Visitante, seja Bem-Vindo! 
Novo Cadastro
Esqueceu a Senha?

Login: 
Senha:
EDUARDO EUGÊNIO BATISTA

A vida não procura a morte, se você sabiamente, não optar por merecê-la!
Setedados - EDUARDO EUGÊNIO BATISTA

Textos & Poesias || Poesia
Imprimir
A BATALHA DA LOUCURA - Poesia nº 31 do meu segundo livro "Internamente exposto"
Autor(a): EDUARDO EUGÊNIO BATISTA
A BATALHA DA LOUCURA - Poesia nº 31 do meu segundo livro "Internamente exposto"

Ainda que então premente sim, eu me oponha,
Na distância desta minha realidade já findando;
Sou eu, esse vasto castigo!
No destino, por outros, sou repulsa e vergonha;
E nas paredes deste, o viver me transmutando,
No apelo do que fustigo!

Um alvo sem saber, no que é limitado, sem fervor,
Muito maior do que seja, pela grande e podre vida,
Desumana em suas validades!
É a pena dessa batalha que eu travo com o horror,
E esta mesma não dá tréguas; é imagem engolida
Num espelho de insanidades!

Ah! Meu eu por dentro..., o que eu fiz, me diga?
Que a mente não mais ajuda e nem mais sente,
O que foi ser feliz um dia!
Já em mim, não foi costurada a maldade inimiga,
Que se deixava usar feito dor, num ato demente,
Que no meu peito se ardia!

A minha cruz é a guerra da mente, alma e carcaça,
Na vestida existência, que cá de mim se despede,
Devorando-se sem ufanares...
Sou a presa na mão da loucura que não me rechaça.
Não a enfrento sem razão. O que me falta ela concede,
Na batalha dos nossos altares!



Eduardo Eugênio Batista

@direitos autorais registrados
e protegidos por lei


Publicado no site: O Melhor da Web em 08/03/2016
Código do Texto: 130785
AQUI VOCÊ INTERAGE DIRETAMENTE COM O(a) AUTOR(a) DA OBRA! DEIXE UM COMENTÁRIO REFERENTE AO TEXTO!
É FÁCIL, É LEGAL, VALE A PENA!

Comente esse Texto - Seja o primeiro a comentar!
Busca Geral:
Título
Texto Título e Texto
Meus Textos...




[ 1291 ] Texto s indicado s , porém não é o autor.




Galeria de Fãs