Visitante, seja Bem-Vindo! 
Novo Cadastro
Esqueceu a Senha?

Login: 
Senha:
Silvio Dutra

Todas imagens extraídas da galeria do Google.
kuryos - Silvio Dutra
RSS - As recentes de:Silvio Dutra
&nbnsp;
 

----------------------------------------------------------------------------------------

PARTICIPE! Quero incluir Textos! É GRÁTIS, É fácil, É simples, EU POSSO!



Silvio Dutra
Aniversário: 25/11
Cadastrado desde: 29/08/2012 -

Texto mais recente: Sabedoria e Poder na Criação

Textos & Poesias || Evangélicas

Imprimir
Fé Operando pelo Amor
03/12/2018
Autor(a): Silvio Dutra

Fé Operando pelo Amor


Sermão nº 1553
Por Charles H. Spurgeon (1834-1892)
Traduzido, Adaptado e
Editado por Silvio Dutra
Dez/2018
2
S772
Spurgeon, Charles H.- 1834-1892
Fé operando pelo amor / Charles H. Spurgeon
Tradução e adaptação Silvio Dutra Alves – Rio
de Janeiro, 2018.
33p.; 14,8 x21cm
1. Teologia. 2. Pregação. 3. Alves, Silvio Dutra.
I. Título.
CDD 252
3
“Fé que opera pelo amor”. (Gálatas 5: 6)
Todos os modos de justificação pelas obras humanas e formas externas são postas de lado pelo apóstolo. Em uma frase, ele encerra todo caminho que é lançado pelo homem e abre o caminho do Senhor, até o caminho da salvação pela graça através da fé em Cristo Jesus.
Alguns esperam ser salvos pelo ritualismo. Suas esperanças são golpeadas no quadril e na coxa por estas palavras: “Nem a circuncisão aproveita nada.” Por outro lado, muitos estão confiando em sua liberdade de todas as cerimônias e confiando em uma espécie de antirritualismo. Eles são feridos pela palavra “nem incircuncisão”. Como os judeus confiavam na circuncisão, muitos dependem do batismo e dos sacramentos. Para estes o apóstolo não dá qualquer guarida.
Outros se gloriam na incircuncisão. Eles não praticaram ritos nem cerimônias. Seu modo de culto é claro até mesmo para a falta de visão, livre quase para a desordem, e disso eles estão aptos a fazer justiça. É tão fácil fazer uma autojustificação da simplicidade do Quaker quanto da ostentação do romanista, e a primeira confiança será tão fatal quanto a outra. Você e
4
eu, como batistas, podemos nos gloriar na simplicidade de nossa adoração e nos diplomas de nosso batismo, mas se pensarmos que as coisas exteriores nos salvarão porque são escrituristicamente simples, erraremos tanto quanto aqueles que multiplicam cultos maravilhosos e procissões pomposas. Deixe a frase inteira ser citada. Paulo diz: "Nem a circuncisão aproveita nada", mas ele não para por aí, e acrescenta, "nem incircuncisão". O exterior, seja ele decorado ou não, seja fixo ou livre, não toca no ponto de salvação. A única coisa que pode nos salvar é a fé em Jesus Cristo, a quem Deus propôs como propiciação pelo pecado. A fé nos coloca em contato com a fonte de cura e, assim, nossa doença natural é removida. Ela se apropria em nosso nome do resultado do serviço e sacrifício do Redentor, e assim nos tornamos aceitos nEle. Mas qualquer coisa aquém disso deve falhar. É o rasgar da roupa enquanto o coração está intacto. A lavagem do exterior do copo e prato enquanto a parte interna é muito imunda. O apóstolo, no entanto, faz mais do que simplesmente condenar outras fundações que não as da fé. Ele distingue aqui entre a própria fé e suas muitas imitações. Não é todo tipo de fé que salvará a alma. A fé verdadeira, indubitavelmente, salvará um homem, embora seja como um grão de mostarda, mas, então, deve ser a verdadeira
5
fé - a prata genuína e não um mero artigo banhado. “O dinheiro responde a todas as coisas”, diz o sábio, mas deve ser a moeda atual do reino, pois o dinheiro falso não responderá por nada a não ser para condenar o homem que o possui. A verdadeira fé nos salvará, mas as falsificações aumentarão nosso risco. A segurança é de Deus, mas a presunção é do diabo. O teste da fé verdadeira é que funciona: “Fé que funciona”, diz o texto. Para esse fim, deve primeiro viver, pois é claro que uma fé morta não pode funcionar. Deve haver coração em nossa fé e o Espírito de Deus soprando nele, ou não será a fé viva de um filho vivo de Deus. Por estar viva, a fé verdadeira não deve dormir, mas deve despertar a si mesma como uma criança para o dia, pois uma fé adormecida é matéria de busca do coração, já que o sono é primo da morte. Uma fé vigilante torna-se ativa e em sua atividade está muito da sua prova. "Por seus frutos você os conhecerá" é uma das regras do próprio Cristo para testar os homens e as coisas, e devemos conhecer a fé pelo que vem dela - pelo que ela faz por nós e em nós e através de nós. A fé não vale a pena se for infrutífera. Tem um nome para viver e está morto. Se não funciona de todo, não vive de maneira alguma e não pode justificar sua posse. Um deus morto pode ser servido por uma fé morta, mas somente a viva, acordada, e operante fé pode
6
agradar o sempre vivo, sempre operante Jeová. Deus nos salve de uma fé sonhadora e de uma fé falante e nos dê “a fé que opera”. - “Não apenas palavras custam ao Senhor para comprar perdão para os seus. Nem uma alma restaurada pela graça o será apenas pelas palavras do Salvador.”
Uma outra distinção também é apresentada, a saber, que a fé verdadeira “opera por amor”. Há alguns que fazem muitas obras como resultado de um tipo de fé que, no entanto, não são justificados. Como por exemplo, Herodes, que acreditou em João e fez muitas coisas e ainda assassinou seu ministro. Sua fé funcionou, mas funcionou com pavor e não com amor. Ele temia a linguagem severa do segundo Elias e os julgamentos que viriam contra ele se ele rejeitasse as advertências do Batista, e assim sua fé funcionou através do medo.
O grande teste do trabalho da fé salvadora é este: ela “opera pelo amor”. Se você é guiado pela sua fé em Jesus Cristo para amá-lo e servi-lo, então você tem a fé dos eleitos de Deus. Você é, sem dúvida, um homem salvo e você pode seguir seu caminho e se alegrar na liberdade com a qual Cristo o libertou. Será uma alegria para você servir ao Senhor, pois o amor é o principal motivo do seu serviço. Esse é o ponto sobre o
7
qual falaremos esta manhã - a conexão que existe entre fé e amor, “Fé que opera por amor”. Podemos ser ajudados a testar tanto nossa fé quanto o amor enquanto estamos falando da mescla e do entrelaçamento. das raízes e ramos destas duas graças e nos fará bem realizar um autoexame completo. Nunca faz mal a alguém se revisar e ver em que estado ele está, se está realmente certo ou não, se está prosperando na alma ou não. Receio que tomemos nosso bom estado como garantido, mas não tenho medo da maior busca da autoinvestigação. Que Deus, o Espírito Santo, abençoe nosso ministério para este fim esta manhã!
I. Nossa primeira observação será esta: A FÉ PRODUZ SEMPRE O AMOR, “Fé que opera pelo amor”. Quando a fé tem algo a fazer, ela caminha para o campo com o amor ao seu lado. As duas graças são inseparáveis. Como Maria e Marta, elas são irmãs e residem em uma casa. A fé, como Maria, senta-se aos pés de Jesus e ouve as Suas palavras, e então o amor percorre diligentemente a casa e se alegra em honrar o divino Senhor.
A fé é luz, enquanto o amor é calor e em cada raio de graça do Sol da Justiça você encontrará uma medida de cada um. A verdadeira fé em Deus não pode existir sem amor a Ele, nem amor
8
sincero sem fé. Eles estão unidos, como gêmeos siameses, e onde você encontra um, o outro certamente estará presente. Isso acontece por uma necessidade da própria natureza da fé. No momento em que um homem acredita em Jesus Cristo, ele O ama como uma coisa natural. É possível confiar em outra pessoa e não amá-la, mas a partir das circunstâncias peculiares do caso, nosso Senhor, tendo nos amado e dado a Si mesmo por nós a partir da infinita caridade do Seu coração, somos compelidos a amá-Lo no momento em que nós repousamos sobre ele. Confiar no Cordeiro que está sangrando e não amá-lo é algo que não deve ser imaginado.
A fé é um anel de ouro que, em todos os casos, o joalheiro celeste estabelece com o berilo do amor. A fé é como uma gota do próprio orvalho de Deus e floresce em amor. Os primeiros passos do pródigo, quando ele cai em si mesmo, são todos voltados para a casa e o coração de seu pai. Quando chega em casa, pode dar muitos passos aqui e ali sobre o espólio de seu pai, mas no início, pelo menos, seu rosto é distintamente voltado para o pai. Não disse ele: Levantar-me-ei e irei a meu pai? Os primeiros passos da alma, quando ela começa a acreditar em Deus, são desejos por Ele, nos quais há uma medida de amor. As afeições são despertadas e atraídas para Deus logo que haja o menor grau de fé na
9
alma. Todo crente aqui sabe disso. Olhe para o dia em que você viu o Senhor pela primeira vez, se você puder se lembrar dele - a hora em que você olhou para Ele e foi aliviado - você não O amou imediatamente? Amo ele? Sim! Às vezes, tememos que o tenhamos amado melhor do que agora, embora eu espero que não seja o caso. Se alguém me perguntasse, no primeiro rubor da minha alegria, quando vi pela primeira vez o meu Senhor que sangrava, “Você o ama?” Eu não deveria ter hesitado, mas respondido, “Eu O amo como minha própria alma, porque Ele a redimiu de ir para o abismo.”
A fé cria amor enquanto o verão gera flores. Nosso primeiro amor veio com nossa primeira fé por uma necessidade da natureza que nunca pode mudar. O amor cresce pela fé ainda mais pelas descobertas da beleza em Cristo que a fé certamente fará. A fé é o olho da alma e seu telescópio, através do qual vê aquilo que está tão longe que seria invisível. A fé santa contempla o caráter do Senhor Jesus Cristo, compreende Sua pessoa e discerne Seu trabalho incomparável, e assim cria conhecimento de que vem o amor. A fé permanece como o querubim sobre o átrio de ouro, olhando para baixo sempre sobre o propiciatório derramado de sangue, admirando e imaginando, espiando algo fresco a cada hora e, assim, enchendo-se de prazer cada vez maior
10
com aquelas coisas que os anjos desejam examinar. Deste discernimento gracioso vem o amor. A fé se deleita em desvendar as belezas superlativas do Bem-amado diante do olhar do amor e depois a fé e o amor se unem em clamor: “Sim, Ele é totalmente amável”. Aqueles que creem podem dizer: “Nós vemos Jesus”, e aqueles cujos corações são conquistados por Ele podem acrescentar: “Nós O amamos porque Ele nos amou primeiro”. Quanto mais conhecemos melhor nosso Senhor! Quanto mais nós cremos nele! Então devemos ser unidos a Ele, como o coração de Jônatas estava unido a Davi.
A fé cria amor em seguida por sua apropriação daquilo que ela compreende, pois enquanto a fé é o olho da alma, é também a mão da mente pela qual ela capta a bênção. A fé vê o amor de Cristo e então diz: “Ele me amou e se entregou por mim”. A fé vê as feridas de Jesus e percebe Sua divindade através daquelas janelas de rubi e imediatamente se apropria e clama: “Meu Senhor e meu Deus.“ O amor certamente surgirá de um senso de posse. A mãe não ama muito o filho porque é seu próprio filho? Quando temos interesse em uma pessoa para chamá-lo de "meu irmão", "meu marido", "meu filho", o senso de propriedade aumenta nossa sensação de afeto. Isso fez o salmista cantar: “Ó Deus, tu és o meu Deus, cedo te buscarei”. Por
11
que, mesmo em coisas mortas, como ouro e prata, e bens e terras, quando são de um homem, são capazes de que seja amado, pois as afeições se apegam ao que é possuído: “Onde está o seu tesouro, estará também o seu coração.” Daí o perigo que acompanha as coisas mundanas, para que nosso coração não seja conquistado por elas, e assim mantido cativo, em vez de subir para Deus. Essa tendência é claramente vista em referência a posses superiores e especialmente em relação a Cristo. Se Cristo é seu e a fé pode dizer: "Jesus é meu", o amor altera a sentença e grita: "Esta é minha amada e esta é minha amiga". Quando a fé de Tomé viu Jesus como Senhor e Deus, seu amor deu um anel musical para sua exclamação, alegrando-se em possessão pessoal e chamando-O de "meu Senhor e meu Deus". O amor se alegra em Jesus como sua possessão, triunfa nEle, e bem docemente canta de amor a Ele porque Ele é seu próprio marido e Senhor. Assim, você vê que a fé cria amor a partir de uma necessidade de sua natureza, das descobertas que faz e de sua apropriação das coisas boas que estão em Cristo. Caro ouvinte, você sabe alguma coisa sobre esses assuntos?
A fé excita ainda mais o amor por outro passo, a saber, por gozar da misericórdia e depois levar o coração a um reconhecimento grato da fonte da
12
misericórdia. Há dois elos na cadeia neste caso - a fé conquista a misericórdia pela oração, a misericórdia é desfrutada e, depois, o gozo do presente traz amor àquele que a deu.
Irmãos, que inúmeros favores a fé já nos trouxe. Alguns de vocês, eu confio, não olham para a aliança como um depósito trancado, do qual nada deve ser levado até que você venha a morrer. Mas a chave de Davi foi colocada em suas mãos pela fé e você desfruta agora mesmo das coisas gordas cheias de medula e dos vinhos das borras bem refinados, que o Senhor preparou para os que O amam.
Neste momento você sabe que você está justificado. Você sabe que é adotado na família de Deus, portanto, não ama o Senhor? Eu sei que você ama. Você sente neste momento que está desfrutando dos privilégios do herdeiro com Cristo, isso não o prende rápido ao seu irmão mais velho? Todos os dias você está recebendo misericórdias providenciais. Eu espero que você mantenha seus olhos abertos para vê-las. Todos os dias vocês estão recebendo misericórdias, restaurando misericórdias, misericórdias instrutivas e seladoras. Você não ama a Deus por todos esses dons inestimáveis? Bênçãos espirituais estão vindo a você do Deus de toda a graça e você está cheio de alegrias, como as
13
aflições do seu Salvador, imensas, desconhecidas. Certamente isto cimenta sua alma ao seu Redentor. A menos que seu coração esteja completamente fora de ordem, você ama Deus mais e mais, porque Ele está manifestando Seu amor a você mais e mais. Não é assim? A fé lhe disse que o Senhor era bom e então ela clamou: “Eu vou provar isso para você”, e ela distribuiu as riquezas ricas e raras mercês do convênio, e as colocou a seus pés. E desde que você os possuiu e viveu sob eles como seus próprios, você abençoou o Doador e O amou mais do que você já fez antes. Assim, a fé recebe promessas e alimenta o amor pelo fruto delas. Faz isto ainda mais docemente pela familiaridade com Deus que gera no coração, pois a fé tem o hábito de ir a Deus com todas as suas cargas e ir embora com suas cargas removidas. A fé tem a prática diária de suplicar promessas a Deus, falando a Ele cara a cara como um homem fala com seu amigo e recebendo favores da mão direita do Altíssimo, o que faz com que até mesmo sua alma expectante se maravilhe.
A fé começa com Deus pela manhã, como fez Abraão, e caminha com Ele no campo à noite, como Isaque fez.
14
A fé se aloja com Deus enquanto a andorinha construiu seu ninho sob o beiral do templo.
A vida de fé está em Deus, assim como a vida de um peixe está no mar.
O seio de Jesus Cristo é o travesseiro da fé e o coração de Deus é o pavilhão da fé.
Porque a fé nos mantém perto de Deus, nos faz amá-lo.
Oh pobre alma cega, se você pudesse ver Jesus, você O amaria. Você que se opõe muito a Ele se tornaria seu amigo se você o conhecesse. Não é possível para um crente estar na companhia de Cristo por uma hora sem sentir seu coração aquecido. Os peregrinos a Emaús disseram: "Nossos corações não queimavam dentro de nós enquanto falava conosco pelo caminho?"
Aqueles que conheceram e acreditaram em Seu amor para com eles devem sentir seu encanto sobre suas afeições, mantendo-os cativos. Não há outro semelhante entre os filhos dos homens. Suas belezas penetram o coração. Se Jesus apenas ergue o véu e nos deixa ter um vislumbre de um dos Seus olhos por um momento, nossos corações se fundem dentro de nós –
15
“Onde pode estar tal doçura
Como eu provei em Seu amor,
como eu encontrei em Ti?”
Porque a fé nos faz familiarizados com nosso divino Senhor, deve inevitavelmente produzir amor na alma. Mais uma vez, e aqui novamente, há dois elos em vez de um - essa familiaridade com Cristo logo gera afinidade de disposição e espírito, pois os que estão muito com Cristo tornam-se muito semelhantes a Cristo. Aquele que se deitar em uma cama de especiarias naturalmente encontrará suas vestes cheirando da mesma. Um espelho sobre o qual o sol está brilhando é brilhante e pisca seus raios refletidos de longe. Aquele que anda com os sábios será sábio, mas aquele que habita com a sabedoria infinita será ensinado por Deus. Sem dúvida, casais felizes que vivem juntos em afeição e confiança mútuas se tornam muito parecidos um com o outro - um se torna o eu do outro - eles têm os mesmos objetivos e eles são frequentemente surpreendidos ao descobrir que eles pensaram o mesmo e estão prestes para dizer as mesmas palavras no mesmo momento. Assim, o santo e o Salvador crescem um com o outro depois de anos de conhecimento, somente o crescimento é todo de um lado - nós
16
crescemos para Ele em todas as coisas que são a Cabeça. Oh que nossa semelhança com Cristo fosse tão clara e completa quanto a nossa semelhança com nossos queridos companheiros aqui embaixo.
Você vê como o amor é assim nutrido na alma por uma crescente semelhança de disposição. Onde quer que haja afinidade de gosto, mente, visão, disposição e espírito, o amor se torna forte e bem estabelecido. E assim a fé, gerando em nós a semelhança de Cristo, faz com que o amor a Cristo se torne um poderoso poder na alma. Certamente todos esses pontos mostram suficientemente que a fé cria amor na alma onde quer que ela realmente habite. Não peço a vocês que comecem a dizer: "Receio não amar o Senhor como deveria", e assim por diante. Assuma o fato de que você não O ama ao máximo de Seus infinitos desertos e, em vez de levantar questões sobre o grau de seu amor, pergunte-se se você acredita nele. Você está confiando no Senhor Jesus? Você está confiando nele? Porque se a raiz estiver lá, a flor aparecerá em breve. Se você acredita que Jesus é o Cristo, você é nascido de Deus e todos os que são nascidos do Deus do amor devem amar a Deus.
Não fale em tentar amar a Deus. Você não pode se forçar a amar alguém. Quem em seus
17
sentidos alguma vez sonharia com tal coisa? Tais tentativas seriam loucura total. O amor deve nascer livremente, não pode ser comprado ou forçado. Não podemos dizer o que é o amor, embora o sintamos. É uma coisa misteriosa que não deve ser descrita pelo criador das definições, mas é sempre um produto de outra coisa que a antecede. Se você acredita, você vai amar. Se você não acredita, nunca amará até acreditar. Vá para a raiz do assunto. Não tente cultivar o jacinto do amor sem o bulbo da fé. Você confia em Jesus de todo o seu coração e está confiando os interesses eternos de sua alma a Ele? Então eu sei que você O ama, embora você possa por um tempo estar ocupado com outras atividades.
O amor adormece em você como fogo em um sílex, ou melhor, ele arde como fogo em relva fumegante, mas em pouco tempo ele queimará veementemente como carvão de zimbro. Olhe bem para sua fé e seu amor não falhará.
Lembre-se das falas de um doce poeta e ore para que você possa cantá-las de sua própria alma –
“Aleluia! Acredito! Agora, ó amor!
Eu conheço o seu poder,
18
você não tem grilhões falsos ou frágeis,
nem as grinaldas de rosas de uma hora.
Laços cristãos de união sagrada
A própria morte não destrói;
Sim, viver e amar para sempre
é nossa herança de alegria”.
II. Deixe-me agora ampliar uma segunda observação - O AMOR É TOTALMENTE DEPENDENTE DA FÉ. “Fé que opera por amor.” O amor, então, não funciona por si mesmo, exceto na força da fé. O amor é tão inteiramente dependente da fé que, como já disse, não pode existir sem ela. Nenhum homem ama um Salvador em quem ele não confia. Pode haver uma admiração do caráter de Cristo, mas a emoção que a Escritura trata como “amor” só vem ao coração quando confiamos em Jesus. “Nós O amamos porque Ele nos amou primeiro.” Quando temos uma crença em Seu amor e um senso disso, então começamos a amar a Jesus, mas o amor a Jesus não pode existir sem fé nEle. Certamente o amor não pode florescer a não ser que a fé floresça. Se duvidar de seu Senhor, você pensará muito sobre Ele e deixará de amá-lo como deveria. Se você se
19
meter em problemas e duvidar de Sua sabedoria, ou de Sua bondade em enviá-la, a próxima coisa será que seu coração estará frio para com Ele. Você começará a pensar que o seu Senhor seja tirânico e severo com você e você vai brigar com ele.
As duas graças devem diminuir ou aumentar juntas. Se você alcança uma confiança simples e infantil que repousa em Cristo como um bebê no seio de sua mãe repousa inteiramente sob seus cuidados, então seu amor será aperfeiçoado. Mas porque você quer confiar em si mesmo um pouco e começa a julgar o seu Deus, e não repousa inteiramente nele, por isso é que você deve se perguntar se o ama ou não. Que Deus, o Espírito Santo, trabalhe em nós uma poderosa força de fé para que possamos ter um amor veemente, forte como a morte, imortal como divindade.
O amor, ainda, como não pode florescer sem fé, por isso não pode funcionar sem ela. O amor é um grande designer e planejador, mas como realizá-lo não o encontra, a menos que a fé mostre o caminho. O amor se senta e diz: “Eu gostaria que o mundo fosse convertido a Cristo!” Mas a fé sai e prega o evangelho. O amor grita: “Eu gostaria que os filhos conhecessem Jesus e que seus corações fossem renovados
20
mesmo quando ainda são pequenos.” Mas a fé abre a escola dominical e ensina os jovens e confia em Deus que Ele abençoará a palavra aos seus filhos para a salvação.
O amor deve ter fé para lhe dar força, força e força, portanto, cuide bem da sua fé. Longfellow diz: "Portanto, amem e creiam, e as obras seguirão espontaneamente, como o dia do sol". O amor é como o lírio de Salomão, deixando mirra de cheiro doce. Quão agradável de se ver! Fique de pé e admire seus encantos. Sabei que aquela linda flor não poderia ser assim arranjada se não fosse unida por seu talo a uma raiz viva que está escondida no subsolo. A fé é a lâmpada necessária da qual vem o amor como a perfeição da beleza. Você olha para a bela cidade de Alma Humana e vê uma cúpula dourada brilhando ao sol - essa cúpula é amor e repousa sobre alicerces de fé que são depositados nas profundezas da rocha, senão a cúpula cairia em ruínas. O amor a Deus, se for digno do nome, deve ser profundamente baseado na confiança em Jesus. Não pode permanecer sem ela, mas é levado pelo vento e pela inundação, como a casa na areia. Por isso, estamos dispostos a julgar com prudência as explosões de emoção que vemos em certas pessoas excitáveis. Nós os ouvimos cantar: “Oh, sim, eu amo a Jesus”, mas não estamos tão certos disso quando
21
observamos suas vidas. Estamos satisfeitos com tais emoções, se elas surgirem do conhecimento de Cristo e da genuína fé nEle, mas muitas vezes vimos a aparência de afeição ardente sem conhecimento e sem humildade, sem penitência e sem fé infantil, e, portanto, nos regozijamos com temor. Tememos que o edifício que se ergue em uma noite desapareça como “o tecido sem base de uma visão” e desapareça como a bolha de sabão de uma criança que, embora enfeitada com todas as cores do arco-íris, se dissolve em um instante. Veja, então, a sua fé, já que o amor é inteiramente dependente disso. Veja que você esteja arraigado e aterrado e estabelecido, para que a alta torre do amor professo em breve não fique em ruínas e apenas a indiferença permaneça.
III. Em terceiro lugar, eu avanço para outra observação que vem mais perto do texto, embora nossos pensamentos anteriores tenham sido necessários para nos levar até ela – A FÉ MOSTRA SEU PODER PELO AMOR. “Fé que opera pelo amor.” Por um momento você deve permitir-me comparar a fé a um artesão em metais que está prestes a preparar algum trabalho magnífico que os ferreiros engenhosos produziam nos dias de ferro trabalhado, quando habilidade e trabalho manual foram pensados
22
muito e artigos foram produzidos que quase valem seu peso em prata. A fé, como ferreiro, forte e vigorosa, tem amor para ser seu braço. A fé não levanta um dedo sem amor, é o braço dela toda manhã. A fé acredita e resolve, e então prossegue para a ação, mas o poder com o qual ela pode trabalhar está no amor. Fé sem amor seria um aleijado sem braços. Mais do que isso - não é apenas o braço da fé, mas suas ferramentas. “A fé funciona pelo amor.” Este é o martelo da fé e a bigorna - todos os seus implementos. Você viu um martelo de parafuso que pode ser feito para encaixar em cada porca e parafuso, seja ele grande ou pequeno. O amor é apenas uma dessas ferramentas, pois o amor ensinará uma criancinha ou evangelizará uma nação. O amor pode ficar em pé e queimar na fogueira, ou pode colocar dois ácaros que fazem um centavo na caixa de oferendas. O amor espera todas as coisas, suporta todas as coisas, nada vem errado com isso. Uma ferramenta extremamente útil é essa graça sagrada que a fé adotou para trabalhar. Pode atacar e pode cortar, é bom para unir e bom para quebrar, valerá para qualquer coisa que a fé deseje realizar. Somente deixe a fé manejar o amor como seu instrumento e ela pode moldar o que a sabedoria divina diz para formar.
23
Mais que isso, o amor é o forno da fé. Todas as ferramentas do mundo não serão suficientes para o ferreiro, a menos que ele possa acender as brasas e criar um calor fervoroso. O que há irmãos que podem acender o calor do entusiasmo como amor sincero a Deus?
A fé acredita em Deus e se alegra em Deus, e então vem em amor e o coração se torna quente como a fornalha de Nabucodonosor. O fogo derretido queima gloriosamente e faíscas de alegria saltam para cima dele. O que há que não pode ser realizado se tivermos amor suficiente? Este é o grande fogo que arde nos corações humanos quando Deus, o Espírito Santo, espalha o amor de Jesus por lá. Por seu calor todas as coisas estão fundidas. Este fogo ainda consome todo o pecado e derrete toda a dureza. Ninguém pode apagá-lo, tudo deve ceder diante dele. Aquele artesão consagrado chamado fé, sopra as brasas do amor e mergulha em sua chama brilhante, tarefas difíceis como o ferro é difícil tornar-se facilmente viável.
Assim, a fé funciona por amor. O amor é mais do que isso, pois, quando tudo está derretido e pronto para fluir, o amor é o molde da fé. Ela derrama tudo o que faz no molde do amor de Deus, moldando suas obras de acordo com o padrão divino do amor em Cristo Jesus. Como
24
Jesus nos amou, assim também devemos nos amar uns aos outros e como Ele amou o Pai, e por amor ao Pai, para que Ele possa glorificá-Lo, cumpriu a lei e se fez um sacrifício, mesmo assim estamos dispostos a dar a nossa vida para os irmãos e para a honra do Pai. Assim, o amor torna-se o molde da fé no qual ele cuidadosamente procura derramar todo o seu ser. O que é mais, é o metal da fé, pois no molde do amor, a fé derrama o próprio amor. O amor "responde a todas as coisas". O amor é a substância de todo bom trabalho. Derreta-o no pote de refino e a santidade é amor. Se existe alguma virtude, zelo, consagração ou audácia sagrada, sua substância é o amor. Todos os grandes feitos que os heróis da cruz realizaram são compostos do sólido metal de amor a Jesus Cristo. Seja grande ou pequeno, aquele que serviu a Deus corretamente sempre trouxe ao santuário uma oferta de amor puro comparável ao ouro de Ofir.
O amor, também, é o policial e o arquivo da fé e, com isso, ela termina todo o trabalho com cuidado. Você nunca passou amorosamente todo o seu trabalho para dar os últimos retoques? Você não desejou aperfeiçoar tudo o que tentou? Eu sei bem o que isso significa. Minhas castas ásperas, quão grosseiras elas são, e quando as conserto eu olho para elas e digo:
25
“Isso não vai acontecer, porque eu me vejo lá. Isso não fará, a descrença está lá. Isso não vai acontecer, muita autoestima está lá.” E então eu tenho com amor choroso, preenchido e polido meus pobres esforços e achei o amor um excelente polidor, pronto para minha mão. Quando Agostinho revisou todas as suas obras para escrever suas retratações, foi o amor removendo a aspereza de seu trabalho. Se nós amamos mais, podemos ter mais trabalho de retratação para fazer. Assim, a fé funciona pelo amor. O amor é o braço da fé, as ferramentas da fé, a fornalha da fé, o metal da fé, o molde da fé e o policial da fé.
Meu leitor, se você está trabalhando para Deus de qualquer outra maneira, você vai fazer uma bagunça. A lei nunca pode ajudá-lo em tal trabalho como Deus aceitará. Está preparado para produzir barras para uma prisão mas não pilares para um templo. Você deve trabalhar para Deus porque você o ama. Nenhum outro trabalho, exceto o trabalho de amor, pode ser aceitável a ele. Algumas pessoas servem a Deus porque estão na sociedade religiosa e não devem ser consideradas carentes, daí aquela abençoada Guiné, espremida por todas as assinaturas de dez libras na lista no topo - pessoas respeitáveis precisam colocar alguma coisa para baixo, sabe? Essa saída ocasional para
26
os cultos de uma semana é muitas vezes feita porque se espera de você e não porque é um deleite. Até mesmo as assembleias do sábado se tornam um cansaço e a adoração é considerada uma tarefa. Isto não é ouro, mas escória dourada. Tire isso daqui! Este é um culto forçado, desprovido do sangue vital da obediência, fruto sem sabor ou cheiro.
Aquilo que é feito porque um homem ama a Deus, porque ele ama entregar seu coração ao seu Deus, por mais humilde que seja o serviço, é aceito por Deus.
A verdadeira afeição àquele que o redimiu de descer ao abismo nunca deixa de apresentar um tributo aceitável diante do Deus vivo. Que você possa abundar nisso para seu próprio conforto e para a glória de Cristo.
IV. Termino com a quarta observação, que é esta: O AMOR REAGE SOBRE A FÉ E A APERFEIÇOA. Enquanto o amor deve tudo à fé, a fé se torna devedora do amor. O amor leva a alma à admiração e aumenta a fé. Tendo amado a Cristo, tornando-se apaixonado por Ele, o amor, que tem olhos de pomba que podem ver tudo o que é justo, espia cada vez mais as perfeições de Cristo e, assim, ajuda os olhos da fé. O amor vê no restante das perfeições do
27
Senhor Seu poder, Sua fidelidade, Sua imutabilidade e a fé imediatamente conclui: “Então posso confiar nEle mais do que nunca”. Conhecendo mais Seu poder, mais Sua fidelidade, mais Sua imutabilidade Eu posso depender dEle sem vacilar. Então, se os olhos da fé olham primeiro para Jesus, os olhos do amor veem ainda mais e descobrem novas excelências.
A fé é aquele outro discípulo que ultrapassou Pedro, mas o amor é o discípulo que entra e espia os detalhes. O amor, além disso, proíbe a incredulidade e assim ajuda a fé, pois o amor diz: “Como podemos entristecê-lo com dúvidas?” O amor verdadeiro em todo coração, quando exercido em relação a um homem ou uma mulher, não permite a desconfiança? O medo na forma de desconfiança tem um tormento e, portanto, o amor o expulsa. A falta de confiança mútua na vida conjugal é a morte do amor, mas o amor é instintivamente terno, mostrando qualquer suspeita em relação a um amante querido e fiel. Mesmo quando supõe que há um erro, o amor o coloca como uma falha intencional, mas conclui que pode haver um sentido no qual está certo, pois o amor acredita em todas as coisas, suporta tudo e não tolera desconfiança, que sabe ser um verme no centro do coração.
28
Então você vê, que onde há um grande amor de Cristo, ele proíbe a dúvida e, assim, mata as raposas da desconfiança que estragam as tenras videiras da fé.
O amor a Jesus sente que seria melhor desconfiar de todos os homens e anjos do que duvidar do querido Redentor que derramou Seu sangue para provar Seu amor. Desconfie dos céus, porque eles passarão. Desconfie da terra, porque será totalmente queimada. Desconfie do homem, pois ele é como um junco quebrado. Mas nunca desconfie do fiel Deus. Apoie-se nele com todo o seu peso. Repouse nele com sua confiança indivisa.
Então o amor ensina e a fé aprende sua lição. Além disso, o amor perfeito expulsa o medo, porque o medo tem tormento e quando o amor perfeito expulsa o medo, então a fé tem espaço para mostrar sua força. O amor não aprendeu a ter medo, nem permitirá que o trabalho da fé se torne o trabalho de um escravo encolhido e agachado. Pavor! Onde isso pode encontrar uma hospedagem no coração que ama? Você ouve pessoas muito apropriadas às vezes clamarem contra alguns de nós porque dizem que falamos como se estivéssemos nos melhores termos com Deus e estivéssemos familiarizados com o Senhor Jesus. Sarcasticamente eles falam o que
29
é sobriamente verdade. Na sua cegueira, eles acertaram a verdade, é assim mesmo. Para eles, Deus é um estranho e não duvido que a linguagem que usamos possa parecer estranha e quase profana, e seria profano se eles a usassem, sendo o que são. Eu não os acuso de pecado aberto, mas eu digo e direi que aquele que não é um filho de Deus não pode apropriadamente usar expressões que partem dos lábios daqueles que são filhos de Deus. Uma criança pode dizer ao pai o que ninguém mais ousa dizer e, no entanto, ele tem mais respeito por ele do que qualquer outra pessoa. Seu filho deve se comportar corretamente com você de uma maneira que você não poderia tolerar em um estranho. Olhe para o juiz no banco, com aquela grande peruca e aquelas vestes solenes. O prisioneiro no tribunal e o júri devem ser todos muito respeitosos e distantes, mas eu garanto quando o juiz chega em casa, o neto não tem medo do vovô ou de suas vestes. O amor confere ousadia e é ainda mais reverente - reverentemente familiar.
Frieza e irreverência não são para os filhos de Deus. Eles são chamados a fechar a comunhão com o Pai celestial e o local de encontro não é no Sinai, mas no Calvário. Fé e amor são filhos que recebem o lar e não pensionistas ao ar livre. Eles habitam na casa do Senhor para sempre.
30
Ó amados, esta é a alegria do amor, que nos leva a uma comunhão pessoal tão íntima com Deus em Jesus Cristo. Aquele temor servil, trêmulo e escravo se foi e amamos a Deus, estamos familiarizados com Ele e confiamos nEle implicitamente.
Oh, queridos amigos, confiem em seu Deus com tudo. Confie em pequenas coisas. Confie em grandes coisas. Confie em suas alegrias para mantê-lo sóbrio. Confie em suas tristezas para afastá-lo do desespero.
Oh, que você possua muito desse amor, pois é uma graça eminente.
"A fé é infantil", diz o Dr. Eadie. “A esperança é santa, mas o amor é semelhante a Deus.”
Que possamos alcançar essa virtude divina através da fé no próprio Deus. Minha palavra final é esta, vamos, queridos amigos, como igreja e povo, trabalhar para as pessoas. A fé funciona. Vamos trabalhar porque temos fé. Eu desejo que todos os membros desta igreja trabalhassem por Jesus. Tenho muito pouco a reclamar, porque acredito que a maior parte dos queridos irmãos e irmãs aqui associados são duros, mas se algum de vocês não estiver servindo ao Senhor, eu lhes peço, fortaleçam a
31
si mesmos. Você deve trabalhar ou sua fé será questionada e seu amor será suspeito. Somos uma colmeia de abelhas, mas o que acontecerá se, em vez de fazer o mel, todas as operárias se transformassem em zangões? Por que, eles se transformarão em seguida em vespas. Se tal mudança não pode ocorrer na natureza, certamente ocorre no moral e no espiritual, pois vimos companhias de cristãos bons e trabalhadores se transformando em facções e brigando furiosamente. Quando as abelhas se voltam para as vespas, não há nada além de lutas. Que o nosso bom Deus nos salve de ser tais cristãos trabalhadores que de repente se dividem em facções e brigam furiosamente.
Não me importo de ser como a abelha-rainha na colmeia, rei das abelhas, mas um líder de vespas que não posso ser.
Queridos amigos, trabalhem para o Mestre. Você, quero dizer, que fica ocioso todo o dia. Vá trabalhar hoje no vinhedo do Salvador.
Ó meus amados irmãos, peço-lhes, não relaxem suas energias. Continue a ser uma igreja animada e cheia de energia. Agora que tantas escolas dominicais precisam de professores, peço aos nossos amigos que não deixem que a parte abençoada do serviço seja prejudicada.
32
Existem dezenas de escolas clamando por professores. As crianças vêm e não há ninguém para instruí-las. Deveria ser assim? Se você quer ser uma igreja que trabalha, você deve ser uma igreja amorosa porque a fé funciona pelo amor. Vocês devem amar muito uns aos outros e amar mais a Cristo e amar as almas dos pecadores que perecem. Sim, ame-os para que você não os deixe perecer se puder fazer algo para a salvação deles.
O fazer pessoal do bem aos homens é necessário para que o amor seja real.
O amor de Jesus fez com que Ele buscasse e salvasse os perdidos e se o nosso vale o nome, estaremos engajados em semelhante esforço sagrado.
Mas se você quer ser uma igreja que trabalha e uma igreja amorosa, você deve ser uma igreja crente, pois esta é a base de tudo. A fé funciona pelo amor. Volte para casa e ore e renove sua fé em Jesus. Que o Espírito Santo te guie de novo ao amor de Jesus. Frequentemente volto para a cruz da qual parti quando parti para o céu. O diabo me diz: "Você não é cristão". Não creio que ele saiba muito sobre isso, mas antes tentei mostrar-lhe algumas evidências de que sou cristão e que ele apenas soprou para elas. Eu
33
acho que o caminho mais curto é ir imediatamente para a cruz e dizer: “Eu descanso somente em Jesus”. Satanás não pode negar, senão que você é um cristão quando você está lá. Vá e faça suas primeiras obras e creia em Jesus exatamente como você fez no princípio e permaneça nele para sempre.
Como pecadores, apegue-se a Jesus ainda e deixe que Ele seja tudo para você. A fé constante criará amor fervoroso e o amor fervoroso fará um trabalho perseverante. Assim seremos um povo zeloso de boas obras. O Senhor abençoe cada um de vocês, por amor de Cristo. Amém.

Publicado no site: O Melhor da Web em 03/12/2018
Código do Texto: 138778

AQUI VOCÊ INTERAGE DIRETAMENTE COM O(a) AUTOR(a) DA OBRA!
DEIXE UM COMENTÁRIO REFERENTE AO TEXTO!

Comente esse Texto - Seja o primeiro a comentar!


Busca Geral:
Título
Texto Título e Texto


CLIQUE AQUI! PARA LER OS TEXTOS CADASTRADOS!
ESSE LINK VAI PARA A PÁGINA PARA EXIBIÇÃO DOS TEXTOS!

Galeria de Fãs
Sou Fã de...
 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Parceria de Sucesso entre o site Poesias www.omelhordaweb.com.br e o www.efuturo.com.br
Confira. Adicione seus textos nele. O eFUTURO já começou.

Indicamos:Efuturo.com.br - Efuturo é uma Rede Social de Conhecimento, Ensino, Aprendizado Colaborativo, Jogos Educativos e Espaço Literário.