Visitante, seja Bem-Vindo! 
Novo Cadastro
Esqueceu a Senha?

Login: 
Senha:
JOSEMIR TADEU DE SOUZA

poetas, deveriam ser mais respeitados,pois espargem verdades, sob forma de sonhos.
josemiraolongo - JOSEMIR TADEU DE SOUZA

Textos & Poesias || Tristeza
Imprimir
a droga do tráfico e seu poder paralelo....
Autor(a): JOSEMIR TADEU DE SOUZA
a droga do tráfico e seu poder paralelo....

Chegou...
foguetório, correria, milicia,polícia,
o "todo feliz", aí vem seu "pão de cada dia".
Os sorrisos se põem abertos nas faces
da faixa suja da "comunidade"...
Esse entregar-se à orgia da loucura,
no corre-corre pra adquirir a "pura",
alimenta devaneios por algumas horas,
o silêncio no frenesi do movimento,
um grotesco e criminoso "gosto" de paz,
uma "respiradinha" que permite à galera
da faixa limpa, retirar com extremo cuidado
do esconderijo, com a vida guadado,
aquele trocado, suado, macerado, amassado,
com o qual vai comprar seu feijão e arroz...
trabalhadores, visivelmente aterrorizados,
que se adentram nervosa e rapidamente,
nos empórios,botecos e alguns mercados,
e pós compra, retiram dali, atordoados...

Falou...
travam-se as trancas das armas, trégua macia...
coisa de enganar otário, que se inicia
e crê na "imagem de uma falsa historia
"recheada" de breu, que se infiltra nos dias,
pra olhos turistas, que sem maldade,
acredita no embuste, na falsa "normalidade".
Abruptamente, termina a fragilizada trégua,
pois que bandido por ofício,
assemelha-se a moleque novo,
que se perde na sujeira do jogo do vício,
espargindo ao ar, profundos resquícios,
logo ao final do breve    amistício...
e aí, o solo novamente trará sismos,
correrias, mortes, gritos, abismos,
que trarão mais mortes e mais sacrifícios...
janelas fechadas, madeira apodrecida,
adornada por muitos e muitos orifícios.

Muita oferta, coisa liberta,
onde de forma clara e manifesta,
a diversidade do crack, coca, maconha,
"encorpa o movimento"...
drogas sujas, vendidas de forma visonha
pelos que dessa "parada",
fazem um ganho de vida.
Acintosa e proclamada vergonha.
a intenção faz-se bandida,
e se veste vistosa feito sorte,
a fim de dar aparencia de sossego,
ao que é visceralmente violento e hostil.

Quem trafica, tem influência,
pois políticos cuidam de sua mantença.
Milícias constroem seu campo de guerra,
sua morada, seu marco, sua terra...
e o povo, travado, acuado, amedrontado,
já perdeu o tato e a coragem.
Já não pode contar com nada, e se cala.

E quando vem a tona o calor do assunto,
figuras famosas e dependentes,
pra conservar as bocas,
onde a distribuição se faz solta,
fazem cenas, panos quentes...
pra eles, usuários arqueados e tomados,
não importa o sofrer daquela gente,
que se mata de trabalhar na faixa limpa,
que auto-exila e faz-se ausente,
porque melhor pra esse povo inocente,
é acatar o mórbido silencio imposto,
do que continuar a vivenciar no dia a dia,
o triste, o malfadado, o covarde desgosto,
de terem que enterrar como indigentes,
os corpos de seus torturados filhos...
por vezes limpos, honestos e inocentes,
por vezes retratos reais e fatais,
daquilo que descarrilou mortalmente,
pelos dejetos do trajeto dos trilhos...


Publicado no site: O Melhor da Web em 24/04/2010
Código do Texto: 54237
AQUI VOCÊ INTERAGE DIRETAMENTE COM O(a) AUTOR(a) DA OBRA! DEIXE UM COMENTÁRIO REFERENTE AO TEXTO!
É FÁCIL, É LEGAL, VALE A PENA!

Comente esse Texto - Seja o primeiro a comentar!
Busca Geral:
Título
Texto Título e Texto
Meus Textos...







Galeria de Fãs