Visitante, seja Bem-Vindo! 
Novo Cadastro
Esqueceu a Senha?

Login: 
Senha:
Silvio Dutra

Todas imagens extraídas da galeria do Google.
kuryos - Silvio Dutra
RSS - As recentes de:Silvio Dutra
&nbnsp;
 

----------------------------------------------------------------------------------------

PARTICIPE! Quero incluir Textos! É GRÁTIS, É fácil, É simples, EU POSSO!



Silvio Dutra
Aniversário: 25/11
Cadastrado desde: 29/08/2012 -

Texto mais recente: Sobre o Juízo Final e o Fim do Mundo

Textos & Poesias || Evangélicas

Imprimir
Porque Precisamos Ser Ricos em Graça
11/07/2019
Autor(a): Silvio Dutra

Porque Precisamos Ser Ricos em Graça


Por
Silvio Dutra
Jul/2019
2
A474
Alves, Silvio Dutra
Porque precisamos ser ricos em graça
Silvio Dutra Alves – Rio de Janeiro, 2019.
49p.; 14,8 x21cm
1. Teologia. 2. Vida Cristã. 3. Graça 4. Fé.
I. Título.
CDD 252
3
São várias as razões pelas quais devemos ser ricos em graça, conforme somos informados na Palavra de Deus. Não seria possível esgotar o assunto em uma breve exposição, mas nos esforçaremos para apresentar pelo menos as razões principais que têm a ver com o nosso destino eterno.
Antes de tudo, cabe fazer uma rápida descrição dos vários significados que são atribuídos à palavra graça no texto bíblico.
- Como o ato judicial perfeito de Deus para a eleição, expiação, redenção e justificação dos crentes.
- Como o poder operante e transformador de Deus para a salvação dos crentes, na sua regeneração, santificação e glorificação.
- Como agente educador do crente na santidade, justiça e piedade. “11 Porquanto a graça de Deus se manifestou salvadora a todos os homens, 12 educando-nos para que, renegadas a impiedade e as paixões mundanas, vivamos, no presente século, sensata, justa e piedosamente,
4
13 aguardando a bendita esperança e a manifestação da glória do nosso grande Deus e Salvador Cristo Jesus, 14 o qual a si mesmo se deu por nós, a fim de remir-nos de toda iniquidade e purificar, para si mesmo, um povo exclusivamente seu, zeloso de boas obras.” (Tito 2.11-14)
- Como as virtudes de Cristo implantadas em nossa natureza.
- Como expressão da nossa gratidão a Deus pelos seus muitos benefícios.
- Como demonstração do favor divino em nos conceder coisas boas e necessárias para a nossa subsistência e salvação.
Estes vários significados serão melhor observados no desenvolvimento do nosso assunto, e apesar de poderem ser encontrados atuando simultaneamente, concentrar-nos-emos, principalmente, no relativo à salvação e crescimento espiritual do crente.
Mostraremos:
- Que sem a graça não é possível ser espiritual, conforme é o desígnio de Deus para todos os seus filhos.
5
- Que o homem natural ou carnal, que não tem o Espírito Santo, nada pode discernir das coisas que são espirituais, celestiais e divinas, senão somente o mundo natural, pelo uso das faculdades da alma.
- Que a condição de todo homem natural, sem Cristo, é a de morto espiritual, condição esta que se estende à sua alma, que deixa de receber as influências de um espírito vivo conforme estas são dadas aos crentes.
A alma humana é o meio de ligação entre o corpo, o espírito e o mundo que nos cerca. E o meio de ligação do homem com Deus é através do espírito vivificado. O homem natural não pode estar ligado a Deus, porque Deus é espírito.
Quando o homem morre, as faculdades da alma que residem no cérebro, são extintas, e assim, todo o somatório de emoções, sentimentos, conhecimentos naturais etc, também são perdidos para sempre, pois não trazem a marca da eternidade, que existe somente nas faculdades do espírito.
Se o espírito é vivificado por Cristo, então a alma, e especialmente a mente são habilitadas a receber e responder à verdade, conforme
6
revelada pelo Espírito Santo, e é esta condição que se chama de alma santificada.
Mas, se o espírito está morto, a alma nada pode receber ou responder quanto ao que é espiritual, celestial e divino.
O espírito do crente, no dizer de nosso Senhor, está pronto, ou seja, ele pode responder aos desígnios de Deus, pois a nova natureza que foi implantada nele na conversão, e que o vivificou, é perfeitamente santa. Mas, a carne, o velho homem, que remanesce mesmo nos crentes, é fraca, e não pode responder aos propósitos celestiais e santos de Deus. De modo que o crente é chamado a exercer domínio sobre o seu corpo e alma, pelo Espírito, de modo a sujeitá-los ao espírito. Isto deve ser feito em exercícios continuados de submissão à vontade e Palavra de Deus.
Somente o que é de procedência divina poderá adentrar a eternidade, como por exemplo, o amor, a bondade, a longanimidade, a santidade, a fidelidade, e tudo o mais que é fruto do Espírito Santo, porque estes se ligam à natureza divina que é implantada no crente a partir da sua conversão, e ali permanecem para sempre.
7
Mas, tal não é o caso da meras faculdades da alma (emoções, sentimentos, impressões de prazer, alegria etc) porque estas são adventícias, ou seja, elas vêm e vão, e não podem ser experimentada continuamente. As alegrias terrenas são temporárias, e devem ser repetidas, para se manifestarem, mas isto, se possível.
A graça divina carrega com ela, portanto, esta característica de indissolubilidade, de permanência eterna, de edificação de todas as coisas para que elas sejam implantadas em nós, para durarem toda a eternidade.
Não é sem motivo que Jesus nos concita a trabalharmos pelo alimento que permanece para a vida eterna, o qual é espiritual e produzido pela graça.
“O espírito é o que vivifica; a carne para nada aproveita; as palavras que eu vos tenho dito são espírito e são vida.” (João 6.68) “5 Respondeu Jesus: Em verdade, em verdade te digo: quem não nascer da água e do Espírito não pode entrar no reino de Deus. 6 O que é nascido da carne é carne; e o que é nascido do Espírito é espírito. (Tudo o que é
8
gerado pela carne é carne, e nada tem a ver com o que é espiritual e divino. Como há um sentença de morte sobre tudo o que é natural e carnal, por causa do pecado original, então, nem mesmo as boas obras do homem natural podem nos justificar diante de Deus, ou permanecerem em Sua memória para o nosso crédito – a nota é nossa). 7 Não te admires de eu te dizer: importa-vos nascer de novo.” (João 3.5-7) “12 Mas, a todos quantos o receberam, deu-lhes o poder de serem feitos filhos de Deus, a saber, aos que creem no seu nome; 13 os quais não nasceram do sangue, nem da vontade da carne, nem da vontade do homem, mas de Deus.” (João 1.12,13) Não padece qualquer dúvida porque a salvação é de fato somente e exclusivamente por graça e mediante a fé e não por obras, ou por qualquer outro meio. “1 Justificados, pois, mediante a fé, temos paz com Deus por meio de nosso Senhor Jesus Cristo;
9
2 por intermédio de quem obtivemos igualmente acesso, pela fé, a esta graça na qual estamos firmes; e gloriamo-nos na esperança da glória de Deus.” (Romanos 5.1,2) “8 Porque pela graça sois salvos, mediante a fé; e isto não vem de vós; é dom de Deus; 9 não de obras, para que ninguém se glorie.” (Efésios 2.8,9). Ora, se todas as operações e atos da salvação são o fruto da graça de Deus, quem poderia por sua própria capacidade e mérito, operar a sua eleição, justificação, regeneração, santificação e glorificação? Um poder espiritual e sobrenatural, não desta criação, é necessário para tal, e somente temos isto em Jesus Cristo. Se é por graça, deve ser por fé, e não por obras, pois consiste em recebermos tudo aquilo que é necessário para a nossa salvação e que já foi provido por Deus Pai em Jesus Cristo. Agora, quanto maior a graça, maior a confirmação na fé e na verdade. Maior firmeza em seguir a Cristo sob quaisquer circunstâncias. Com isto, Deus recebe maior glória.
10
Esta é a razão de os crentes serem convocados a crescerem na graça e no conhecimento de nosso Senhor Jesus Cristo (II Pedro 3.18). Para sermos enriquecidos pela graça é necessário que sejamos esvaziados do ego, porque ele sempre se opõe à vontade de Deus, e a graça depende em grande parte, da nossa recepção da vontade Deus, para ser feita em vez da nossa. Este é o motivo de Deus ter que humilhar-nos antes que possamos ser enriquecidos por Ele com a Sua graça. “2 Conheço um homem em Cristo que, há catorze anos, foi arrebatado até ao terceiro céu (se no corpo ou fora do corpo, não sei, Deus o sabe) 3 e sei que o tal homem (se no corpo ou fora do corpo, não sei, Deus o sabe) 4 foi arrebatado ao paraíso e ouviu palavras inefáveis, as quais não é lícito ao homem referir. 5 De tal coisa me gloriarei; não, porém, de mim mesmo, salvo nas minhas fraquezas. 6 Pois, se eu vier a gloriar-me, não serei néscio, porque direi a verdade; mas abstenho-me para
11
que ninguém se preocupe comigo mais do que em mim vê ou de mim ouve. 7 E, para que não me ensoberbecesse com a grandeza das revelações, foi-me posto um espinho na carne, mensageiro de Satanás, para me esbofetear, a fim de que não me exalte. 8 Por causa disto, três vezes pedi ao Senhor que o afastasse de mim. 9 Então, ele me disse: A minha graça te basta, porque o poder se aperfeiçoa na fraqueza. De boa vontade, pois, mais me gloriarei nas fraquezas, para que sobre mim repouse o poder de Cristo. 10 Pelo que sinto prazer nas fraquezas, nas injúrias, nas necessidades, nas perseguições, nas angústias, por amor de Cristo. Porque, quando sou fraco, então, é que sou forte.” (II Coríntios 12.2-10). Jesus teve que enfraquecer Paulo no tocante à carne, para que pudesse fortalecê-lo no Espírito. E isto foi feito por meio da humilhação do apóstolo. Quando aprendemos a renunciar à nossa própria vontade para fazermos a de Deus, então
12
o Senhor nos fortalece com a concessão de medidas maiores da Sua graça. “6 Antes, ele dá maior graça; pelo que diz: Deus resiste aos soberbos, mas dá graça aos humildes. 7 Sujeitai-vos, portanto, a Deus; mas resisti ao diabo, e ele fugirá de vós. 8 Chegai-vos a Deus, e ele se chegará a vós outros. Purificai as mãos, pecadores; e vós que sois de ânimo dobre, limpai o coração. 9 Afligi-vos, lamentai e chorai. Converta-se o vosso riso em pranto, e a vossa alegria, em tristeza. 10 Humilhai-vos na presença do Senhor, e ele vos exaltará.” (Tiago 4.6-10) “5 Rogo igualmente aos jovens: sede submissos aos que são mais velhos; outrossim, no trato de uns com os outros, cingi-vos todos de humildade, porque Deus resiste aos soberbos, contudo, aos humildes concede a sua graça.
13
6 Humilhai-vos, portanto, sob a poderosa mão de Deus, para que ele, em tempo oportuno, vos exalte,” (I Pedro 5.5,6) “3 Bem-aventurados os humildes de espírito, porque deles é o reino dos céus. 4 Bem-aventurados os que choram, porque serão consolados. 5 Bem-aventurados os mansos, porque herdarão a terra.” (Mateus 5.3-5) O próprio Senhor Jesus estava cheio de graça e verdade porque havia se humilhado ao máximo. Ele nos deixou o exemplo para seguirmos as suas pegadas, de maneira que possamos também ser enriquecidos pela graça por meio da humildade e da mansidão. Quando tentamos fazer prevalecer a nossa vontade em todas as circunstâncias, estaremos caminhando bem longe do propósito divino, de que aprendamos a nos esvaziar, e como o apóstolo Paulo, ter o mesmo sentimento que estava em Jesus.
14
“2 completai a minha alegria, de modo que penseis a mesma coisa, tenhais o mesmo amor, sejais unidos de alma, tendo o mesmo sentimento. 3 Nada façais por partidarismo ou vanglória, mas por humildade, considerando cada um os outros superiores a si mesmo. 4 Não tenha cada um em vista o que é propriamente seu, senão também cada qual o que é dos outros. 5 Tende em vós o mesmo sentimento que houve também em Cristo Jesus, 6 pois ele, subsistindo em forma de Deus, não julgou como usurpação o ser igual a Deus; 7 antes, a si mesmo se esvaziou, assumindo a forma de servo, tornando-se em semelhança de homens; e, reconhecido em figura humana, 8 a si mesmo se humilhou, tornando-se obediente até à morte e morte de cruz.” (Filipenses 2.2-8) “Pelo que sinto prazer nas fraquezas, nas injúrias, nas necessidades, nas perseguições,
15
nas angústias, por amor de Cristo. Porque, quando sou fraco, então, é que sou forte.” (II Coríntios 12.10). “29 Tomai sobre vós o meu jugo e aprendei de mim, porque sou manso e humilde de coração; e achareis descanso para a vossa alma. 30 Porque o meu jugo é suave, e o meu fardo é leve.” (Mateus 11.29,30). “18 Servos, sede submissos, com todo o temor ao vosso Senhor, não somente se for bom e cordato, mas também ao perverso; 19 porque isto é grato, que alguém suporte tristezas, sofrendo injustamente, por motivo de sua consciência para com Deus. 20 Pois que glória há, se, pecando e sendo esbofeteados por isso, o suportais com paciência? Se, entretanto, quando praticais o bem, sois igualmente afligidos e o suportais com paciência, isto é grato a Deus. 21 Porquanto para isto mesmo fostes chamados, pois que também Cristo sofreu em vosso lugar, deixando-vos exemplo para seguirdes os seus passos,
16
22 o qual não cometeu pecado, nem dolo algum se achou em sua boca; 23 pois ele, quando ultrajado, não revidava com ultraje; quando maltratado, não fazia ameaças, mas entregava-se àquele que julga retamente,” (I Pedro 2.18-23) “12 Amados, não estranheis o fogo ardente que surge no meio de vós, destinado a provar-vos, como se alguma coisa extraordinária vos estivesse acontecendo; 13 pelo contrário, alegrai-vos na medida em que sois coparticipantes dos sofrimentos de Cristo, para que também, na revelação de sua glória, vos alegreis exultando. 14 Se, pelo nome de Cristo, sois injuriados, bem-aventurados sois, porque sobre vós repousa o Espírito da glória e de Deus. 15 Não sofra, porém, nenhum de vós como assassino, ou ladrão, ou malfeitor, ou como quem se intromete em negócios de outrem; 16 mas, se sofrer como cristão, não se envergonhe disso; antes, glorifique a Deus com esse nome.” (I Pedro 4.12-16)
17
Por isso, o sofrimento do crente por causa de Cristo é chamado de graça, pois, Deus nos concedeu a graça de recebermos o poder de sermos pacientes sob estes sofrimentos. “Porque vos foi concedida a graça de padecerdes por Cristo e não somente de crerdes nele,” (Filipenses 1.29). Somente em Jesus há graça em plenitude para ser comunicada a todos os crentes, a qual pode ser multiplicada em medida sacudida e recalcada para nós, sem que haja qualquer falta nEle. Quanto mais se tira, mais se tem, como a água que flui de uma fonte. Por isso a graça é comparada a rios de água viva. “37 No último dia, o grande dia da festa, levantou-se Jesus e exclamou: Se alguém tem sede, venha a mim e beba. 38 Quem crer em mim, como diz a Escritura, do seu interior fluirão rios de água viva. 39 Isto ele disse com respeito ao Espírito que haviam de receber os que nele cressem; pois o Espírito até aquele momento não fora dado, porque Jesus não havia sido ainda glorificado.” (João 7.37-39).
18
Tão essencial e vital é a graça na vida do crente, e que esta graça deve ser aumentada e aperfeiçoada por ele, que era o costume dos apóstolos sempre usarem na saudação inicial de suas epístolas a impetração da graça, da paz e da misericórdia. A graça, como o poder transformador operante do aumento em graus da santificação deles. A paz como o resultado deste viver em justiça operado pela graça. A misericórdia, como o favor de Deus demonstrado a eles em Jesus, para o perdão dos seus pecados. “A todos os amados de Deus, que estais em Roma, chamados para serdes santos, graça a vós outros e paz, da parte de Deus, nosso Pai, e do Senhor Jesus Cristo.” (Romanos 1.7). “Graça a vós outros e paz, da parte de Deus, nosso Pai, e do Senhor Jesus Cristo.” (I Coríntios 1.3; II Coríntios 1.2; Gálatas 1.3; Efésios 1.2; Filipenses 1.2; Colossenses 1.2; I Tes 1.1; II Tes 1.2). “A Timóteo, verdadeiro filho na fé, graça, misericórdia e paz, da parte de Deus Pai e de Cristo Jesus, nosso Senhor.” (I Timóteo 1.2, II Timóteo 1.2)
19
“A Tito, verdadeiro filho, segundo a fé comum, graça e paz, da parte de Deus Pai e de Cristo Jesus, nosso Salvador.” (Tito 1.4) “Graça e paz a vós outros, da parte de Deus, nosso Pai, e do Senhor Jesus Cristo.” (Filemom 1.3) “Eleitos, segundo a presciência de Deus Pai, em santificação do Espírito, para a obediência e a aspersão do sangue de Jesus Cristo, graça e paz vos sejam multiplicadas.” (I Pedro 1.2) “Graça e paz vos sejam multiplicadas, no pleno conhecimento de Deus e de Jesus, nosso Senhor.” (II Pedro 1.2) “A graça, a misericórdia e a paz, da parte de Deus Pai e de Jesus Cristo, o Filho do Pai, serão conosco em verdade e amor.” (II João 1.3) “A misericórdia, a paz e o amor vos sejam multiplicados.” (Judas 1.2) “João, às sete igrejas que se encontram na Ásia, graça e paz a vós outros, da parte daquele que é, que era e que há de vir, da parte dos sete Espíritos que se acham diante do seu trono.” (Apocalipse 1.4).
20
A Bíblia é fechada com a impetração da graça de Jesus: “A graça do Senhor Jesus seja com todos.” (Apocalipse 22.21) A bênção apostólica consta do encerramento da segunda epístola de Paulo aos Coríntios, e esta é introduzida pela graça de Jesus: “A graça do Senhor Jesus Cristo, e o amor de Deus, e a comunhão do Espírito Santo sejam com todos vós.” (II Coríntios 13.13) O dom da vida eterna só pode ser recebido pelo poder operante da graça de Jesus. Nós podemos ver isto claramente no texto de Romanos 8.6-14: “6 Porque o pendor da carne dá para a morte, mas o do Espírito, para a vida e paz. 7 Por isso, o pendor da carne é inimizade contra Deus, pois não está sujeito à lei de Deus, nem mesmo pode estar. 8 Portanto, os que estão na carne não podem agradar a Deus. 9 Vós, porém, não estais na carne, mas no Espírito, se, de fato, o Espírito de Deus habita em
21
vós. E, se alguém não tem o Espírito de Cristo, esse tal não é dele. 10 Se, porém, Cristo está em vós, o corpo, na verdade, está morto por causa do pecado, mas o espírito é vida, por causa da justiça. 11 Se habita em vós o Espírito daquele que ressuscitou a Jesus dentre os mortos, esse mesmo que ressuscitou a Cristo Jesus dentre os mortos vivificará também o vosso corpo mortal, por meio do seu Espírito, que em vós habita. 12 Assim, pois, irmãos, somos devedores, não à carne como se constrangidos a viver segundo a carne. 13 Porque, se viverdes segundo a carne, caminhais para a morte; mas, se, pelo Espírito, mortificardes os feitos do corpo, certamente, vivereis. 14 Pois todos os que são guiados pelo Espírito de Deus são filhos de Deus.” Veja que o apóstolo se refere a um pendor que é para a vida e outro que é para a morte, a saber, o do Espírito Santo, e o do pecado, respectivamente. O pendor do Espírito é operado por graça e mediante a fé e
22
arrependimento, e o do pecado, pela velha natureza decaída, ou velho homem, ou carne. A graça, no crente, já o limpou pela aplicação da Palavra à sua vida, de modo que não se encontra, aos olhos de Deus, como simples homem natural carnal, mas como uma nova criatura, nascido de novo do Espírito Santo, e por isso há nele o pendor espiritual que o inclina para as coisas que são de Cristo. Para confirmar os crentes coríntios na verdade, o apóstolo Paulo se esforçou para mostrar a eles que a sabedoria natural na qual eles tanto se gloriavam como gregos que eram, nada tinha a ver com a sabedoria espiritual, celestial e divina, que nos é trazida na revelação de Jesus Cristo, e manifestação do Seu poder sobrenatural em nossas vidas. Muitos dos argumentos que apresentamos em favor da graça, no início de nossa exposição, podem ser encontrados nestes primeiros três capítulos da primeira epístola de Paulo aos Coríntios: 1 Cor – 1 1 Paulo, chamado pela vontade de Deus para ser apóstolo de Jesus Cristo, e o irmão Sóstenes,
23
2 à igreja de Deus que está em Corinto, aos santificados em Cristo Jesus, chamados para ser santos, com todos os que em todo lugar invocam o nome de nosso Senhor Jesus Cristo, Senhor deles e nosso: 3 graça a vós outros e paz, da parte de Deus, nosso Pai, e do Senhor Jesus Cristo. 4 Sempre dou graças a [meu] Deus a vosso respeito, a propósito da sua graça, que vos foi dada em Cristo Jesus; 5 porque, em tudo, fostes enriquecidos nele, em toda a palavra e em todo o conhecimento; 6 assim como o testemunho de Cristo tem sido confirmado em vós, 7 de maneira que não vos falte nenhum dom, aguardando vós a revelação de nosso Senhor Jesus Cristo, 8 o qual também vos confirmará até ao fim, para serdes irrepreensíveis no Dia de nosso Senhor Jesus Cristo. 9 Fiel é Deus, pelo qual fostes chamados à comunhão de seu Filho Jesus Cristo, nosso Senhor.
24
10 Rogo-vos, irmãos, pelo nome de nosso Senhor Jesus Cristo, que faleis todos a mesma coisa e que não haja entre vós divisões; antes, sejais inteiramente unidos, na mesma disposição mental e no mesmo parecer. 11 Pois a vosso respeito, meus irmãos, fui informado, pelos da casa de Cloe, de que há contendas entre vós. 12 Refiro-me ao fato de cada um de vós dizer: Eu sou de Paulo, e eu, de Apolo, e eu, de Cefas, e eu, de Cristo. 13 Acaso, Cristo está dividido? Foi Paulo crucificado em favor de vós ou fostes, porventura, batizados em nome de Paulo? 14 Dou graças [a Deus] porque a nenhum de vós batizei, exceto Crispo e Gaio; 15 para que ninguém diga que fostes batizados em meu nome. 16 Batizei também a casa de Estéfanas; além destes, não me lembro se batizei algum outro. 17 Porque não me enviou Cristo para batizar, mas para pregar o evangelho; não com sabedoria de palavra, para que se não anule a cruz de Cristo.
25
18 Certamente, a palavra da cruz é loucura para os que se perdem, mas para nós, que somos salvos, poder de Deus. 19 Pois está escrito: Destruirei a sabedoria dos sábios e aniquilarei a inteligência dos instruídos. 20 Onde está o sábio? Onde, o escriba? Onde, o inquiridor deste século? Porventura, não tornou Deus louca a sabedoria do mundo? 21 Visto como, na sabedoria de Deus, o mundo não o conheceu por sua própria sabedoria, aprouve a Deus salvar os que creem pela loucura da pregação. 22 Porque tanto os judeus pedem sinais, como os gregos buscam sabedoria; 23 mas nós pregamos a Cristo crucificado, escândalo para os judeus, loucura para os gentios; 24 mas para os que foram chamados, tanto judeus como gregos, pregamos a Cristo, poder de Deus e sabedoria de Deus. 25 Porque a loucura de Deus é mais sábia do que os homens; e a fraqueza de Deus é mais forte do que os homens.
26
26 Irmãos, reparai, pois, na vossa vocação; visto que não foram chamados muitos sábios segundo a carne, nem muitos poderosos, nem muitos de nobre nascimento; 27 pelo contrário, Deus escolheu as coisas loucas do mundo para envergonhar os sábios e escolheu as coisas fracas do mundo para envergonhar as fortes; 28 e Deus escolheu as coisas humildes do mundo, e as desprezadas, e aquelas que não são, para reduzir a nada as que são; 29 a fim de que ninguém se vanglorie na presença de Deus. 30 Mas vós sois dele, em Cristo Jesus, o qual se nos tornou, da parte de Deus, sabedoria, e justiça, e santificação, e redenção, 31 para que, como está escrito: Aquele que se gloria, glorie-se no Senhor. (Observe que o apóstolo atribui todo o trabalho da graça à própria pessoa de Jesus Cristo, de modo que recebemos tanto maior graça quanto maior é a nossa comunhão com Ele, pois é nele que temos recebido sabedoria, justiça, santificação e redenção.)
27
1 Cor – 2 1 Eu, irmãos, quando fui ter convosco, anunciando-vos o testemunho de Deus, não o fiz com ostentação de linguagem ou de sabedoria. 2 Porque decidi nada saber entre vós, senão a Jesus Cristo e este crucificado. 3 E foi em fraqueza, temor e grande tremor que eu estive entre vós. 4 A minha palavra e a minha pregação não consistiram em linguagem persuasiva de sabedoria, mas em demonstração do Espírito e de poder, 5 para que a vossa fé não se apoiasse em sabedoria humana, e sim no poder de Deus. 6 Entretanto, expomos sabedoria entre os experimentados; não, porém, a sabedoria deste século, nem a dos poderosos desta época, que se reduzem a nada; 7 mas falamos a sabedoria de Deus em mistério, outrora oculta, a qual Deus preordenou desde a eternidade para a nossa glória; 8 sabedoria essa que nenhum dos poderosos deste século conheceu; porque, se a tivessem
28
conhecido, jamais teriam crucificado o Senhor da glória; 9 mas, como está escrito: Nem olhos viram, nem ouvidos ouviram, nem jamais penetrou em coração humano o que Deus tem preparado para aqueles que o amam. 10 Mas Deus no-lo revelou pelo Espírito; porque o Espírito a todas as coisas perscruta, até mesmo as profundezas de Deus. 11 Porque qual dos homens sabe as coisas do homem, senão o seu próprio espírito, que nele está? Assim, também as coisas de Deus, ninguém as conhece, senão o Espírito de Deus. 12 Ora, nós não temos recebido o espírito do mundo, e sim o Espírito que vem de Deus, para que conheçamos o que por Deus nos foi dado gratuitamente. 13 Disto também falamos, não em palavras ensinadas pela sabedoria humana, mas ensinadas pelo Espírito, conferindo coisas espirituais com espirituais. 14 Ora, o homem natural não aceita as coisas do Espírito de Deus, porque lhe são loucura; e não pode entendê-las, porque elas se discernem espiritualmente.
29
15 Porém o homem espiritual julga todas as coisas, mas ele mesmo não é julgado por ninguém. 16 Pois quem conheceu a mente do Senhor, que o possa instruir? Nós, porém, temos a mente de Cristo. 1 Cor – 3 1 Eu, porém, irmãos, não vos pude falar como a espirituais, e sim como a carnais, como a crianças em Cristo. 2 Leite vos dei a beber, não vos dei alimento sólido; porque ainda não podíeis suportá-lo. Nem ainda agora podeis, porque ainda sois carnais. 3 Porquanto, havendo entre vós ciúmes e contendas, não é assim que sois carnais e andais segundo o homem? 4 Quando, pois, alguém diz: Eu sou de Paulo, e outro: Eu, de Apolo, não é evidente que andais segundo os homens? 5 Quem é Apolo? E quem é Paulo? Servos por meio de quem crestes, e isto conforme o Senhor concedeu a cada um.
30
6 Eu plantei, Apolo regou; mas o crescimento veio de Deus. 7 De modo que nem o que planta é alguma coisa, nem o que rega, mas Deus, que dá o crescimento. 8 Ora, o que planta e o que rega são um; e cada um receberá o seu galardão, segundo o seu próprio trabalho. 9 Porque de Deus somos cooperadores; lavoura de Deus, edifício de Deus sois vós. 10 Segundo a graça de Deus que me foi dada, lancei o fundamento como prudente construtor; e outro edifica sobre ele. Porém cada um veja como edifica. 11 Porque ninguém pode lançar outro fundamento, além do que foi posto, o qual é Jesus Cristo. 12 Contudo, se o que alguém edifica sobre o fundamento é ouro, prata, pedras preciosas, madeira, feno, palha, 13 manifesta se tornará a obra de cada um; pois o Dia a demonstrará, porque está sendo revelada pelo fogo; e qual seja a obra de cada um o próprio fogo o provará.
31
14 Se permanecer a obra de alguém que sobre o fundamento edificou, esse receberá galardão; 15 se a obra de alguém se queimar, sofrerá ele dano; mas esse mesmo será salvo, todavia, como que através do fogo. 16 Não sabeis que sois santuário de Deus e que o Espírito de Deus habita em vós? 17 Se alguém destruir o santuário de Deus, Deus o destruirá; porque o santuário de Deus, que sois vós, é sagrado. 18 Ninguém se engane a si mesmo: se alguém dentre vós se tem por sábio neste século, faça-se estulto para se tornar sábio. 19 Porque a sabedoria deste mundo é loucura diante de Deus; porquanto está escrito: Ele apanha os sábios na própria astúcia deles. 20 E outra vez: O Senhor conhece os pensamentos dos sábios, que são pensamentos vãos. 21 Portanto, ninguém se glorie nos homens; porque tudo é vosso:
32
22 seja Paulo, seja Apolo, seja Cefas, seja o mundo, seja a vida, seja a morte, sejam as coisas presentes, sejam as futuras, tudo é vosso, 23 e vós, de Cristo, e Cristo, de Deus.
33
Destacamos a seguir, algumas passagens bíblicas com a palavra graça:
Charis (no original grego) – graça. Lucas 2.40 Crescia o menino e se fortalecia, enchendo-se de sabedoria; e a graça (Charis) de Deus estava sobre ele.
João 1.14 E o Verbo se fez carne e habitou entre nós, cheio de graça (Charis) e de verdade, e vimos a sua glória, glória como do unigênito do Pai.
João 1.16 Porque todos nós temos recebido da sua plenitude e graça (Charis) sobre graça (Charis).
João 1.17 Porque a lei foi dada por intermédio de Moisés; a graça (Charis) e a verdade vieram por meio de Jesus Cristo. Atos 4.33 Com grande poder, os apóstolos davam testemunho da ressurreição do Senhor
34
Jesus, e em todos eles havia abundante graça (Charis).
Atos 11.23 Tendo ele chegado e, vendo a graça (Charis) de Deus, alegrou-se e exortava a todos a que, com firmeza de coração, permanecessem no Senhor.
Atos 13.43 Despedida a sinagoga, muitos dos judeus e dos prosélitos piedosos seguiram Paulo e Barnabé, e estes, falando-lhes, os persuadiam a perseverar na graça (Charis) de Deus.
Atos 14.3 Entretanto, demoraram-se ali muito tempo, falando ousadamente no Senhor, o qual confirmava a palavra da sua graça (Charis), concedendo que, por mão deles, se fizessem sinais e prodígios.
Atos 14.26 e dali navegaram para Antioquia, onde tinham sido recomendados à graça (Charis) de Deus para a obra que haviam já cumprido.
35
Atos 15.11 Mas cremos que fomos salvos pela graça (Charis) do Senhor Jesus, como também aqueles o foram.
Atos 20.24 Porém em nada considero a vida preciosa para mim mesmo, contanto que complete a minha carreira e o ministério que recebi do Senhor Jesus para testemunhar o evangelho da graça (Charis) de Deus.
Romanos 1.5 por intermédio de quem viemos a receber graça (Charis) e apostolado por amor do seu nome, para a obediência por fé, entre todos os gentios,
Romanos 1.7 A todos os amados de Deus, que estais em Roma, chamados para serdes santos, graça (Charis) a vós outros e paz, da parte de Deus, nosso Pai, e do Senhor Jesus Cristo.
Romanos 3.24 sendo justificados gratuitamente, por sua graça (Charis), mediante a redenção que há em Cristo Jesus,
36
Romanos 4.16 Essa é a razão por que provém da fé, para que seja segundo a graça (Charis), a fim de que seja firme a promessa para toda a descendência, não somente ao que está no regime da lei, mas também ao que é da fé que teve Abraão (porque Abraão é pai de todos nós,
Romanos 5.2 por intermédio de quem obtivemos igualmente acesso, pela fé, a esta graça (Charis) na qual estamos firmes; e gloriamo-nos na esperança da glória de Deus.
Romanos 5.15 Todavia, não é assim o dom gratuito como a ofensa; porque, se, pela ofensa de um só, morreram muitos, muito mais a graça (Charis) de Deus e o dom pela graça (Charis) de um só homem, Jesus Cristo, foram abundantes sobre muitos.
Romanos 5.17 Se, pela ofensa de um e por meio de um só, reinou a morte, muito mais os que recebem a abundância da graça (Charis) e o dom da justiça reinarão em vida por meio de um só, a saber, Jesus Cristo.
37
Romanos 5.20 Sobreveio a lei para que avultasse a ofensa; mas onde abundou o pecado, superabundou a graça (Charis),
(Veja que o poder do pecado é vencido no crente pelo poder muito maior da graça. Além disso, deve ser considerado que as consequências do pecado são muitas, mas podem ser cobertas pelos resultados mais abundantes da graça, e dentre estas consequências, temos a da morte que é superada pela vida da graça de Jesus.) Romanos 5.21 a fim de que, como o pecado reinou pela morte, assim também reinasse a graça (Charis) pela justiça para a vida eterna, mediante Jesus Cristo, nosso Senhor.
Romanos 6.1 Que diremos, pois? Permaneceremos no pecado, para que seja a graça (Charis) mais abundante?
Romanos 6.14 Porque o pecado não terá domínio sobre vós; pois não estais debaixo da lei, e sim da graça (Charis).
38
Romanos 6.15 E daí? Havemos de pecar porque não estamos debaixo da lei, e sim da graça (Charis)? De modo nenhum!
Romanos 11.5 Assim, pois, também agora, no tempo de hoje, sobrevive um remanescente segundo a eleição da graça (Charis).
Romanos 11.6 E, se é pela graça (Charis), já não é pelas obras; do contrário, a graça (Charis) já não é graça (Charis).
Romanos 12.6 tendo, porém, diferentes dons segundo a graça (Charis) que nos foi dada: se profecia, seja segundo a proporção da fé;
I Coríntios 1.4 Sempre dou graças a [meu] Deus a vosso respeito, a propósito da sua graça (Charis), que vos foi dada em Cristo Jesus;
39
I Coríntios 3.10 Segundo a graça (Charis) de Deus que me foi dada, lancei o fundamento como prudente construtor; e outro edifica sobre ele. Porém cada um veja como edifica.
I Coríntios 15.10 Mas, pela graça (Charis) de Deus, sou o que sou; e a sua graça (Charis), que me foi concedida, não se tornou vã; antes, trabalhei muito mais do que todos eles; todavia, não eu, mas a graça (Charis) de Deus comigo.
II Coríntios 1.12 Porque a nossa glória é esta: o testemunho da nossa consciência, de que, com santidade e sinceridade de Deus, não com sabedoria humana, mas, na graça (Charis) divina, temos vivido no mundo e mais especialmente para convosco.
II Coríntios 4.15 Porque todas as coisas existem por amor de vós, para que a graça (Charis), multiplicando-se, torne abundantes as ações de graças por meio de muitos, para glória de Deus.
40
II Coríntios 6.1 E nós, na qualidade de cooperadores com ele, também vos exortamos a que não recebais em vão a graça (Charis) de Deus
II Coríntios 8.1 Também, irmãos, vos fazemos conhecer a graça (Charis) de Deus concedida às igrejas da Macedônia;
II Coríntios 8.9 pois conheceis a graça (Charis) de nosso Senhor Jesus Cristo, que, sendo rico, se fez pobre por amor de vós, para que, pela sua pobreza, vos tornásseis ricos.
II Coríntios 12.9 Então, ele me disse: A minha graça (Charis) te basta, porque o poder se aperfeiçoa na fraqueza. De boa vontade, pois, mais me gloriarei nas fraquezas, para que sobre mim repouse o poder de Cristo.
Gálatas 1.6 Admira-me que estejais passando tão depressa daquele que vos chamou na graça (Charis) de Cristo para outro evangelho,
41
Gálatas 1.15 Quando, porém, ao que me separou antes de eu nascer e me chamou pela sua graça (Charis), aprouve
Gálatas 2.21 Não anulo a graça (Charis) de Deus; pois, se a justiça é mediante a lei, segue-se que morreu Cristo em vão.
Gálatas 5.4 De Cristo vos desligastes, vós que procurais justificar-vos na lei; da graça (Charis) decaístes.
Efésios 1.6 para louvor da glória de sua graça (Charis), que ele nos concedeu gratuitamente no Amado,
Efésios 1.7 no qual temos a redenção, pelo seu sangue, a remissão dos pecados, segundo a riqueza da sua graça (Charis),
42
Efésios 2.5 e estando nós mortos em nossos delitos, nos deu vida juntamente com Cristo, – pela graça (Charis) sois salvos,
Efésios 2.7 para mostrar, nos séculos vindouros, a suprema riqueza da sua graça (Charis), em bondade para conosco, em Cristo Jesus.
Efésios 2.8 Porque pela graça (Charis) sois salvos, mediante a fé; e isto não vem de vós; é dom de Deus;
Efésios 3.2 se é que tendes ouvido a respeito da dispensação da graça (Charis) de Deus a mim confiada para vós outros;
Efésios 3.7 do qual fui constituído ministro conforme o dom da graça (Charis) de Deus a mim concedida segundo a força operante do seu poder.
43
Efésios 3.8 A mim, o menor de todos os santos, me foi dada esta graça (Charis) de pregar aos gentios o evangelho das insondáveis riquezas de Cristo
Efésios 4.7 E a graça (Charis) foi concedida a cada um de nós segundo a proporção do dom de Cristo.
Efésios 4.29 Não saia da vossa boca nenhuma palavra torpe, e sim unicamente a que for boa para edificação, conforme a necessidade, e, assim, transmita graça (Charis) aos que ouvem.
Colossenses 1.6 que chegou até vós; como também, em todo o mundo, está produzindo fruto e crescendo, tal acontece entre vós, desde o dia em que ouvistes e entendestes a graça (Charis) de Deus na verdade;
2 Tessalonicenses 2.16 Ora, nosso Senhor Jesus Cristo mesmo e Deus, o nosso Pai, que nos amou
44
e nos deu eterna consolação e boa esperança, pela graça (Charis),
I Timóteo 1.14 Transbordou, porém, a graça (Charis) de nosso Senhor com a fé e o amor que há em Cristo Jesus.
2 Timóteo 1.9 que nos salvou e nos chamou com santa vocação; não segundo as nossas obras, mas conforme a sua própria determinação e graça (Charis) que nos foi dada em Cristo Jesus, antes dos tempos eternos,
2 Timóteo 2.1 Tu, pois, filho meu, fortifica-te na graça (Charis) que está em Cristo Jesus. Tito 2.11,12 Porquanto a graça (Charis) de Deus se manifestou salvadora a todos os homens, educando-nos para que, renegadas a impiedade e as paixões mundanas, vivamos, no presente século, sensata, justa e piedosamente,
45
Tito 3.7 a fim de que, justificados por graça (Charis), nos tornemos seus herdeiros, segundo a esperança da vida eterna.
Hebreus 2.9 vemos, todavia, aquele que, por um pouco, tendo sido feito menor que os anjos, Jesus, por causa do sofrimento da morte, foi coroado de glória e de honra, para que, pela graça (Charis) de Deus, provasse a morte por todo homem.
Hebreus 4.16 Acheguemo-nos, portanto, confiadamente, junto ao trono da graça (Charis), a fim de recebermos misericórdia e acharmos graça (Charis) para socorro em ocasião oportuna.
Hebreus 12.15 atentando, diligentemente, por que ninguém seja faltoso, separando-se da graça (Charis) de Deus; nem haja alguma raiz de amargura que, brotando, vos perturbe, e, por meio dela, muitos sejam contaminados;
46
Hebreus 12.28 Por isso, recebendo nós um reino inabalável, retenhamos a graça (Charis), pela qual sirvamos a Deus de modo agradável, com reverência e santo temor;
Hebreus 13.9 Não vos deixeis envolver por doutrinas várias e estranhas, porquanto o que vale é estar o coração confirmado com graça (Charis) e não com alimentos, pois nunca tiveram proveito os que com isto se preocuparam.
Tiago 4.6 Antes, ele dá maior graça; pelo que diz: Deus resiste aos soberbos, mas dá graça (Charis) aos humildes.
I Pedro 1.10 Foi a respeito desta salvação que os profetas indagaram e inquiriram, os quais profetizaram acerca da graça (Charis) a vós outros destinada,
I Pedro 1.13 Por isso, cingindo o vosso entendimento, sede sóbrios e esperai
47
inteiramente na graça (Charis) que vos está sendo trazida na revelação de Jesus Cristo.
I Pedro 4.10 Servi uns aos outros, cada um conforme o dom que recebeu, como bons despenseiros da multiforme graça (Charis) de Deus.
I Pedro 5.5 Rogo igualmente aos jovens: sede submissos aos que são mais velhos; outrossim, no trato de uns com os outros, cingi-vos todos de humildade, porque Deus resiste aos soberbos, contudo, aos humildes concede a sua graça (Charis).
I Pedro 5.10 Ora, o Deus de toda a graça (Charis), que em Cristo vos chamou à sua eterna glória, depois de terdes sofrido por um pouco, ele mesmo vos há de aperfeiçoar, firmar, fortificar e fundamentar.
I Pedro 5.12 Por meio de Silvano, que para vós outros é fiel irmão, como também o considero,
48
vos escrevo resumidamente, exortando e testificando, de novo, que esta é a genuína graça (Charis) de Deus; nela estai firmes.
2 Pedro 1.2 graça (Charis) e paz vos sejam multiplicadas, no pleno conhecimento de Deus e de Jesus, nosso Senhor.
2 Pedro 3.18 antes, crescei na graça (Charis) e no conhecimento de nosso Senhor e Salvador Jesus Cristo. A ele seja a glória, tanto agora como no dia eterno. 2 João 1.3 a graça (Charis), a misericórdia e a paz, da parte de Deus Pai e de Jesus Cristo, o Filho do Pai, serão conosco em verdade e amor.
Judas 1.4 Pois certos indivíduos se introduziram com dissimulação, os quais, desde muito, foram antecipadamente pronunciados para esta condenação, homens ímpios, que transformam em libertinagem a graça (Charis) de nosso Deus e negam o nosso único Soberano e Senhor, Jesus Cristo.
49
Apocalipse 1.4 João, às sete igrejas que se encontram na Ásia, graça (Charis) e paz a vós outros, da parte daquele que é, que era e que há de vir, da parte dos sete Espíritos que se acham diante do seu trono
Apocalipse 22.21 A graça (Charis) do Senhor Jesus seja com todos.

Publicado no site: O Melhor da Web em 11/07/2019
Código do Texto: 140263

AQUI VOCÊ INTERAGE DIRETAMENTE COM O(a) AUTOR(a) DA OBRA!
DEIXE UM COMENTÁRIO REFERENTE AO TEXTO!

Comente esse Texto - Seja o primeiro a comentar!


Busca Geral:
Título
Texto Título e Texto


CLIQUE AQUI! PARA LER OS TEXTOS CADASTRADOS!
ESSE LINK VAI PARA A PÁGINA PARA EXIBIÇÃO DOS TEXTOS!

Galeria de Fãs
Sou Fã de...
 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Parceria de Sucesso entre o site Poesias www.omelhordaweb.com.br e o www.efuturo.com.br
Confira. Adicione seus textos nele. O eFUTURO já começou.

Indicamos:Efuturo.com.br - Efuturo é uma Rede Social de Conhecimento, Ensino, Aprendizado Colaborativo, Jogos Educativos e Espaço Literário.