e entalham a bendita Palavra de Deus como se fosse uma carcaça desprezível entregue à sua carnificina. Quando os homens instruídos lidam com as palavras deste livro, não esqueçam de quem é o livro e de quais são as palavras que estão examinando! Há uma abordagem aproximada da blasfêmia contra o próprio Deus em irreverência à Sua palavra. Não há livro como este para autoridade e majestade - ele é cercado com sanções solenes de modo que ele tenha tanto uma parede de fogo ao redor quanto uma glória em seu meio para torná-lo distinto de todos os outros escritos. Todos os outros livros poderiam ser reunidos em uma pilha e queimados - como os muçulmanos incendiaram a Biblioteca Alexandrina - com menos perdas para o mundo do que seria ocasionado pela obliteração total de uma única página do volume sagrado! Todos os outros livros são os melhores, mas como folhas de ouro, dos quais são necessários acres para fazer uma onça do metal precioso. Mas este livro é de ouro maciço! Contém lingotes, massas, minas, sim, mundos inteiros de tesouro inestimável, nem o seu conteúdo pode ser trocado por pérolas, rubis ou o “cristal” em si. Mesmo na riqueza mental dos homens mais sábios, não há joias como as verdades do Apocalipse. Ó senhores, os pensamentos dos homens são vaidade, as concepções dos homens são baixas e rastejantes no seu melhor - e Aquele que nos deu este Livro disse: “Meus pensamentos não são seus pensamentos; porque assim como os céus são mais altos do que a terra, assim são os meus pensamentos mais altos do que os vossos pensamentos”.
Que seja para vós e para mim uma questão resolvida que a palavra do Senhor seja honrada em nossas mentes e consagrada em nossos corações! Deixem os outros falarem como quiserem, "nossa alma rompe com o anseio pelos julgamentos do Senhor". Poderíamos antes nos separar de tudo que é sublime e belo, animador ou proveitoso na literatura humana do que perder uma única sílaba da boca de Deus. Mas mais - na medida em que o salmista reverenciava grandemente a palavra de Deus, ele desejava intensamente conhecer seu conteúdo. Ele não tinha muito disso - provavelmente apenas os cinco livros de Moisés - mas o Pentateuco era suficiente para encher sua alma inteira de deleite. Nunca deprecie, eu te peço, o Antigo Testamento! Lembrem-se de que as grandes coisas que são ditas nos salmos sobre a Palavra de Deus não foram ditas sobre o Novo Testamento, que não foi então escrito - embora elas possam ser aplicadas por nós a toda a série de Livros inspirados; originalmente se referia apenas aos primeiros cinco deles - de modo que a primeira parte da Bíblia, de acordo com o próprio testemunho do Espírito Santo, deve ser valorizada além de todo preço. De fato, a substância do Novo Testamento está nos livros de Gênesis, Êxodo, Levítico, Números e Deuteronômio - ali calados como Noé na arca ou escondidos como Moisés na casa de sua mãe. A adorável forma da verdade rainha está lá, somente o véu dela oculta seu semblante. O brilho mais claro do Novo Testamento não é uma luz diferente, nem talvez seja, em si, mais brilhante - brilha através de um meio mais fino e, portanto, mais plenamente nos ilumina. Se me atrevo a comparar uma parte da palavra de Deus com outra, até pensei que os primeiros livros são os mais profundos e que, se tivéssemos a habilidade de descobri-los, descobriríamos dentro deles uma massa de Revelação mais condensada do que no Novo Testamento! Não defenderei a opinião, mas geralmente os estratos mais baixos, embora mais ocultos, são os mais densos e, certamente, o que é mais fácil de entender não é, portanto, necessariamente o mais completo dos significados, senão o contrário. Os vários livros das Escrituras não aumentam em valor real; eles só avançam em sua adaptação para nós. A luz é a mesma, mas a lanterna é mais clara e vemos mais. O tesouro do evangelho está contido nas minas dos livros de Moisés e não me admiro, portanto, que Davi, instintivamente sabendo que estava ali, mas não conseguindo alcançá-lo, sentiu um grande desejo por isso. Ele não foi tão bem capaz de chegar às verdades de Deus como nós somos, uma vez que ele não tinha a vida de Cristo para explicar os tipos, nem explicações apostólicas para abrir os símbolos da lei e, portanto, ele suspirou interiormente e sentiu um desgosto no desejo de alcançar o que ele sabia que estava reservado para ele. Ele viu a caixa de joias, mas não conseguiu encontrar a chave! Se ele não tivesse certeza de que o tesouro estava lá, ele não teria clamado: "Abra os meus olhos, para que eu possa contemplar coisas maravilhosas de sua lei." Mas ele era como um viajante à beira de uma descoberta que, no entanto, não consegue alcançá-lo. Ele era como Colombo no mar, com os frutos de um continente desconhecido flutuando sob sua quilha, mas o vento não favorecia sua chegada à costa. Ele era como um mineiro cuja picareta atingiu um pedaço de metal e ele tem certeza de que o ouro está lá, mas ele não consegue tirá-lo do quartzo em que está embutido. Quanto mais certo ele está de que está, e quanto mais difícil é alcançá-lo, mais insaciável se torna seu desejo de possuir o tesouro! Daí eu vejo a racionalidade do veemente pasmo do salmista. Eu não me admiro que ele tenha clamado: "A minha alma rompe o anseio por seus julgamentos em todos os momentos". Mas tenho certeza de que Davi não queria apenas saber como uma questão de prazer intelectual, mas desejava se alimentar da vontade de Deus, pois é uma coisa muito diferente se alimentar da Palavra de Deus, do mero conhecimento nu dela! Você pode ensinar a uma criança muitos capítulos da Bíblia e ainda assim ela pode não ter se alimentado de uma palavra dela. Eu tenho conhecido pessoas que são tão tolas que estabelecem como punição para uma criança aprender uma parte das Escrituras. Eu chamo isso de tolo e certamente também é perverso fazer da Palavra de Deus um castigo - e também transformar o templo em uma prisão! Sem dúvida, muitos conhecem a história, a doutrina e a letra da palavra de Deus, assim como os outros conhecem o seu país ou o seu Virgílio e, até agora, tão bem. Mas, alimentar-se da Palavra de Deus é outra coisa! Um forno cheio de pão é bom o suficiente, mas para a nutrição, um pão na mesa é melhor e um bocado na boca é melhor, ainda! E se os bocados são bem digeridos e absorvidos pelo sistema, eles são, então, os melhores de todos! Da mesma forma, as verdades de Deus em um sermão devem ser valorizadas, mas as verdades de Deus ouvidas com atenção chegam mais perto do benefício prático, e a verdade de Deus crida é ainda melhor! E as verdades de Deus absorvidas no sistema espiritual são as melhores de todas! Infelizmente, temo que não somos tão absorventes quanto deveríamos ser. Eu gosto de ver homens que podem ser esponjas espirituais da verdade de Deus - sugam-na e levem-na para dentro de si! Seria bom, no entanto, que eles não fossem tão parecidos com as esponjas que se separassem da verdade quando as mãos do mundo tentassem arrancá-las! Eu digo que não somos receptivos o suficiente, irmãos e irmãs, e isso porque nossos corações não estão em sintonia com Deus. Não sentimos, às vezes, que certas doutrinas da palavra dificilmente estão à nossa mente? Não concordamos totalmente com os juízos divinos sobre isso ou aquilo - não nos atrevemos a questionar sua correção - mas preferimos que eles fossem diferentes. Amigos, isso não deve mais ser assim! Todo esse tipo de sentimento deve ter desaparecido! Devemos concordar com Deus em tudo o que Ele falou e deixar nossa crença correr lado a lado com o ensinamento do Senhor. Já é tempo de estarmos totalmente de acordo com Deus. “Você não sabe que os santos julgarão o mundo?” “Não sabeis que devemos julgar os anjos?” Nós nos sentaremos, no Último Grande Dia, como assessores com Cristo no grande culto para julgar os espíritos decaídos! Não nos toca sermos da mesma mente com nosso Senhor? Não deveríamos nos deleitar em Sua palavra mesmo agora, para que possamos mais de coração dizer “Amém” a Seu veredicto do grande trono branco? Nosso julgamento deve ser cada dia mais e mais conformado aos julgamentos de Deus que são estabelecidos nas Escrituras e deve, de qualquer forma, estar em nosso espírito um desejo de santidade até nos deleitarmos na lei do Senhor e meditarmos nela dia e noite. Cresceremos à semelhança daquilo de que nos alimentamos - a comida celestial nos tornará celestiais! A Palavra de Deus recebida no coração nos transforma em sua própria natureza e, regozijando-nos nas decisões do Senhor, aprendemos a julgar segundo o Seu julgamento e a nos deleitarmos naquilo que Lhe agrada. Este sentido, penso eu, aproxima-se da explicação do intenso desejo de Davi. Sem dúvida, ele ansiava obedecer à palavra de Deus - ele desejava em tudo fazer a vontade de Deus sem falta de omissão ou de comissão. Ele ora em outro lugar: “Ensina-me perfeitamente a tua lei”. Você, meu leitor, busca a perfeição da mesma maneira? Todo o que verdadeiramente conhece a Deus deve ter um grande desejo de correr no caminho dos mandamentos do Senhor. Não vive diante de Deus, aquele que não almeja viver como Deus. Não há regeneração onde não há aspirações pela santidade. A prática real da obediência é necessária como prova da posse da verdadeira graça, pois a regra é invariável: “Por seus frutos os conhecereis.” Nenhum homem conhece a Palavra de Deus até obedecê-la - “Se alguém fizer a vontade dele, ele conhecerá a doutrina.” O salmista também desejava sentir o poder dos julgamentos de Deus em seu próprio coração. Você conhece algo sobre isso, meu amigo, se o Espírito de Deus teve relações com você. Você não sentiu o Senhor te julgando na câmara da sua consciência? O Espírito vem pela Palavra de Deus e coloca nossas iniquidades diante de nós, nossos pecados secretos à luz de Seu semblante. Você tinha esquecido o mal, ou pelo menos você não se lembrava disso como um pecado - mas de repente você viu tudo. Quando olhei para uma paisagem sob um céu nublado, um raio de sol de repente caiu sobre uma parte dela e fez sobressair de forma brilhante do meio da escuridão circundante - assim o Espírito Santo derramou uma luz clara sobre alguém ou num ato ou conjunto de atos da minha vida e eu vi como nunca vi antes. Essa luz interior nos julgou e nos levou a buscar uma nova purificação - os juízos de Deus entraram em nossas almas e nos levaram novamente a clamar por misericórdia. Eu encontrei assim, você tem encontrado? Os pecados da nossa juventude e nossas transgressões anteriores foram julgadas pelo Senhor dentro de nós.
Não creio que Davi reconhecesse plenamente todos os pecados de sua juventude até que se tornou um homem velho e, infelizmente, muitos que pecaram de maneira que nunca erraram não conseguiram conhecer o mal de suas transgressões até em seus ossos e em sua carne eles sentiram seus terríveis efeitos anos depois!
O Senhor julgará o Seu povo e tornará o pecado amargo para eles! Devemos desejar isso? Eu digo sim! Todo verdadeiro homem deve sentir um desejo em sua alma de ter todos os pecados nele expostos, condenados e executados. Ele deveria desejar esconder nada, e isso seria revelado e ele seria humilhado pela visão.
Há dois julgamentos, um dos quais devemos sofrer - seja julgamento no fórum da consciência, seja juízo diante do grande trono branco, por fim. Você deve se condenar ou ser condenado! Uma corte de acusações deve ser realizada em seu coração e você deve ser julgado, lançado e condenado em sua própria alma, ou então você não conhecerá plenamente os julgamentos do Senhor, ou realmente buscará o perdão em Suas mãos. Deus justifica os homens que se condenam e ninguém, senão estes, obterão a justiça que é de Deus pela fé. Portanto, podemos ansiar por tirar os juízos para que possamos obter o manto da justiça! Nós podemos chorar para ser esvaziados e para que a graça possa nos preencher!
Davi desejou que a palavra de Deus viesse diretamente a ele e mantivesse sua coorte e o julgasse e provasse - e ele chegou a sentir que esse processo era tão necessário e tão salutar que sua alma rompeu com o desejo com o qual ele tinha que ser tratado por Deus dessa forma. Isso é sabedoria e prudência, quando um homem deseja santificação, a ponto de ser fortalecido até que processos dolorosos sejam levados adiante, para que sua pureza seja produzida. É uma criança sábia aquela que, por uma questão de saúde, demore mesmo a tomar o medicamento indicado! Os filhos de Deus não estão longe de estarem bem quando alcançaram tal ponto de sagrado julgamento! Este é o desejo de todos os verdadeiros crentes - estar perfeitamente em conformidade com a Palavra de Deus. Alguns de nós podem dizer honestamente que não teríamos um segundo desejo para nós mesmos se nosso Pai celestial nos desse um - que pudéssemos ser perfeitos como Ele é. Deixaríamos todos os outros assuntos com Ele a respeito de riqueza ou pobreza, saúde ou doença, honra ou vergonha, vida ou morte, se Ele nos desse total conformidade à Sua vontade. Esse é o objetivo do desejo, anseio e suspiro de nossas almas. Nós temos fome de sermos santos! Aqui devo me corrigir quanto ao nosso único desejo, pois, certamente, se o Senhor nos fizesse santos, então desejaríamos que todos os outros homens fossem iguais! Oh, que o mundo se convertesse a Deus! Oh, que a verdade de Deus saísse como o brilho da manhã! Deus faria que todo erro e superstição pudessem ser afugentados como morcegos e corujas diante do nascer do sol! Ó Deus, seus servos anseiam por isso! Não pedimos nada a não ser estas duas coisas - reine primeiro, ó Senhor, no triplo reino de nossa natureza - e então reine sobre TODA a natureza! Deixe a terra toda ser preenchida com a Sua glória e nossas orações estão terminadas! Espero que, nesse sentido, nossa alma se desfaça pelo anseio que tem em relação aos juízos de Deus.
II. E agora, em segundo lugar, vamos pensar nos ANSEIOS ARDENTES DOS SANTOS. Primeiro, deixe-me dizer desses anseios que neles constituem uma experiência viva, pois as coisas mortas não têm aspirações ou desejos. Você deve visitar o cemitério e exumar todos os corpos que quiser, mas não encontrará nenhum desejo! O desejo não permanece dentro de um cadáver sem vida. Onde o coração está quebrantado com o desejo, existe vida. Isso pode confortar alguns de vocês - você ainda não alcançou a santidade que deseja, mas anseia por isso - ah, então você é uma alma viva, a vida de Deus está em você! Você ainda não chegou a se conformar ao preceito, mas, oh, como desejava estar - esse desejo prova que uma centelha da vida divina está em sua alma. Quanto mais forte esse anseio se torna, mais forte é a vida da qual ele brota - uma vida débil tem desejos fracos - uma vida vigorosa tem desejos veementes, queimando como brasas de zimbro! Você está ansiosamente desejoso esta manhã? Você pode dizer que seu coração anseia por Deus como o observador através dos suspiros da meia-noite para o amanhecer ou como o viajante sobre a areia ardente anseia pela sombra de uma grande rocha? Ah, então, embora eu não queira que você descanse em desejos - e de fato, eu sei que você nunca pode - mas eles são uma prova de que você está espiritualmente vivo!
Os anseios de coração são testes muito melhores do que a frequência aos sacramentos, pois os homens que morreram em pecado ousaram vir ao batismo e à Ceia do Senhor. Ansiosos desejos provam a vida espiritual muito melhor que supostas realizações, pois essas supostas realizações podem ser imaginárias - mas um coração partido pelo anseio que tem na palavra de Deus não é fantasia - é um fato doloroso demais para ser negado!
Em seguida, lembre-se que a expressão usada em nosso texto representa um senso humilde de imperfeição. Davi ainda não havia se conformado completamente às palavras de Deus, nem as conhecia perfeitamente, ou então não teria dito que ansiava por elas. Então, isso é conosco. Nós não temos alcançado a perfeição, mas não nos deixe, portanto, ficar desanimados, pois o apóstolo dos gentios disse: “Não como se eu já tivesse alcançado, ou se já fosse perfeito.” E o homem segundo o coração de Deus, até mesmo Davi, quando ele estava no seu melhor, e eu acho que ele estava assim quando ele estava escrevendo este salmo abençoado, não diz tanto que ele tinha obtido qualquer coisa que ele desejava, não tanto que ele ainda tinha compreendido isso, mas suspirou por isto. "Eu não invejo aqueles que não têm mais anseios, que alcançaram uma altura tão divina que não podem subir mais alto."
Ouvi falar de alguém que disse que sua vontade estava tão perfeitamente resignada à vontade de Deus que, na verdade, ele não tinha vontade e então desistiu da oração, não tendo nada a procurar! Esta é uma conversa estúpida! Quando um homem fica tão cheio de vida que não respira mais, devo dizer que ele está morto! A oração é o sopro da alma e aquele que pode viver sem ela está morto em pecado. Quando um homem se considera tão bem que não pode ser melhor, provavelmente é tão ruim que não poderia ser pior. Esse é o julgamento que a advertência irá pronunciar sobre ele, pois todos os homens bons desejam ser melhores - e os homens melhores desejam ser os melhores de todos para que possam habitar no céu! Quanto mais graça os santos têm, mais eles desejam - a cobiça santa é gerada pela posse do amor de Deus - "Minha alma rompe o anseio por Seus julgamentos".
Além disso, a expressão do texto indica uma experiência avançada. Agostinho enfatiza essa ideia, pois ele diz, com razão, que a princípio, há uma aversão no coração à palavra e ao desejo de Deus, depois de ser uma questão de crescimento. Depois que a aversão é removida, frequentemente surge indiferença no coração - ela não se opõe mais à piedade, mas não se importa em possuí-la. Então, através da graça divina, surge na alma um senso da beleza da palavra e da vontade de Deus e uma admiração da santidade. Isso leva a uma medida de desejo pela coisa boa e um grau de apetite por ela. Mas mostra um crescimento considerável na graça quando nós ardentemente o desejamos e um crescimento ainda maior quando a alma se rompe por causa desses anseios! É uma coisa abençoada quando a alma está tão esticada com o desejo que está pronta para estalar, ou quando, como um recipiente cheio de bebida fermentada, o funcionamento interno ameaça romper completamente o recipiente. O texto representa a agonia de uma alma sincera. Tal estado de coisas mostra um avanço considerável na vida divina, mas quando um crente tem esses desejos em todos os momentos, então ele não está longe de ser um cristão adulto. “Oh”, você diz, “Ele pensa tão pouco do que tem que é esmagado sob o peso do desejo por mais”. Sim, e ele é o homem que tem a maior parte da riqueza espiritual! Esses desejos são entradas misteriosas no livro de contabilidade de seu coração e corretamente lidos eles provam sua riqueza, pois na vida divina, quanto mais um homem deseja, mais ele já obteve! Você pode calcular os seus desejos e, como você calcula com esses números, eles dirão a você um centavo da sua riqueza espiritual. Quanto mais cheio um homem é de graça, mais ele tem fome de graça! Estranho é dizer isso, mas o paradoxo é verdadeiro - quanto mais ele bebe e quanto mais ele está satisfeito e deixa de ter sede em um sentido, mais ele é devorado de sede pelo Deus vivo! É uma experiência avançada, então, e é uma experiência que não consigo descrever, exceto dizer que é um doce amargo ou, melhor, um amargo doce, se o adjetivo for mais forte que o substantivo! Há amargura por ter sido esmagado pelo desejo. É inevitável que deva existir, mas o aroma desta erva amarga é inexprimivelmente doce - nenhum perfume consegue sobressair! Afinal, um coração ferido conhece mais paz e descanso do que um coração cheio de delícias do mundo. Quão segura é essa alma. “Oh”, disse alguém, “não posso ir para o inferno, é impossível, porque amo a Jesus Cristo e muito depois dele. Não é possível a Ele proibir-me o privilégio de amá-Lo e anseio por Ele ser a felicidade!” Melhor sentir uma fome celestial do que uma plenitude mundana! Desgosto por Deus é uma coisa mais doce do que contente em prazeres pecaminosos! Há uma doçura inexprimível, um alvorecer no céu, um desejo por Deus e ainda assim, porque você sente que ainda não alcançou o que deseja, há um amargor misturado com isso. Acho que a única coisa que o mel precisa melhorar é apenas um toque amargo ou ácido. Quando você come muito mel, ele começa a ter um sabor ruim, porque é tudo doce, mas apenas um gosto de limão ou uma pitada de quássia pode fortalecer o sabor e permitir que ele receba um novo frescor de doçura. É certamente assim com a verdadeira experiência religiosa. As dores do desejo forte aumentam nossos prazeres transbordantes e os anseios e a fome fazem com que alcançar e desfrutar seja ainda mais prazeroso. Que o Senhor nos envie mais desse cordeiro com ervas amargas, essa experiência mesclada na qual estamos “tristes, mas sempre alegres!”
Ainda assim, esses anseios pela palavra de Deus podem se tornar muito desgastantes para a alma de um homem. O sentido do nosso texto no hebraico é o de atrito ou desgaste. Keble lê: “Minha alma está gasta e desperdiçada, as vossas leis desejo dia e noite”. Elas desgastam o homem quando se tornam tão fervorosas quanto as que são confessadas no texto. Acredito que alguns dos santos do Senhor foram desgastados pela doença e depressão pela paixão de seus corações por Deus - suas almas se tornaram como espadas afiadas que cortam suas bainhas, pois destruíram o corpo por intensos desejos internos. Às vezes os homens santos se aproximam tanto de Deus e anseiam tão grandemente pela Sua glória que, por meia palavra, passam a fronteira e entram no céu! Eles estão tão plenamente de acordo com Deus que a casca que se fecha em sua alma está quase quebrada e o espírito recém-nascido está pronto para sua plena vida e liberdade. Quão abençoado é sacudir o último fragmento daquilo que nos impede da liberdade de uma vida imortal em perfeito acordo com Deus! Oh que possamos alcançar isso! Um santo clamou: "Deixe-me ver a face de Deus", e outro respondeu: "Você não pode ver o rosto de Deus e viver!" Ao que ele respondeu: "Então deixe-me ver meu Deus e morrer." Assim sentimos que nossa alma vem perto de morrer com seus anseios pelo seu Deus! Pouco trememos, mesmo sabendo que a alegria da realização estaria matando e nós passaríamos pela fronteira para a terra de Emanuel, onde veremos o Rei em Sua beleza!
Mas não devo me demorar, embora haja muito para me tentar falar. Vocês estão procurando a si mesmos, irmãos e irmãs, para ver se vocês têm tais anseios? Em caso afirmativo, você os tem "em todos os momentos"? Não devemos desejar a palavra e a vontade de Deus aos trancos e barrancos - não devemos ter desejos despertados pela novidade ou pela excitação. Nem devemos desejar as coisas divinas porque, por um tempo, as coisas temporais nos falham e ficamos doentes, tristes e cansados do mundo - e, assim, com nojo, nos voltamos para Deus.
Irmãos, eu confio que vocês aspirem muito por Deus, quando tudo é brilhante na providência e que vocês amem a Sua palavra quando tudo é agradável nos assuntos da família. É bom desejar a vontade do Senhor quando Ele está permitindo que você tenha a sua própria vontade, assim como quando Ele está frustrando você. Deus é sempre o nosso prazer. Ele é nossa defesa na guerra, mas Ele também é nossa alegria em paz.
Não O use como marinheiros, usam os portos de refúgio aos quais eles não estão presos, nos quais eles só se deparam no tempo da tempestade, e quando eles estão longe no mar! A vontade do Senhor deve ser o caminho dos nossos pés e o elemento da nossa vida. Isso é ser um verdadeiro filho de Deus - ter sempre uma alma ansiosa para com Deus e Sua palavra - estar ansioso segundo Seus mandamentos “em todos os momentos”. Que o Espírito Santo nos mantenha sempre famintos e sedentos por Deus e Sua verdade.
III. E agora eu vou fechar com algumas reflexões animadoras. Acho que esta manhã algum coração tem dito: “Há pensamentos reconfortantes para mim em tudo isso. Eu sou uma coisa pobre. Eu não cresci muito. Eu não fiz muito. Eu queria ter, mas não tenho fortes desejos. Estou muito insatisfeito e estou quase pronto para morrer de desejo por Cristo.” Meu amado, ouça - deixe que isso te encoraje! Primeiro, Deus está trabalhando em sua alma. Nunca um anseio pela palavra de Deus cresceu na alma de si mesmo. Ervas daninhas surgem de si mesmas, mas o tipo mais raro de plantas, eu garanto que você nunca será encontrado onde não houve semeadura! E essa flor, chamada amor - essa planta de intensa ansiedade por Deus - nunca surgiu no seio humano de si mesma! Deus colocou lá! Amigo, houve um tempo em que você não tinha tais anseios. Ah, e se você fosse deixado a si mesmo, nunca mais sentiria tais anseios! Você recusaria até ficar tão contente com o mundo quanto os outros. Você sabe que você faria! Venha, então, amado, Deus está trabalhando em sua alma - deixe isso confortá-lo..
O grande Oleiro tem você nas mãos - Ele não o rejeitou como inútil - Sua obra pode lhe causar dor, mas é honrosa e gloriosa. Seu coração pode inchar com anseios inexprimíveis e pode ser dilacerado pela angústia do desejo, mas a vida prova sua presença e alcança algo ainda mais além. Essas dores do desejo são as ações do Senhor e devem ser percebidas com gratidão. O resultado do trabalho de Deus é muito precioso. Venha, embora seja apenas um desejo gracioso, agradeça a Deus por isso. Embora você não possa ir além do desejo sagrado, seja grato por esse desejo. Eu gostaria que você lutasse pelos maiores dons, mas eu não gostaria que você desprezasse o que Deus já lhe deu! Eu conheci as vezes em que eu me achava em um caso muito estranho e julgava mal de mim mesmo. No entanto, um ou dois meses depois, olhei para aquela condição que eu condenava e desejei poder voltar a ela! Não foi assim com você? Você foi atormentado com suspiros, gemidos, desejos e outras formas de agitação e você disse: "Ó Deus, livra-me deste trabalho penoso!" Mas quando, dentro de uma semana, você teve que lamentar insensibilidade e mornidão, você gritou: “Senhor, ponha-me de volta ao meu estado de desejo! Senhor, torne-me faminto e sedento de novo, um apetite feroz é melhor do que essa morte.” Oh, você que está desejando, seja grato que você está, pois você tem uma rica promessa para animá-lo, já que está escrito: “Ele cumprirá o desejo daqueles que O temem.” Quanto mais miserável e infeliz você for sob um senso de pecado, mais agradecido você deve ser pela ternura do coração. E quanto mais você anseia por se deitar em Cristo e se tornar semelhante a Cristo, mais você deve agradecer a Deus por Ele ter operado esse anseio em você.
Quão doce é essa Palavra de Deus: “Senhor, você ouviu o desejo dos humildes: você preparará o coração deles e fará com que o seu ouvido ouça.” Ouça, mais uma vez - não apenas o desejo é precioso, mas está levando a algo mais precioso! Ouça o que está escrito: “O desejo dos justos será concedido”. O que você diz a palavras como essas? “Ele considerará a oração dos necessitados e não menosprezará a oração deles.” “Quando os pobres e necessitados buscam água e não há, e a sua língua falha por sede, eu, o Senhor, os ouvirei; eu, o Deus de Israel, não os abandonarei.”
Você acha que Deus nos induz a desejar algo que Ele não pretende nos conceder? É assim que você trata seus filhos? Eu sei que você vai brincar com os pequenos, às vezes, e segura uma noz ou um centavo em sua mão fechada e pede-lhes para abrir os dedos para si mesmos. Mas você lhes dá o deleite em pouco tempo. Você não teria uma guloseima diante de uma criança pobre e prometeria a ela e excitaria seus desejos por ela e depois lhe recusaria o gosto dela - isso seria um passatempo cruel! Deus não é indelicado - se Ele lhe faz ter fome, para aquela fome Ele preparou o pão do céu! Se Ele te fizer ter sede - para essa sede Ele já tem encheu o rio da água da vida! Se o desejo vem de Deus, o suprimento desse desejo certamente virá de Deus! Descanse bem nisso e clame fortemente a Ele com forte fé em Sua bondade. Enquanto isso, o próprio desejo está te fazendo bem. Está te tirando de você mesmo. É fazer com que você sinta a pobre criatura que você é, pois você não pode cavar bem em sua própria natureza e não encontrar suprimentos dentro de seu próprio espírito. Está te obrigando a olhar somente para Deus.
Não precisa de muita força - venha prontamente ao seu Senhor! Seja um desses navios que podem navegar com uma braçada de vento! Venha pela fé a Jesus, mesmo que você tenha medo de que seus desejos não sejam tão vívidos e intensos quanto os do meu texto. Acredite e você será confirmado! Tenha certeza disso, que existe em Deus tudo o que sua alma precisa! Em Cristo Jesus habita toda a plenitude da Divindade corporalmente e nessa plenitude divina deve necessariamente haver mais do que uma criatura pode requerer! Em Cristo Jesus há exatamente o que pelo qual sua alma está ofegante. Sim, quero dizer vocês, os mais fracos do rebanho! Vocês mais fracos dos santos! Vocês que não ousam colocar seus nomes no meio do povo de Deus! Se existe um desejo sagrado em seu espírito, existe em Cristo que está adaptado a você, apesar de sua fraqueza e indignidade. Deus está pronto para lhe dar tudo o que você está pronto para receber. Somente venha e confie nEle para isso e olhe para o Seu querido Filho, pois em Jesus você tem todas as coisas. Oh, esta é a bem-aventurança desse anseio pelos julgamentos de Deus que torna Cristo precioso! E, com essa observação, eu fecho. Nós vemos toda a palavra de Deus em Cristo. Nós vemos tudo de Deus e as decisões contra o pecado e pela justiça incorporadas em nosso Salvador. Vemos que, se pudermos obter a Cristo, encontraremos a sabedoria de Deus e o poder de Deus e, de fato, a suficiência de Deus! Se podemos nos tornar como Cristo, seremos como o próprio Deus. Isso, eu digo, torna Cristo tão precioso e nos faz desejar conhecê-lo mais plenamente e chamá-lo de nosso!
Venha, com seus anseios, venha ao meu Senhor Jesus agora mesmo! Venha, você que está explodindo de desejos, venha e confie no Salvador e descanse nEle agora! E que esta seja a hora em que você vai descobrir como é verdade: “Bem-aventurados os que têm fome e sede de justiça, porque serão fartos”. Que você ainda cante o cântico da Virgem: “Ele encheu o faminto de coisas boas. Minha alma realmente engrandece o Senhor”.
Charles H. Spurgeon


Publicado no site: O Melhor da Web em 06/11/2018
Código do Texto: 138587
AQUI VOCÊ INTERAGE DIRETAMENTE COM O(a) AUTOR(a) DA OBRA!
DEIXE UM COMENTÁRIO REFERENTE AO TEXTO!

Comente esse Texto - Seja o primeiro a comentar!


Busca Geral:
Título
Texto Título e Texto


CLIQUE AQUI! PARA LER OS TEXTOS CADASTRADOS!
ESSE LINK VAI PARA A PÁGINA PARA EXIBIÇÃO DOS TEXTOS!

Galeria de Fãs
Sou Fã de...
 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Parceria de Sucesso entre o site Poesias www.omelhordaweb.com.br e o www.efuturo.com.br
Confira. Adicione seus textos nele. O eFUTURO já começou.

Indicamos:Efuturo.com.br - Efuturo é uma Rede Social de Conhecimento, Ensino, Aprendizado Colaborativo, Jogos Educativos e Espaço Literário.