Visitante, seja Bem-Vindo! 
Novo Cadastro
Esqueceu a Senha?

Login: 
Senha:
Silvio Dutra

Todas imagens extraídas da galeria do Google.
kuryos - Silvio Dutra
RSS - As recentes de:Silvio Dutra
&nbnsp;
 

----------------------------------------------------------------------------------------

PARTICIPE! Quero incluir Textos! É GRÁTIS, É fácil, É simples, EU POSSO!



Silvio Dutra
Aniversário: 25/11
Cadastrado desde: 29/08/2012 -

Texto mais recente: A Paz do Diabo e a Paz de Deus

Textos & Poesias || Evangélicas

Imprimir
A Paz de Deus
08/06/2019
Autor(a): Silvio Dutra

A Paz de Deus


Sermão nº 1397
Por Charles H. Spurgeon (1834-1892)
Traduzido, Adaptado e
Editado por Silvio Dutra
Jun/2019
2
S772
Spurgeon, Charles H.- 1834-1892
A paz de Deus / Charles H. Spurgeon
Tradução e adaptação Silvio Dutra Alves – Rio
de Janeiro, 2019.
42p.; 14,8 x21cm
1. Teologia. 2. Pregação. 3. Alves, Silvio Dutra.
I. Título.
CDD 252
3
“E a paz de Deus, que excede todo o entendimento, guardará o vosso coração e a vossa mente em Cristo Jesus.” (Filipenses 4: 7) “PAZ” é uma palavra celestial. Quando, no advento do nosso Senhor, anjos cantaram entre os homens um soneto da meia-noite, sua segunda nota foi “Paz na terra”. Quisera Deus, que os anjos cantassem aquela canção novamente até que os Balcãs ouvissem o coro e sacudissem a nuvem sulfurosa que agora paira ao redor deles. Aqueles que já viram a guerra, ou mesmo que se aproximam da trilha de sua marcha sangrenta, serão gratos a Deus pela paz. Estou quase pensando que a pior paz é preferível à melhor guerra que já foi travada, se é que pode haver melhor onde tudo é tão ruim quanto possa ser. A paz é mais agradável quando a religião fica sob sua sombra e oferece seus votos de alegria ao céu. Quão gratos devemos ser ao nos reunirmos para adorar a Deus segundo aquela forma que melhor satisfaça nossas consciências sem medo de sermos perseguidos pelas autoridades da terra. Não temos vigia nos topos das colinas que cuidam dos dragões de Claverhouse. Não colocamos ninguém na porta da frente do nosso conventículo para evitar que o policial venha para tirar o adorador e o ministro, para que possam ser presos ou
4
multados. Adoramos a Deus em liberdade ilimitada e devemos nos alegrar muito com o privilégio e infinitamente mais gratos a ele. Não nos sentamos, cada homem sob sua própria videira e figueira, não tendo ninguém nos deixando com medo? Bem-aventurada é a terra em que habitamos e abençoados somos os dias em que vivemos, quando em toda a paz e quietude adoramos a Deus em público e cantamos Seus altos louvores tão alto quanto desejamos. Grande Deus da paz, Tu nos deste esta paz, e em lembrança de nossos antepassados perseguidos, nós te abençoamos com todo o nosso coração! Nós nos encontramos hoje à noite com o propósito de ouvir o evangelho da paz e muitos de nós estamos chegando a esse festival sagrado que celebra a paz e é para todos os tempos o memorial da grande paz entre Deus e o homem. E, no entanto, pode ser que nem todos os crentes aqui estejam em paz. Possivelmente você não deixou sua família em paz nesta tarde. Guerras ocorrem mesmo entre corações amorosos. Infelizmente, mesmo os domingos às vezes são perturbados, pois os temperamentos malignos não podem ser evitados para manter a paz, mas são tumultuosos mesmo neste doce e repousante dia. Os homens cristãos permitem que os sentimentos de raiva aumentem dentro
5
deles? Se o fizerem, tenho certeza de que, mesmo ao se afastarem de casa para a casa de Deus, eles vêm com uma mente perturbada. Ah, quão insignificante será a nossa paz de espírito, alguma pequena coisa que aconteceu ao chegar ao seu banco - algum incidente insignificante, mesmo quando você está nele esperando o culto começar, pode, como poeira em seu olho, causar a você maior aflição. Essas pobres criaturas somos nós que podemos perder nossa paz de espírito mesmo com uma palavra ou um olhar. A paz, na forma de perfeita calma e serenidade, é uma coisa muito delicada e sensível e precisa de uma manipulação mais cuidadosa do que um copo de Veneza. É difícil para o mar do nosso coração permanecer longo tempo em um estado suave e vítreo; pois pode ser ondulado e agitado pela respiração de uma criança. Talvez, também, alguns dos meus irmãos e irmãs aqui não tenham andado perto de Deus e, se assim for, a paz deles não será perfeita. Pode ser, meu irmão, que durante a semana você tenha se desviado um pouco da sua verdadeira posição e, em caso afirmativo, sua paz tenha fugido. Seu coração está perturbado e embora você acredite em Cristo para salvação e, portanto, esteja salvo, ainda assim, todo o seu
6
descanso interior pode ser quebrado. Portanto, eu transformaria o texto em oração e oraria por mim mesmo e por todo crente em Jesus Cristo - para que a paz de Deus, que excede todo o entendimento, possa agora manter nossos corações e mentes em Cristo Jesus. Que todos vocês conheçam o texto por experiência. Aquele que escreveu, sentira isso - que nós, que lemos, sintamos também. Paulo muitas vezes desfrutava do brilho da paz nas trevas de um calabouço e sentia paz em perspectiva de uma morte súbita e cruel. Ele amava a paz, pregava a paz, vivia em paz, morreu em paz e, eis que ele entrou na fruição da paz e habita em paz diante do trono de Deus. Olhando para o texto e pensando como poderíamos lidar melhor para nosso benefício, achei que iríamos notar, em primeiro lugar, o privilégio indescritível - “a paz de Deus, que excede todo o entendimento”. Então, em segundo lugar, pensei que poderíamos colher, a partir de sua conexão, o método de chegar a ela, pois as sentenças precedentes estão ligadas ao nosso texto pela palavra "e", que não é uma conjunção incidental, mas é colocado lá com um propósito. Paulo quer dizer que, se fizermos o que ele nos pede nos versos 4, 5 e 6, a paz de Deus guardará nossos corações e mentes.
7
Quando examinarmos esse assunto por alguns minutos, necessitarei de sua cuidadosa atenção, em terceiro lugar, ao poder de sua operação - pois a paz de Deus “guardará os vossos corações e mentes”. E então encerraremos em quarto lugar, notando a esfera de sua ação, a saber, “em Cristo Jesus”. A palavra deveria ter sido “em”, ao invés de “através de” - “guardará seus corações e mentes em Cristo Jesus.” Que o Espírito Santo, que é o espírito de paz, nos conduza agora ao centro e aos segredos de nosso texto. I. Primeiro, então, aqui está UM PRIVILEGIO INDESCRITÍVEL - que é muito difícil de se falar porque ultrapassa todo o entendimento e, portanto, você pode ter certeza de que deve ultrapassar toda a descrição. É uma daquelas coisas que podem ser mais facilmente experimentadas do que explicadas. O bom Joseph Stennett estava certo quando falava daqueles que - “Desvendam do céu aquele doce repouso que ninguém, senão aquele que sente, conhece”. Podemos falar sobre o descanso interior e dilatar-nos na paz de Deus. Podemos selecionar as expressões escolhidas para declarar a delicadeza de seu prazer, mas não podemos transmitir aos outros o conhecimento de segunda mão. Eles devem sentir isso ou não podem entendê-lo. Se eu estivesse falando com crianças pequenas, eu ilustraria meu ponto de
8
vista com a história do menino em uma de nossas estações missionárias, que tinha um cubo de açúcar dado a ele um dia na escola. Ele nunca tinha provado tal essência de doçura e quando ele foi para casa para seu pai, ele disse a ele que tinha comido algo que era maravilhosamente doce. Seu pai disse: "Foi tão doce como essa tal fruta?" "Foi muito mais doce do que isso." "Foi tão doce como tal e tal comida?", que ele mencionou. “Foi muito mais doce do que isso. Mas, pai” - disse ele – “não sei explicar.” Ele saiu correndo da casa de volta para a casa da missão, pediu um pedaço de açúcar e trouxe de volta. Ele então disse: “Pai, prove e veja, e então você saberá quão doce é.” Então, eu me arrisco a usar essa ilustração simples e digo: “Ó prove e veja que a paz de Deus é boa”, pois de fato, supera todas as línguas dos homens e dos anjos poder descrevê-la. Qual é a paz de Deus? Eu descreveria primeiro dizendo que é clara, paz com Deus, paz de consciência, paz real com o Altíssimo através do sacrifício expiatório. Reconciliação, perdão, restauração para favorecer devem existir e a alma deve estar ciente disso. Não pode haver paz de Deus à parte da justificação pelo sangue e justiça de Jesus Cristo recebido pela fé. Um homem consciente de ser culpado nunca poderá conhecer a paz de Deus até tornar-se
9
igualmente consciente de ser perdoado. Quando sua consciência de perdão se tornar tão forte e vívida quanto sua consciência de culpa tiver sido, então ele entrará no desfrute da paz de Deus que excede todo entendimento. Queridos irmãos e irmãs em Cristo - vocês que acreditaram em Jesus - existe uma paz perfeita entre vocês e Deus agora. “Portanto, sendo justificados pela fé, temos paz com Deus.” Seu pecado foi o fundamento da contenda, mas acabou. Deixou de existir. Está apagado. É lançado na profundidade do mar. Na medida em que o leste é distante do oeste, até aqui Ele removeu nossas transgressões de nós. Nosso bode expiatório divino levou nossas iniquidades ao deserto. Nosso Senhor e Mestre terminou a transgressão, deu um fim ao pecado. Ele trouxe a justiça eterna. A causa da ofensa desapareceu para sempre. Jesus tomou nossa culpa, sofreu em nosso lugar, e fez a compensação completa à lei prejudicada e vindicou a justiça ao mais alto grau. E agora não há nada que possa excitar a ira de Deus para nós, pois nosso pecado é removido e nossa injustiça é coberta. Somos reconciliados com Deus por Cristo Jesus e aceitos no Amado. Agora, esta reconciliação real traz ao coração uma profunda sensação de paz. O que todos vocês possuíam! O que aqueles que a conhecem a conhecem mais plenamente! Lembre-se, ó
10
alma, se Cristo de fato sofreu em seu lugar e foi feito maldição por você, a justiça nunca pode exigir de suas mãos a penalidade que a sua Fiança descarregou, pois isso seria desonrar Seu sacrifício tornando-o sem efeito. Se Jesus permaneceu como seu Substituto e suportou o que Deus exigia como a vindicação de Sua lei, então você está limpo, além de toda dúvida, limpo para sempre, salvo no Senhor com uma salvação eterna. Se não fosse assim, por que um Substituto foi permitido? Deus projetou atormentar a humanidade ao permitir uma substituição ineficaz? O que esse Substituto realizou, afinal, se Ele não salvou aqueles por quem Ele morreu? Que significado há no evangelho se ele não revela uma expiação efetiva? Mas verdadeiramente o Senhor Jesus foi feito pecado por nós, e o castigo da nossa paz estava sobre Ele e pelas Suas feridas somos salvos. Aqui a alma descansa. Ao pé da cruz, encontra uma paz que nunca poderia ter encontrado em outro lugar. Espero que muitos de vocês agora possam cantar – “Jesus foi punido em meu lugar, do lado de fora do portão, minha segurança sangrou
11
para expiar minha mancha. Na terra a Divindade se dignou a habitar, E fez de infinito proveito Os sofrimentos do homem. E foi Ele por tais rebeldes dado? Ele foi! O Encarnado Rei do Céu Que expirou por seus inimigos! Espantai-vos, ó terra, ouve a notícia que Ele deu à luz, para que nunca suportemos a ira justa de Seu Pai.” Tome-o cheia de paz, pois por este sacrifício uma aliança de paz está agora estabelecida entre você e seu Deus, e está selada por sangue expiatório. “A paz de Deus, que excede todo entendimento”, também assume uma segunda forma, a saber, a da paz consequente no pequeno reino interior. Quando sabemos que
12
somos perdoados e estamos em paz com Deus, as coisas dentro de nós chegam a uma mudança repentina e prazerosa. Por natureza, tudo em nossa natureza interior está em guerra consigo mesmo. É uma gaiola de feras malignas, todas rasgando e devorando umas às outras. O homem está fora de ordem, fora de ordem com Deus, com o universo e consigo mesmo. A maquinaria da humanidade caiu em séria desordem, suas engrenagens e rodas não funcionam em devida harmonia, mas perdem seu toque e seu traço. As paixões, em vez de serem governadas pela razão, costumam exigir as rédeas. A razão, em vez de ser guiada pelo conhecimento que Deus comunica por Sua Palavra, escolhe obedecer a uma imaginação depravada e exige se tornar um poder separado e julgar o próprio Deus. Não há uma faculdade de nossa natureza que não esteja em rebelião contra Deus e, consequentemente, em estado de confusão com respeito ao resto de nosso sistema. Uma guerra interna cruel muitas vezes grassa entre nossos poderes mentais, instintos animais e faculdades morais, causando angústia, medo e infelicidade. Não há cura para isso, senão pela restauração da graça.
13
Ó homem, você não consegue consertar seu coração. Você não pode ter sua consciência correta. Você não consegue entender direito. Você não pode trazer seus vários poderes para os seus propósitos e fazê-los agir em verdadeira harmonia até que primeiro você esteja certo com Deus. O rei deve ocupar o trono e, em seguida, a propriedade de Mansoul será devidamente resolvida, mas até que a autoridade principal tenha eminência devida, a rebelião e o tumulto continuarão. Quando o Senhor sopra a paz em um homem e o Espírito Santo desce como uma pomba para habitar dentro da alma, e então fica quieto, onde tudo era caos, a ordem aparece; o homem é criado de novo e se torna uma nova criatura em Cristo Jesus. E embora as concupiscências rebeldes ainda tentem obter a maestria, ainda assim existe agora um poder dominante que mantém o homem em ordem para que dentro dele haja “a paz de Deus, que excede todo entendimento”. Isto leva à paz em referência a todas as circunstâncias externas, por causa da nossa confiança de que Deus ordena a todos com razão e os organiza para o nosso bem. O homem que acredita em Jesus e é reconciliado com Deus não tem nada fora dele que precise temer. Ele é pobre? Ele se alegra que Cristo torna os homens pobres ricos. Ele prospera? Ele
14
se alegra que há graça para santificar sua prosperidade para que não se torne inebriante para ele. Ali jaz diante dele um grande problema? Ele agradece a Deus por sua promessa de que, como seu dia, sua força será. Ele apreende a perda de amigos? Ele ora para que o julgamento seja evitado, pois ele tem permissão para orar, assim como Davi implorou pela vida de seu filho. Mas, tendo feito isso, ele se sente seguro de que Deus não tirará um amigo terreno, a menos que seja com a intenção de reunir mais confiança para Si mesmo. Ali jaz diante dele a perspectiva de morte rápida? A esperança da ressurreição dá paz ao seu travesseiro moribundo. Ele sabe que seu Redentor vive e ele está contente em deixar seu corpo dormir na poeira por algum tempo. Ele é lembrado pela Escritura de um dia de julgamento quando todos os corações serão revelados? Ele tem paz em relação àquele mistério terrível e a tudo que o cerca, pois sabe em quem ele acreditou e sabe que Ele o protegerá naquele dia. O que quer que seja sugerido que possa alarmar ou afligir o crente, no fundo de sua alma ele não pode ser perturbado porque ele vê seu Deus no leme do barco que segura o leme com uma mão que desafia a tempestade. Isso é particularmente vantajoso em dias como esses, quando todas as coisas têm um aspecto triste. Os sinais de
15
tempestade estão voando, as nuvens estão se acumulando, flashes de raios e sons de trovões distantes estão ao nosso redor. Se você ler os jornais, guerras e rumores de guerras são incessantes. Seus olhos brilham sobre narrativas de fome e seca. Você vê angústia aqui, negligência nos negócios lá, pobreza e fome em muitos lugares e o medo se apodera de você de que ainda há dias sombrios por vir e estações nas quais os rostos vão ficar pálidos e as mãos pesadas. Irmãos, é para o crente, em tal caso, não sentir desânimo, pois o nosso Deus está nos céus e Ele não abandona o trono. Seus propósitos serão cumpridos e o bem sairá do mal, pois neste exato momento Deus senta nas câmaras do conselho de reis e ordena todas as coisas de acordo com o conselho de Sua vontade. Nós não somos crianças cujo pai foi para o mar e nos deixou em casa sem um guardião. Lemos agora mesmo as palavras: "Não vos deixarei órfãos, voltarei para vós outros.", e acreditamos nessa palavra graciosa. Deus está mais perto de nós e estamos mais seguros. Apesar de não podermos ver o futuro e não querermos bisbilhotar entre as folhas dobradas do livro do destino, estamos absolutamente certos de que nada está escrito na página não aberta do futuro, que possa contradizer a fidelidade divina tão evidente no passado. Temos a certeza de que todas as coisas
16
cooperam para o bem daqueles que amam a Deus, daqueles que são chamados de acordo com o Seu propósito e, portanto, nossa alma, quanto a todas as circunstâncias externas, lança âncora e desfruta da paz de Deus. Nem isso é tudo. Deus tem o prazer de dar paz ao Seu povo em referência a todos os Seus mandamentos. Enquanto a alma não é regenerada, ela se rebela contra a mente e a vontade de Deus. Se Deus proibir, o coração não renovado espera pela coisa proibida. Se Deus ordena, a mente natural, por essa mesma razão, se recusa a fazê-lo. Mas quando a mudança acontece e somos reconciliados com Deus pela morte de Seu Filho, então, amados, nós caímos na mesma linha com Deus e nosso mais profundo desejo é permanecer em plena harmonia com Ele. Sua vontade se torna nosso deleite e nossa única tristeza é que não podemos estar perfeitamente em conformidade com ela. Não existe um preceito de Deus que seja doloroso para um coração gracioso. Seus estatutos são nossas canções na casa de nossa peregrinação. Também sentimos paz perfeita em relação aos feitos providenciais de Deus, porque acreditamos que eles estão nos ajudando a chegar à conformidade com Ele e é exatamente
17
isso que queremos. Oh, que nunca pudéssemos ter um pensamento ou desejo, a partir de agora, que fosse desagradável para o Senhor. Nós o amamos, amamos Seus caminhos, amamos Seu povo, amamos Sua palavra, amamos Seu dia, amamos Suas promessas, amamos Suas leis - estamos totalmente de acordo com Ele através de Sua rica graça e, nesse sentido, tenha paz em relação a Deus, que ultrapasse todo o entendimento. Que descrição maravilhosa que é desta paz - "ultrapassa todo o entendimento". Não é apenas além de um entendimento comum, mas ultrapassa todo o entendimento. Alguns disseram que isso significa que o homem ímpio não pode entendê-la. Essa afirmação é verdadeira, mas não é um décimo de todo o significado, pois até mesmo quem dela desfruta não pode entendê-la. É mais profundo, mais amplo, mais doce, mais celestial do que o próprio santo alegre pode dizer. Ele desfruta do que não consegue entender. Que misericórdia que tal coisa seja possível, pois de outra forma nossas alegrias seriam estreitas, de fato! A razão tem limites muito mais estreitos que a alegria. Verdadeiramente esta paz está escondida dos olhos dos ímpios e incrédulos. Está muito acima, fora da vista deles. Agora, existem tipos de paz no mundo que o homem ímpio pode entender. Havia os estoicos
18
que se educavam para a apatia. Eles não se sentiriam e assim alcançaram uma paz sem sentido. Seu segredo é facilmente descoberto, não ultrapassa a compreensão. Muitos índios vermelhos têm sido tão impassíveis quanto o maior estoico e, talvez, o tenham ultrapassado, endurecendo-se para não gemer se perfurado por flechas ou queimado com fogo. Alguns homens tiveram tal domínio sobre si mesmos que pareceu uma questão de perfeita indiferença se sofreram ou não dor. Mas o cristianismo não nos ensina o estoicismo, nem aponta nessa direção. Cultiva ternura, não insensibilidade. Sua influência tende a nos tornar mais sensíveis do que insensíveis, e nos dá uma paz consistente com a maior delicadeza do sentimento, sim, com sensibilidade mais intensa do que os outros homens conhecem, pois torna a nossa consciência sensível e faz com que a mente fique profundamente angustiada à menor carranca do céu. Nossa paz não é a paz da apatia, mas de um tipo muito mais nobre. Outros visam à paz da leviandade, que o mundo pode entender prontamente. Eles contam que é uma das coisas mais sábias afastar o cuidado sem a graça e, aconteça o que acontecer, eles se afogam refletindo na tigela fluindo e rindo por cima - fazendo alegria quando a miséria devora
19
suas almas. Os cristãos não tentam se livrar das provações da vida dessa maneira. O mundo, portanto, não pode entender a paz do crente, já que ele não é nem apático nem frívolo. De onde vem essa paz? A resposta animada de muitos mundanos é: "Oh, vem de uma ilusão fanática". Mas, na verdade, não estamos iludidos. Os fundamentos da paz de um cristão são racionais, lógicos e bem fundamentados. Eles devem ser justificados pelo senso comum. Uma pessoa que está em dívida e que ainda está em dívida não deve estar em paz. Mas suponha que um homem esteja perfeitamente à vontade, quem pode culpá-lo se puder dizer: "Eu tenho o direito de ser assim, pois minha dívida está paga"? Ninguém pode desafiar tal argumento. Aquele que crê que Cristo Jesus sofreu em seu lugar que, que foi devido à justiça de Deus, tem um argumento racional para estar em paz, o qual ele pode pleitear em qualquer lugar que lhe agrade. Deus perdoou, por amor de Cristo, toda a sua iniquidade, por que não deveria estar em paz? E se é de fato, portanto, que o cristão tenha se tornado filho de Deus, ele não deveria estar em paz? Se Deus, seu Pai, governa todas as coisas para o seu bem, ele não deveria estar em paz? Se para ele não há perigo de morte eterna - se para ele está preparada uma ressurreição gloriosa, e se ele finalmente deseja brilhar com Cristo em eterna glória, por que o homem não deveria ter
20
paz? É muito mais difícil, devo pensar, racionalmente culpá-lo por sua felicidade do que justificá-lo se estivesse em alarme. Nós não somos vítimas da ilusão, mas falamos as palavras da verdade e da sobriedade quando afirmamos ser os mais favorecidos da humanidade. A loucura e o fanatismo estão com aqueles que negligenciam Deus e a eternidade e zombam do pecado. E assim o mundano não entende a nossa paz e frequentemente zomba disso porque está intrigado com isso. Até mesmo o cristão fica às vezes surpreso com sua própria paz. Eu sei o que é sofrer de terrível depressão do espírito às vezes, mas no exato momento em que me pareceu que a vida não valia uma única moeda de bronze, eu tenho estado perfeitamente em paz com relação a todas as coisas maiores. Existe a possibilidade de ter a superfície da mente amarrada à tempestade, enquanto que ainda no fundo das cavernas da consciência íntima tudo ainda está em paz. Eu sei disso por experiência. Há terremotos nesta terra e ainda assim o nosso mundo persegue o mesmo teor do seu caminho, e o mesmo é verdade no pequeno mundo da natureza do crente. Por que, às vezes, um cristão se sentirá tão inundado de uma paz deliciosa que não poderia expressar seu arrebatamento. Ele está quase com medo de cantar, a menos que o som de sua voz deva quebrar o encanto. Mas
21
ele diz para si mesmo: "Venha, então, expressivo silêncio, medite seu louvor." Satanás soprou um sussurro na mente - "É bom demais para ser verdade", mas o espírito, firmemente acreditando na veracidade de Deus, repeliu a insinuação e descansou na fidelidade de Deus, na aliança eterna, na obra consumada de Cristo, no amor de Deus manifestado para com Seu povo em Cristo Jesus. Essa é a paz de Deus. “Então Ele dá sono ao seu amado.” É um descanso com ênfase, repousar no sentido de Jesus quando Ele disse: “Vinde a mim, todos os que estais cansados e sobrecarregados, e eu vos darei descanso”, descanso no sentido mais dourado que podemos dar à palavra e muito mais. Ultrapassa a compreensão, mas não supera a experiência. Você sabe disso? Eu oro para que você responda à pergunta, cada um por si mesmo, pois eu devo voltar para onde eu comecei. Não deve ser descrito - deve ser experimentado para ser conhecido. II. Agora, devo, em segundo lugar, com muita brevidade, indicar amados amigos, COMO ESTA PAZ DEVE SER OBTIDA. Agora, marque, o apóstolo estava se dirigindo somente aos crentes no Senhor Jesus e devo implorar que você leve em consideração a limitação. Agora não estou me dirigindo aos
22
ímpios. Eu falo apenas aos cristãos. Você está sempre em paz com Deus, embora nem sempre desfrute o sentido disso. Mas se você quiser perceber isso, como vai fazê-lo? A conexão diz a você. No versículo 4, Paulo diz: "Sempre se regozijem no Senhor e, novamente, eu digo: Alegrem-se". Se você quer ter paz de espírito, faça de Deus sua alegria e coloque toda sua alegria em Deus. Você não pode se alegrar em si mesmo, mas deve se alegrar em Deus. Nem sempre você pode se alegrar em suas circunstâncias, pois elas variam muito, mas o Senhor nunca muda. “Regozijai-vos sempre no Senhor.” Se você se alegra com as coisas terrenas, deve fazê-lo moderadamente. Mas o regozijo no Senhor pode ser usado sem a possibilidade de excesso, pois o apóstolo acrescenta: “Novamente eu digo: Alegrai-vos” - regozije-se e regozije-se novamente. Deleite-se no Senhor. Quem tem tal Deus como você tem? “Sua rocha não é como nossa Rocha, nossos próprios inimigos são juízes.” Quem tem tal Amigo, tal Pai, tal Salvador, tal Consolador como você tem no Senhor seu Deus? Pensar em Deus como a nossa maior alegria é encontrar “a paz de Deus que excede todo o entendimento”. Vá ao quinto versículo, onde o apóstolo diz: “Seja a vossa moderação conhecida de todos os homens”. Isto é, enquanto toda a sua alegria está
23
em Deus, lide com todas as coisas terrenas com base no princípio da cautela. Se algum homem lhe elogiar, não exulte. Se, ao contrário, você é censurado, não deixe seu espírito afundar. Se você tem prosperidade, agradeça a Deus por isso, mas não tenha certeza de que isso vai continuar. Se a propriedade é sua, use-a, mas não permita que ela se torne seu tesouro ou a principal consideração de sua mente. Você sofre adversidades? Ore a Deus para ajudá-lo, mas não seja tão abatido quanto ao ponto de chegar ao desespero. Beba de copos terrenos por goles. Não seja tolo como a mosca que se afoga em doces. Use as coisas do tempo como não abusando delas. Não vá muito longe no mar perigoso do conforto deste mundo. Leve o bem que Deus provê a você, mas diga: “Ele passa”, pois, de fato, é apenas um suprimento temporário para uma necessidade temporária. Nunca faça com que seus bens se tornem seu deus. Regozije-se somente em Deus e, como para tudo o mais, venha ou vá, suba ou desça, não deixe-lhe afligir nem mesmo lhe fazer exultar. Tome as coisas em silêncio e com calma e se você fizer isso você terá paz. Se você idolatrar qualquer bem terreno, sua paz irá embora. Mantenha o mundo sob seus pés e a paz de Deus guardará seu coração e mente. Três regras são então adicionadas pelo apóstolo, das quais você certamente se lembrará. Ele nos diz
24
para não estar ansioso com nada, mas estar em oração por tudo e ser grato por qualquer coisa. Qualquer um que possa manter estas três regras, com as outras duas, terá a certeza de ter uma mente pacífica. “Não andeis ansiosos.” Isto é, deixe seu cuidado com Deus. Tendo feito o melhor possível para proporcionar coisas honestas à vista de todos os homens, não leve nenhum pensamento angustiante, perturbador e ansioso sobre qualquer coisa, mas lance seu fardo sobre o Senhor. Então ore sobre tudo, seja pequeno ou grande, alegre ou triste. “Em tudo por oração e súplica sejam feitos seus pedidos a Deus.” Aquilo sobre o que você orar terá a picada se for mau e a doçura será santificada se for bom. A tribulação sobre a qual você orar se tornará suportável, mesmo que não seja transformada em assunto para regozijo. Um problema orado é um leão morto com mel na carcaça. E então, temos a sorte de agradecer por qualquer coisa, pois o apóstolo diz: “Em tudo, com ações de graças, sejam feitos seus pedidos a Deus.” A gratidão é o grande promotor da paz. É a mãe e a enfermeira da tranquilidade. Sem dúvida, nossa paz é frequentemente quebrada porque recebemos misericórdias de Deus sem reconhecê-las. Se rendermos ao Senhor o perfumado incenso de santa gratidão, encontraremos nossa alma perfumada com a doce paz de Deus. Tome essas cinco coisas, pois
25
a conexão as coloca diante de você. Empilhe toda a sua alegria no armazém sagrado do seu Deus e seja feliz no Senhor. Em seguida, deixe, tanto quanto puder, as coisas deste mundo sozinhas. Toque-as com um dedo leve - "Deixe a sua moderação ser conhecida por todos os homens." E então orar muito, não estar ansioso e bendizer a Deus de manhã à noite. Em tal atmosfera, a paz crescerá como flores raras, que florescem sob o céu ensolarado em jardins bem regados. Que o Espírito Santo trabalhe essas coisas em nós e nos faça descansar. III. Isso me leva ao terceiro ponto de nosso assunto nesta noite, que é A OPERAÇÃO DESTE PRIVILÉGIO ABUNDANDO SOBRE NOSSOS CORAÇÕES. É dito que a paz de Deus guardará nossos corações e mentes. A palavra grega é phroureo, que significa manter guarda, mantendo-se como uma guarnição, tão completa e eficazmente que a paz de Deus mantém nossos corações e mentes. Olhe, então - nossos corações precisam ser guardados, pois afundam-se, pois nossos pobres espíritos são muito aptos a desmaiar, mesmo sob pequenas provações. Eles também precisam evitar a perambulação, por quanto tempo eles são
26
enganados! Que encantos fracos são capazes de nos atrair para longe do completamente adorável Senhor! Nossos corações precisam se manter e se manterem corretos. A maneira de manter o coração, de acordo com o texto, é deixá-lo ser preenchido com a paz de Deus que excede todo o entendimento. Um espírito quieto, calmo, repousante, feliz, é aquele que não se afunda nem vagueia? Se a paz de Deus está em você, o que pode causar aflição? Vocês serão como aquelas grandes boias ancoradas no mar que não podem afundar. Não importa que tempestades estejam ocorrendo, elas sempre se elevam acima de tudo. Nossas almas, ancoradas rapidamente e tornadas flutuantes com a paz, serão como marcas fixas pelas quais os outros podem conhecer seu caminho. Além disso, um homem que tem seu coração cheio de paz não deve vagar, pois ele diz para si mesmo: “Por que eu deveria vagar? Onde pode ser encontrada tal doçura como provei no meu Senhor? Por que eu deveria procurar em outro lugar?” A melhor maneira de manter uma pessoa a seu serviço é fazer com que valha a pena ficar e se ele está tão feliz e tão contente que sente que não poderia melhorar a si mesmo, é provável que você o conserve. por muito tempo. Agora, nosso Senhor e Mestre fez o Seu serviço de tal forma que não podemos melhorar
27
a nós mesmos. Quando Ele disse a alguns dos Seus servos: “Vocês também irão embora?” Eles disseram: “A quem iremos nós?” Ah, de fato! Para quem podemos ir? Olhos, vocês vão deixar a luz pela escuridão? Ouvidos, vocês vão se afastar da música da voz de Jesus? Coração, você vai deixar um amante fiel por um enganador? Entendimento, você irá para o exterior depois de novidades quando tiver encontrado a verdade antiga, segura e satisfatória? Consciência, você se sobrecarregará, novamente, com sua carga anterior? Quando você está tão perfeitamente satisfeito com o trabalho e a pessoa de Cristo, você não vai ficar onde está? Oh sim, o coração é segurado com faixas tão fortes quanto elas são tenras quando está cheio da paz de Deus que ultrapassa a compreensão. Vocês jovens são tentados, eu sei, e quem entre nós não é? E o mundo tem muitos encantos para você. Portanto, recomendo-o a orar ao Senhor para que mantenha sua felicidade em Cristo, sua alegria no Senhor. Pois, se você se irrita com o seu Senhor e Mestre, pode ser que o diabo o pegue quando você está mal-humorado e aborrecido em relação ao seu grande Senhor, e se afasta de sua lealdade. Mas se o seu coração está sempre em paz, você terá força sobre você para resistir às sugestões do maligno. Rebites da paz são bons fixadores para a lealdade cristã. É uma coisa
28
muito séria para um cristão estar em um estado desconfortável, pois ele é fraco em um ponto importante. “Confortai, consolai, meu povo”, são palavras de Deus para os seus profetas, porque sabe que quando perdemos o conforto ou perdemos a paz, perdemos uma das peças de armadura mais valiosas das quais nossa armadura é composta. Mas o texto também acrescenta que isso guardará nossa mente e nosso coração. Agora, em todas as eras, descobrimos que as mentes dos cristãos têm sido capazes de ser perturbadas e contrariadas em verdades vitais. Eu penso, às vezes, que esta é a pior idade para o erro que já escureceu o mundo. Eu me angustio e me prostro na terra ao ver a traição de ministros, professos ministros de Cristo, que negam a inspiração da Escritura e colocam o machado na raiz de todas as doutrinas que nos são caras, enquanto continuam a ocupar os púlpitos do cristianismo. Mas quando eu olho para trás ao longo da história eu acho que sempre foi assim. Desde os dias de Judas Iscariotes até agora tem havido traidores e houve homens de fala pronta e de pensamento rápido, que usaram tanto a linguagem bela como o pensamento sutil para desviar as mentes simples do evangelho, no sentido de que enganariam, se foi possível, o próprio eleito. Mas por que os eleitos não são
29
enganados? Em regra, é porque encontram tal paz - tão perfeita paz - nas verdades que receberam, que os enganadores tentam em vão afastá-los dela. “Ah”, grita o sossegado crente, “não posso desistir do evangelho. É minha vida, minha força, meu consolo, meu tudo. Foi o conforto da minha mãe agonizante e continua a ser o sustentáculo do meu pai idoso. Foi isso que me trouxe aos pés de um Salvador e me dá graça para permanecer lá. Isso me ajudou na hora da provação várias vezes. Sinto que preciso de seus consolos e, portanto, nunca posso me separar dele”. E assim ele fica indignado com o homem que lança uma dúvida, especialmente se ele é da ordem clerical e um pretendente ao ministério cristão. Irmãos, não podemos nos afastar nem um centímetro da verdade que nos foi ensinada pelo Espírito Santo em nossa alma, e é somente tal verdade como aquilo que pode trazer ao coração a paz de Deus que ultrapassa o entendimento. Quando o Senhor trouxe a Sua verdade em nossas mentes pelo Seu próprio poder e fez com que o doce sabor dela penetrasse em nossa estrutura, e quando Ele nos deu a beber até que fôssemos cheios de alegria e paz indizível, não podemos, então, partir dele. A verdade nos ensinada pelo homem, podemos esquecer, mas aquilo que o Espírito Santo grava no íntimo do
30
coração, disso não podemos nos afastar. Então, ajude-nos Deus, pois devemos defendê-lo mesmo se morrermos por isso. E quais são as invenções que eles nos oferecem em vez das coisas escolhidas da aliança da paz? São ninharias leves como o ar. Se elas fossem verdadeiras, não valeria a pena propagá-las. Eles podem ser deixados entre os assuntos menores que não têm valor prático para os filhos dos homens. Eles não nos trazem novos fundamentos de paz sólida ou novos argumentos descobertos para alegria santa. A teologia negativa não promete bênçãos para a humanidade. É um saqueador de mãos vazias, roubando-nos de todo consolo e oferecendo nada em troca. Se o pensamento moderno pudesse ser provado ser verdade, a próxima coisa que deveria ser feita seria enforcar o mundo, porque tal vaidade de vaidades tomou o lugar da deliciosa verdade que uma vez alegrou os corações dos homens. Seria o mais triste de todos os fatos se tivéssemos certeza de que as doutrinas da graça são, afinal, uma ficção. Mas elas não são assim. Elas não podem ser. Elas carregam seu próprio testemunho dentro de si. Alguns de nós podem falar sobre elas como Cristão respondeu a Ateu, quando Ateu disse: “Volte! Volte!” A resposta de Cristão foi: “Estamos buscando a Cidade Celestial”. “Oh”, disse Ateu, “mas eu fui mais longe do que
31
qualquer um de vocês e digo que não existe tal lugar. Eu me encontrei com muitos homens instruídos que estudaram todo o assunto e tudo é uma ilusão. Volte. Volte.” Então Cristão disse: “O que! Nenhuma cidade celestial? Não a vimos do alto do Monte Claro, quando estávamos com os pastores e olhávamos através do vidro telescópico?” Então, dizemos: “Sem expiação”? Não sentimos a paz com a qual acalma a consciência? Nenhuma regeneração? Não somos nós mesmos a evidência viva de que os homens são feitos novas criaturas em Cristo Jesus? Não há respostas para a oração? Certamente, então, nós não somos homens sãos e nossos sentidos falharam em nós. Nenhuma perseverança final? O que então nos manteve este dia? Nenhuma obra do Espírito Santo? O que? Estamos dormindo? Até a nossa existência é uma ilusão? Não, enquanto esfregamos os olhos, sentimos que não estamos sonhando. Temos certeza de que algumas outras pessoas estão cochilando e adorando, e oramos para que Deus, em misericórdia, termine seu sonho e os leve a conhecer aquelas verdades gloriosas e substanciais, que nos enchem da paz de Deus, que excede todo o entendimento, e ao fazê-lo, guarde nossos corações e mentes. Estamos ligados à cruz para sempre, pregados na madeira com Cristo para sempre. As cores
32
vermelho-sangue da expiação são fixadas ao nosso mastro, para voar até o nosso barco afundar, se afundar deve, mas nunca para ser atingido, embora homem ou demônio, sacerdote ou filósofo disparem tiros em nosso barco. Não ousamos mudar, mas permanecemos fiéis àquilo que Jesus nos ensinou. a cujos pés nos sentamos na nossa juventude e que ainda continua a nos ensinar. Sua paz guarda nosso coração e mente, e portanto, iremos, com coração e mente, manter Sua verdade, aconteça o que acontecer. IV. Por fim, observemos a esfera de sua ação. O texto diz: “Em Cristo Jesus”. Agora, amado, peço que anote isso com interesse. O apóstolo nunca menciona o nome de Jesus com muita frequência. Você não pode dizer que ele arrasta isto, mas ele menciona isto tão frequentemente quanto ele pode, porque ele se deleita ao som disto. “Em Cristo Jesus”. Essas palavras tocam todos os pontos do nosso texto até o fim. Estamos falando de nós mesmos? Nós estamos em Cristo Jesus. Nossa fé realizou nossa união com Sua pessoa sagrada. Ele é a nossa cabeça e nós somos seus membros. Ele é a pedra angular e somos edificados sobre ele. Não há nada em nós que valha a pena pensar além dEle, e será bom se descartarmos o pensamento que vá além. Então, se nos demorarmos na paz de Deus,
33
ainda pensamos em nosso Senhor Jesus, pois tudo está nEle. Não há paz a ser encontrada fora de Cristo. Nenhuma paz pode aquecer nosso coração enquanto nos esquecemos de Cristo. "Ele é a nossa paz." Nunca vá, querido irmão colocar a sua paz à lei ou à sua própria experiência, às suas próprias realizações passadas ou mesmo à sua própria fé. Toda a sua paz está em Jesus. E então nossos corações e mentes, mencionados no texto, devem estar todos em Jesus, o coração amando-O, a mente acreditando nEle, descansando nEle, usando suas faculdades para Ele - tudo nEle. Se eu deixar esse último pensamento com você, será o melhor final para o meu sermão, a saber, que, para obter paz e guardar seus corações e mentes, a grande necessidade é estar em Cristo - em seu Senhor agonizante, ressurreto e reinante. Deixe que Ele esteja em seus pensamentos agora e sempre. Sua mesa agora está espalhada, venha aqui para comungar com Ele. Venha aqui com o seu Mestre, para ver o seu Mestre e comer a Sua carne e beber o Seu sangue, de uma maneira espiritual, à Sua própria mesa. Uma palavra para você que não conhece nosso Senhor. Como eu gostaria que você conhecesse Ele. Você nunca pode possuir paz até possuir a Cristo. Que começo abençoado dos domingos
34
seria para a sua alma se você buscasse a Cristo esta noite. Você não tem muito que ir para encontrá-lo. Ele não está longe de nenhum de nós. Feche os olhos e faça uma oração para ele. Fique de pé atrás de uma das colunas do lado de fora ou entre no corredor e deixe seu coração dizer: “Salvador, eu preciso de paz e paz que nunca poderei ter antes de encontrar você. Eis que confio em ti. Manifeste-se a mim neste momento e diga à minha alma: “Eu sou a sua salvação”. Deus lhe conceda que ore assim. Parece-me muito surpreendente que precisemos persuadir os homens a pensar em seus próprios interesses e a cuidar de si mesmos. Em outras coisas, eles sempre são afiados o suficiente para cuidar do que eles chamam de “número um”, mas quando se trata da preocupação mais solene, a maior bênção e a mais pura felicidade que pode ser obtida; eles são tão tolos a ponto de deixar que todas as outras coisas os atraiam mais do que o Senhor Jesus. O Senhor salve a todos vocês pelo amor de Sua infinita misericórdia. Amém.
35
PARTE DAS ESCRITURAS LIDA ANTES DO SERMÃO - JOÃO 14 João – 14 1 Não se turbe o vosso coração; credes em Deus, crede também em mim. 2 Na casa de meu Pai há muitas moradas. Se assim não fora, eu vo-lo teria dito. Pois vou preparar-vos lugar. 3 E, quando eu for e vos preparar lugar, voltarei e vos receberei para mim mesmo, para que, onde eu estou, estejais vós também. 4 E vós sabeis o caminho para onde eu vou. 5 Disse-lhe Tomé: Senhor, não sabemos para onde vais; como saber o caminho? 6 Respondeu-lhe Jesus: Eu sou o caminho, e a verdade, e a vida; ninguém vem ao Pai senão por mim. 7 Se vós me tivésseis conhecido, conheceríeis também a meu Pai. Desde agora o conheceis e o tendes visto. 8 Replicou-lhe Filipe: Senhor, mostra-nos o Pai, e isso nos basta.
36
9 Disse-lhe Jesus: Filipe, há tanto tempo estou convosco, e não me tens conhecido? Quem me vê a mim vê o Pai; como dizes tu: Mostra-nos o Pai? 10 Não crês que eu estou no Pai e que o Pai está em mim? As palavras que eu vos digo não as digo por mim mesmo; mas o Pai, que permanece em mim, faz as suas obras. 11 Crede-me que estou no Pai, e o Pai, em mim; crede ao menos por causa das mesmas obras. 12 Em verdade, em verdade vos digo que aquele que crê em mim fará também as obras que eu faço e outras maiores fará, porque eu vou para junto do Pai. 13 E tudo quanto pedirdes em meu nome, isso farei, a fim de que o Pai seja glorificado no Filho. 14 Se me pedirdes alguma coisa em meu nome, eu o farei. 15 Se me amais, guardareis os meus mandamentos. 16 E eu rogarei ao Pai, e ele vos dará outro Consolador, a fim de que esteja para sempre convosco,
37
17 o Espírito da verdade, que o mundo não pode receber, porque não o vê, nem o conhece; vós o conheceis, porque ele habita convosco e estará em vós. 18 Não vos deixarei órfãos, voltarei para vós outros. 19 Ainda por um pouco, e o mundo não me verá mais; vós, porém, me vereis; porque eu vivo, vós também vivereis. 20 Naquele dia, vós conhecereis que eu estou em meu Pai, e vós, em mim, e eu, em vós. 21 Aquele que tem os meus mandamentos e os guarda, esse é o que me ama; e aquele que me ama será amado por meu Pai, e eu também o amarei e me manifestarei a ele. 22 Disse-lhe Judas, não o Iscariotes: Donde procede, Senhor, que estás para manifestar-te a nós e não ao mundo? 23 Respondeu Jesus: Se alguém me ama, guardará a minha palavra; e meu Pai o amará, e viremos para ele e faremos nele morada. 24 Quem não me ama não guarda as minhas palavras; e a palavra que estais ouvindo não é minha, mas do Pai, que me enviou.
38
25 Isto vos tenho dito, estando ainda convosco; 26 mas o Consolador, o Espírito Santo, a quem o Pai enviará em meu nome, esse vos ensinará todas as coisas e vos fará lembrar de tudo o que vos tenho dito. 27 Deixo-vos a paz, a minha paz vos dou; não vo-la dou como a dá o mundo. Não se turbe o vosso coração, nem se atemorize. 28 Ouvistes que eu vos disse: vou e volto para junto de vós. Se me amásseis, alegrar-vos-íeis de que eu vá para o Pai, pois o Pai é maior do que eu. 29 Disse-vos agora, antes que aconteça, para que, quando acontecer, vós creiais. 30 Já não falarei muito convosco, porque aí vem o príncipe do mundo; e ele nada tem em mim; 31 contudo, assim procedo para que o mundo saiba que eu amo o Pai e que faço como o Pai me ordenou. Levantai-vos, vamo-nos daqui.
39
Filipenses – 4 1 Portanto, meus irmãos, amados e mui saudosos, minha alegria e coroa, sim, amados, permanecei, deste modo, firmes no Senhor. 2 Rogo a Evódia e rogo a Síntique pensem concordemente, no Senhor. 3 A ti, fiel companheiro de jugo, também peço que as auxilies, pois juntas se esforçaram comigo no evangelho, também com Clemente e com os demais cooperadores meus, cujos nomes se encontram no Livro da Vida. 4 Alegrai-vos sempre no Senhor; outra vez digo: alegrai-vos. 5 Seja a vossa moderação conhecida de todos os homens. Perto está o Senhor. 6 Não andeis ansiosos de coisa alguma; em tudo, porém, sejam conhecidas, diante de Deus, as vossas petições, pela oração e pela súplica, com ações de graças. 7 E a paz de Deus, que excede todo o entendimento, guardará o vosso coração e a vossa mente em Cristo Jesus.
40
8 Finalmente, irmãos, tudo o que é verdadeiro, tudo o que é respeitável, tudo o que é justo, tudo o que é puro, tudo o que é amável, tudo o que é de boa fama, se alguma virtude há e se algum louvor existe, seja isso o que ocupe o vosso pensamento. 9 O que também aprendestes, e recebestes, e ouvistes, e vistes em mim, isso praticai; e o Deus da paz será convosco. 10 Alegrei-me, sobremaneira, no Senhor porque, agora, uma vez mais, renovastes a meu favor o vosso cuidado; o qual também já tínheis antes, mas vos faltava oportunidade. 11 Digo isto, não por causa da pobreza, porque aprendi a viver contente em toda e qualquer situação. 12 Tanto sei estar humilhado como também ser honrado; de tudo e em todas as circunstâncias, já tenho experiência, tanto de fartura como de fome; assim de abundância como de escassez; 13 tudo posso naquele que me fortalece. 14 Todavia, fizestes bem, associando-vos na minha tribulação.
41
15 E sabeis também vós, ó filipenses, que, no início do evangelho, quando parti da Macedônia, nenhuma igreja se associou comigo no tocante a dar e receber, senão unicamente vós outros; 16 porque até para Tessalônica mandastes não somente uma vez, mas duas, o bastante para as minhas necessidades. 17 Não que eu procure o donativo, mas o que realmente me interessa é o fruto que aumente o vosso crédito. 18 Recebi tudo e tenho abundância; estou suprido, desde que Epafrodito me passou às mãos o que me veio de vossa parte como aroma suave, como sacrifício aceitável e aprazível a Deus. 19 E o meu Deus, segundo a sua riqueza em glória, há de suprir, em Cristo Jesus, cada uma de vossas necessidades. 20 Ora, a nosso Deus e Pai seja a glória pelos séculos dos séculos. Amém! 21 Saudai cada um dos santos em Cristo Jesus. Os irmãos que se acham comigo vos saúdam.
42
22 Todos os santos vos saúdam, especialmente os da casa de César. 23 A graça do Senhor Jesus Cristo seja com o vosso espírito.

Publicado no site: O Melhor da Web em 08/06/2019
Código do Texto: 140097

AQUI VOCÊ INTERAGE DIRETAMENTE COM O(a) AUTOR(a) DA OBRA!
DEIXE UM COMENTÁRIO REFERENTE AO TEXTO!

Comente esse Texto - Seja o primeiro a comentar!


Busca Geral:
Título
Texto Título e Texto


CLIQUE AQUI! PARA LER OS TEXTOS CADASTRADOS!
ESSE LINK VAI PARA A PÁGINA PARA EXIBIÇÃO DOS TEXTOS!

Galeria de Fãs
Sou Fã de...
 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Parceria de Sucesso entre o site Poesias www.omelhordaweb.com.br e o www.efuturo.com.br
Confira. Adicione seus textos nele. O eFUTURO já começou.

Indicamos:Efuturo.com.br - Efuturo é uma Rede Social de Conhecimento, Ensino, Aprendizado Colaborativo, Jogos Educativos e Espaço Literário.