Visitante, seja Bem-Vindo! 
Novo Cadastro
Esqueceu a Senha?

Login: 
Senha:
Silvio Dutra

Todas imagens extraídas da galeria do Google.
kuryos - Silvio Dutra
RSS - As recentes de:Silvio Dutra
&nbnsp;
 

----------------------------------------------------------------------------------------

PARTICIPE! Quero incluir Textos! É GRÁTIS, É fácil, É simples, EU POSSO!



Silvio Dutra
Aniversário: 25/11
Cadastrado desde: 29/08/2012 -

Texto mais recente: A Lei de Deus

Textos & Poesias || Evangélicas

Imprimir
As Riquezas Excedentes da Graça
09/09/2019
Autor(a): Silvio Dutra

As Riquezas Excedentes da Graça



Sermão nº 1665

Por Charles H. Spurgeon (1834-1892)

Traduzido, Adaptado e
Editado por Silvio Dutra




Jul/2019



“Para mostrar, nos séculos vindouros, a suprema riqueza da sua graça, em bondade para conosco, em Cristo Jesus.” (Efésios 2: 7)
Desse verso, fica claro que Paulo esperava plenamente que o evangelho da graça de Deus fosse pregado nas eras vindouras. Ele não tinha noção de um evangelho temporário para se desenvolver em um melhor, mas ele estava certo de que o mesmo evangelho seria pregado até o fim da dispensação. Nem só isso, pois, como eu entendo, ele olhou para a perpetuidade do evangelho, não só através dos séculos que já se passaram desde o primeiro advento de nosso bendito Senhor, mas através dos séculos depois que Ele vier uma segunda vez. A própria eternidade não melhorará o evangelho. Quando todos os santos forem reunidos, eles ainda falarão e falarão das maravilhas do amor de Jeová em Cristo Jesus. E nas ruas de ouro eles se levantarão e dirão o que o Senhor fez para eles, para ser ouvido por multidões de anjos, principados e potestades. Paulo não acreditava em apagar a luz do testemunho da graça, mas esperava que, ao longo dos tempos, ela continuasse a brilhar com o mesmo brilho. Isso eu inferi do fato de que ele considerou os Efésios crentes e a si mesmo como tendo se convertido no alvorecer do Cristianismo, de propósito, para que, mais tarde, pudessem servir como espécimes do que o evangelho pode fazer. Ele olhou para os efésios, recém-saídos da fossa da idolatria, na mesma luz em que ele se viu quando disse que o Senhor mostrara para ele toda a longanimidade, para ser um padrão para aqueles, que dali por diante deveriam crer O nome dele. Paulo e estes efésios, e todos aqueles primeiros cristãos, foram tipos para nós do que Deus pode fazer pelo evangelho e do que Ele continuará a fazer até que a presente dispensação se encerre. A partir dessa declaração, podemos nos reunir com a mais segura lógica de que o evangelho é totalmente inalterável, pois se os seus resultados, 2.000 anos atrás, serviram de provas do seu poder, então deve ser o mesmo evangelho. É claro que os convertidos do primeiro século não seriam para nós qualquer tipo de testemunho do poder do evangelho como agora existe entre nós se, entretanto, houvesse uma mudança no próprio evangelho. Na melhor das hipóteses, tais fatos só poderiam mostrar o que o antiquado evangelho fez em sua época, mas não poderíamos inferir deles o que um novo evangelho de emaranhado irá realizar agora. Paulo não registrou antecipadamente qualquer remoção dos antigos marcos. Ele sustentou que os mesmos resultados se seguiriam em todas as eras, desde a pregação do mesmo evangelho com o mesmo poder do céu, e, portanto, ele considerava os primeiros convertidos como promessas e provas para todas as gerações sucessivas do que o evangelho poderia alcançar. Guardai, irmãos meus, ao evangelho que vos foi dado, que recebemos pelo Espírito de Deus por meio do ensinamento de Cristo e de Seus apóstolos, e vereis repetido em seu meio as mesmas coisas que foram trabalhadas naqueles primeiros dias.
Aqueles que quiserem, podem beber o novo vinho da safra moderna, minha convicção é que o velho é melhor.
Aprendemos também desta linguagem de Paulo que toda era é ganhadora por aqueles que a precederam. Sorri muitas vezes neste lugar no conceito deste século XIX, que mantém sua cabeça entre as eras tão distintas quanto todas, embora, se soubesse, cantaria uma melodia mais modesta. Mas agora vou moderar meu tom e admitir que este século é superior a todas as eras anteriores - superior nesse aspecto, que recebeu, por lapso de tempo, a mais completa e repetida evidência do poder do evangelho.
Enquanto no século II os homens só podiam se referir à experiência dos santos durante cem anos, temos a essa altura a evidência acumulada de quase dezenove vezes mil anos, e tudo isso é colocado em evidência como prova do que a graça pode fazer. Enquanto no terceiro, quarto e quinto séculos os homens tinham o testemunho pessoal acumulado daqueles que até então tinham acreditado em Cristo e que haviam sido salvos desse modo, nós, a quem os confins da Terra vieram, temos agora evidências muito maiores porque o tempo nos forneceu uma nuvem maior de testemunhas. Por quase dois mil anos este evangelho foi pregado entre os homens. E todos os anos trouxe novos troféus ao seu poder, todos os dias, posso dizer, agora está produzindo evidências de seu poder divino. Nós não temos hoje, queridos amigos, que começar a testar o evangelho. O gelo está quebrado para nós, experimentos foram feitos com tanta frequência que agora entramos em outro estágio. Não é nosso dever analisar o pão, mas sim alimentar-nos dele. Não temos hoje de inquirir: “Podemos atravessar o riacho?” Estes dezenove séculos que as hostes de Deus atravessaram o dilúvio em segurança, e nós temos apenas que nos juntar a suas fileiras e seguir aonde eles lideram o caminho. Cercado por evidências que são totalmente esmagadoras, nós contemplamos o evangelho de Jesus saindo, vencendo e conquistando. Ouvimos de dez mil vezes dez mil vozes o grito: “Cristo é o poder de Deus e a sabedoria de Deus”. Não podemos deixar de proclamar a misericórdia de Deus como exposta no sacrifício expiatório de nosso Senhor Jesus, pois as garantias infalíveis fortalecem nossa confiança e inflamamos nossos corações. As multidões de convertidos no tempo passado nos deram a conhecer nestas eras que há salvação, não, mais, que esta salvação é para ser obtida, pois eles a obtiveram. Não, ainda, que é para ser tido nos termos que Deus estabeleceu de simplesmente crer em Jesus Cristo, pois eles obtiveram dessa maneira e em nenhum outro. A dúvida deveria agora estar fora de questão. Todo pecador necessitado e trêmulo deve se apressar para o refúgio fornecido por Jesus. Porque muitos foram para Ele com sucesso, porque Ele nunca rejeitou nenhum, porque Ele salvou perfeitamente todos aqueles que vieram a Ele, portanto os homens pecadores devem ansiosamente e inquestionavelmente vir imediatamente, e colocar sua confiança no Cordeiro de Deus. Então, o propósito de Deus, conforme descrito no texto, será cumprido, para que, para os séculos vindouros, todos os que provaram da Sua bondade, tenham conhecido as riquezas excedentes da Sua graça para com os homens em Cristo Jesus, o Salvador.
Esta manhã tenho um texto diante de mim que é muito cheio para mim. Eu nunca consigo extrair todos os seus suprimentos. Passei pelas paredes da cidade deste texto e contei suas torres e marquei bem seus baluartes, e sou totalmente incapaz de me expressar por motivo de espanto alegre. Sinto que devo sentar e me perder em adoração. Eu sou um cão burro pobre sobre esse tema. Acredito que, se eu ficasse calado para pregar por doze meses a partir deste texto, não seria difícil para a matéria, mas, ao terminar os cinquenta e dois domingos, deveria estar ansioso para entrar na consideração de um ano do mesmo tópico. Aqui está um país vasto e frutífero - uma terra de colinas e vales, uma terra de fontes e riachos de água - quem os espiará e estabelecerá os limites? Eu tentarei exibir um cacho de uvas de Escol, mas a terra inteira não posso mostrar a você, vale a pena viajar até lá por si mesmos. É um assunto real e correto - “As riquezas excedentes de Sua graça em Sua bondade para conosco através de Jesus Cristo.”
Whitefield e Wesley poderiam pregar o evangelho melhor do que eu, mas eles não poderiam pregar um evangelho melhor. Eu pregarei com o desejo ansioso que os outros possam ser atraídos para vir e saborear as iguarias da festa de casamento de Cristo. Para este fim, vou ensaiar as gentilezas amorosas do Senhor. Oh, que o Espírito Santo possa me ajudar e atrair você. Começamos com:
I. A benignidade do Senhor em relação a nós em Cristo Jesus. Que bondade Ele demonstrou ao escolher pecadores como nós. Esses efésios foram os idólatras mais supersticiosos. Você sabe o quão alto eles gritaram: “Grande é a Diana dos efésios”. Não havia preparo neles para jogar fora seus ídolos e adorar o grande Invisível. Não havia nada neles para atraí-los para a luz que brilha no Cristo de Deus. Eles estavam longe, como Paulo diz, não tendo esperança, e realmente e verdadeiramente sem Deus no mundo, e ainda assim estes eram os mesmos homens que as extraordinárias riquezas da graça de Deus trouxeram das trevas para a maravilhosa luz. Eles estavam “mortos em delitos e pecados”. Eles caminhavam de acordo com o curso do mundo, de acordo com o príncipe do poder do ar. Eles satisfizeram os desejos da carne e da mente, e foram afundados em todo tipo de luxúrias e vícios repugnantes, e ainda assim a graça de Deus veio aos homens de Éfeso, e convocou uma igreja para mostrar os louvores de Deus. Agora, o que nós éramos, meus irmãos? Nós não éramos idólatras, nem afundados em toda a degradação de Éfeso, mas todos nós éramos pecadores de uma forma ou de outra. Todas as ovelhas se desviaram, embora cada uma seguia um caminho diferente, todas tomaram o caminho descendente e nós entre elas. Nós, ao máximo de nosso poder, cumprimos as luxúrias da carne e da mente. Nós fizemos o mal que pudemos. Se não fosse pelas restrições da educação e pelos controles do nosso entorno, não sei em que crimes, nós não teríamos mergulhado. É uma circunstância feliz para alguns de nós que Deus se encontrou conosco muito cedo, ou caso contrário, teríamos sido varridos pelas torrentes de nossas paixões juvenis nos piores vícios possíveis. Sempre tivemos uma vontade forte e um propósito firme, e coragem igual a qualquer ousadia. Essas qualidades sob a influência do diabo logo teriam forçado para nós uma passagem para o inferno. Se tivéssemos sido deixados para semear nossa aveia selvagem, que cultura teríamos muito antes disso. Graças a Deus por Ele prevenir o amor! Ai, alguns, deixados para vaguear longe, foram autorizados a provar em suas vidas, o pecado que habitava neles, e que maravilha da graça, que milagre de amor, que Deus deveria tê-los escolhido, afinal, e os trouxe perto de si mesmo. Queridos irmãos e irmãs, não vou me alongar sobre isso, pois este é um ponto para suas meditações particulares. Encerre-se em seu quarto e pense no que você seria e no que teria sido se não fosse pela bondade de Deus para com você em Cristo Jesus. Não esqueça que o Senhor mostrou essa bondade para conosco, a fim de que outros como nós sejam induzidos a acreditar na mesma bondade. Há algum aqui que seja filho de pais piedosos, e você violou sua consciência? Depois da mesma forma, muitos de nós se revoltaram terrivelmente e, no entanto, o Senhor teve misericórdia de nós. Alguns de vocês caíram nas concupiscências da carne e seguiram os prazeres do pecado, e assim se contaminaram grandemente? Não se desespere com o perdão, pois há alguns aqui que se lembram em lágrimas de como o Deus dos perdões os perdoou depois de terem caído nos mesmos pecados. Qualquer que seja a forma que sua transgressão possa tomar, Deus salvou outros que antes caíram em pecados semelhantes, a fim de que neles Ele pudesse dar a conhecer a Sua disposição de prendê-lo ao Seu seio e lançar seus pecados para trás. Nenhuma doutrina, por mais claramente que seja afirmada, jamais terá essa influência sobre os homens como exemplos vivos, mas quando podemos dizer sobre isto e sobre o outro, “estes foram grandes ofensores. Estes eram pecadores abertos. Estes foram transgressores graves, mas obtiveram misericórdia”, dizemos, com efeito, a todos do mesmo caráter: “Vinde, e não sereis recusados. Deixe seu pecado como eles fizeram. Deteste-o como eles fazem. Confie em Jesus como eles foram ensinados a fazer, e você encontrará igual misericórdia com eles, e se regozijará na salvação comum.”
A bondade de Deus para conosco - como eu me deleito em me debruçar sobre a palavra “nós”, então aceito e reconheço minha própria participação pessoal - a bondade de Deus para comigo. Faça isso, meus irmãos, e depois vá e mostre aos outros a bondade do Senhor em relação às suas próprias almas. Mas nossa atenção é chamada não apenas para as pessoas a quem Deus escolheu, mas para Sua bondade exibida nos atos graciosos que Ele fez em relação a eles. Marque as riquezas excedentes de Sua graça em Sua bondade para conosco. O que Ele fez por nós? Ele nos escolheu antes de acender as estrelas, aquelas tochas do céu. Ele escreveu nossos nomes no coração e nas mãos de Cristo antes de colocar as fundações das colinas. Na plenitude dos tempos, Ele deu Cristo por nós, aquele abençoado Cristo de quem dizemos: “Que me amou e se entregou por mim”.
Ele fez conosco em Cristo Jesus uma aliança ordenada em todas as coisas e segura, que prevalecerá quando todas as coisas criadas se dissolverem. Tendo feito isso, Ele cuidou de nós quando éramos escravos do tirano Satanás. Graciosamente, Ele nos protegeu de ir ainda mais longe na transgressão e cometer o pecado que é para a morte. Então Ele nos chamou, e quando nós não viemos, Ele nos atraiu ainda mais pela Sua graça eficaz, até que finalmente nos rendemos. Oh, eu não posso dizer tudo o que Ele fez por nós quando finalmente chegamos a Jesus, mas isso eu sei, Ele nos lavou, e nós ficamos mais brancos do que a neve. Ele trouxe o melhor manto e colocou-o em nós, e nos fez graciosos à sua vista. Ele nos deu o beijo da doce aceitação, e Ele nos colocou entre os filhos, e desde então Ele nos deu a porção dos filhos e tem lidado conosco como Ele costumava lidar com aqueles que amam Seu nome. Fomos adotados na família e vivemos do pão dos filhos, fomos guiados, instruídos, sustentados e santificados, e o Salvador todo-poderoso ainda está realizando milagres de misericórdia para nós.
O antigo conto dos gigantes empilhando montanha sobre montanha, Pelion sobre Ossa, é superado por nosso Deus. Ele não apenas amontoou uma colina de misericórdia, mas Ele colocou montanha sobre montanha, Ele empilhou Alpes sobre Alpes para fazer um caminho para nós, para que possamos ascender à destra de Deus Pai, e sentar nos lugares celestiais com Cristo. Que foi que ele fez? Eu respondo, o que ele não fez? O que mais ele poderia fazer? Você pode sugerir uma piedade? Ele já deu isso. Você pode desejar um favor? Já é seu e era seu desde antes da fundação do mundo. Oh, a bondade, a bondade múltipla, a bondade transbordante, suprema e inconcebível de Deus em Sua bondade para conosco através de Cristo Jesus. Estou fadado a focar um momento na última palavra, Sua bondade para conosco através de Jesus Cristo. Esse é o canal pelo qual toda bênção chegou até nós. Deus dá misericórdia comum aos homens como Suas criaturas, mas essas riquezas da Sua graça, essas bênçãos da aliança, todas vêm a nós como Seus escolhidos, através do Mediador. Você pode ver a marca da cruz em todo favor espiritual que o Pai concedeu.
Algumas gotas de suor ensanguentado caíram sobre cada preciosa gema da caixa do tesouro do pacto. E isso não agrada você que a misericórdia de Deus - que ela vem através de Jesus Cristo? Parece-me aumentar seu valor e tornar cada bênção da aliança mais e mais, querida, porque é trazida a nós pela mão do Amado. Por sua expiação é adquirido para nós, e por sua incomparável intercessão é realmente concedido.
Disse que não estou certo de que tenho um tema que é profundo demais para mim? Eu posso detê-los por muitos dias sobre esta palavra, "através de Jesus Cristo", através do Deus encarnado, através de Sua vida e morte e ressurreição, e Sua intercessão à mão direita do trono da majestade nas alturas. Todas as coisas vêm a nós através de Jesus Cristo. Ele é o tubo de ouro do canal do amor eterno, a janela através da qual a graça brilha, a porta pela qual ela entra. Pegue estas duas ou três palavras, sente-se, revolva-as em suas almas e veja se não há a própria música do céu dormindo dentro delas, e que sua fé possa entoar aleluias.
"As riquezas excedentes da sua graça, na sua benignidade para conosco, por meio de Cristo Jesus" - este é um hino digno dos coros celestes, cantai-o, ó escolhidos do Senhor, enquanto esperais subir o seu santo monte.
II. Mas agora dou um passo além e entro na alma do texto. Vamos considerar - “AS RIQUEIZAS EXCEDENTES DE SUA GRAÇA”. Aqui nosso inglês é uma língua pobre em comparação com o grego, e eu acredito que Paulo gemeu mesmo quando ele estava escrevendo o grego incomparável do texto, porque ele não conseguiu expressar todo o seu significado. Mesmo o hebraico, que parece ser a mais expressiva de todas as línguas humanas, e bem poderia ter sido falado no Paraíso, não pode conter ou expor a plenitude dos grandes pensamentos de Deus, mas aqui o grego é maravilhoso. E se eu ler as palavras “a riqueza hiperbólica da graça ou as riquezas superabundantes, excessivas e transbordantes da graça de Deus”? Se eu tivesse que usar epítetos, não poderia dar a você tudo o que Paulo quer dizer. Apenas observe, primeiro, que as riquezas da graça de Deus estão acima de todos os limites. Um homem não é rico quando pode contar seu dinheiro, ou perder isso e aquilo quando o tiver gasto. Costumamos ler em nossos primeiros livros em latim: "É a marca de um pobre numerar seus rebanhos", o rico tem tantas ovelhas que não pode contá-las. Quando uma pessoa se torna imensamente rica, ela é mais rica do que precisa, e não tem apenas o suficiente, mas tem muito de sobra. Assim é com a graça de Deus, Ele tem tanta graça quanto você necessita, e Ele tem muito mais do que isso. O Senhor tem tanta graça quanto um universo inteiro exigirá, mas Ele tem muito mais. Ele transborda. Todas as exigências que podem ser feitas sobre a graça de Deus nunca irão empobrecê-lo, nem mesmo diminuir o seu depósito de misericórdia. Permanecerá uma mina de misericórdia incalculavelmente preciosa, tão cheia quanto quando Ele começou a abençoar os filhos dos homens. Numa aldeia rural, se um homem tiver algumas centenas de libras, ele é considerado bastante rico. Você entra em uma cidade grande - lá um homem deve ter vários milhares, mas quando você vem a Londres e frequenta a Bolsa de Valores, você pergunta sobre fulano de tal, “Ele é um homem rico?” E alguém, talvez, responda “Sim, sim, ele vale cem mil libras.” Coloque a mesma pergunta para um Rothschild com seus milhões, e ele responde: “Não, ele é um homenzinho. Ele não é rico. Ele possui apenas cem mil libras”, pois esses grandes banqueiros contam seu dinheiro em milhões. Bem, mas o que são esses grandes Rothschilds com todos os seus milhões quando são considerados de acordo com a riqueza do céu? Eles estão em nenhum lugar. Só o Senhor é rico. “Se eu tivesse fome”, diz ele, “eu não lhe diria, pois o mundo é meu e a sua plenitude”. Ele diz: “A prata e o ouro são meus e o gado nas mil colinas”. Deus é tão rico em misericórdia que você não pode dizer quão rico Ele é. Sua graça está transbordando riquezas, riquezas maravilhosas, riquezas excedentes. Deus não é excessivo em nada que eu saiba, exceto em Sua misericórdia. Ele é ilimitado em todos os Seus atributos, mas enfaticamente em Seu amor - pois Deus é Amor. Sua graça está acima de toda observação. A pequena graça que você viu - você me interrompe e exclama: “Senhor, eu tenho visto grande graça.” Então você tem, para você, senão a pequena graça que você viu, eu digo, não tem proporção com o todo glorioso. Você não viu tanto da graça de Deus quanto um homem poderia ver do mar se ele estivesse na praia de Brighton ou em Hastings. “Por que”, você responde surpreso, “eu posso ver tanto do oceano lá, como qualquer homem mortal pode ver.” Isso pode ser, mas os olhos dos homens têm apenas um alcance estreito. Eu lhe digo, você nunca viu o mar, mas apenas uma parte insignificante dele. Se um homem cruza da América, ele contemplou um sulco estreito ao longo do qual seu barco abriu seu caminho, mas ninguém jamais viu ao máximo o vasto e majestoso oceano em toda a extensão, largura e profundidade. Ninguém pode vê-lo em todas as suas costas e cavernas ocas. Tal é a “superação de riquezas” da graça de Deus, insondável, conhecimento passageiro. Oh minha língua pobre e minha linguagem maçante. Eu devo deixar meu assunto, por transbordar minha alma e afogar meu discurso.
Você deve pensar por si mesmo. A graça de Deus supera tudo o que você sabe, tudo o que vê e tudo o que pensa. Então, em seguida, observo que essa graça é acima de toda expressão, sim, até mesmo da expressão inspirada. Paulo, embora cheio do Espírito Santo, não pôde falar todo o amor de Deus em Cristo Jesus, pois o Seu amor é indescritível. “Graças a Deus por sua indescritível graça”. Se tivéssemos todas as línguas dos homens e dos anjos, não poderíamos declarar todas as riquezas da graça de Deus. Não, se todos os oradores que já viveram fizessem deste o seu único tema, e se todos estes estivessem sob a influência do Espírito divino, ainda assim a linguagem humana não poderia compreender esta coisa divina - "Palavras são apenas ar, e línguas, senão barro, e esta compaixão é divina”.
Se nós conhecêssemos a linguagem dos anjos, não poderíamos então declarar a graça de Deus. Os santos mais experientes lamentam a fraqueza de toda forma de discurso para descrever as riquezas excedentes da graça de Deus. Somos obrigados a acrescentar que são sobretudo nossas formas de ação. O evangelho nos ensinou a perdoar, mas nós não aceitamos isso naturalmente. Se alguém nos trata muito mal, é com alguma dificuldade que perdoamos, mas há certos tratamentos vis, cruéis e ingratos, que se torna quase impossível ignorar, e se perdoamos, mas nem sempre esquecemos. Mas tal é a grandeza da misericórdia de Deus que nós, que nos cansamos com a iniquidade, e o cansamos com nossos pecados, mas não gastamos Sua compaixão. É difícil para nós perdoar, mas é espontâneo para Deus. Ele se delicia - “Ele se deleita em misericórdia”. Vinte e seis vezes em um salmo o doce cantor proclama que “Sua misericórdia dura para sempre”. Como ele toca aquele sino de novo e de novo e de novo, “Pois Sua misericórdia dura para sempre.” Sua misericórdia é muito curta, e seu temperamento é rápido, de modo que você fala imprudentemente e com raiva muito em breve, mas não é assim com Deus. Tão maravilhosos são os seus caminhos de graça que eles já descobriram. Não podemos segui-los e mal podemos acreditar neles porque são tão diferentes dos nossos. Seus caminhos estão acima de nossos caminhos e Seus pensamentos estão acima de nossos pensamentos, tanto quanto os céus estão acima da terra. As mentes mais gentis, humildes e mais amorosas ficam muito para trás nessa corrida de amor. O homem é avarento no perdão, mas o Senhor é rico em misericórdia. Nosso pequeno fluxo de bondade corre após muito bombeamento e pressão, mas o rio do amor divino flui livremente. Sim, e os caminhos da graça estão acima do nosso entendimento.
Algumas mentes célebres nasceram no mundo de vez em quando, homens que exploraram o sol, entrelaçaram as estrelas e penetraram no coração da Terra e nos contaram sobre sua história antiga. Deus levanta de vez em quando, domina as mentes para perceber e revelar Sua sabedoria na natureza. Mas nunca houve e nunca haverá um entendimento humano capaz de compreender plenamente as riquezas incompreensíveis da misericórdia de Deus em Cristo Jesus. Sente-se e pense bem, e olhe atentamente para este mistério, e você o encontrará muito além de você. "É alto, não posso alcançá-lo."
Eu me preparei neste dia para estudar este assunto, mas mal toquei nele como uma asa de andorinha. Eu não mergulhei nas profundezas insondáveis. Jeová é um Deus que perdoa tão maravilhosamente, tão rico em Sua misericórdia, que nosso entendimento não pode contar a poderosa soma. Sim, e se nossos pensamentos fossem elevados ao máximo, se fôssemos santificados no mais alto grau, se fôssemos tão puros de coração a ponto de ver a Deus, nem mesmo assim poderíamos conhecer todas as riquezas excedentes de Sua graça para nós que acreditamos. O mais sublime pensamento da mente mais santa nunca chegou ao auge desse grande argumento. A concepção mais magistralmente poética desmaia, sua asa se inclina e cai na terra na presença dessa misericórdia que é mais alta que os céus e muito acima das nuvens. Eu gostaria de poder dizer algo que faria os homens saberem quão vasta é a misericórdia de Deus. Ah, que esses lábios tivesem linguagem! Talvez minha falha possa ser melhor que a fluência. Se assim for, ficaria feliz em ser burro para deixar a própria misericórdia falar.
Além disso, queridos amigos, as excessivas riquezas da graça de Deus podem ser adivinhadas pelo fato de que a misericórdia divina está acima de todos os nossos pecados. Você não pode pecar tanto quanto Deus pode perdoar. Se se trata de uma batalha campal entre o pecado e a graça, você não será tão mau quanto Deus será bom. Eu vou provar isso para você. Você só pode pecar como homem, mas Deus pode perdoar como Deus. Você peca como uma criatura finita, mas o Senhor perdoa como o infinito Criador. Quando recebi esse pensamento de forma justa em minha alma na noite passada, senti-me como Abraão quando ele ria de alegria, como um homem, mas Ele perdoa como um Deus. Nós nunca pecaremos que a graça não possa abundar, por mais que sejamos infames e detestáveis. Mas que texto abençoado é aquele: “Onde abundou o pecado, a graça abundou muito mais”. Seu pecado é como uma montanha, mas se você tem fé como um grão de mostarda você dirá a este monte: "Seja removido daqui e lançado no meio do mar da infinita misericórdia de Deus", e será feito a você. O sangue expiatório lavará toda a transgressão, e nenhum vestígio dela permanecerá. Esse fato não aumenta a misericórdia de Deus? Grosseiro e intolerável como seu pecado pode ser, ainda assim é como uma gota em um balde comparado com o imenso oceano de amor que perdoa. Tente novamente. A misericórdia de Deus é maior que suas promessas. "Oh, não", você diz, "isso não vai funcionar. Nós lemos de ““excedentes grandes e preciosas promessas”. Eu lhes digo que Sua misericórdia tem uma glória além de Suas promessas, pois Sua misericórdia é o pai de Suas promessas. O Senhor teve misericórdia e graça antes de ter proferido uma única promessa, e foi porque Seu coração estava flamejando de amor que Ele fez uma aliança de graça e escreveu nela as palavras de paz. Suas promessas são preciosas correntes que surgem nos desertos de nosso estado perdido e arruinado, mas a profundidade em que se encontra, que as Escrituras chamam de “a profundidade que deita abaixo”, é mais rica que a fonte que sai dela. A misericórdia de Deus como fonte e cabeça do poço é maior do que as promessas que fluem dela, infinitamente maior do que nossas interpretações das promessas, que estão muito aquém do seu real significado, e mesmo esse significado, nós o conhecemos, não podemos expor todas as “excedentes riquezas da sua graça, na sua benignidade para conosco, por meio de Cristo Jesus”.
Vamos tentar novamente. A misericórdia de Deus é maior do que tudo que todos os Seus filhos já receberam até agora. Seus redimidos são uma multidão que nenhum homem pode contar, e cada um recorre fortemente à graça divina, mas apesar de toda a graça que Ele já lhes deu (e deu a cada um deles uma porção imensurável), ainda assim há mais graça em Deus que Ele deu ainda. “Oh”, você diz, “como pode ser isso?” É assim porque Sua misericórdia não é toda dada nesta vida, boa parte dela é guardada para o gozo no mundo vindouro. A graça que ainda não provamos é a própria coroa da festa. O Senhor preparou para aqueles que O amam uma felicidade inconcebível. Há o céu, há a glória, há toda a felicidade das eternidades sem fim que ainda estão guardadas. Oh, a riqueza dessas reservas celestes. Tenho certeza de que afirmei a verdade quando disse que o que o Senhor deu não compreende todas as riquezas excedentes de Sua graça, Ele tem infinitamente mais para dar. Você viu o rio Tâmisa rolar, o rio abundante e regozijante, e você vê o gado chegando em um dia quente e ficando de pé no meio do rio, e bebe, bebe e bebe. Há mais água no Tâmisa do que todos os novilhos de todos os pastos da Terra já beberam ou beberão. Eles podem ser expulsos de todas as pradarias sob o céu e ficar à beira do rio e beber como se fossem sugar do Jordão uma corrente de ar, mas nunca diminuirão a riqueza do Tâmisa. Mas mesmo que pudessem, você e eu ainda estaríamos tão longe de toda a possibilidade de drenar a maravilhosa inundação de misericórdia que vem fluindo de debaixo do trono de Deus. A chuva de graça encheu as piscinas, mas vai chover de novo, não menos do que isso. A capacidade de Deus para dar é maior do que nossa capacidade de receber. O fato é que essa graça é acima de toda medida. No entanto, temos quatro medidas para isso - altura, profundidade, largura, comprimento - e essa misericórdia de Deus é tão extraordinariamente grande que em cada uma dessas medidas ela confunde a descrição. É maior do que o nosso pecado, embora seja extremamente hediondo e orgulhosamente ameace os portões do céu. É mais alto que nossos pensamentos, embora nossa imaginação às vezes tome o voo de um condor. Oh, a altura da misericórdia divina! Ela sobe ao trono do Eterno.
Quanto às profundezas da graça - o mar tem profundidades imensas , mas a misericórdia de Deus é totalmente insondável. Grandes pecados afundam e são perdidos, mas a graça é tão profunda como antes depois de ter engolido o pecado de um mundo. Há lugares inconcebivelmente profundos na misericórdia de Deus, onde os pecados mais negros são perdidos. Destes vêm as mais belas pérolas da graça. Oh as profundezas! Quanto à amplitude da misericórdia, Davi diz: “Tanto quanto o oriente dista do ocidente, assim removeu nossas transgressões de nós”. Que amplitude maior pode ser concebida?
Quanto ao comprimento, é de eternidade a eternidade. Alguém pode me dizer a duração disso? Meus pecados começaram há menos de cinquenta anos, mas a misericórdia do Senhor começou - ah, quando começou? Esteve sempre com Ele e Seus planos de misericórdia são eternos. Há um começo para o pecado do homem, mas não há começo para o perdão do amor. Deixarei de pecar, espero, muito antes de outros cinquenta anos terminarem, e estarei além do medo de mais falta, mas a misericórdia do Senhor nunca terminará, até o fim.
Quem pode então abarcar uma questão que, em qualquer de suas medições, ultrapassa de longe toda a computação humana? A graça está acima de todo cálculo. Apressem-se aqui, vocês, grandes pecadores. Você não é grande em comparação com a grande misericórdia do Senhor em Cristo Jesus. Não podemos permitir que você aplique a palavra "grande" ao seu pecado; precisamos reservá-la para a misericórdia de Deus. Nós devemos monopolizar a palavra, pois toda a grandeza reside no amor e misericórdia de nosso Deus. Embora, seja muito o que você pode ter perdido, por mais negro que você seja, por mais contaminado que seja, Deus se deleita em misericórdia, é a alegria do Seu coração passar pela transgressão e pecado através do precioso sangue de Cristo. Não faça ao meu Senhor uma desonra tão grande a ponto de medir seu pecado e afirmar que ele supera Sua misericórdia. Não pode ser! Você não sabe nada sobre a natureza gloriosa do meu Senhor. Uma criança pode encher sua pequena taça do grande mar, mas o mar nunca diminui. Seu pecado é como aquele cálice, e você pode enchê-lo até a borda com misericórdia, mas o oceano do amor nunca perderá tudo o que você pode tirar dele. Venha, pegue tudo o que você pode tomar, e ninguém deve questionar você. Lave suas manchas carmesim nesta inundação pura, e ela permanecerá tão pura quanto a primeira. Eu não falaria com leviandade do seu pecado, é uma coisa excessivamente grande e dolorosa, mas ainda digo de novo que, em comparação com a infinita misericórdia de Deus, é apenas como uma sombra para o sol, ou um grão de areia para o oceano cheio em seu dilúvio.
III. Essas riquezas da graça merecem ser ainda mais ilustradas e vou ilustrá-las apenas por dicas. Que excesso de graça da graça foi da parte de Deus que quando nós resistimos a Ele nos dias de nosso pecado Ele resolveu superar nossa loucura. Se você oferece ao homem uma grande bondade, e ele não o terá, você diz: “Bem, então ele deve passar sem isso. Eu não estou de joelhos com ele para pedir-lhe para receber um favor de mim.” No entanto, o Senhor pede aos pecadores que aceitem Sua graça. "Venha agora, e arrazoemos juntos, diz o Senhor." Ele implora e suplica aos homens que eles serão salvos. Ele os atrai, implora, argumenta com eles, que eles se voltem para Jesus e vivam. Oh, as riquezas excedentes da Sua graça. Meu Mestre, o Senhor Jesus, veio até mim e disse: “Alma, você terá perdão?” E tolo que fui, respondi: “Não.” Então Ele voltou e disse: “Você terá a Mim e a minha salvação? Eu lhe levarei para o céu comigo.” E eu respondi: “Não.” Ah, mas Ele não aceitaria “Não” como resposta. Ele tinha um jeito doce de entender minha vontade, e Ele me atraiu até que por fim eu clamei a Ele. Como eu comi minhas palavras negras e rebeldes. “Senhor,” eu disse, “não perceba o que seu pobre filho disse. Jogue suas recusas obstinadas nas Suas costas, e deixe-me vir até você.” Mas, oh, as excessivas riquezas de Sua graça que Ele deveria esperar, esperando por muito tempo e batendo à nossa porta, embora não o deixássemos entrar.
As excessivas riquezas de Sua graça foram vistas em não criar condições para nós. Quando o Senhor Jesus Cristo se encontrou conosco, Ele não se destacou pelos termos. Ouvi alguém dizer no outro dia: “Eu não sinto bastante quebrantamento de coração ou humilhação suficiente de espírito.” Quem disse que Cristo exigiu tanto quebrantamento de coração e tanta humildade de espírito antes que Ele desse Sua misericórdia? Aquele que ousou dizer que não conhece a liberdade do evangelho, pois o evangelho vem trazer-lhe o coração quebrantado e o espírito humilhado. E Cristo vem a você exatamente como você é, em toda a sua alienação e inimizade, e traz tudo em suas mãos que você pode querer. Isso é o que chamamos de graça livre.
Um crítico afiado disse outro dia: “Não diga “graça livre”, é uma tautologia, a graça deve ser livre”. Ah, meu caro senhor, mas diremos “graça gratuita”, ou “graça livre”, para que não haja erro nisso, pois alguns, ouso dizer, não saberão onde estamos a menos que sejamos redundantes em nossa vida com expressões sobre este ponto. Não havia nada em nós para atrair a Cristo para nós. Não tínhamos nada de bom, mas tudo de mal. Quando Ele veio Ele não disse: "pecador falido, você deve pagar dois centavos, e eu vou pagar os outros dezenove centavos." Ele pagou todas as nossas dívidas, não pedindo nem um centavo de nós. Ele nos viu deitados ao lado da estrada machucados e quebrados, e não disse: “Venha cá, pobre homem; levante-se e atarei as suas feridas. ”Não, mas Ele chegou aonde estávamos deitados, incapazes de se mexer, e derramou o vinho e o azeite, e fez tudo sem a nossa ajuda. Esta é a “superação da sua graça”, em não estipular algo conosco, mas dando-nos livremente tudo de que precisamos, pedindo apenas que o recebêssemos, que ficássemos vazios e que Ele nos enchesse com o Seu amor.
Amados, eu acho que nunca conheci “as excessivas riquezas da Sua graça”, melhor do que quando eu estava pensando, outro dia, de como Sua graça funciona. Ora, Ele faz tudo isso com uma palavra. Ele fala a um pecador morto em vida por uma palavra. "Viva", diz ele, e aquele que estava morto vive. Aquele que foi considerado injusto é, pela vontade de Deus, considerado justo, e ele é justo, pois aquele a quem Deus considera justo, pela imputação da justiça de Cristo, é justo. Sim, e ele será recompensado pela retidão que Deus, com uma palavra, lhe dá. Se você quiser outra prova das “excessivas riquezas da Sua graça”, pense no poder do sangue. Uma vez lavado na fonte carmesim, todo seu pecado se foi, cada ponto é lavado. Sim, e nunca mais voltou, pois aquele que uma vez foi lavado no sangue expiatório nunca mais será sujo. A purificação é    aperfeiçoada para sempre. O glorioso Sumo Sacerdote fez uma oferta pelo pecado, e apenas uma, e Ele a fez uma vez, e com isso Ele aniquilou todos os pecados de todo o Seu povo de uma só vez, de uma vez por todas.
Oh, “as riquezas excedentes da Sua graça”, Sua palavra, Seu sangue operou maravilhosos mistérios da graça. E desde então, queridos amigos, “as extraordinárias riquezas da graça de Deus” não foram maravilhosas para você? Pensar que Ele deveria nos aceitar como crentes, embora não tivéssemos mais do que meio grão de fé! Ele até nos tratou como crentes, quando às vezes temos sido mais duvidosos do que seguidores. Quanto ao nosso arrependimento, parecia um arrependimento tão superficial, mas Ele considerou o arrependimento e aceitou-o como tal. Nosso amor a ele! Oh, nosso pobre amor a Ele tem sido como uma faísca escondida nas cinzas, mas Ele chamou isso de amor. Ele nos conhece melhor do que nós mesmos e sabe que o amamos, apesar da fraqueza de nosso afeto. Essas pobres e frágeis graças das quais nos envergonhamos, no entanto, ele se alegrou nelas e teve uma alegria nelas como sendo o dom do Seu Espírito, das “excessivas riquezas da Sua graça”. Desde a nossa conversão, o Senhor nos segurou e nos ajudou a nos apegar a Ele. Nós o temos tentado muito tempo fora da mente. Às vezes falamos sobre nossas provações. Há outro lado para isso. Pense nas provações de Cristo; como nós o entristecemos. Devemos ter provocado Seu espírito dez mil vezes, mas Ele nos ama infinitamente e não desiste de nós. Ele nos desposou e nunca se divorciará de nós. Ele nunca processou um divórcio contra uma alma que era casada com Ele, nem nunca o fará. Ele não ficou frio em Seu amor; apesar de nossa frieza Ele nos ama agora com todo o Seu grande e infinito coração. E logo, Ele abrirá os portais dourados, e Ele dirá: “Suba aqui” –
“Então, Senhor,
eu irei conhecer plenamente,
Não até então, quanto devo.”
Mas se quando eu chegar ao céu Eu saberei o que eu lhe devia aqui, Ficarei em maior dificuldade do que nunca, pois não saberei o que devo a Ele em Sua glória. É uma enorme dívida que devemos a Ele pelas bênçãos do tempo e, talvez, na eternidade, começaremos a calcular seu valor. Mas então seremos docemente constrangidos com um novo fardo, no sentido da espantosa misericórdia que Ele nos dará à Sua mão direita. Podemos desistir da tarefa sem fim. Não podemos calcular a soma. Irmãos, estamos todos em uma dificuldade igual, e assim será para sempre, pois o Senhor vai nos inundar de misericórdia, graça e favor, para todo o sempre, e diremos uns aos outros, quando milhões de anos tiverem passado: "Irmão, não é ainda surpreendente? Você parece saber muito mais do que você sabia no Tabernáculo naquela manhã, quando ouviu o pobre pregador tentar fazer o melhor possível com o assunto, e ele estava completamente perdido nisso?” E você dirá: “Eu sei muito mais, mas estou tão longe quanto sempre de conhecer tudo, pois agora eu sei mais da minha ignorância, eu sei mais da extensão do que eu não conhecia.”
Irmãos e irmãs, se o que sabemos e o que não sabemos são somados para formar a soma total de a graça do Senhor, o que deve ser?
“Só Deus conhece o amor de Deus:
Oh, que agora fosse derramado
nestes corações de pedra pobres.”
Deus o conceda, por amor de Jesus. Amém.
PARTE DA ESCRITURA LIDA ANTES DO SERMÃO - EFÉSIOS 2.
Efésios –    2
1 Ele vos deu vida, estando vós mortos nos vossos delitos e pecados,
2 nos quais andastes outrora, segundo o curso deste mundo, segundo o príncipe da potestade do ar, do espírito que agora atua nos filhos da desobediência;
3 entre os quais também todos nós andamos outrora, segundo as inclinações da nossa carne, fazendo a vontade da carne e dos pensamentos; e éramos, por natureza, filhos da ira, como também os demais.
4 Mas Deus, sendo rico em misericórdia, por causa do grande amor com que nos amou,
5 e estando nós mortos em nossos delitos, nos deu vida juntamente com Cristo, – pela graça sois salvos,
6 e, juntamente com ele, nos ressuscitou, e nos fez assentar nos lugares celestiais em Cristo Jesus;
7 para mostrar, nos séculos vindouros, a suprema riqueza da sua graça, em bondade para conosco, em Cristo Jesus.
8 Porque pela graça sois salvos, mediante a fé; e isto não vem de vós; é dom de Deus;
9 não de obras, para que ninguém se glorie.
10 Pois somos feitura dele, criados em Cristo Jesus para boas obras, as quais Deus de antemão preparou para que andássemos nelas.
11 Portanto, lembrai-vos de que, outrora, vós, gentios na carne, chamados incircuncisão por aqueles que se intitulam circuncisos, na carne, por mãos humanas,
12 naquele tempo, estáveis sem Cristo, separados da comunidade de Israel e estranhos às alianças da promessa, não tendo esperança e sem Deus no mundo.
13 Mas, agora, em Cristo Jesus, vós, que antes estáveis longe, fostes aproximados pelo sangue de Cristo.
14 Porque ele é a nossa paz, o qual de ambos fez um; e, tendo derribado a parede da separação que estava no meio, a inimizade,
15 aboliu, na sua carne, a lei dos mandamentos na forma de ordenanças, para que dos dois criasse, em si mesmo, um novo homem, fazendo a paz,
16 e reconciliasse ambos em um só corpo com Deus, por intermédio da cruz, destruindo por ela a inimizade.
17 E, vindo, evangelizou paz a vós outros que estáveis longe e paz também aos que estavam perto;
18 porque, por ele, ambos temos acesso ao Pai em um Espírito.
19 Assim, já não sois estrangeiros e peregrinos, mas concidadãos dos santos, e sois da família de Deus,
20 edificados sobre o fundamento dos apóstolos e profetas, sendo ele mesmo, Cristo Jesus, a pedra angular;
21 no qual todo o edifício, bem ajustado, cresce para santuário dedicado ao Senhor,
22 no qual também vós juntamente estais sendo edificados para habitação de Deus no Espírito.



Publicado no site: O Melhor da Web em 09/09/2019
Código do Texto: 140460

AQUI VOCÊ INTERAGE DIRETAMENTE COM O(a) AUTOR(a) DA OBRA!
DEIXE UM COMENTÁRIO REFERENTE AO TEXTO!

Comente esse Texto - Seja o primeiro a comentar!


Busca Geral:
Título
Texto Título e Texto


CLIQUE AQUI! PARA LER OS TEXTOS CADASTRADOS!
ESSE LINK VAI PARA A PÁGINA PARA EXIBIÇÃO DOS TEXTOS!

Galeria de Fãs
Sou Fã de...
 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Parceria de Sucesso entre o site Poesias www.omelhordaweb.com.br e o www.efuturo.com.br
Confira. Adicione seus textos nele. O eFUTURO já começou.

Indicamos:Efuturo.com.br - Efuturo é uma Rede Social de Conhecimento, Ensino, Aprendizado Colaborativo, Jogos Educativos e Espaço Literário.