Visitante, seja Bem-Vindo! 
Novo Cadastro
Esqueceu a Senha?

Login: 
Senha:
Silvio Dutra

Todas imagens extraídas da galeria do Google.
kuryos - Silvio Dutra
RSS - As recentes de:Silvio Dutra
&nbnsp;
 

----------------------------------------------------------------------------------------

PARTICIPE! Quero incluir Textos! É GRÁTIS, É fácil, É simples, EU POSSO!



Silvio Dutra
Aniversário: 25/11
Cadastrado desde: 29/08/2012 -

Texto mais recente: Não Apenas por Palavras, mas por Poder

Textos & Poesias || Evangélicas

Imprimir
Fé Entre Escarnecedores
13/05/2019
Autor(a): Silvio Dutra

Fé Entre Escarnecedores


Sermão nº 1767
Por Charles H. Spurgeon (1834-1892)
Traduzido, Adaptado e
Editado por Silvio Dutra
Mai/2019
2
S772
Spurgeon, Charles H.- 1834-1892
Fé entre escarnecedores / Charles H. Spurgeon
Tradução e adaptação Silvio Dutra Alves – Rio
de Janeiro, 2019.
37p.; 14,8 x21cm
1. Teologia. 2. Pregação. 3. Alves, Silvio Dutra.
I. Título.
CDD 252
3
“Todos os que me veem zombam de mim; afrouxam os lábios e meneiam a cabeça: Confiou no SENHOR! Livre-o ele; salve-o, pois nele tem prazer.” (Salmos 22: 7,8)
Davi experimentou o que Paulo posteriormente descreveu tão apropriadamente como “zombarias cruéis”. Observe o adjetivo cruel, é bem escolhido. As zombarias não podem cortar a carne, mas rasgam o coração; elas podem não derramar sangue, mas fazem com que a mente sangre internamente. Grilhões ferem os pulsos, mas o ferro do desprezo entra na alma. O ridículo é uma bala envenenada que vai mais fundo que a carne e atinge o centro do coração. Davi, no deserto, caçado por Saul e no trono maltratado por Simei, sabia que seria o alvo do desprezo. Muitas vezes ele era a canção do bêbado e a palavra de ordem do escarnecedor. Mas o que eu tenho a ver com o filho de Jessé? Meu coração se lembra do Filho do homem. E se Davi sofresse desprezo e desprezo? Ele sabia disso, mas em pequena medida comparado com o nosso abençoado Senhor. Bem, é dito: "O discípulo não está acima de seu mestre, nem o servo acima de seu Senhor". Não é surpreendente que alguém como Davi tenha que clamar: "Minha alma está entre os leões",
4
quando o Senhor de todos, o perfeitamente puro e santo, foi levado a proferir o mesmo clamor, dizendo: “Todos os que Me veem riem de mim: desprezam com os lábios, meneiam a cabeça, dizendo: confiou no Senhor que o livre: deixe-o livrá-lo, visto que se deleita nele.”
Meus irmãos e irmãs em Cristo, se tiverem que passar por uma experiência dolorosa, não considerem isso coisa estranha, pois uma coisa estranha não é. A reprovação é a herança comum dos piedosos. Não pense que esse fogo que você sofre é o primeiro que já queimou um santo. Outros tiveram que suportar a inimizade do mundo muito antes de você. Lembre-se que antigamente, desde o primeiro momento em que o pecado veio ao mundo, havia duas sementes, a semente da mulher e a semente da serpente, e entre estas duas sementes há uma inimizade do tipo mais mortal, que nunca cessará. Pode assumir formas diferentes, e pode ser controlado por muitas forças, mas sempre continuará para sempre o mesmo enquanto homens são homens, o pecado é pecado, e Deus e o diabo se opõem. Foi assim, você sabe, na casa de Abraão. Ele era um homem que andava diante de Deus e era perfeito em sua geração, e ainda em sua família havia os dois poderes opostos. Ismael, nascido segundo a carne, zombou daquele que nasceu segundo o Espírito.
5
Quando Rebeca deu à luz filhos gêmeos, o fato de serem gêmeos do santo Isaque não impediu a inimizade que surgiu entre Jacó e Esaú. Nada impedirá a semente da serpente de exibir seu despeito pela semente da mulher. Até o parentesco e a fraternidade vão por pouco neste conflito. De fato, os inimigos de um homem estão na sua própria casa. Não é de admirar, então, se você é ridicularizado! Parece ser uma necessidade da natureza santa de Deus que ela incorra na inimizade da natureza perversa do homem caído, e que essa natureza má se mostre por um ataque direto e amargo. Lembre-se: “Aquele que suportou tal contradição dos pecadores contra si mesmo, para não se cansarem e desfalecerem em suas mentes”. De agora em diante, curve seus ombros para o jugo; espere que, se você seguir o Crucificado, você terá que suportar a cruz, pois assim será. Confio em que nossa meditação presente possa ser útil a qualquer servo de Deus que esteja sentindo o forte açoite das invejosas línguas, para que não sejam expulsos de sua firmeza. Se alguns em seus corações estão abatidos porque estão conscientes de que possivelmente eles deram aos escarnecedores alguma oportunidade de zombar deles, que eles possam até tomar coragem, pois Davi o fez, e ainda assim ele não foi esmagado pelas blasfêmias do perverso.
6
I. A primeira coisa para a qual eu chamarei sua atenção neste momento é que um homem verdadeiramente gracioso é como Davi e como o Senhor Jesus, em que SUA CONFIANÇA EM DEUS É CONHECIDA. Mesmo os inimigos deste santo homem que é mencionado no texto, e como eu o interpreto, até mesmo os inimigos de nosso divino Senhor e Mestre, nunca negaram, que Ele confiou em Deus. Este, de fato, é o começo de sua zombaria: "Ele confiou no Senhor que venha livrá-lo". Daí eu concluo que todo homem gracioso deve ter uma aparente e manifesta confiança pública em Deus. Ele não deve meramente confiar nele somente em seu coração, mas sim confiar em alguém que deve então entrar em toda a sua natureza, de modo que ele não o oculte nem pense em ocultá-lo. Ele deveria estar tão aberto no confronto de sua confiança de que seus inimigos, diante dos quais ele é naturalmente contido e em guarda, são capazes de espiar essa preciosa coisa dentro de si, e são forçados a prestar seu testemunho, embora sejam zombadores e digam que "Ele confiava no Senhor". Tal testemunho é tanto mais valioso quanto vindo de um inimigo. Você sabe que nosso caráter provavelmente não será atraído por aqueles que nos odeiam, o máximo será certamente dito contra nós, mas se até nossos inimigos disserem de nós: “Ele confia no Senhor”, nós podemos ser muito gratos por
7
termos vivido para extrair esse testemunho de seus lábios.
O que, então, deve um filho de Deus fazer para mostrar que ele realmente confia no Senhor? Como Jesus fez isso? Bem, eu acho que no caso de nosso Senhor, foi a Sua maravilhosa calma que obrigou a todos a verem que “Ele confiou no Senhor”. Você nunca O encontra em uma enxurrada. Ele nunca está preocupado ou confuso. Ele é assediado por homens que tentam pegá-lo, mas ele é tão seguro de si como se falasse entre amigos. Ele não parece estar o mínimo sobre Sua guarda, e ainda assim, em vez de pegá-Lo, em pouco tempo Ele os pega, ou então eles se afastam dizendo: "Nunca homem nenhum falou assim." Ele sempre foi justo, pacífico, pronto, com autodomínio. Você percebe Sua quietude interior não apenas quando os inimigos estão ao Seu redor, mas quando Ele está cercado por uma grande multidão de pessoas famintas, Ele parte o pão e o multiplica, mas não antes que Ele faça todos se sentarem na grama verde em grupos de cinquenta. Ele os terá em companhias, organizados em fileiras, para distribuição conveniente, e quando todos são colocados em ordem, como se tivesse sido um entretenimento real bem organizado, então é que Ele pega o pão e olha para o céu , com toda a
8
deliberação pede uma bênção, e o parte e dá a comida aos discípulos. Os discípulos não fazem nenhum alarde, é uma festa organizada, e os milhares são todos alimentados no devido tempo, em decoro majestoso, pois Cristo estava calmo e, portanto, mestre da situação. Ele nunca parece ter caído em dificuldades, e então adotava expedientes para sair delas, mas toda a sua vida é pré-arranjada e ordenada da maneira mais prudente e pacífica. Nada nesta terra, embora estivesse tão reduzido a ponto de não ter onde reclinar a cabeça, embora por vezes estivesse tão cansado que se sentasse em cima de um poço para descansar, poderia afastá-lo do caminho ou desorganizar o seu perfeito recolhimento. Ele estava sempre pronto para qualquer emergência. Na verdade, nada era uma emergência para ele. Que quadro bonito que é o de Cristo a bordo do barco em uma tempestade. Enquanto aqueles que estão com Ele temem que eles caiam, que o vento os jogue na água, ou que a água os derrube, de modo que eles certamente serão afogados, o que Ele está fazendo? Ora, ele está dormindo. Não porque Ele os esqueceu - não, mas porque Ele sabia que o barco estava nas mãos do grande Pai. Foi a sua hora de dormir. Ele estava cansado e precisava de descanso, e assim Ele executou aquilo que era o dever mais próximo e, em toda tranquilidade, deitou a cabeça em um
9
travesseiro e adormeceu. Seu sono deveria ter feito eles se sentirem à vontade. Sempre que o capitão puder ir dormir, os passageiros também podem dormir. Dependa disso: Aquele que administra tudo não teria ido para a cama se não sentisse que estava tudo bem nas mãos do Altíssimo, que a qualquer momento poderia deter a violenta tempestade. Eu gostaria que pudéssemos ser igualmente sossegados, pois até mesmo nossos inimigos diriam de nós: "Ele confiou no Senhor". Eu gostaria que pudéssemos ter essa mentalidade firme e imperturbável, na qual nosso Senhor desatou os nós com os quais Seus inimigos O ligariam, pois nossos assaltantes ficariam maravilhados com a nossa tranquila confiança. Jesus não conhecia pressa, mas com calma e deliberadamente encontrou cada coisa como ela veio, e grandiosamente se manteve livre de todo emaranhado; oh, que sejamos o santo quieto que nos impediria de irmos apressadamente com nossos negócios! “Aquele que crê não deve se apressar”, mas faça tudo como no infinito lazer do Eterno, que nunca está antes de Seu tempo, e nunca está para trás. Se pudéssemos fazer isso, e não ficássemos tão aflitos e preocupados, e jogados de um lado para o outro, nossos inimigos diriam com espanto: “Ele confiou no Senhor”.
10
Irmãos, isto também deveria ser revelado. meramente em nosso modo calmo e sossegado, mas também por nossa declaração distinta. Eu não acho que qualquer homem tenha o direito de ser um crente secreto no Senhor Jesus Cristo neste momento. Você vai me dizer que Nicodemos era assim, que José de Arimateia era assim, e eu respondo: "Sim", mas aí eles não são nossos exemplos. Esses irmãos fracos foram perdoados e fortalecidos, mas não podemos, portanto, presumir. Os tempos, no entanto, são diferentes agora, pela morte de Cristo os pensamentos de muitos corações foram revelados, e a partir daquele dia aqueles discípulos secretos estavam entre os principais a declarar sua fé. Nicodemos trouxe as especiarias e José de Arimateia entrou corajosamente e implorou pelo corpo de Jesus. Desde aquele dia em que Cristo foi abertamente revelado na cruz, os pensamentos dos corações dos homens também são revelados, e agora não é permitido para nós brincarmos de esconde-esconde com Cristo. Não, “Aquele que crer e for batizado será salvo”. “Aquele que com seu coração crer e com sua boca fizer confissão dEle, será salvo.” A confissão aberta é constantemente, na Escritura, unida à fé secreta. O Senhor Jesus Cristo diz: "Aquele que me negar diante dos homens, eu o negarei", e se você o ler, o texto se opõe a negar a confissão,
11
então isso realmente significa: "Aquele que não me confessa diante dos homens, eu não o confessarei quando eu vier na glória do Pai.” Nosso Senhor não pensa em liderar um corpo de seguidores que sempre se manterão atrás da cerca, se escondendo em buracos e cantos sempre que houver algo a ser feito para a Sua glória, e só aparecendo na hora das refeições, quando há algo a ser feito por eles mesmos. Conheço alguns professantes desse tipo, mas tenho muito pouco a dizer, eles são uma equipe covarde. Não, não. Devemos declarar claramente que acreditamos em Deus, e devemos aproveitar as oportunidades, como dita a prudência, de contar aos nossos amigos e vizinhos o que nossa experiência tem a ver com confiar em Deus, contar-lhes as libertações que recebemos, as orações que foram feitas e respondidas, e de muitos outros sinais para o bem que nos chegaram como resultado da nossa fé em Deus. Confiar no homem é uma coisa da qual podemos nos envergonhar, pois achamos que o homem é como uma cana quebrada, ou como uma lança que nos penetra no coração quando nos apoiamos nele, mas abençoados são aqueles que confiam no Senhor. porque eles serão como árvores plantadas junto às correntes de água; eles produzirão os seus frutos no seu tempo, e as suas folhas não secarão. Deus, em quem eles confiam, honrará a
12
sua fé e os abençoará cada vez mais. Portanto, que eles honrem o seu Deus e nunca hesitem em falar bem do Seu nome. Então, primeiramente, digo uma crença serena e, em segundo lugar, uma declaração aberta deve fazer com que até mesmo nossos adversários saibam que confiamos no Senhor. E então, acrescentarei a isso que nossa conduta geral deve revelar nossa fé. Toda a nossa vida deve mostrar que somos homens que se regozijam no Senhor, pois confiar no Senhor, como eu o entendo, não é uma coisa para os domingos e para os lugares de culto somente, devemos confiar no Senhor sobre tudo. Se eu confio no Senhor sobre minha alma, devo confiar nele sobre meu corpo, sobre minha esposa, sobre meus filhos e sobre todos os meus assuntos domésticos e comerciais. Teria sido uma coisa terrível se o Senhor tivesse traçado uma linha negra em torno de nossa vida religiosa e dissesse: “Você pode confiar em mim sobre isso, mas com questões domésticas não terei nada para fazer”. Precisamos de toda a vida estar dentro da cerca do cuidado divino. O vínculo perfeito do amor divino deve amarrar todo o pacote de nossos negócios, ou o todo se esvairá. A fé é uma coisa para o quarto, para a sala de estar, para a casa dos contadores e para a casa da fazenda. É uma luz para os dias sombrios e uma sombra para dias luminosos, você pode carregá-
13
la com você para todo lugar, e em toda parte ela será sua ajuda. Oh, que confiemos no Senhor de modo que as pessoas notem tanto quanto notam nosso temperamento, nosso vestido ou nosso tom. A pena é que muitas vezes nós vamos para a frente, seguindo nossa própria sabedoria, ao passo que devemos dizer: “Não, eu devo esperar um pouco, até que eu peça o conselho do Senhor.” Deve ser visto e conhecido que estamos distintamente esperando por Deus por orientação. Que agitação isso faria em alguns bairros! Desejo que, sem qualquer desejo de ser farisaico, ou de mostrar nossa piedade, nós mostremos, inconscientemente, o grande princípio que nos governa. Assim como um homem dirá: "Com licença, preciso consultar um amigo" ou "devo apresentar o caso ao meu advogado", por isso deve ser habitual com um cristão antes que ele responda a uma questão importante, exigir um momento em que ele pode esperar em Deus e obter direção. Em todo caso, desejo que seja tão comum convocar a orientação de cima, que possa ser notado como nosso hábito de confiar no Senhor.
Ainda, acho que isso deve se manifestar de maneira mais nítida em nosso comportamento em momentos de dificuldade, pois é então que nossos adversários têm maior probabilidade de perceber isso.
14
Você, querida irmã, perdeu um filho. Bem, agora, lembre-se de que você é uma mulher cristã e não filha da tristeza como aqueles que estão sem esperança. Deixe a diferença ser real e verdadeira, e não se envergonhe de que outros possam observá-la. Quando seu vizinho perdeu seu filho, isso ocasionou uma briga entre ele e Deus, mas não é assim com você, não é? Você vai brigar com Deus sobre o seu bebê? Oh, não, você o ama muito bem.
E você, irmão, está perplexo nos negócios e sabe o que um mundano faz; se ele não tem nada mais do que religião exterior, ele reclama amargamente que Deus lida duramente com ele e ele briga com Deus. Ou, talvez, para melhorar as coisas, ele faz o que não deve fazer nos negócios e os torna muito piores. Muitos homens mergulharam em especulações precipitadas até que se destruíram comercialmente, mas você, como homem cristão, deve agir com calma e serenidade, pois não é seu negócio especular, senão confiar. Sua força está em dizer: “O Senhor deu e o Senhor o tirou; bendito seja o nome do Senhor ”. Você não deve estar tão ansioso por ser rico que você estenderá a mão para fazer iniquidade a fim de tomar as maçãs de ouro; que é o reverso da fé. Você está agora para interpretar o homem, e no poder do Espírito Santo você está agora com
15
resignação - com mais do que isso - com uma doce aquiescência na vontade divina - para mostrar aos homens como um cristão pode se comportar. Eu nunca admirei as palavras de Addison como alguns fizeram, que, quando ele veio a morrer, mandou chamar um senhor de seu conhecimento e disse: “Veja como um cristão pode morrer.” Há um pequeno desfile sobre isso, mas eu desejo que todo cristão deveria dizer em sua alma: “Eu mostrarei aos homens como um cristão pode viver. Eu os deixarei ver o que é viver pela fé no Filho de Deus que me amou e se entregou por mim. Aqueles que não creem que existe um Deus, ainda serão levados a sentir que deve haver um Deus, porque a minha fé nele se apressa tão bem, e eu obtenho bênçãos inumeráveis como resultado disso.”
Eu digo, com sinceridade, que, especialmente no tempo de tristeza e luto, quando outras pessoas o magoam, porque perderam a alegria e a luz de sua casa é apagada, é dever e privilégio do crente, por sua santa tranquilidade de coração, mostrar sua confiança em Deus. Se a religião não pode ajudá-lo em problemas, não vale a pena ter; se o Espírito de Deus não lhe sustentar quando perder seu melhor amigo, você deve questionar se é o Espírito de Deus; você deveria perguntar: “Pode este ser o Espírito
16
que ajudou os mártires à fogueira?” Agora que você está passando por essas águas, você é levado por elas? Se nossa fé brilha nos tempos sombrios, quando as estrelas são vistas à noite, então está tudo bem para nós. Oh, que você e eu possamos de todos os modos viver, para que todos que nos veem saibam que somos crentes no Senhor Jesus Cristo! Seria ridículo se um homem entrasse na sociedade com um rótulo no casaco: "Esse homem confia em Deus", e seria um sinal bastante claro de que ele precisava ser multado. Eu gostaria que você evitasse todos os filactérios distintos em questões de religião como muito saborosos com o fermento dos fariseus. Mas quando a possessão da piedade se proclama, assim como uma caixa de precioso nardo narra sua história, você não precisa se envergonhar disso. A exibição e a ostentação são cruéis, mas o uso irrestrito de influência e exemplo é louvável. Nestes dias, quando os homens se gloriam em sua incredulidade, não sejamos tímidos com nossa fé. Se, num país livre, os homens não devem perseguir um infiel, eles certamente não devem silenciar um crente. Nós não pretendemos contrabandear nossa religião através da terra. Não é contrabando e, portanto, devemos levá-lo conosco abertamente à vista de todos os homens, e que eles digam se quiserem: “Ele confiou no Senhor”.
17
II. Em segundo lugar, esta confiança na parte de acreditar em homens não é compreendida pelo mundo. “Ele confiou no Senhor que iria livrá-lo”. Observe que eles restringiram a confiança do Salvador a esse ponto - “Ele confiou no Senhor que iria livrá-lo”. Mas agora, em primeiro lugar, nossa fé não está confinada. Meramente em receber de Deus. Não, irmãos, se o Senhor não nos libertar, vamos confiar nele. Veja quão firmemente Sadraque, Mesaque e Abedenego estavam de pé para que eles não se curvassem diante da imagem que Nabucodonosor tinha erigido: “Nosso Deus a quem servimos pode nos livrar da fornalha de fogo ardente, e Ele nos livrará de sua mão, ó rei. Mas, se não, fica sabendo ó rei, que não serviremos a teus deuses, nem adoraremos a imagem de ouro que estabeleceste.” Havia grande fé naquilo. Não devemos viver e esperar Deus com uma espécie de armário de amor, assim como um cão vadio pode seguir um homem por ossos, mas devemos falar bem de nosso Deus, mesmo que Ele nos açoite, pois aí reside a verdade e a força da fé. Jó colocou: “Devemos receber o bem das mãos de Deus, e não receberemos o mal?” “O Senhor deu, e o Senhor o levou; bendito seja o nome do Senhor.” Seja o que for que aconteça conosco, se nossa fé é obra do Espírito Santo, devemos nos apegar à nossa confiança em Deus. Nem nossa fé é
18
limitada ao que os homens chamam de libertação. É uma deturpação quando Seus inimigos dizem: "Ele confiou no Senhor que iria livrá-lo", porque embora seja a verdade, não é toda a verdade. Nosso bendito Senhor continuou a confiar no Pai, embora o cálice não passasse dele, e embora nenhuma legião de anjos fosse enviada para livrá-lo de Pilatos. Embora o inimigo fosse autorizado a exercer toda a sua malícia sobre Ele, até que Seu corpo abençoado fosse pregado no madeiro amaldiçoado, ainda assim a fé de nosso Divino Senhor e Mestre não foi movida de sua firmeza. Ele confiava em Deus para algo mais elevado do que a libertação da morte, pois Ele olhava para além do túmulo e dizia: “Você não deixará a minha alma no inferno, nem o seu Santo sofrer corrupção”. Em todas as Suas dores Seu coração disse “É o Senhor; faça como quiser o que lhe parecer bom.” O mundo cego não pode entender isso. Eles dizem, como seu pai: “Temerá a Deus por nada?” Eles insinuam que o povo cristão confia em Deus pelo que obtêm dele. Agora, tenho pensado muitas vezes que, se o diabo o tivesse colocado de outra maneira, teria ficado muito feliz em fazê-lo. Suponha que ele poderia ter dito: “Jó serve a Deus por nada”, então o mundo ímpio teria gritado: “Nós lhes dissemos isso. Deus é um mau pagador. Seus servos podem servi-lo tão perfeitamente como
19
Jó, mas Ele nunca lhes dá nenhuma recompensa.” Felizmente, o reclamante do acusador é de um tipo completamente oposto. De um jeito ou de outro, não há como agradar o diabo e não é uma coisa que desejamos fazer. Deixe-o colocar como quiser. Nós servimos a Deus e temos a nossa recompensa, mas se o Senhor não escolher nos dar exatamente o que procuramos, ainda vamos confiar nele, pois é o nosso deleite. É uma deturpação dizer de um crente que "Ele confiou no Senhor porque Ele iria libertá-lo", se ele deveria confiar em nenhuma outra razão. E queridos amigos, nossa fé não está ligada ao tempo. Esse é o erro da declaração no texto. Eles disseram: “Ele confiou no Senhor que iria livrá-lo” - tanto quanto dizer: “Se Deus não O libertar agora, Sua confiança terá sido uma loucura, e Deus não terá respondido à Sua confiança”. Não é assim. Irmãos, se estamos no fogo esta noite, e estamos confiando em Deus, nossa fé não significa que esperamos sair da fornalha nesta hora. Não, podemos não sair esta noite, ou amanhã, ou no próximo mês, pode não ser por anos. Nós não ligamos a Deus às condições, e esperamos que Ele faça isto e aquilo, e então, se Ele não o faz em Sua sabedoria, ameaçamos não mais confiar nele. O pior que poderíamos fazer seria fazer do Deus Eterno um escravo do tempo, como se Ele devesse fazer tudo a nosso bel-prazer e medir
20
Seus movimentos divinos pelo tique-taque de um relógio. O Senhor livrou Seu Filho Jesus Cristo, mas Ele O deixou morrer primeiro, Ele foi colocado na sepultura antes de ser levantado do poder da morte, e se não tivesse morrido e jazido no sepulcro, Ele não poderia ter tido aquele esplêndido livramento que o Pai lhe deu quando o ressuscitou dentre os mortos. Se Ele não tivesse cedido à morte, não poderia haver ressurreição para Ele ou para nós. Então, amado, pode ser que Deus não tenha realizado o Seu propósito com você ainda, nem Ele tenha preparado você para a altura da bênção para a qual Ele lhe ordenou. Receba o que Ele vai lhe dar, e aceite com gratidão as dolorosas preliminares. Os palácios altos devem ter fundações profundas, e leva muito tempo para escavar uma alma humana tão profundamente que Deus possa construir um lindo palácio de graça nela. Se é uma simples cabana que o Senhor deve construir em você, você pode escapar com pequenos problemas, mas se Ele vai fazer de você um palácio para se glorificar, então você pode esperar ter longas provações. A cerâmica grossa não precisa dos processos laboriosos que devem ser suportados pelos vasos superiores. O ferro que se tornará uma espada para um herói deve saber mais do fogo do que o metal que fica na estrada como um trilho. Sua eminência na graça só pode vir por
21
aflição. Você não terá confiança em Deus se provações severas forem ordenadas para você? Sim, claro que você terá! O Espírito Santo será o ajudador todo-suficiente de suas fraquezas. Eu digo que é deturpação se limitarmos o Santo de Israel a qualquer forma de nossa libertação, ou a qualquer momento para nossa libertação. Não permita que o Senhor do amor seja tratado como uma criança na escola, como se Ele pudesse ser ensinado sobre qualquer coisa por nós! Assim, também, nossa fé não deve julgar de modo algum pelas circunstâncias presentes.
O mundo ímpio julga que Deus não nos libertou porque agora estamos em apuros e, no presente, está aflito com isso. Oh, quão erroneamente o mundo julgou a Cristo quando julgou por Sua condição! Coberto com suor e gemendo Sua alma a Deus sob as oliveiras à meia-noite - porque, aqueles que passavam por quem não O conhecia devem tê-lo julgado como um homem amaldiçoado por Deus. “Veja”, diriam eles, “nunca ouvimos falar de um homem que suasse sangue antes - suor de sangue em oração e, ainda assim, escutar seu gemido, não é ouvido por Deus, pois evidentemente o cálice não passa dEle. Se alguém tivesse olhado para o nosso Senhor Jesus quando Ele estava na cruz e O tivesse ouvido clamar: “Meu Deus, meu Deus, por que me abandonaste?” Eles certamente
22
teriam concluído que Ele era o mais amaldiçoado e indigno de todos. homens, porque se Ele fosse um santo, certamente diriam: “Deus não O teria abandonado”. Sim, mas você vê que eles só viram um pouco da carreira de nosso abençoado Mestre, eles apenas olharam para uma extensão de Sua existência. Que erro grave foi ter estimado Sua vida por sua breve paixão, não sabendo nada de sua grande intenção! Veja-o agora enquanto harpas inumeráveis som Seus louvores e todo o céu se alegra para contemplar Sua glória, e o Pai olha para Ele com prazer inefável! Este é o mesmo Jesus que foi crucificado! O que você acha dele agora? Você não deve medir um homem por um pouco de sua vida, nem mesmo por toda a sua carreira terrena, pois não é nada comparado com o futuro oculto de sua vida na eternidade. Esses homens mediram a fé de Davi e mediram nossa fé pelo que eles veem em nós em um dia. Nós estamos doentes, sentimos muito, somos pobres, somos perturbados e então eles dizem: “Nós lhes dissemos isso! Essa fé deles não vale a pena, ou então eles não se sairiam tão mal ou seriam encontrados com tanto peso.” Fé e sentimento estão em contraste. Circunstâncias externas nunca devem ser feitas como prova do valor da confiança piedosa em nosso Deus. Não devemos julgar a Deus por seus tratos conosco, nem nos julgar por eles, mas
23
vamos nos apegar a essa fé pura e simples de que o Senhor é bom para Israel. Vamos amar o Senhor por toda a eternidade do Seu amor e, depois, por tudo, por cada movimento da Sua mão, por cada carranca, golpe e repreensão, pois Ele é bom em tudo, inalteravelmente bom. Se com esta nossa fé estamos orando e implorando e Deus não nos responde, não nos ajuda, mas nos deixa no escuro, mas ainda assim não podemos vacilar nossa confiança. Se alguém anda em trevas e não vê luz, confie e confie até que venha a luz. Assim, então, nós apenas tocamos em dois pontos - que a fé de um homem verdadeiro é logo conhecida, mas que, embora seja conhecida, é geralmente mal entendida. Nós vivemos entre os cegos, não nos deixemos ficar com raiva porque eles não podem ver.
III. Em terceiro lugar, ESTA VERDADEIRA FÉ SERÁ, EM TODAS AS PROBABILIDADES, PROVADA EM ALGUM TEMPO OU OUTRO. É uma grande honra para um homem confiar em Deus, e assim ter seu nome escrito no Arco do Triunfo que Paulo ergueu no décimo primeiro capítulo de Hebreus, onde você vê nome após nome dos heróis que serviram a Deus pela fé . É uma coisa gloriosa misturar nossos ossos com aqueles que estão enterrados naquele mausoléu que traz este epitáfio: “Todos estes morreram na
24
fé”. É uma coisa honrada ser um crente em Deus, mas há alguns que pensam o próprio reverso, e estes começam a zombar do crente. Às vezes eles zombam da própria fé. Eles contam que a própria fé é uma loucura de mentes fracas. Ou então eles insultam a fé de um cristão em particular. “Oh”, dizem eles, “ele professa confiar em Deus. Este homem fala segundo esta moda louca! Ora, ele é um trabalhador como as outras pessoas - trabalha em uma loja comigo. O que ele tem a ver com confiar em Deus mais do que eu? Ele é vaidoso e fanático”. Ou, em outros círculos, eles dizem: “Este é um homem de negócios, ele mantém uma loja, e eu ouso dizer que ele sabe tanto dos truques do comércio quanto nós, e ainda assim ele fala sobre confiar em Deus. Sem dúvida, Ele finge que tem fé para conquistar clientes religiosos.” Às vezes, a zombaria vem de alguém da sua família, pois os inimigos da fé moram na mesma casa que ela. O marido é conhecido por dizer à sua esposa: “Bobagem ridícula ; a sua confiança em Deus!” Sim, e os pais disseram o mesmo para os filhos santos e, infelizmente, as crianças cresceram para falar da mesma forma a seus pais para o ferimento de seus corações. Como se a fé em Deus fosse uma coisa que pudesse ser ridicularizada, em vez de ser a coisa mais sábia, correta e racional sob o céu, a fé em Deus é algo a ser reverenciado em vez de injuriado. A
25
verdadeira religião é o senso comum santificado. É a coisa mais comum do mundo depositar sua confiança em alguém que não pode mentir. Se confio em mim mesmo, ou confio em meu semelhante, acho que, no primeiro caso, sou autossuficiente e, no segundo caso, sou julgado como tendo uma disposição de caridade, mas, em qualquer caso, cedo ou tarde provarei. minha loucura. Mas se eu confiar em Deus, quem pode trazer uma razão contra minha confiança? O que há para ser ridicularizado em um homem confiando em seu Criador? Pode falhar Aquele que criou o céu azul? que assentou as fundações da terra e derramou as águas do grande mar? Pode o Todo-Poderoso retratar sua promessa porque ele é incapaz de cumpri-lo? Ele pode quebrar Sua palavra porque as circunstâncias O dominam e impedem que Ele a cumpra? “Confie no Senhor para sempre: pois no Senhor Jeová está a força eterna.” Chegará o dia em que todos os seres inteligentes saberão que a incredulidade de Deus é loucura, mas que a fé no Eterno é a sabedoria essencial. Deus nos dê mais fé em Si mesmo. Sem dúvida, podemos esperar ter ainda mais o riso dos ímpios, que farão um espetáculo de nós para nossa fé, mas e daí? Nós podemos suportar zombaria e muito mais por causa dAquele que morreu por nós. E então os homens zombam da própria ideia de
26
interposição divina. Eles julgam a libertação do Senhor como o ponto principal de nossa fé. “Ele confiou em Deus que iria livrá-lo”. “Veja”, eles dizem, “ele imagina que Deus o livrará, como se o Criador não tivesse outra coisa a fazer além de cuidar dele, pobre criatura miserável que ele é! Ele não é nada para Deus - uma mera mancha - o inseto de uma hora, e ainda assim ele confia em Deus para interferir em seu favor.” Os filósofos riem sempre que você fala de interposição divina, e conta que devemos estar no último estágio da interposição divina. Acreditam nas leis, dizem - leis irreversíveis e imutáveis, que se desgastam, como as grandes engrenagens de uma máquina que, uma vez postas em movimento, rasgam tudo em pedaços que entram em seu caminho. Eles não acreditam que Deus cumpre as promessas, responde às orações ou liberta o Seu povo. Seu Deus é uma força morta, sem mente, pensamento, amor ou cuidado. Aquele que na natureza age de acordo com a lei ainda não acredita ter poder para cumprir Sua própria palavra, que deve sempre ser lei para um ser verdadeiro. Ora, alguns de nós têm tanta certeza de que Deus se interpôs por nós como se Ele tivesse alugado os céus e lançado sua mão direita visivelmente diante dos olhos de todos os observadores. Os sábios riem de nós por isso, mas não estamos envergonhados, ao contrário, respondemos:
27
“Ria se quiser e contanto que você goste; mas recebemos diariamente inumeráveis bênçãos em resposta aos nossos clamores, e seu riso não nos afeta mais do que o barulho dos cães pelo rio Nilo perturba o fluxo do rio. Nós creremos por toda a sua alegria, e se lhe agradar continue com o seu riso, também continuaremos com a nossa fé.”
O objeto do desprezo do homem ímpio é a ideia de que Deus deveria sempre interferir para ajudar o Seu povo em assuntos humanos, mas você é fiel a isso, ó verdadeiro crente, pois Ele ainda se mostra forte em nome daqueles que confiam nEle. Deixe-os dizer e rir de você quando disserem: “Ele confiou no Senhor que iria livrá-lo”, mas nada disso lhe mova.
Mais ainda, conhecemos essa zombaria para se estender a todos os tipos de fé no amor divino. “Deixem-no livrá-lo”, dizem eles, “vendo que Ele se deleitava nEle”. Talvez você tenha imprudentemente dito a história do amor especial de Deus àqueles que agora estão zombando de você; você lançou suas pérolas diante dos porcos e eles se viram novamente para lhe rasgar. Eles dizem: “Este homem diz que Deus o ama acima dos outros, que Ele o escolheu antes do mundo começar, que Ele o redimiu dentre os homens com o sangue de
28
Cristo, que ele o chamou pelo Seu Espírito Santo, que Ele o admitiu em seus segredos e fez dele seu filho", e então eles riem com vontade, como se fosse uma brincadeira rara. Como o mundo se enfurecesse contra a eleição do amor! Não pode suportar nenhuma especialidade na graça. A ideia de que um homem deve ser mais amado do céu do que outro, é rejeitado como algo horrível. O pagão não conseguia entender um certo santo valente, porque ele se chamava de Theophorus, ou "portador de Deus", mas ele insistiu que era assim, e isso fez seus inimigos mais furiosos. Deus habitou nele, ele disse, e ele não desistiria de sua crença feliz, portanto eles não pararam de zombar. Foi uma execução de nosso texto: “Deixe-o livrá-lo, vendo que se deleita nele”. Bem podemos nos dar ao luxo de suportar esses escárnios, pois, se formos amados por um rei, pouco importa se formos zombados pelos seus súditos; se somos amados por Deus, é uma preocupação pequena, embora todos os homens nos tornem objeto de sua brincadeira.
Homens ímpios são extremamente aptos a encontrar diversão nas provações envolvidas na vida e na caminhada da fé. Seu grito de “que ele seja livrado por ele” implica que sua vítima estava em sérias dificuldades, das quais ela não podia se livrar. Isto não é novidade para o crente,
29
mas torna raro o divertimento para os ímpios. Qual é o bem da fé se o crente sofre como os outros e suporta as mesmas dores, perdas e doenças que os outros? Então os homens do mundo discutem. Eles também seriam crentes se lhes trouxessem uma fortuna, um belo salário, ou pelo menos uma mesa carregada e um copo cheio. Mas quando eles veem um santo no monturo com Jó ou na cova com José, ou na masmorra com Jeremias, ou entre os cachorros com Lázaro, eles zombam e dizem: “Esta é a recompensa da piedade? É esta a recompensa da piedade?” Eles gostam de nos espionar em nosso tempo de angústia e insultar-nos com a nossa confiança em Deus, e ai, há tanta incredulidade em nós que somos muito propensos em tais ocasiões a questionar a justiça e fidelidade do Senhor, e dizer com Davi: “Em verdade purifiquei o meu coração em vão e lavei as mãos em inocência.” Parece-nos difícil sermos ridicularizados pelos da terra, para nos tornarmos canção e a palavra do ímpio, mas isso aconteceu com o excelente da terra e acontecerá novamente. Defina sua conta que isso é uma parte do patrimônio da aliança e devemos aceitá-lo com alegria por amor a Cristo.
IV. Agora, devo encerrar com este ponto (embora haja muito mais a ser dito), O TEMPO
30
DEVE VIR QUANDO A FÉ DO HOMEM QUE CONFIAR EM DEUS SERÁ ABUNDANTEMENTE JUSTIFICADA. Eu acho que não é pouca coisa ter o ímpio dando testemunho de que “Ele confiou em Deus que iria livrá-lo”. Eu soube o que é ser extremamente grato aos homens ímpios por me ajudarem a acreditar que sou verdadeiramente um filho de Deus. Alguém, anos atrás, proferiu uma mentira atroz contra mim - uma calúnia abominável. Eu era muito baixo e pesado de espírito na época, mas quando o li, bati palmas de alegria, pois senti: “Agora tenho uma das marcas e selos de um filho de Deus, pois está escrito”. Bem-aventurado sois, quando os homens vos insultarem e perseguirem, e dizerem falsamente todo o mal contra vós, por amor de mim.” O amor do Senhor irmãos e o ódio dos inimigos do Senhor são duas coisas a serem desejadas. Podemos nos dar conta de que não somos dos ímpios quando eles não nos suportam em sua companhia, quando nossa própria presença os irrita, e eles começam a protestar e a zombar. Aconteceu conosco como Jesus disse: “Se você fosse do mundo, o mundo amaria o seu próprio, mas porque não sois do mundo, mas eu vos escolhi do mundo, portanto o mundo vos odeia.” Para que haja justificação, por assim dizer, de nossa fé, mesmo dos lábios dos adversários, e devemos ser gratos por isso, em vez de ficarmos abatidos com isso. Outra
31
justificativa nos espera e, no devido tempo, chegará. Irmãos, chegará o dia em que Deus libertará o seu povo. Você será tirado do seu problema - pode não ser imediatamente, será sazonalmente. Você pode até mesmo sabiamente aprender a se gloriar em sua tribulação. Seus amargores se transformarão em doces e suas perdas em ganhos. Suas tristezas serão suas alegrias, suas lutas serão seus triunfos - talvez nesta vida essa transformação possa ocorrer, assim como o Senhor deu a Jó duas vezes mais do que antes, mas certamente na vida por vir você encontrará as mesas viradas. Então, o que o ímpio dirá? Eles dizem agora: “Ele confiou em Deus que Ele iria libertá-lo”, mas eles serão compelidos a dizer enquanto rangem os dentes, “Deus o livrou”. Enquanto o ímpio ridicularizava a ideia de que Deus se deleita em Seu povo, virá o dia quando eles serão feitos para ver que Ele se deleita neles. Quando o Senhor aparece em favor do Seu povo e lhes dá “uma coroa no lugar das cinzas, o óleo da alegria em vez do luto”, os ímpios devem ranger os dentes e encher-se de confusão. Quando o Senhor voltar novamente nosso cativeiro, até mesmo nossos mais desesperados inimigos serão obrigados a dizer: “O Senhor fez grandes coisas por eles.” Eles se admirarão e ficarão muito atormentados para ver como o Senhor tem tal favor aos Seus
32
escolhidos. Se eles não o veem nesta vida, oh, que exposição os homens ímpios verão do seu prazer em Seu povo no mundo vindouro! O rico vê Lázaro no seio de Abraão; que visão para ele! Aqueles que zombam do povo pobre de Deus aqui devem vê-los exaltados para serem reis e sacerdotes, para reinar com Cristo para todo o sempre, e o que eles dirão então? O que eles podem dizer, senão serem obrigados a testemunhar que sua fé foi justificada? Irmãos, no último grande dia homens ímpios serão testemunhas em favor dos santos. Se qualquer dúvida sobre se os santos confiaram em Deus, os ímpios serão compelidos a se manifestar e dizer: “Eles confiaram, porque rimos deles por isso”. Deste e daquele homem dirão: “Ele confiou em Deus que Ele os libertaria”. Naquele dia os incrédulos serão testemunhas rápidas contra si mesmos, pois como eles ridicularizavam os filhos de Deus aqui, e eles terão que ler diante deles como evidência de sua inimizade contra o Senhor, e como eles responderão a isso?
Um homem geralmente se entristece muito com alguém que fere seus filhos. Eu sei que um homem se comporta pacientemente com seus vizinhos, e se dá muito com eles, mas quando um deles atinge seu filho, eu o vejo indignado até o último grau. Ele disse: “Eu não suporto isso, eu não vou olhar e ver meus próprios filhos
33
abusados.” O Senhor diz: “Aquele que te toca toca a menina dos meus olhos.” Jesus se levanta do Seu trono em glória e se levanta indignado enquanto seu servo Estevão está sendo apedrejado. Se eu não tiver outra diversão, não quero, por brincadeira, zombar do povo de Deus, pois será difícil para aqueles que fazem loucura imprudente dos santos da Alta Colônia. Se algum de vocês alguma vez o fez - se você o fez de modo ignorante - o Senhor lhe perdoa e o leva a ser contado entre o Seu povo, como Saulo de Tarso, e se algum de vocês o fez conscientemente, seja humilde e penitente, e o Senhor vai perdoá-lo e recebê-lo entre o Seu povo. Mas quer você se ofenda ou lisonjeie, é o mesmo para nós. Estamos em um passe com você. Nós confiamos em Deus que Ele nos livrará, e não podemos ser removidos dessa confiança. Ó escarnecedores, não seremos enganados da nossa esperança, nem sairemos da nossa paz. Não podemos encontrar alguém como o nosso Deus em quem confiar, e assim não nos afastaremos dEle em vida ou morte, mas descansaremos nEle, Venha o que vier, até que O vejamos face a face.
34
PARTE DA ESCRITURA LIDA ANTES DO SERMÃO - SALMO 22. Salmos – 22 1 Deus meu, Deus meu, por que me desamparaste? Por que se acham longe de minha salvação as palavras de meu bramido? 2 Deus meu, clamo de dia, e não me respondes; também de noite, porém não tenho sossego. 3 Contudo, tu és santo, entronizado entre os louvores de Israel. 4 Nossos pais confiaram em ti; confiaram, e os livraste. 5 A ti clamaram e se livraram; confiaram em ti e não foram confundidos. 6 Mas eu sou verme e não homem; opróbrio dos homens e desprezado do povo. 7 Todos os que me veem zombam de mim; afrouxam os lábios e meneiam a cabeça: 8 Confiou no SENHOR! Livre-o ele; salve-o, pois nele tem prazer.
35
9 Contudo, tu és quem me fez nascer; e me preservaste, estando eu ainda ao seio de minha mãe. 10 A ti me entreguei desde o meu nascimento; desde o ventre de minha mãe, tu és meu Deus. 11 Não te distancies de mim, porque a tribulação está próxima, e não há quem me acuda. 12 Muitos touros me cercam, fortes touros de Basã me rodeiam. 13 Contra mim abrem a boca, como faz o leão que despedaça e ruge. 14 Derramei-me como água, e todos os meus ossos se desconjuntaram; meu coração fez-se como cera, derreteu-se dentro de mim. 15 Secou-se o meu vigor, como um caco de barro, e a língua se me apega ao céu da boca; assim, me deitas no pó da morte. 16 Cães me cercam; uma súcia de malfeitores me rodeia; traspassaram-me as mãos e os pés. 17 Posso contar todos os meus ossos; eles me estão olhando e encarando em mim.
36
18 Repartem entre si as minhas vestes e sobre a minha túnica deitam sortes. 19 Tu, porém, SENHOR, não te afastes de mim; força minha, apressa-te em socorrer-me. 20 Livra a minha alma da espada, e, das presas do cão, a minha vida. 21 Salva-me das fauces do leão e dos chifres dos búfalos; sim, tu me respondes. 22 A meus irmãos declararei o teu nome; cantar-te-ei louvores no meio da congregação; 23 vós que temeis o SENHOR, louvai-o; glorificai-o, vós todos, descendência de Jacó; reverenciai-o, vós todos, posteridade de Israel. 24 Pois não desprezou, nem abominou a dor do aflito, nem ocultou dele o rosto, mas o ouviu, quando lhe gritou por socorro. 25 De ti vem o meu louvor na grande congregação; cumprirei os meus votos na presença dos que o temem. 26 Os sofredores hão de comer e fartar-se; louvarão o SENHOR os que o buscam. Viva para sempre o vosso coração.
37
27 Lembrar-se-ão do SENHOR e a ele se converterão os confins da terra; perante ele se prostrarão todas as famílias das nações. 28 Pois do SENHOR é o reino, é ele quem governa as nações. 29 Todos os opulentos da terra hão de comer e adorar, e todos os que descem ao pó se prostrarão perante ele, até aquele que não pode preservar a própria vida. 30 A posteridade o servirá; falar-se-á do Senhor à geração vindoura. 31 Hão de vir anunciar a justiça dele; ao povo que há de nascer, contarão que foi ele quem o fez.

Publicado no site: O Melhor da Web em 13/05/2019
Código do Texto: 139909

AQUI VOCÊ INTERAGE DIRETAMENTE COM O(a) AUTOR(a) DA OBRA!
DEIXE UM COMENTÁRIO REFERENTE AO TEXTO!

Comente esse Texto - Seja o primeiro a comentar!


Busca Geral:
Título
Texto Título e Texto


CLIQUE AQUI! PARA LER OS TEXTOS CADASTRADOS!
ESSE LINK VAI PARA A PÁGINA PARA EXIBIÇÃO DOS TEXTOS!

Galeria de Fãs
Sou Fã de...
 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Parceria de Sucesso entre o site Poesias www.omelhordaweb.com.br e o www.efuturo.com.br
Confira. Adicione seus textos nele. O eFUTURO já começou.

Indicamos:Efuturo.com.br - Efuturo é uma Rede Social de Conhecimento, Ensino, Aprendizado Colaborativo, Jogos Educativos e Espaço Literário.